Total de visualizações de página

terça-feira, junho 26, 2012

Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural sustentável propõe criação de Câmara

                A queda dos investimentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) no Pará dominou os debates na reunião do Conselho de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS) do Estado do Pará, realizada na manhã desta terça-feira (26), no auditório da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri). A reunião foi coordenada pelo diretor de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal, Paulo Amazonas Pedroso, que representou o secretário Hildegardo Nunes, presidente do CDRS.
                A burocracia nos bancos e instituições públicas e privadas, a falta de regularização fundiária e ambiental e outros fatores foram apontados como a causa da queda na aplicação dos investimentos e a inadimplência da maioria dos agricultores familiares que levaram o Conselho a propor a criação da Câmara de Crédito do Estado do Pará. O Conselho também decidiu realizar um seminário, em setembro, para debater com a sociedade a queda na aplicação dos investimentos do Pronaf no Pará. Este ano, dos R$ 800 milhões disponíveis para o Estado, somente R$ 450 milhões foram aplicados efetivamente até agora, devendo chegar, no máximo, a R$ 600 milhões, informou a representante da Delegacia Federal de Desenvolvimento Agrário no Pará, Soraya Viana Almeida.
                Segundo dados do Banco do Brasil, a aplicação dos recursos do Pronaf no Estado caiu de cerca de R$ 100 milhões, no Plano Safra 2009/2010, para R$ 75 milhões em 2010/2011 e R$ 62 milhões até agora em relação ao período 2011/2012. Já o Banco da Amazônia, que aplicou R$ 60,5 milhões em 2003, viu os investimentos despencarem nos últimos quatro anos passando de R$ 36,8 milhões, em 2009, para R$ 27,7 em 2010; R$ 24,3, em 2011 e somente R$ 7 milhões até agora este ano.
                O objetivo da Câmara de Crédito é unificar as discussões e operacionalizar a aplicação do crédito rural. Para isso, deverá ser constituído um grupo de trabalho permanente para verificar os gargalos na aplicação do crédito para a agricultura familiar. Outro grupo de trabalho será constituído somente para promover a renegociação das dívidas do Pronaf. Este grupo vai promover oficinas nos territórios administrativos do Estado com o intuito de se revitalizar os planos municipais de combate à inadimplência.
                Na avaliação de Paulo Amazonas Pedroso, a reunião foi muito proveitosa e as medidas tomadas pelos conselheiros vão ajudar a destravar os gargalos do crédito para a agricultura familiar no Estado. “Vamos debater tudo isso num grande seminário para melhorar a aplicabilidade dos recursos para a agricultura familiar no Pará”, afirmou. A próxima reunião do CDRS será realizada em agosto, quando serão retomados os debates para a criação da Câmara de Crédito e a realização do seminário.

Texto:
Raimundo Sena-Sagri
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...