Total de visualizações de página

quarta-feira, junho 06, 2012

NOTÍCIAS DE QUARTA, DIA 06 DE JUNHO


AÇÕES COMUNITÁRIAS

Secti e movimentos sociais

discutem Navegapará

                Representantes de associações comunitárias, organizações não-governamentais e de outros setores da sociedade se reunirão, nesta quarta-feira (6), às 9h30, com o titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Alex Fiúza de Mello, para debater o novo modelo de gestão do Programa Navegapará. A reunião, sediada na própria secretaria, tratará de assuntos relacionados à infraestrutura, dinâmica de uso e sustentabilidade dos infocentros. Na ocasião, o secretário reafirmará o compromisso do Governo Estadual de manter e expandir o Navegapará.



JUSTIÇA

Susipe discute projeto que

permite registro de paternidade

a filhos de detentos

                Manter o vínculo familiar entre detentos e seus filhos é um dos objetivos do projeto “Pai Presente”, debatido por representantes da Casa de Justiça e Cidadania do Pará (CJC-PA) e da Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe), na segunda-feira (34). O projeto foi elaborado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ,) que no Pará é coordenado pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJE) por meio da CJC-PA.

“O objetivo de trazer o projeto para a Susipe é promover a visita dos filhos que não podem ir ao encontro dos pais nas unidades prisionais, pelo fato de não possuírem o nome paterno na Certidão de Nascimento”, explicou a Régia Sarmento, gerente do Grupo de Trabalho do Preso e da Família, destacando a importância da aproximação entre pais e filhos.

                A supervisora da CJC do TJE/PA, Vanessa Denardin, ressaltou que “a partir da confirmação da paternidade o filho terá o direito de visitar o pai na unidade prisional. Nos casos em que os internos não reconheceram a paternidade, eles não precisarão se deslocar até o laboratório para coletar o material necessário ao exame de DNA, pois todo o processo será feito na própria unidade onde ele se encontra”.

O projeto foi baseado no Provimento n°12, de 06 de agosto de 2010, e tem como meta reduzir o número de pessoas registradas sem paternidade reconhecida no país, a partir da identificação daqueles que ainda não reconheceram seus filhos, a fim de promover as averbações nos registros de nascimento.

                Além do nome na certidão, crianças, adolescentes ou adultos ganham a identidade biológica. No Pará, o projeto foi implantado em agosto de 2011, e desde então 275 pessoas dos municípios de Belém e Ananindeua já foram registradas com o nome do pai.

                Para realizar o processo de registro paterno é necessário encaminhar os documentos (Identidade, CPF e comprovante de residência, originais e cópias) da mãe e do pai, e a Certidão de Nascimento do filho sem o registro paterno à Casa da Justiça e Cidadania, localizada na Avenida Almirante Barroso, nº 2380, em frente ao Bosque Rodrigues Alves.

                Quando não ocorrer o reconhecimento voluntário de paternidade, este é viabilizado pela mãe da criança, por meio do processo judicial, para que seja feito o cadastro do exame de DNA. Os serviços são gratuitos e podem ser iniciados na CJC-PA.



Texto:

Nara Pessoa-Susipe



GOVERNO DO

ESTADO E O BRT

Estado garantirá até agosto

recurso para BRT

da Região Metropolitana

                O Governo do Pará pretende assinar até agosto com a Agência Internacional do Japão (Jica) o contrato de financiamento para a execução do sistema de transporte rápido metropolitano, o BRT (Bus Rapid Transit), que interligará o Entroncamento, na saída da capital, até o município de Marituba, na Grande Belém. As obras deverão iniciar em 2014, quando já estará concluído o prolongamento da Avenida João Paulo II até Ananindeua.

                Os recursos a serem financiados pelo governo japonês somam R$ 320 milhões. O diretor geral do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), César Meira, explica que o financiamento já está na etapa final, que antecede a assinatura do acordo. Ainda este mês, o recurso passará pela aprovação do Senado Federal, em virtude de se tratar de um empréstimo estrangeiro.

“O financiamento passará pela Comissão de Economia e Finanças do Senado e depois pela votação no plenário. Com a aprovação, em agosto o governador deverá viajar ao Japão para assinar o acordo que garantirá o recurso para a implantação do sistema de transporte metropolitano”, esclarece.

                As obras do BRT na Região Metropolitana de Belém, ressalta César, iniciarão após a conclusão das obras de prolongamento da Avenida João Paulo II, que começarão em outubro deste ano. Enquanto isso, o NGTM realiza estudos na área que será atendida pelo novo sistema de transporte, avaliando o impacto que terá no fluxo de passageiros, bem como no fluxo de veículos. “Estes estudos fazem parte do gerenciamento do transporte de toda a Região Metropolitana da capital”.



Prolongamento



                As obras de prolongamento da João Paulo II totalizam R$ 214 milhões, em recursos provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2 e do Tesouro Estadual, que destinará R$ 30 milhões ao projeto. Com quatro quilômetros de extensão, a nova Avenida João Paulo II terá duas pistas, com três faixas por sentido; ciclovia e calçadas em ambos os lados, e duas pontes, uma a 60 metros da Passagem Mariano, transpondo a ponta do Lago Bolonha, e outra a 200 metros da Rua da Pedreirinha, sobre a extermidade do Lago Água Preta.

                A interligação da avenida com a BR-316 se dará com a construção da quarta pétala do viaduto do Coqueiro - obra de aproximadamente 200 metros. A conexão da Avenida João Paulo II com o viaduto também permitirá o acesso direto a Belém dos veículos oriundos dos conjuntos Cidade Nova e Paar, e dos bairros do Coqueiro e 40 Horas, em Ananindeua.

                De acordo com o diretor NGTM, um processo licitatório já está selecionando a empresa que fará o projeto executivo da obra, que tem previsão de ser concluído até agosto. “Antes disso, em julho, nós já vamos selecionar por meio de licitação a empresa que executará o projeto, que precisa ser entregue até outubro do ano que vem”, informa César.

                Segundo ele, algumas alterações foram feitas no projeto, que já existe há alguns anos, para o prolongamento da avenida. Com as alterações, o Governo reduziu os transtornos sociais da obra e ainda garantiu a segurança ambiental e sanitária do Parque do Utinga, que será contornado pela avenida. “O projeto inicial deste prolongamento previa a desapropriação de pelo menos 500 casas até Ananindeua. Agora, nós devemos desapropriar apenas 50 residências. Além disso, essa alteração vai proteger o Parque Ambiental do Utinga e os dois mananciais que abastecem a capital da pressão urbana, que daqui alguns anos poderia ocupar a área do parque”¸ assegura o diretor.



Texto:

Thiago Melo-Secom



CULTURA

Associação Mistura Regional apresenta show de

carimbó na Estação

                A Associação Cultural Mistura Regional, do bairro do Marco, apresenta nesta sexta-feira (8), às 18 horas, na Estação das Docas, o show “Ai menina”, dentro da programação do projeto Pôr do Som. O grupo, composto por 30 jovens e adultos, vai mostrar o carimbó feito na ilha do Marajó, com coreografia de Luís Fernando. A entrada franca.

                Os músicos e dançarinos vão apresentar também as lendas paraenses mais famosas, como a do Boto e da Vitória Régia. “Vamos inaugurar esse espetáculo na Estação e o apresentaremos de novo no Festival de Folguedos no Piauí. Vamos mostrar o melhor que existe na nossa cultura”, diz o diretor geral da associação, Bruno Santiago.



Texto:

Isa Arnour -Pará 2000



Banda Sinfônica do Estado

garante a troca de

experiências entre jovens músicos

                Um acampamento diferente, que reúne jovens de 22 municípios paraenses, e onde literalmente se respira música. Foi no que se transformaram as instalações do Colégio Sagrada Família, em Ananindeua, onde estão hospedados, desde o início da semana, os músicos que comporão a Banda Sinfônica do Estado do Pará, formação proposta pela Fundação Carlos Gomes e que encerrará a programação do XXV Festival Internacional de Música do Pará (Fimupa). Por intermédio do projeto de educação musical foram selecionados 67 integrantes de bandas de música do Estado, que passam o dia inteiro ensaiando, sob a direção de mestres de renome nacional, para a grande apresentação. Além de apurar as técnicas musicais, a convivència nesse período dá ao grupo o oportunidade de trocar experiências e desenvolver habilidades.

                A iniciativa do Governo do Pará, que marca o jubileu de prata do Fimupa, é pioneira no Estado e faz parte do Projeto de Interiorização da FCG, que promove capacitação de professores, monitores e regentes, além de treinamento de bandas no interior do Pará. “A formação da Banda Sinfônica do Estado do Pará foi uma idéia que tivemos para estimular as comunidades que recebem os projetos de interiorização da Fundação. Estas bandas que estão na programação do festival são provenientes de muitos lugares, desde o nordeste do Estado até a região da Transamazônica, e atingiram um nível de excelência que os torna aptos a participar do festival”, explica Jorge Sousa, diretor de interiorização da FCG.

                O Governo do Pará é responsável por todos os custos de manutenção dos adolescentes em Belém, como hospedagem e alimentação; já às prefeituras municipais coube arcar com o deslocamento dos grupos até a capital. Os projetos de interiorização da FCG são feitos por intermédio de convênio de cooperação técnica com os municípios ou associações contempladas. As bandas que participam do festival já foram ou estão sendo contempladas pelo projeto. “Uma de nossas metas é difundir a educação musical em todo o Estado e iniciativas como essa, de criar esse grupo, são um estímulo para estes jovens músicos”, afirma Jorge Sousa.

                Os adolescentes contemplados têm entre 14 e 22 anos e nunca tocaram juntos. De cada bandas participante do XXV Fimupa foram selecionados quatro músicos. Eles ensaiam em dois turnos - pela manhã, das 9h ao meio dia, e pela tarde, das 14h30 às 17h. Os ensaios são dirigidos pelo maestro Marcelo Jardim, coordenador do painel de bandas da Fundação Nacional de Artes (Funarte) e pela maestrina Mônica Giardini, mestra em musicologia pela Universidade de São Paulo (USP). Ambos não escondem a satisfação com os resultados atingidos e com a iniciativa do FCG.

                O envolvimento dos músicos paraenses no processo de aprendizagem está surpreendendo os maestros convidados. Marcelo Jardim, experiente no trabalho com bandas, avalia que os paraenses atingiram uma musicalidade muito forte e um nível técnico bom. “Eu rodo o Brasil inteiro com vários projetos da Funarte e me surpreendi com a disposição de aprender e melhorar dos músicos paraenses. É possível obter resultados superiores com as bandas do interior daqui. O Pará está bem à frente de estados do Sul, como Rio Grande do Sul e Paraná. O repertório que está sendo ensaiado é complexo e eles têm respondido de forma incrível”.

Mônica Giardini avalia que os músicos em formação do Pará estão se atualizando muito mais que o de ouros estados da federação. Segundo a maestrina, o movimento pedagógico musical em Belém é igual ou superior ao que se vê em São Paulo, por isso ela não teve receio em escolher um repertório complexo para trabalhar com os músicos locais. “O repertório que estamos ensaiando é didático, mas não é simples, ou seja, treinamos peças para desenvolver aptidões diversas nos músicos envolvidos. A área que focamos é a pedagógica, desenvolvendo a leitura de partitura à primeira vista, qualidade de som, desenvolvimento de ritmo e articulação musical através de um repertório moderno, com muita variação de compassos. É um processo profissional e a qualidade rítmica destes jovens é extraordinária”, diz a maestrina Mônica Giardini.



Experiência



“Estou vivendo uma experiência única, maravilhosa. Estamos aprendendo muitas coisas, sendo regidos por maestros como a Mônica e o Marcelo, conhecendo pessoas de vários locais e descobrindo que há música em todo o Pará”, opina Marcos Endrey Santos, 16 anos, componente da Banda Daniel Nascimento, de Paragominas. Ele vai tocar o bombardino, instrumento de sopro parecido com a tuba, na Banda Sinfônica do Estado. Ele estuda as técnicas do instrumento há quatro anos e diz que não se cansa com o ritmo intenso dos ensaios.

                O maestro Marcelo Jardim compara o projeto do XXV Fimupa aos acampamentos de música que acontecem no exterior. “Este modelo de aprendizado é muito comum na Europa e Estados Unidos, onde jovens músicos se reúnem em um ambiente muito similar a este. É uma iniciativa muito importante para a formação de todos e a Fundação Carlos Gomes está de parabéns”.

Marcos Endrey concorda com o maestro e diz que já sente os efeitos positivos da experiência. “Nós ficamos tocando o dia inteiro. Tanto nos ensaios como nos horários livres estamos respirando música, aprendendo a cada minuto. Eu já consigo alcançar novas notas, minha leitura de partitura está aguçada. A gente troca experiências, conhece pessoas que tocam melhor, e que também que aprendem com você, é muito bom”.



Programação



                A Banda Sinfônica do Estado do Pará se apresenta no dia 10 de junho (domingo), às 11h, no Theatro da Paz, sob a regência dos maestros Marcelo Jardim (RJ), Mônica Giardini (SP), José Vale (Vigia/PA), Márcio Cardozo (São Caetano de Odivelas/PA) e Agostinho Junior (Santarém/PA). A entrada é franca. A Banda Rodrigues dos Santos, de São Caetano de Odivelas, se apresenta nesta terça-feira, 5, às 18h, na Estação das Docas. A atração da quarta-feira, 6, será a Banda da Associação Musical Antônio Malato, de Ponta de Pedras, que se apresenta no mesmo local e horário.



Texto:

Julia Garcia-Secom



Concerto para piano encerra

o “Ciclo Beethoven”

no Theatro da Paz

                O palco do Theatro da Paz recebe nesta terça-feira, 5, às 20h, a Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP), executando o último concerto do “Ciclo Beethoven”, e recebe como convidado especial o pianista Paulo José Campos de Melo, sob a regência do maestro titular da OSTP, Miguel Campos Neto. A entrada é gratuita, sem a necessidade de retirar ingressos na bilheteria.

                O programa começa com as aberturas “Rei Stephan, abertura em mi bemol maior (op.117)”, e “Leonore III (op. 72c)”, e se encerra com o “Concerto para piano nº 5 em mi bemol maior (op. 73)”, chamado “O Imperador”. O concerto para piano e orquestra é composto de três partes: Allegro, Adagio un poco mosso e Rondo (Allegro ma non troppo).

                O “Concerto para piano nº 5” foi o último concerto para piano de Beethoven. Foi escrito entre 1809 e 1811 em Viena, e foi dedicado ao Arquiduque Rudolf, patrono de Beethoven, por isso, o título “O Imperador”. A primeira apresentação foi realizada em novembro de 1811 em Leipzig tendo como solista Friendrich Schneider. O concerto tem duração de aproximadamente 40 minutos.



Ciclo



                O “Ciclo Beethoven”, que se iniciou em março deste ano, foi dedicado à memória do filósofo paraense Benedito Nunes, que faleceu no ano passado. O compositor alemão era o favorito de Nunes, como lembra o diretor artístico do Theatro do Paz, e amigo do filósofo, Gilberto Chaves. “Bené (Benedito Nunes), em se tratando de música, tinha, independentemente do amor que nutria por grandes compositores como Mozart, Schumann e inumeráveis outros, uma certeza absoluta, como fé inabalável, de que, no mundo dos sons, nada podia comparar-se a Beethoven”.

Chaves também enfatiza que com o “Ciclo Beethoven”, além dos sete concertos escritos pelo músico, também foram apresentadas todas as aberturas compostas pelo compositor alemão. “É sempre importante fechar ciclos. A OSTP já havia apresentado todas as sinfonias de Beethoven em 2006, e agora encerra o ciclo dos concertos, o que nos dá grande satisfação”, comemora.

                O ciclo de concertos recebeu como convidados o violinista italiano Emanuelle Baldini, as pianistas paraenses Helena Elias, Maria Helena de Andrade e Gabriella Affonso, os irmãos Cláudio Micheletti (violino) e André Micheletti (violoncelo), além do pianista paraense Nelson Neves, e agora Paulo José Campos de Melo. Os concertos de Beethoven são sete: cinco para piano e orquestra, um para violino e um outro chamado “Tríplice”.



Reencontro



                O solista do concerto é o pianista Paulo José Campos de Melo, que é paraense, mas morou por muitos anos na Europa, onde aprimorou sua técnica e fez concertos em vários países daquele continente. Atualmente é superintendente da Fundação Carlos Gomes, cargo que já havia ocupado entre 1996 e 2006. É a segunda vez que o pianista toca o “Concerto para piano nº 5”, e isso para ele é um desafio. “Considero esse concerto o mais vibrante de Beethoven. É difícil tecnicamente, mas tem uma forma clara de ser executado. Ele inova na forma dos concertos porque começa com uma grande cadência, para continuar com o piano e a orquestra num constante diálogo”, explicou.

                O maestro Miguel Campos Neto já havia feito, há algum tempo, um estudo para o “Concerto para piano nº 5”, mas é a primeira vez que irá regê-lo.  “O concerto tem uma tonalidade marcante, que foi muito bem escolhida por Beethoven. É uma peça forte que soa com heroísmo, e explora todo o potencial do solista e da orquestra”, disse.

                Também é a primeira vez em que Paulo José está atuando como solista, sob a regência de Miguel Campos Neto. “Nós já havíamos atuado, várias vezes, em concertos em dupla, ele (Paulo) ao piano e eu, ao violino. Nessa combinação maestro/solista é a primeira vez, e parece, ao mesmo tempo, familiar e como novidade”, disse Campos Neto. Os dois músicos concordam que Beethoven é sempre um grande desafio, mas têm a expectativa de um grande espetáculo na noite de terça-feira, e para o qual convidam o público a vivenciar momentos da grande arte de Ludwig van Beethoven.



                Serviço



                Concerto de encerramento do “Ciclo Beethoven”, com a Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz e o pianista Paulo José Campos de Melo, no Theatro da Paz, terça-feira, 5, às 20h. Informações: 4009-8769. Entrada gratuita.



Festival de Música traz à

Estação banda centenária

de São Caetano

                Foi há mais de 130 anos, em São Caetano de Odivelas, no nordeste do Pará, que foi fundada a banda Rodrigues dos Santos, programação desta terça-feira (5) do 25º Festival Internacional de Música da Amazônia. A apresentação acontece às 18 horas, no anfiteatro São Pedro Nolasco, na Estação das Docas. A entrada é franca.

                Com 60 integrantes, a maioria deles adolescentes, a “Rodrigues dos Santos” promete ao público um repertório bastante diversificado, que vai do rock ao carimbo. “Vamos apresentar um programa bem eclético. O público pode contar com bossa nova, baião, xote, carimbó e até um ‘rockezinho’ do Raul Seixas”, diz o regente da banda, Márcio Rodrigues Cardoso.

                A banda Rodrigues dos Santos foi fundada em 24 de fevereiro de 1881, pelo músico Cesarino das Chagas, e por muitos anos levou o nome do seu idealizador. Foi num momento de dificuldades financeiras que o então intendente da cidade, José Rodrigues dos Santos, decidiu ajudar os músicos, desde que a banda fosse rebatizada com seu nome.

                Hoje a Escola de Música Rodrigues dos Santos oferece aulas a cerca de 300 jovens, com idade entre 9 e 18 anos, além de exportar músicos para bandas militares e até para a Orquestra Sinfônica da Fundação Carlos Gomes. “Muitos dos nossos alunos continuam na música, emprestando seu talento para outros grupos”, explica Márcio Rodrigues.

                As matrículas na Escola Rodrigues dos Santos acontecem no início de cada semestre. São ofertadas aulas de instrumentos de sopro, percussão e violão. No decorrer do estudo, os alunos são analisados pelos professores, e os que mais se destacam são convidados para integrar a banda oficial da escola, que recebe apoio financeiro da Fundação Carlos Gomes.

                Esta é a quinta vez que a “Rodrigues dos Santos” participa do Festival Internacional de Música da Amazônia. O grupo também já foi convidado para integrar outros festivais e projetos. Para o diretor de Interiorização da Fundação Carlos Gomes, Jorge Sousa, a participação das bandas do interior é uma oportunidade de o público conhecer o talento desses jovens. “É uma forma de valorizar esses músicos e enfatizar o excelente trabalho musical e acima de tudo social feito nessas cidades”, destaca.

                A banda é a segunda atração do interior que se apresenta no Festival Internacional de Música da Amazônia. A programação começou domingo (3), na praça Batista Campos, e terá ainda outros cinco grupos também do interior. Quarta-feira (6) se apresentam os músicos da Associação Musical Antonio Malato, do município de Ponta de Pedras; quinta (7) é a vez da banda de Limoeiro do Ajuru, e na sexta (8) a apresentação fica por conta da banda Diego Cotes de Moraes, de Uruará. Todas as apresentações acontecem no anfiteatro São Pedro Nolasco, na Estação das Docas, sempre às 18 horas, com entrada franca.



Texto:

Danielle Ferreira-Secom



Banda de São Caetano

Leva tradição ao Festival

de Música do Pará

                O repertório eclético da banda Rodrigues dos Santos, de São Caetano de Odivelas, no nordeste paraense, empolgou o público na noite desta terça-feira (5), no 25° Festival Internacional de Música do Pará. Com 60 integrantes, a maioria deles adolescentes, o conjunto se apresentou em um palco especialmente montado no anfiteatro São Pedro Nolasco, da Estação das Docas.

                A técnica de enfermagem Ana Lídia Cardoso chegou cedo para conferir a apresentação. Para ela, que é natural de São Caetano e mora há 38 anos em Belém, a banda tem um significado especial. “Lembra a minha terra, e acima de tudo o meu pai, Raimundo Nonato Cardoso, que foi maestro da banda por muito tempo. Quando criança, eu o via organizando os instrumentos em casa, ensaiando os músicos para grandes festividades”, recordou.

                Atualmente, Ana Lídia se considera uma fã da banda. “Gosto muito do repertório deles. Sou uma amante da música, gosto desde música clássica e sacra até coisas mais atuais. Acredito que tenha herdado esse gosto do meu pai. Olhando para esses jovens, vejo que a geração de músicos mudou e hoje em dia não tem quase ninguém daquela época, mas a qualidade continua a mesma”, comentou.

                Considerada patrimônio cultural do município, a banda foi a segunda atração do interior do Estado a se apresentar no festival este ano. Ritmos regionais como o carimbó e canções da bossa nova, do cancioneiro nordestino e do rock e pop nacional e internacional, como Raul Seixas e Eric Clapton, marcaram a apresentação da “Rodrigues dos Santos”. Esta é a quinta vez que a banda integra programação do evento.

Tradição –“É sempre uma enorme gratificação para nós, primeiro pela motivação em virmos para Belém, depois por integramos mais uma vez um evento da importância do Festival de Música. São Caetano de Odivelas é uma cidade tradicional em bandas de músicas. Poder mostrar um pouco desse trabalho aqui na capital é muito gratificante”, destacou o regente da banda, Márcio Rodrigues.

                Fundada há mais de 130 anos, a banda Rodrigues dos Santos oferece aulas de musicalização e de instrumentos musicais de sopro, percussão e violão a 300 jovens em São Caetano de Odivelas. Na Escola de Música, que atualmente recebe o apoio financeiro da Fundação Carlos Gomes, já foram descobertos dezenas de talentos, muitos dos quais integram até hoje a banda, como o saxofonista Marcelo Mareco, de 33 anos.

                Natural de São Caetano, Marcelo toca sax tenor há 14 anos no grupo. “Sempre passava pela sede da banda e um dia o maestro me chamou para fazer parte da escola. Foi um grande aprendizado desde então. Hoje, sendo o mais velho, me sinto muito honrado em poder representar a cultura do nosso município e do nosso Estado”, afirmou.



Texto:

Amanda Engelke-Secom



POLÍCIA

PM apreende drogas e armas

em diversos municípios

                Com o apoio da população, que tem aumentado o número de denúncias anônimas, a Polícia Militar tem conseguido prender traficantes e apreender drogas em diversos municípios paraenses. Nos últimos dias, a ação coordenada entre o serviço de inteligência da PM e as guarnições da companhia resultou na retirada de entorpecentes e criminosos das ruas.

                Em Marabá, uma guarnição do Grupamento Tático da PM composta pelo tenente PM Teixeira, sargento PM Bezerra e soldados Edilson e De Souza, foi acionada para averiguar a movimentação em uma casa, localizada à folha 8, quadra 7, lote 31, onde foi informado o funcionamento de uma “boca de fumo”. No local, os militares localizaram 74 pedras de “óxi” que estavam em poder de uma mulher de 24 anos, que alegou não morar no imóvel, onde estaria apenas “descansando”. A alegação não convenceu os policiais que a conduziram, juntamente com a droga, até a delegacia para a devida autuação.

                Em outra ação, o Grupamento Tático realizou a revista no Centro de Recuperação de Marabá. Os policiais, ao inspecionarem as celas, encontraram escondidos aparelhos celulares, facas, 50 pedras de “óxi”, baterias de celular e estoques. No mesmo dia a guarnição composta pelo tenente PM Teixeira, sargento PM Erisvan e soldados PM Morais e Genilson, apreendeu duas armas de fogo e recuperou diversos pertences que tinham acabado de ser roubados de clientes e funcionários de uma farmácia. Acionados, os militares detiveram os acusados e os conduziram para a autoridade.



Cametá



                Em Cametá, Policiais Militares da 4ª Companhia Independente de Polícia Militar, após receberem denúncias anônimas, prenderam em flagrante dois homens acusados de tráfico no município. A captura dos criminosos se deu no domingo (3) na travessa do “Recreio”, bairro Novo, na residência da dupla, onde os policiais encontraram cinco petecas de “óxi”, além de dinheiro em espécie e  vários aparelhos de celular sem registro e todo um aparato para embalar a droga para fins de revenda. Também no domingo, mais três acusados de tráfico foram presos pela PM no município. Desta vez, à travessa Campos Sales, bairro São Benedito. No imóvel onde o grupo se escondia a PM encontrou 32 petecas de “oxí”, dinheiro e objetos utilizados na prática do crime.

                E policiais Militares da 17ª Zona de Policiamento (Santa Izabel) e 23ª Área Integrada de Segurança Pública (Benevides), em operação conjunta, prenderam três acusados de roubo a frequentadores de um “cyber” em Benevides. Na ação integrada, foi apreendida a arma utilizada no crime, um revólver calibre .38. Todos os envolvidos foram encaminhados à Depol, bem como o armamento apreendido.



Texto:

Leno Carmo-Polícia Militar



PM prende sequestrador

em Santa Izabel do Pará

                Policiais Militares pertencentes ao efetivo da 17ª Zona de Policiamento prenderam em flagrante um homem acusado de extorsão mediante sequestro. Durante um protesto de moradores na rodovia BR-316, a guarnição do cabo PM Sarmento, que estava de serviço na ocasião, observou um veículo que passou em alta velocidade pelo local. Um homem se atirou para fora do carro em movimento. Os policiais, então, passaram a seguir o veículo que parou na rua Tenente Ciro Brito, no Centro de Santa Izabel do Pará.

                Do veículo desceram dois homens armados que fugiram para um terreno baldio. Na busca pela área, a guarnição formada pelos cabos PM Sarmento e Sotero, além do soldado PM Mamede, virou alvo dos criminosos, que começaram a disparar contra os militares. Os policiais revidaram e acabaram por atingir um dos acusados, que foi capturado e conduzido, após atendimento de emergência, para a autoridade policial.

                Na delegacia, a vítima informou que fora abordado ainda em sua residência, onde sua família ficou presa. Ele foi levado pelos dois criminosos e, ao chegar à manifestação, percebeu a oportunidade de fugir, atirando-se para fora do carro. O criminoso foi autuado em flagrante e seu comparsa ainda está sendo procurado pela polícia, que no dia seguinte, recuperou a arma de fogo utilizada pelos acusados, a qual foi encontrada por estudantes ao lado do muro de um colégio.

                Em outra ação, o Grupamento Tático do Comando de Policiamento Regional III frustrou uma possível fuga dos detentos do Centro de Recuperação de Castanhal. A guarnição composta pelos cabos PM Castro, Goulart e Mata, além do soldado PM Torres, confirmou as denúncias da existência de um túnel para a fuga dos presos do local, no solário do Bloco II, e informou à direção da casa penal para as providências devidas e responsabilização dos envolvidos.



Texto:

Leno Carmo-Polícia Militar



Operações levam segurança

ao trânsito, fiscalizam bares

e evitam poluição sonora

                A Polícia Civil divulgou nesta terça-feira, 5, os resultados das Operações “Trânsito Sem Álcool”; “Hypnos” e “Angerona”, realizadas no final de semana, na Região Metropolitana de Belém, pelo Sistema Integrado de Segurança Pública do Estado. Cerca de 30 estabelecimentos comerciais foram fiscalizados durante as ações policiais. Seis pessoas foram flagrada conduzindo veículos sob efeito de bebida alcoólica. As ações policiais foram realizadas em mais de 10 bairros da Grande Belém. Veículos irregulares foram apreendidos. As ações policiais são intensificadas, aos finais de semana, para prevenir e combater crimes diversos, como poluição sonora, acidentes de trânsito, roubos, homicídios e reprimir crimes contra crianças e adolescentes.

                A operação "Trânsito sem álcool" resultou em seis autos de prisão em flagrante por condução sob efeito de bebida alcoólica e dois Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs) por dirigir sem habilitação. No total, foram abordados 461 veículos durante a operação. Estiveram em atividade agentes das Polícias Civil e Militar, Detran, Corpo de Bombeiros, Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, Guarda Municipal de Belém, Companhia de Transportes de Belém (CTBel) e Polícia Rodoviária Federal, sob coordenação do delegado Samuelson Igaki, da Polícia Civil.

                As equipes policiais montaram barreiras fixas de fiscalização na rodovia Augusto Montenegro, em frente ao Detran; na avenida Visconde de Souza Franco com Travessa Boaventura da Silva, e na avenida Almirante Barroso, em frente ao Mercado de São Brás. As ocorrências das barreiras fixas e móveis foram apresentadas e registradas na Seccional Urbana da Marambaia e na Delegacia do Marco.

                No final de semana, a operação "Hypnos" fiscalizou 15 bares no bairro do Guamá, na capital. Do total, cinco foram fechados por falta de alvará ou documento vencido. A operação objetiva reprimir o funcionamento irregular de estabelecimentos; combater a venda e consumo ilegais de bebidas alcoólicas; verificar a presença de crianças e adolescentes desacompanhados dos pais; coibir crimes em geral e levar mais segurança à comunidade.

                A ação conta com policiais civis e militares. No último final de semana, houve a desobstrução de uma quadra na rua da Salvação, bairro do Guamá, que havia sido interditada para a realização de um bingo com venda de bebidas e presença de som automotivo. O evento estava gerando transtorno à área, pois impossibilitava o tráfego de veículos e a passagem de pedestres. Em outra rua, na área do Tucunduba, o dono de uma casa foi flagrado com duas caixas de som com volume muito alto. Ele foi orientado a baixar o som e a colocar as caixas para dentro de casa.

                As Polícias Civil e Militar percorreram, no final de semana, cinco bairros da Região Metropolitana de Belém durante a operação "Angerona", para apurar crimes ambientais de forma integrada. Estiveram em atuação policiais militares do Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) e civis da Divisão Especializada em Meio-Ambiente (Dema), com apoio de policiais da DPE (Diretoria de Polícia Especializada). A coordenação foi da delegada Virgínia Nascimento, da Dema. Ao todo, foram fiscalizados dez estabelecimentos comerciais nos bairros do Guamá, Sacramenta, Cidade Velha, Tapanã e Cidade Nova 6, em Ananindeua. Oito deles estavam em situação de poluição sonora e tiveram os proprietários autuados.



Texto:

Walrimar Santos-Polícia Civil



Pará reduz número de assaltos

nas saídas de agências bancárias

                Os assaltos praticados nas saídas de agências bancárias - crime conhecido como “saidinha” - teve uma redução significativa no Pará, segundo dados da Secretaria Adjunta de Inteligência e Análise Criminal (Siac). O comparativo do quadrimestre de 2011 com o mesmo período de 2012 indica uma redução de 35,20% em todas as regiões do Estado. No ano passado foram 125 ocorrências, registradas no Sistema Integrado de Segurança Pública. Neste ano, nos primeiros quatro meses, o número caiu para 81 ocorrências.

                De acordo com o secretário Adjunto de Inteligência e Análise Criminal, Antonio Cláudio Farias, a redução nos números confirma o bom desempenho das ações preventivas desenvolvidas pelas agências bancárias, em cumprimento à determinação da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban). A população também adotou alguns procedimentos no que diz respeito às quantias e aos cuidados para evitar esse tipo de abordagem por criminosos. “Foram medidas simples, como a proibição do uso de celular dentro das agências e a colocação de biombos próximos aos caixas”, ressalta Antonio Farias.

                A análise estatística feita pela Siac mostra também que as ocorrências aconteciam principalmente nas terças e sextas-feiras, das 10 às 14h. A Região Metropolitana de Belém apresentou redução de 11,11% no número de “saidinhas”.

No interior do Estado, o número foi bem mais expressivo, com queda de 48,75% nos registros policiais relacionados a esse tipo de crime. No sudeste paraense, por exemplo, nos primeiros quatro meses do ano passado foram contabilizados 25 registros. No mesmo período deste ano, o número de ocorrências caiu para três registros. “São números expressivos que demonstram a eficiência das medidas de segurança”, assegurou Antonio Farias.

                De acordo com uma pesquisa realizada pela Febraban em agências bancárias de todo o Brasil sobre o número de “saidinhas” no primeiro trimestre deste ano, em comparação ao mesmo período de 2011, 85% das ocorrências se concentraram nas instituições financeiras que ainda não instalaram biombos.

                O Banco do Estado do Pará (Banpará) foi uma das primeiras instituições financeiras a adotar medidas de segurança para evitar esse tipo de ocorrência. Além da proibição do uso de aparelhos celulares nas agências, as barreiras físicas são colocadas para que a privacidade do cliente fique assegurada. Dessa forma, quem está na fila não pode enxergar a transação bancária que está sendo feita no caixa ou nos terminais eletrônicos.



Texto:

Danielle Ferreira-Secom



TRÂNSITO



CTBel sugere rotas opcionais

para facilitar o trânsito

na área das obras do BRT

Nesta segunda-feira (04), novas intervenções no trânsito foram adotadas pela Companhia de Transportes do Município de Belém (CTBel) para garantir com segurança  a construção do elevado no entroncamento e tentar minimizar os transtornos no trânsito em função de obras de grande porte como é  a obra do BRT.

A principal mudança ocorrida é quanto ao acesso à BR-316.Quem vem da Avenida Augusto Montenegro ou Pedro Álvares Cabral, ou ainda, quem vem da BR 316 no sentido Ananindeua / Belém,com a intenção de retornar para a BR no sentido contrário , não vai mais poder utilizar a rotatória do complexo do Entroncamento para pegar a BR sentido Belém/Ananindeua, tendo o condutor que fazer o trajeto Av. Pedro Álvares Cabral, Av. Tavares Bastos,Av. Almirante Barroso/BR 316 ou utilizar rotas alternativas.

A CTBel sugere aos motoristas de veículos particulares (passeio), que até em função das obras  na Av. Almirante Barroso, onde houve o estreitamento das pistas de ambos os lados da via, que procurem utilizar rotas alternativas. A CTBel acha importante que durante este período das obras seja priorizado a circulação do transporte coletivo, que já tem um itinerário traçado pelo órgão  e que deve ser cumprido pelos motoristas de ônibus,  uma vez que este tipo de veículo  transporta dia uma média  de um milhão e cem  mil passageiros dia, 

Rotas alternativas: Aos moradores de Icoaraci  que desejam se  deslocar para o centro de Belém principalmente no horário de pico,a CTBEl orienta que passem a utilizar as seguintes vias : Arthur Bernardes/Pedro Álvares Cabral a destino ou Av. Augusto Montenegro/Centenário/Júlio César/Pedro Álvares Cabral a destino.

Já quem reside na Av. Augusto Montenegro antes ou as proximidades da Av. Centenário, tem como rota alternativa a Av. Centenário ou Rua da Marinha, e os que se encontram na BR 316 sentido Ananindeua / Belém que desejam retornar para Ananindeua devem seguir Av. Augusto Montenegro/Av. Independência ou Rodovia do 40 horas  ou ainda  Av. Mario Covas a destino.

A Ctbel recomenda ainda aos moradores da Região Metropolitana (Ananindeua, Marituba, Benevides, Santa. Bárbara) que passem também a utilizar a Av. Independência ou Mario Covas, seguindo pela Centenário a destino.Outra rota alternativa para quem reside nos bairros que direta ou indiretamente são atingidos pela obra do BRT, (Marambaia,Castanheira, Guanabara etc..) é que utilizem  Av. Pedro Álvares Cabral/Tavares Bastos/Av. João Paulo II a destino.



 Texto:Ascom CTBel



SAÚDE

Nota Sesma- Paralisaçã​o

no HPSM do Umarizal

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) informa que o acordo firmado com o Sindicato com os Trabalhadores em Saúde do Estado do Pará – Sindsaúde, na última sexta-feira, 1, foi definido que o vale alimentação passará do valor de R$ 160 (cento e sessenta reais) para R$ 220 (duzentos e vinte reais).

Quanto à reivindicação do desconto previdenciário no HPS (Hospital Pronto Socorro), o retorno da contribuição será feito a partir do mês de junho. Sobre os pedidos de melhores condições de trabalho, a Sesma ressalta que vem aplicando recursos de acordo com a sua disponibilidade orçamentária e financeira para melhorias da estrutura das unidades de saúde e hospitais.

Todos esses acordos foram registrados e assinados em Ata pelos coordenadores financeiro, jurídico e de seguridade social do Sindsaúde e a secretária municipal de saúde, Sylvia Santos, incluindo a sua coordenação jurídica.



Liandro Brito – Comus



Oficina aborda destino de

verba para prevenção

e tratamento das hepatites

                A coordenação do Programa Estadual de Controle das Hepatites Virais da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) realiza nesta terça e quarta-feira (5 e 6), em Belém, a oficina para elaboração do Programa de Ações e Metas (PAM) de Hepatites Virais para o ano de 2012. O PAM tem como objetivo esclarecer o destino dos recursos que serão investidos na assistência, prevenção, tratamento das hepatites virais e na capacitação dos profissionais.

                A atividade é conduzida pelas técnicas do Departamento de DST/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Geisy Lemos e Mauritânia Pereira, que orientam os participantes acerca do compromisso do governo federal assumido em dezembro de 2011, por meio da Portaria nº 2.849, que destinou verba para iniciativas de prevenção, vigilância, gestão e parceria com a sociedade civil. Um dos primeiros Estados habilitados a receber o dinheiro foi o Pará, contemplado com um repasse na ordem de R$ 1.914.079 milhão,  feito em três parcelas.

                Participam da oficina equipes das coordenações estaduais de DST/Aids, de Imunizações e da Saúde Indígena, além dos representantes dos Centros Regionais de Saúde, dos municípios e das Organizações Não Governamentais (Ongs) que atuam na mobilização social em favor do combate às hepatites e DST/Aids.

                A coordenadora estadual do programa de Controle das Hepatites Virais, Cisalpina Cantão, apresentou dados epidemiológicos com taxas da doença e mapeamento dos números no Estado, que registrou 250 casos de hepatite B em 2011 e 23 casos até agora, em 2012, além de 79 casos de hepatite C em 2011 e dois casos, até o momento, em 2012.

                Além dos dados, Cisalpina expôs uma série de atividades realizadas pela Sespa ao longo de 2011, quando as hepatites adquiriram uma só coordenação, tendência que já é consenso em outras secretarias estaduais de saúde.  Nesse período, a gestão estadual arcou com todas as despesas referentes às atividades de prevenção e busca ativa de portadores de hepatites.

                De julho a novembro de 2011, foram realizadas 2.751 testagens e aconselhamentos para hepatites B e C em 20 ações itinerantes realizadas em Belém, Mosqueiro, Salinas, Marabá, Altamira, Capanema e nas comunidades quilombolas em Santana do Arari.  Em março deste ano, foram feitas 279 pesquisas sorológicas para hepatites B, C e D, sendo 239 na aldeia Gorotire-Kayapó e 40 na aldeia Ladeira, ambas em Cumaru do Norte.

                A coordenadora estadual também apresentou o balanço das atividades da Caravana Pro Paz Cidadania, realizada entre fevereiro e maio em 17 municípios da região do Marajó, quando foram feitos 7.904 testes para hepatites. O mesmo procedimento está sendo realizado na caravana que acontece na região do Baixo Amazonas. Além de tudo isso, a Sespa tem investido em treinamentos em favor de cuidados com a transmissão das hepatites em salões de beleza e congêneres que podem acontecer através do compartilhamento de objetos não esterilizados por parte de manicures, pedicures e tatuadores.

“O nosso foco maior é a prevenção. Por outro lado, está havendo uma maior detecção dos portadores de hepatite porque temos combatido a subnotificação, pois precisamos encontrar estes doentes a fim de prevenir a transmissão da doença para mais pessoas, já que é uma doença silenciosa e de difícil diagnóstico”, afirma Cisalpina Cantão, ao lembrar que para a hepatite B existe vacina na rede pública, desde o nascimento até 29 anos. “Para a hepatite C não existe vacina, por isso é tão importante investir na prevenção”, enfatiza.

                A oficina em questão colocou outros desafios para a realidade das hepatites no Estado, como o aumento da cobertura vacinal para a hepatite B, principalmente entre gestantes e populações vulneráveis; a necessidade de descentralização do atendimento a pacientes com a doença já instalada; a contínua conscientização da população sobre a prevenção e o incentivo para a política de implantação do transplante hepático.

                Atualmente, constituem polos de atendimento a pacientes de hepatites no Pará a Fundação Santa Casa de Misericórdia, o Hospital de Clínicas Gaspar Viana, o Hospital Público Jean Bitar e o Hospital Universitário João de Barros Barreto, além dos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA’s) localizados em Santarém e Marabá e nos hospitais regionais de Redenção e de Tucuruí. Encontram-se em fase de implantação os pólos localizados na Unidade de Referência Especializada em Doenças Infecciosas e Parasitárias Especias (Uredipe), em Belém, e nos CTA’s  de Altamira e Parauapebas.

                O programa de Controle de Hepatites Virais prevê a promoção de ações educativas, a aquisição de novos medicamentos, o estímulo à vacinação da hepatite B e a priorização do atendimento voltado à Atenção Primária de modo coordenado com todas as Regionais do Pará. Os participantes da oficina concluirão, nesta quarta-feira (6), a construção das planilhas e metas da PAM de 2012, com eixos voltados para assistência, tratamento, participação da sociedade organizada, gestão, informação e governança.  A atividade acontece em um dos auditórios da sede geral da Polícia Civil do Pará, no bairro de Nazaré, em Belém.



Texto:

Mozart Lira-Sespa



Campanha de vacinação

imuniza 98% dos garis da PMB

Balanço final da campanha de vacinação dos garis, realizada de 28 de maio a 1º de junho revelou que 98% dos 1,5 mil garis da  Prefeitura de Belém foram imunizados na campanha anual de imunização realizada, através de parceira entre as Secretarias de Saneamento e de  Saúde da capital paraense.

Segundo o diretor do Departamento de Resíduos Sólidos (Dres), Raimundo Beltrão, quem não foi vacinado já tinha tomado a vacina ou  estava doente e não poderia receber as três doses administradas. “Trazer a campanha para o local de trabalho dos garis foi muito proveitoso, pois a maior dificuldade deles é se deslocar até um posto em busca da imunização”, disse.

A campanha ofereceu três tipos de vacinas, que fazem parte do calendário anual de imunização: Febre Amarela, Anti-Tetânica, que tem prazo de dez anos de imunização e Tripíce Viral (dose única), que imuniza contra sarampo, caxumba e rubéola. Para Ednaldo Santos, gari da Sesan, estar vacinado é uma preocupação a menos no desempenho de suas atividades do dia a dia. "A gente trabalha com os mais diversos tipos de objeto, inclusive latas, pregos enferrujados, que podem causar o tétano. A minha vacina antitetânica estava no prazo para vencer. Então, posso garantir que a partir de agora irei trabalhar com mais tranquilidade, pois estou vacinado", disse.      



Texto: Kátia Aguiar-Ascom Sesan



Fotos: Paulo Akira



Perícia médica da Sead

atende em novo prédio

                A diretoria de Saúde Ocupacional da Secretaria de Estado de Administração (Sead/DSO), que antes funcionava na travessa do Chaco, está realizando, provisoriamente, seus atendimentos na avenida Gentil Bittencourt, nº 2175, no bairro de São Brás. Para a Perícia Médica os horários começam às 7h e terminam às 16h. Já os demais serviços são realizados das 8h às 16h.

                A mudança aconteceu após um convênio de cessão assinado entre a Sead e o Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado do Pará (Iasep), para dar continuidade às obras do novo prédio da Sead, localizado na avenida Almirante Barroso, que será inaugurado no segundo semestre deste ano. Todos os serviços da Sead/DSO, nesse período, continuam sendo realizados no referido local. Os telefones para contatos continuam os mesmos: 91 3246-4660/3246-3683/3228-2021.



Banco de Leite da Santa

Casa realiza Campanha

                O banco de leite humano da Fundação Santa Casa realiza, neste mês, a coleta de Leite Materno e Vidros. A participação dos moradores da Região Metropolitana de Belém é fundamental para ajudar o trabalho que é desenvolvido no setor de neonatologia, na maior maternidade do Pará. Maiores informações pelos fones: 4009-2311 /2318 e 0800-7272057. Além do hospital, a coleta será feita nos polos do Pro Paz nos dias:

                05/06 Polo UFPA- Av. Tucunduba, s/n (ao lado da Delegacia)

                12/06 Polo UFPA - Av. Pres. Tancredo Neves, 2501 (Perimetral)

                19/06 Polo Mangueirão - Av. Augusto Montenegro,KM 03.

                26/06 Polo IESP - BR 316, KM 13, s/n – Marituba



Novos leitos atenderão

pacientes com câncer

no Hospital Ophir Loyola

                Trinta e quatro novos leitos de internação serão entregues pelo Estado ainda este mês para o terceiro pavimento do Hospital Ophir Loyola, em Belém. O espaço passou nos últimos meses por uma ampla reforma que permitiu a revitalização e a modernização de toda a infraestrutura hospitalar, que atenderá a partir de agora pacientes em tratamento oncológico. Ainda este mês, o Governo iniciará a revitalização do segundo andar do Hospital, garantindo um espaço mais humanizado e higiênico para as pessoas internadas.

                Com os novos 34 leitos, o hospital oferecerá no total 164 espaços de internação para os pacientes da oncologia. A arquiteta Aurea Helyette Ramos, responsável pelas reformas no Ophir Loyola, explica que a ampliação no número de leitos só foi possível com a criação do novo centro hospitalar Jean Bittar, ano passado, também na capital. “Antes o terceiro andar atendia a internação de pacientes da clínica médica. Este setor foi transferido para o Jean Bittar, o que possibilitou a reforma e revitalização completa deste pavimento no Ophir Loyola e, assim, a sua destinação exclusiva para pacientes da oncologia”, destaca.

                A reforma do terceiro pavimento do Ophir Loyola, que custou R$ 614 mil, foi feita depois de o espaço ter passado por uma revitalização em 2006. Antes disso, em 50 anos de funcionamento, o setor nunca passou por nenhuma intervenção parecida, assegura a arquiteta. O andar ganhou espaços mais adequados à legislação vigente no país, que prevê a instalação de lavatórios nas enfermarias, além de espaços especiais para acompanhantes de pacientes crianças ou idosos. O pavimento também ganhou novos equipamentos, como os de primeiros-socorros, o que inclui reanimadores cardíacos e modernas instalações de oxigênio em cada leito.

                Além das adequações à legislação, a reforma se preocupou com o bem estar dos pacientes, desenvolvendo ambientes a partir da cromoterapia, com cores que estimulam a recuperação mais rápida dos doentes, e com paisagens do Pará. “Os pacientes que ficarão internados aqui estão com a saúde bem debilitada e, geralmente, ficam um pouco depressivos. Estes ambientes, mais humanizados, vão ajudá-los. A recuperação será mais rápida”, explica.

                Com a abertura dos leitos do terceiro andar, o segundo andar e o bloco cirúrgico do Ophir Loyola serão revitalizados. Os pacientes internados neste setor ocuparão, durante a reforma, os leitos do pavimento já reformado. Nesta semana, o Governo do Estado lançará licitação no Diário Oficial para selecionar a empresa responsável pelo serviço. Ainda neste mês, os espaços devem ser entregues para o pleno funcionamento do hospital, que é referência no tratamento oncológico em toda a região Norte.



Texto:

Thiago Melo-Secom



PRO PAZ

Detentos de Santarém

recebem serviços da

Caravana Pro Paz

                Mais de 350 presos receberam na manhã desta segunda-feira (4) atendimentos médicos no Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura, em Santarém, oeste do Pará. A ação de saúde e cidadania nos presídios faz parte da Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva. A programação teve ainda palestras de sensibilização sobre temas importantes de saúde.

                Médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e laboratoristas apresentaram as palestras e garantiram as consultas em clínica geral, ortopedia e odontologia. Também foi oferecido o Programa de Controle Bioquímico do Câncer Cévico-Uterino (PCCU), exame que previne o câncer do colo do útero. Os profissionais são vinculados a 9ª Regional de Saúde da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), do município.

                A enfermeira Marcela Tolentini dialogou com o grupo na intenção de sensibilizá-los para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Ela apresentou as consequências de cada doença, os sintomas que geralmente são percebidos por quem as adquire e a forma de tratamento. A palestrante chamou atenção para as hepatites B e C, que são silenciosas. “Cuidados importantes, como não compartilhar alicates de unhas, fazer testes periodicamente e um pré-natal adequado, evitam o avanço da doença, quando diagnosticada no início”, alertou.

                Durante a palestra, os detentos que participassem fazendo perguntas ganhavam prêmio. Depois da conversa, eles foram encaminhados para atendimentos diferentes, de acordo com suas necessidades de saúde. As mulheres tiveram a oportunidade de fazer o preventivo para evitar o câncer uterino. A coleta do material foi feita no alojamento das agentes prisionais.

                Nos municípios por onde passa, a Caravana Pro Paz faz atendimentos importantes, de acordo com as necessidades do encarcerado. Em Alenquer, a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) e a Polícia Civil emitiram carteira de trabalho e registro geral aos presos. Como solicitaram um médico, o Pro Paz garantiu o atendimento do clínico geral também.



Texto:

Cora Coralina-Secom



OFICINAS

Alunos da oficina de artes cênicas

da Fundação Curro Velho

ensaiam espetáculo junino

                A oficina de teatro ministrada pelo ator Edielson Goiano vai apresentar o espetáculo “Viva meu Boi Bumbá no Curro! E as trapalhadas de pai José e mãe Catirina”, que vai contar um pouco sobre as manifestações culturais realizadas nos municípios paraenses durante o mês de junho.

                De acordo com o diretor e roteirista do espetáculo, Edielson Goiano, o grupo, que conta com cerca de 40 jovens que estão nessa atividade desde o segundo módulo de oficinas da Fundação Curro Velho, vai retratar o que os municípios da região do Salgado tem de interessante ao público. “Vamos trazer para o espectador as riquezas das manifestações juninas do estado do Pará, por que, mesmo sendo o mês da quadrilha, podemos encontrar muito carimbó, boi bumbá”, disse.

                Os personagens centrais, pai José e mãe Catirina, vão passar por diversas regiões do Pará contando a história junina de cada uma. “Os personagens passeiam por algumas festas em municípios como Bragança, Marapanim, Ilha de Marajó, entre outros lugares”, contou o gerente de Artes Cênicas, Jorge Cunha. “O projeto foi desenvolvido durante esse período de oficinas, onde eles estão trabalhando desde o mês de abril”, ressaltou ele.

                O objetivo do espetáculo é mostrar teatralmente a história do boi valorizando essa importante manifestação da cultura popular, usando o teatro como forma de socialização e aprendizagem. “A farsa do boi é uma comédia que toda a família pode assistir”, convida Edielson Goiano, que ressaltou também a importância da oficina de teatro. “É um trabalho integrado entre várias linguagens: teatro, dança, música; é um processo que a Fundação Curro Velho proporciona aos participantes; o contato com essas vertentes da arte”, finalizou.

                O espetáculo “Viva meu Boi Bumbá no Curro! E as trapalhadas de pai José e mãe Catirina” será apresentado nos dias 29 e 30 de junho no Arraial do Curro Velho, na sede da instituição, na rua Professor Nelson Ribeiro, nº 287, esquina com a travessa Djalma Dutra, bairro do Telégrafo.





Texto:

Andreza Gomes-FCV



MEI AMBIENTE

Sema participa de discussão

sobre gerenciamento

costeiro no norte do Brasil

                Técnicos da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) participaram nesta terça-feira (5), em Salvador (Bahia), do “Seminário Gerenciamento Costeiro na Região Norte: Sociedade e poder público dialogando sobre a sustentabilidade ambiental na zona costeira e marinha”, promovido pela Comissão da Amazônia da Câmara dos Deputados, com apoio do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Secretaria de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável (SEDR) e Grupo de Integração do Gerenciamento Costeiro (Gi- Gerco).

                O evento resultará em um diagnóstico voltado à implantação do Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro e o Plano de Ação Federal para a Zona Costeira, no norte do país. Os principais objetivos foram preservar os recursos naturais, econômicos e ecológicos da zona costeira do Brasil - considerada Patrimônio Nacional pela Constituição Federal - e garantir os cuidados para sua utilização.

                Os participantes também discutiram instrumentos e ferramentas para o planejamento e gerenciamento de forma integrada, descentralizada e participativa entre os Estados. O Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro expressa o compromisso do governo brasileiro com o desenvolvimento sustentável da zona costeira.

                A engenheira agrônoma da Sema, Fabíola Azevedo, disse que a participação da Secretaria foi  muito importante para definir uma abordagem inclusiva das comunidades que habitam a zona costeira da Região Norte, que se estende por 44 municípios. “São pescadores artesanais, quilombolas, indígenas e outras comunidades tradicionais que ocupam essa área. Para definir uma política eficaz são considerados os fatores da diversidade das condições físicas, econômicas, culturais e institucionais da zona costeira na Região Norte”, informou a engenheira.



Texto:

Káthia Oliveira-Sema



Semma realiza programaçã​o

especial para comemorar Dia

Mundial do Meio Ambiente

Cerca de 250 crianças de escolas públicas e particulares dos conjuntos Médice I e II participaram de mais um dia de comemoração da Semana Municipal de Meio Ambiente. A programação foi realizada na manhã desta terça, 05, data em que é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, no Parque Ecológico do Município de Belém.

O público presente pôde conferir as atividades oferecidas pela Prefeitura de Belém, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), entre elas estão as trilhas ecológicas, brincadeiras, trabalho de educação ambiental e oficinas. As crianças puderam ainda conferir o Cine Semma, onde assistiram ao filme “Juro que vi o Curupira”, que fala de uma lenda amazônica do estado do Pará, além da encenação dos arte-educadores da Semma, com a peça teatral do “Caboco Chico e Teotônio”, que conta  lendas e ensina como se preservar o meio ambiente. 

De acordo com a diretora geral da Semma, Juliane Moutinho, no Dia mundial do Meio Ambiente,  as crianças tiveram a oportunidade de conhecer um dos lugares mais verdes de Belém, o parque ambiental. “Aqui as crianças puderam apreciar um local de conservação ambiental, além de aprender sobre cuidados que se deve ter com o meio ambiente”, explica.

As crianças que participaram da programação da IX Semana Municipal de Meio Ambiente puderam ainda realizar o plantio de mudas de arbóreas.  “Eu adorei plantar uma árvore. Agora, toda semana vou voltar aqui no parque pra cuidar dela”, afirma Juliana Ferreira, de sete anos.

Na programação oficial do Dia Mundial do Meio Ambiente foram distribuídas mais de 500 mudas de mini-ixoria para os alunos e moradores da redondeza. 

A programação da VIII Semma, que tem como tema “Arborização: Instrumento de Desenvolvimento Urbano, Qualidade de vida e Equilibrio Ambiental”, segue nesta quarta-feira, 06, às 10 horas, com a assinatura do convênio do Programa Padrinhos do Verde, na Praça Dom Mário Vilas Boas (Conjunto Providência). 



Texto: Ana Paula Azevedo- Ascom Semma



Associação Mistura Regional

apresenta show de

carimbó na Estação

                A Associação Cultural Mistura Regional, do bairro do Marco, apresenta nesta sexta-feira (8), às 18 horas, na Estação das Docas, o show “Ai menina”, dentro da programação do projeto Pôr do Som. O grupo, composto por 30 jovens e adultos, vai mostrar o carimbó feito na ilha do Marajó, com coreografia de Luís Fernando. A entrada franca.

                Os músicos e dançarinos vão apresentar também as lendas paraenses mais famosas, como a do Boto e da Vitória Régia. “Vamos inaugurar esse espetáculo na Estação e o apresentaremos de novo no Festival de Folguedos no Piauí. Vamos mostrar o melhor que existe na nossa cultura”, diz o diretor geral da associação, Bruno Santiago.



Texto:

Isa Arnour -Pará 2000



Problemas que afetam o meio

ambiente são tema de

palestras na sede da Polícia Civil

                A Polícia Civil, por meio do "Projeto Sala Verde: Ambiente Seguro", prossegue, nesta terça-feira, 5, Dia Mundial do Meio-Ambiente, com o seminário que debate os problemas que afetam a área ambiental. Iniciada ontem, a II Semana do Meio-Ambiente é realizada no auditório A, do Complexo da Polícia Civil. A abertura contou com as presenças do delegado-geral da Polícia Civil, Nilton Atayde, que deu as boas vindas aos participantes do evento, que prossegue até quarta-feira, 6, a partir de 15 horas.

                A programação conta com diversas palestras sobre assuntos relacionados ao tema e a abertura teve a presença da juíza Maria Vitória do Carmo, da Vara do Juizado Criminal Especial do Meio-Ambiente, do Tribunal de Justiça do Pará. Participam do evento estudantes universitários, integrantes de centros comunitários, do Ministério Público do Estado, Poder Judiciário e agentes das Polícias Civil e Militar.

                Durante a programação, os participantes receberam sacolas de compras reutilizáveis para uso em supermercado. A delegada Teresa Macedo, coordenadora do Projeto "Sala-Verde: Ambiente Seguro", foi quem abriu o evento com a palestra "Em Defesa do Meio-Ambiente para Preservação da Vida". A policial civil falou ainda sobre as ações do projeto que visa a educação ambiental. "Convocamos as pessoas que quiserem colaborar com as ações do projeto, que está aberto", explica. Para ela, é fundamental orientar as pessoas para que tenham consciência ambiental.

                "A Cultura do Barulho e As Ações da Polícia Civil" foi o segundo tema debatido no evento. O palestrante foi o delegado Waldir Freire Cardoso, da Divisão Especializada em Meio-Ambiente (Dema). O primeiro dia do evento foi encerrado com a palestra "A Poluição Sonora e os Prejuízos ao Homem" ministrada pela professora Francisca Canindé do Rosário, da Universidade da Amazônia. O segundo dia do evento, nesta terça-feira, a partir de 15h, terá na abertura a palestra de tema "O Lançamento de Lixo no Entorno do Aeroporto e as ações judiciais contra a Prefeitura de Belém" a ser proferida pelo procurador da Justiça Federal, Alan Mansur. Depois, sob o tema "Coleta Seletiva", haverá a palestra ministrada por representantes da Sesan (Secretaria Municipal de Saneamento) de Belém.

                A última palestra, proferida por Vitor Matos, gerente da Área de Proteção Ambiental de Belém, terá o tema "A Área de Proteção Ambiental de Belém e os Impactos Externos". De acordo com a delegada Teresa Macedo, o Dia Mundial do Meio-Ambiente foi estabelecido em 1972 durante Assembleia Geral das Organizações das Nações Unidas (ONU) para marcar a conservação da natureza. Também estiveram na abertura do evento, o diretor de Polícia Especializada, delegado João Bosco Rodrigues, e o diretor da Dema, delegado Luiz Alcântara. No último dia do evento, haverá as palestras de temas "Guarda Responsável de Animais Domésticos", ministrada por Mara Carreira, do Centro de Controle de Zoonoses de Belém, e "Maus-Tratos Contra Animais de Tração", pelo médico veterinário Heriberto Figueiredo, da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra).



Texto:

Walrimar Santos-Polícia Civil



INTERIOR

DO ESTADO

Emater encabeça o projeto

"Camarão da Amazônia

Paidégua" em Abaetetuba

                Nesta segunda-feira (4), a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) iniciou o cultivo de camarão de água doce do Brasil, com a espécie nativa Macrobrachium amazonicum. Com os berçários povoados, o município de Abaetetuba, nordeste paraense, será o pioneiro nesta atividade, que é realizada em parceria com o Laboratório Gruta do Taiassuí. A Emater implantará três unidades de observação. Nesta terça-feira, será dado início à difusão tecnológica do Projeto Camarão da Amazônia Paidégua no município.

                Segundo o técnico em aquicultura Geovanny Farache, responsável pela implantação do projeto, já está previsto para o próximo dia 20, o recebimento de outra safra de pós-larvas que povoará a segunda unidade.  “A primeira, localizada no Ramal do Maranhão, recebeu pós-larvas no dia 4. As outras já estão em fase inicial de implantação e muito em breve serão apresentadas para a sociedade”, ressaltou.

                O projeto de difusão tecnológica da Emater em parceria com a Prefeitura de Abaetetuba pretende implantar o Sistema Berçário, que atenderá a cada três meses aproximadamente 150 famílias. “Esperamos reativar mais de trezentos viveiros escavados. É possível aproveitar uma aptidão natural do extrativismo do camarão regional em um grande potencial aquicola do Estado do Pará”, afirmou Farache.

                E visando a difusão tecnológica do projeto, nesta terça-feira haverá um debate entre os extensionistas do escritório local de Abaetetuba, coordenado pelo chefe local Francisco das Chagas, e representantes da Secretaria Municipal de Agricultura de Abaetetuba. O projeto já conta com parceiros municipais e agentes financiadores, como Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Secretaria Municipal de Agricultura e Banco do Brasil.



Texto:

Kenny Teixeira-Emater



Emater entrega meia tonelada

de sementes de feijão

caupi para agricultores

                Desde o final do mês de maio, 30 famílias de 10 comunidades de Aurora do Pará, no nordeste do estado, estão recebendo sementes selecionadas de feijão caupi, da variedade BRS Tracuateua, em um total de meia tonelada, por meio de uma parceria entre o escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) e a Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri).

                Os agricultores já estão plantando o grão, que tem potencial de produtividade 50% maior do que o material genético comum. Depois do fim do ciclo da cultura, que dura 70 dias, cada família deverá devolver à Emater o dobro das sementes recebidas, para que o órgão constitua um banco permanente dos insumos, que possa servir a todas as comunidades interessadas. “É um sistema de troca-troca, que permite o benefício a todo mundo e a longo prazo”, resume o técnico em agropecuária da Emater Antônio Cruz.

                As famílias beneficiadas vivem de pecuária de corte e leiteira e cultivo de mandioca, mas também sempre trabalharam com caupi, porém com fins de subsistência. Elas estão recebendo até 40 quilos por hectare, com perspectiva de colheita na mesma área de cerca de 900 quilos. A proposta é aproveitar o feijão na alimentação doméstica e comercializar o excedente, o que pode significar lucro de 30%. O principal mercado é o nordeste brasileiro: “Neste ano, mais especialmente ainda, porque a seca naquela região foi severa, o que prejudicou as plantações de lá e trará mais compradores pra cá”, estima Cruz.



Texto:

Aline Miranda-Emater



Governo entrega escola

revitalizada em Santarém

e anuncia novas obras

“Quando alunos e professores têm um lugar adequado para estudar, todos se sentem mais comprometidos com o ensino e a aprendizagem. Nós temos mais do que amor por essa escola, temos um vínculo, uma história, criamos raízes aqui”. Este foi o relato emocionado do estudante Felipe Costa, do 1º ano da Escola Romana Tavares Real, ao se deparar com a nova estrutura do espaço escolar, entregue pelo Governo do Estado nesta segunda-feira, 4, no município de Santarém.

                A escola existe há 22 anos e há 15 não passava por nenhum tipo de intervenção em sua infraestrutura, o resultado disso era um prédio com condições estruturais precárias, telhado danificado, paredes infiltradas e banheiros sem condições de uso. “Quando chovia ficava apreensiva por conta das goteiras e das infiltrações. Em dias de temporais éramos obrigados a suspender as aulas”, conta a diretora Marcina Canto. A nova “Romana Leal Tavares” irá atender mais de 450 alunos.

                O início das obras também propiciou aos professores e alunos o enfrentamento de grandes desafios. Ao longo de quatro anos, os alunos tiveram que se dividir em quatro outras unidades de ensino, foram elas: Júlia Passarinho, Padre Manoel, Gonçalves Dias e Clube Estandarte.  “Era uma realidade muito difícil para todos nós aqui. Para eu administrar e os professores lecionar nesta escola que funcionava em vários espaços, era um desafio. Já os nossos alunos tinham dificuldade de aprender, tanto que cerca de 200 abandonaram a escola neste período”, relatou a diretora.

                Mesmo assim, o desafio de ensinar e aprender foi enfrentado por esta comunidade escolar. Tanto que juntos eles desenvolveram vários projetos pedagógicos, como o "Mais Educação", Banda de Fanfarra, Grupo de Dança Folclórica, o projeto ambiental "Agenda 21", projeto de "Arte, Letramento e Matemática", entre outros.

                Com o prédio, que possui seis blocos, com três salas de aula cada, totalizando 18, além de banheiros adaptados para os portadores de necessidades especiais, espaço para recreio coberto e quadra, tudo revitalizado, a expectativa de todos é que estes projetos exitosos se desenvolvam. A escola ganhou ainda plantio de grama, árvores e espaços identificados. Resultado de um investimento no valor de R$ 799.542,14.



Compromisso



                A cerimônia de entrega do novo espaço foi marcada pela presença do vice-governador do Estado, Helenilson Pontes; do secretário Especial de Promoção Social, Nilson Pinto; do secretário de Estado de Educação, professor Cláudio Ribeiro, além de outras autoridades. Eles prestaram contas dos compromissos assumidos e anunciaram outras ações na área da educação para a região.

                Para o vice-governador, este é só o início do projeto que o Governo do Estado tem para a educação pública de Santarém. “Recebemos o Governo com déficit nas suas contas, mas já conseguimos equilibrar o orçamento para resgatar todos os compromissos que assumimos durante a campanha. Além da educação, Santarém receberá também diversos investimentos em infraestrutura, saúde e saneamento. Este é só o começo”, afirmou Helenison, que durante discurso ainda anunciou a lista das outras escolas que serão reformadas: “Nesta primeira etapa de recuperação de escolas em Santarém, o Governo do Estado já garantiu a reforma das escolas Mônaco de Matos, Maestro Wilson da Fonseca, Almirante Soares Dutra, Álvaro Adolfo da Silveira, Barão do Tapajós, São Felipe, Frei Othimar, Gonçalves Dias e Plácido de Castro”.

O secretário Especial Nilson Pinto destacou, além da reforma da escola Romana Tavares, as obras nas escolas Nossa Senhora de Guadalupe, Olindo do Carmo Neves, Onésima Pereira de Barros e Richard Henningtonn, todas finalizadas em 2011. “Compromisso assumido e cumprido. Isso demonstra que o nosso projeto de reconstrução do estado perpassa pela melhoria da qualidade de ensino, que tem a ver com a recuperação dos prédios escolares, que só este ano tem mais de 100 milhões de reais destinados para a reforma de 200 escolas. Além disso, valorizando os professores, garantimos o pagamento do piso nacional”.

A melhoria da qualidade de ensino, de acordo com o secretário de Estado de Educação, professor Cláudio Ribeiro, também passa por uma revolução que tem que acontecer dentro da escola e com o comprometimento de todos que fazem parte da comunidade escolar. “Para tanto estaremos implantando a partir do ano que vem o projeto "Jovem de Futuro", que revolucionará o Ensino Médio, com a implantação de um novo modelo de gestão nas escolas. Além do projeto "Escola de Tempo Integral", pois acreditamos que o lugar do jovem é dentro da escola, fazendo parte das mais variadas ações que este espaço tem a oferecer”, ressaltou.

                Depois do anúncio das 10 escolas que serão reformadas a partir deste ano, bem como, a entrega da escola tecnológica de Santarém, das obras da 5ª Unidade Regional de Educação de Santarém, além da cobertura da quadra de esportes de mais 11 escolas, o vice-governador do Estado, Helenilson Pontes reafirmou que neste ano o governo começou a apresentar os primeiros resultados "e a entrega desta escola é um exemplo disso e só o início de muitas ações voltadas para Santarém na área da educação, que sem dúvida, é uma prioridade deste governo".



Texto:

Danielly Gomes-Seduc



Secretário de Saúde visita

Hospitais e unidades

de saúde de Altamira

                O secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, visitou nesta segunda-feira (4) a Unidade de Pronto Atendimento e os hospitais Municipal São Rafael e Regional Público do Baixo Amazonas do município de Altamira, no oeste do Estado. Helio Franco ainda reuniu-se com o diretor, agentes de endemias, técnicos e enfermeiros do 10º Centro Regional de Saúde. Também estiveram presentes a prefeita Odileida Sampaio e o secretário de Saúde de Altamira, Edvan Duarte.

                Helio Franco ouviu cada um sobre as demandas, as dificuldades e as ações em conjunto com os municípios que abrangem o Centro. Ele ressaltou que o envolvimento dos gestores e técnicos de saúde é primordial para garantir o fortalecimento da Atenção Básica, que pode garantir uma boa saúde à população quando bem trabalhado. “Temos que convencer todos os profissionais da aérea que a responsabilidade é de todos”, disse.

                O secretário também conheceu a instalações da futura Central de Regulação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que atenderá os municípios assistidos pelo 10º Centro. A inauguração da Central está prevista para o próximo mês. Segundo o diretor da Regional de Saúde, Romel Amoedo, o novo serviço será essencial para direcionar adequadamente o paciente para o hospital ou unidade de referência.

                Durante a visita, Helio Franco lembrou do compromisso que a Norte Energia assumiu com a Sespa e Secretaria Municipal de Altamira para financiar as reformas e construção de unidades hospitalares no município, que está com os serviços de saúde cada vez mais sobrecarregados em decorrência da construção da usina de Belo Monte.

                O consórcio ficou responsável pela reforma do Hospital Municipal São Rafael, que será transformado em uma Unidade de Referência Regional Materno-Infantil na Transamazônica, com os 70 leitos existentes. A empresa ainda se comprometeu com a reforma e aquisição de equipamentos e insumos para a Unidade de Pronto Atendimento localizada no bairro Mutirão, com ampliação de mais 50 leitos, além da construção de um Hospital Geral de média e alta complexidade com capacidade para mais 50 leitos.

                De acordo com Helio Franco o munícipio precisa estar preparado para garantir atendimento de saúde, principalmente pela grande demanda que atualmente o sistema se encontra. “Toda a estrutura é necessária para garantir melhora e efetividade nos serviços”, observou.



Texto:

Edna Sidou-Sespa



Cred Livro oferece R$ 418 mil

a dois mil professores

em Santarém

                Para o professor Manoel Domingues, da escola estadual Álvaro Adolfo da Silveira, o V Salão do Livro do Oeste Paraense e a concessão de mais uma versão do Cred Livro, no município de Santarém, oeste do Pará, foram um incentivo para a melhoria da qualidade de ensino. O evento foi encerrado na noite de domingo (3), com mais de dois mil professores beneficiados com R$ 418,8 mil em crédito para a compra de livros.

                O salão ofereceu à população o acesso a livros, teatro, danças, música, palestras e a divulgação das obras de autores locais. A diretora da 5ª Unidade Regional de Educação (URE), Maria José Maia, disse que o Salão do Livro contribui para a melhoria das aulas ministradas nas escolas da região. “Aqui os professores têm a oportunidade de aprimorar seus conhecimentos, melhorando o desenvolvimento profissional, pois temos no livro nosso principal instrumento de trabalho”, ressaltou.

                Para o secretário de Estado de Educação, Cláudio Ribeiro, além de promover o fomento à leitura, também em outros municípios do Estado, o governo se preocupou em oferecer aos professores efetivos da rede o benefício do Cred Livro. “Entendemos que investir em nossos professores também é promover a melhoria da educação”, destacou.

                 “Fora daqui só conseguimos encontrar novos livros pela internet ou em Belém. Na feira, além de termos facilidade de adquirir estas publicações, temos como comprá-las com o crédito oferecido pelo governo. O reflexo disso é a melhoria da nossa formação e consequentemente das aulas que ministramos e do aprendizado dos nossos alunos”, ressaltou Manoel Domingues.

                O Cred Livro é um benefício destinado ao professor, no valor de R$ 200, concedido pelo governo do Estado, por meio da Seduc e do Banco do Estado do Pará (Banpará), para a compra de livros, durante os Salões do Livro e da Feira Pan Amazônica. Em Santarém, foram contemplados 2.094 professores das escolas da rede estadual dos municípios de Alenquer, Aveiro, Almeirim, Belterra, Curuá, Faro, Itaituba, Jacareacanga, Juruti, Monte Alegre, Novo Progresso, Óbidos, Oriximiná, Placas, Prainha, Rurópolis, Santarém, Terra Santa e Trairão.



Texto:

Danielly Gomes-Seduc



Sespa alerta para doenças

surgidas com as cheias

na região Oeste

                A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) enviou a Santarém dois técnicos para fazer um levantamento dos problemas relacionados à saúde em 11 municípios da região Oeste do Pará atingidos pelas cheias dos rios Tapajós e Amazonas. A intenção é avaliar e prevenir possíveis problemas que podem acontecer durante e após esse período, a exemplo de novos casos de hepatite, leptospirose e febre tifóide.

                Estão em Santarém o coordenador estadual de Zoonoses, Reynaldo Lima, e a técnica do Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde (Cievs), Daniele Galindo. Eles também avaliam as estruturas dos municípios e de que forma a Sespa pode ajudar a Defesa Civil.

                Entre os objetivos específicos dos técnicos estão o de “identificar situações de risco para a ocorrência de surtos epidêmicos de doenças relacionadas às enchentes”, “monitorar o registro de agravos de saúde relacionados às enchentes” e “verificar a infraestrutura e capacidade instalada existente dos serviços de saúde para atendimento dos atingidos pelas cheias”.

Esses dados estão contidos no primeiro e mais recente relatório emitido pelo técnico Reynaldo Lima, inserido na força tarefa organizada pelo governo estadual, em conjunto com o Ministério da Integração Nacional e equipes da Defesa Civil, tanto em nível estadual como municipal. 

                Segundo o documento, os municípios que estão em situação de emergência são Almeirim, Alenquer, Curuá, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Porto de Moz, Prainha, Santarém e Terra Santa. Em estado de alerta estão Aveiro, Belterra, Faro e Juruti. Ao todo são 23.031 famílias afetadas e outras 172 desabrigadas.

                Desse conjunto de 11 municípios, o técnico da Sespa formulou uma lista dos agravos agudos notificados, ou seja, ainda sob suspeita, comparando os períodos de janeiro a maio, tanto de 2011 como de 2012, com base no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), do Ministério da Saúde.

                De janeiro a maio de 2011, nos 11 municípios foram registrados os seguintes casos: Coqueluche (10), Doenças Exantemáticas (14), Hepatites Virais (14), Leptospirose (86) e Meningite (24). De janeiro a maio deste ano, por enquanto, há o seguinte cenário: Coqueluche (21), Doenças Exantemáticas (02), Hepatites Virais (119), Leptospirose (21) e Meningite (05), além de 03 casos de Febre Tifoide.

                Entre as ações desenvolvidas, Reynaldo Lima cita reuniões com equipes da Defesa Civil e do 9º Centro Regional de Saúde (9º CRS), pelas quais foram agendadas visitas aos municípios atingidos, obedecendo ao grau de comprometimento da infraestrutura e as informações sobre os casos suspeitos das doenças em questão, no intuito de avaliar a real situação “in loco”.

Ainda de acordo com o relatório, o coordenador estadual de Zoonoses conclui que a fragilidade do sistema de informação em saúde dos municípios, atribuída aos sub-registros de notificações, dificulta a realização eficiente de ações articuladas entre os níveis federal, estadual e municipal.

                Em função dessas adversidades, Alenquer é um dos municípios com situação mais delicada, pois o nível do rio aumentou de tal forma que os poços da rede de abastecimento da Cosanpa foram inundados, o que compromete a qualidade da água fornecida à população. Em 2011, a cidade passou por um surto epidêmico de Hepatite Viral em decorrência da água contaminada, o que potencializa para 2012 o risco de se repetir em maior proporção.

                Outro fato ainda destacado por Reynaldo Lima diz respeito à maioria das famílias atingidas, que optaram pela construção de “marombas”, que são pisos acima do nível da água feitos para proteger os moradores e seus móveis. “A medida diminui o risco de doenças ocasionadas por aglomeração, mas ainda assim as pessoas ficam expostas aos agravos relacionados à contaminação da água e aos acidentes por animais peçonhentos”, explica.

                Por mais que as cheias dos dois rios comecem a diminuir, o especialista recomenda que as equipes de Vigilância em Saúde dos Municípios e do Estado estejam em alerta, pois o risco das doenças elencadas pelo relatório continua iminente. Além dos técnicos da Sespa e da Coordenadoria da Defesa Civil Estadual (Cedec/PA), as ações integradas entre diversos órgãos estaduais, municipais e da União continuarão até o final de junho na região.

                Além de toda essa estratégia, a Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva, que percorre a mesorregião do Baixo Amazonas, tem sido um importante complemento nas ações integradas do Governo do Estado em resposta às cheias das bacias hidrográficas do rio Tapajós e Amazonas.



Texto:

Mozart Lira-Sespa



EDUCAÇÃO

EDUCAÇÃO

Uepa divulga resultado

final de processo

seletivo para indígenas

                A Universidade do Estado do Pará (Uepa) divulgou o resultado final do Processo Seletivo Especial para o curso de Licenciatura Intercultural Indígena, realizado entre os meses de fevereiro e maio de 2012. A graduação ofertou 100 vagas para os índios dos povos Gavião, Tembé e Suruí. As aulas iniciam em 4 de julho e serão realizadas no campus de São Miguel do Guamá da Uepa (Gavião) e aldeias Kyikatêjê (Tembé) e Sororó (Suruí), locais onde também foram realizadas as etapas do concurso.

                O curso irá abordar os conhecimentos tratados na área de Ciências Humanas e Sociais, Ciências da Natureza e Matemática e Linguagens e Arte. Todos estarão articulados aos saberes indígenas, na perspectiva de formar professores nessas três áreas, para atuar na Educação Escolar Indígena. Essa licenciatura é ofertada pela primeira vez na Uepa. O curso abre com 100 vagas, sendo 50 para cada grupo, e será desenvolvido em regime presencial e modular.

                "O trabalho é coletivo e chegamos até aqui com o apoio de todos, mas existe uma sensibilidade por parte da nossa gestão superior em entender e ajudar a desenvolver todo um trabalho que foi fundamental para que a Licenciatura Intercultural Indígena se tornasse uma realidade", explica a coordenadora do curso, Joelma Alencar, também membro do Núcleo de Formação Indígena da Universidade.

                O processo seletivo foi dividido em três etapas. Na primeira, foi feita a análise dos documentos. A prova escrita, onde o candidato teve a oportunidade de desenvolver uma redação em Língua Portuguesa, compreende a segunda etapa. Já na terceira fase será realizada uma entrevista. Cada fase vale dez pontos, totalizando 30 ao final do processo seletivo. Foi eliminado para a realização da segunda etapa o candidato cujos documentos apresentados foram tidos como comprovadamente falsos. Quem obteve nota menor que cinco pontos na segunda etapa também foi eliminado para a última fase. Confira aqui o resultado final do processo seletivo.



Texto:

Carolina Menezes-Uepa



Uepa recebe currículos de

professores de Língua Italiana

                O Departamento de Língua e Literatura da Universidade do Estado do Pará (DLLT/Uepa) prorrogou o período de recebimento de currículos de professores com formação em Letras - Língua Italiana, com titulação mínima de especialista até 15 de junho. Os interessados devem encaminhar, via protocolo do Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE), o currículo comprovado ao Departamento de Língua e Literatura/CCSE/Uepa, na Trav. Djalma Dutra, s/n, no bairro do Telégrafo. O horário de funcionamento do protocolo é de 8h às 20h. Portadores de diplomas expedidos por instituições estrangeiras deverão apresentar a correspondente revalidação do respectivo título por Instituição Nacional (artigo 48 da lei 9394/96). O telefone do CCSE é o (91) 4009-9505.



Uepa participa da Missão

Internacional Abruem

                A reitora da Universidade do Estado do Pará (Uepa), Marília Brasil Xavier, e a coordenadora de Relações Internacionais da instituição, Luzia Jucá, participam até o dia 22 de junho da Missão Internacional da Associação Brasileira de Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem). Os dois países que recebem a comitiva da Abruem este ano são Bélgica e Alemanha. A Missão Internacional tem por finalidade a realização de visitas técnicas às Instituições de Ensino Superior (IES), promovendo um contato direto com a realidade internacional. Além disso, a Missão busca estreitar os laços de relacionamento entre as instituições estabelecendo parcerias e convênios entre as universidades. Este ano, o convite para ir a Bélgica partiu da embaixada do próprio país, demonstrado o interesse em receber a delegação da Abruem. O segundo destino da viagem, a Alemanha, foi escolhido entre os associados e buscou estabelecer vínculos com o país.



Educação Especial promove

atividades no mês de junho

                As escolas que integram as Unidades “Seduc na Escola” (USE's) de Icoaraci, Cotijuba, Outeiro, Maguari e Tenoné, abrem nesta terça-feira, 5, no Liceu Escola Mestre Raimundo Cardoso, no Paracuri, a partir das 14 horas, programação de atividades para o mês de junho. A iniciativa da Unidade Técnica de Ensino Especializado de Icoaraci tem como objetivo dar suporte às escolas que fazem parte das USES 11,12 e 13 no processo inclusivo dos alunos com deficiências, além de oferecer para a comunidade escolar e local formação continuada sobre os direitos e deveres dos cidadãos com deficiência.

                A abertura da programação será com oficina de alimentação para os pais e responsáveis dos alunos atendidos pelas Unidades da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Nas 37 escolas que compõem as USES, 1.126 alunos recebem atendimento com Atividades Educacionais Especializadas e educação inclusiva.



Estudo desenvolvido em

laboratório da Uepa

ganha prêmio

                O prof. Dr. Rui Sérgio de Monteiro Barros, que chefia um estudo sobre "Microcirurgia experiemental" junto ao Laboratório de Cirurgia Experimental (LCE) da Universidade do Estado do Pará (Uepa), teve o trabalho "Vídeomicroanastomose venosa com stent intravascular" vencedor do 1º lugar na categoria Ciência Básica, durante o 31º Congresso Brasileiro de Cirurgia da Mão, realizado em maio, na Bahia. O trabalho premiado trata sobre uma técnica que consiste em inserir um pequeno tubo de menos de um milímetro de espessura dentro da veia em caso de necessidade de costura das pontas do vaso. A inserção garante que a agulha não atinja a parede posterior da veia durante o procedimento.

                De acordo com o coordenador do laboratório, Marcus Vinícius Brito, essa não é a primeira vez que o LCE é reconhecido com premiações. "Desde sua fundação, o espaço já recebeu premiações nacionais e internacionais, além de menções honrosas a todas as suas quatro linhas de estudo - Estudo bio-farmacológicos de plantas de interesse amazônico; "Isquemia e reperfusão", na qual estão inclusas as sublinhas de "Transplante experimental" e de "Estudo dos estados de choque hipovolêmicos"; "Microcirurgia experimental"; e "Inflamação e oncologia".

                Além de Rui Sérgio, o próprio Marcus Vinícius tem envolvimento no estudo premiado, além dos estudantes Renan Kleber Teixeira, Marcelo Ferreira Sabbá, Marcos Vinicius Lemos e Rafael Aquino Leal. "Essa premiação é mais uma reafirmação do reconhecimento que a pesquisa nacional tem pelo trabalho e dedicação dos professores do LCE junto a suas linhas de grupos de pesquisa", afirma o coordenador do laboratório.



Texto:

Carolina Menezes-Uepa



GERAL

Encontro debate formas de

participação cidadã

na gestão pública

                As formas de acompanhar o uso dos recursos públicos, o controle social e a participação cidadã foram alguns dos temas abordados nesta terça-feira (5), durante mesa de debates para jornalistas promovida pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) e pelo Grupo Estadual de Educação Fiscal, em comemoração ao Dia Nacional de Respeito ao Contribuinte. As palestras, com a presença de servidores públicos, abordaram a sonegação fiscal, a nova Lei de Acesso à Informação e o acompanhamento do gasto público pela sociedade.

                A palestra do secretário da Fazenda, José Tostes Neto, abordou a “Sonegação como crime social”. Ele apresentou vários exemplos de sonegação e mostrou a ação do fisco para coibir este crime, prendendo mercadorias, fechando lojas e até prendendo os acusados. O secretário lembrou o fechamento de uma loja num shopping em Belém, semana passada, que funcionava sem inscrição estadual e sem documentário fiscal e ainda emitia notas da matriz, em São Paulo. Flagrada pelo auditores da Sefa, teve que fechar as portas.

                Estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário mostrou que os tributos mais sonegados no Brasil são a contribuição previdenciária para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e os impostos de Renda e sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

                Para o secretário, a sonegação acontece devido a vários fatores, como a falta de conscientização sobre a importância social do tributo como elemento financiador das obras e investimentos públicos; a proliferação do crime organizado, que estimula o crime; a impunidade; a corrupção; o federalismo “não cooperativo”, que provoca disputas entre os Estados, além da estrutura deficiente dos órgãos de fiscalização.

“A sociedade não vê o tributo como importante para atender as demandas sociais, e não vê o sonegador como bandido, nem a sonegação como crime. É uma deformação cultural que precisa ser trabalhada”, disse. As consequências do crime, para Tostes, são a existência de serviços públicos básicos deficientes, falta de infraestrutura, atraso e subdesenvolvimento, má qualidade de vida da sociedade, exclusão social, concorrência desleal e o aumento da carga tributária individual.

                Para combater a sonegação, o secretário propõe punição exemplar para os infratores, o combate efetivo à corrupção, o fortalecimento dos órgãos de fiscalização e o controle e a simplificação da legislação tributária.

Publicidade – O chefe da Controladoria Geral da União (CGU) no Pará, Marcelo Borges de Souza, falou sobre os principais pontos da Lei de Acesso à Informação, que entrou em vigor dia 16 de maio, abrangendo a administração direta e indireta de todos os poderes e todos os entes federativos, inclusive as entidades privadas sem fins lucrativos que recebam recursos públicos.

                A lei prevê a publicidade como preceito geral e o sigilo como exceção. “É direito do cidadão ser orientado sobre os procedimentos de consecução de acesso, bem como sobre o local onde poderá ser encontrada ou obtida a informação”, afirmou Sousa. Segundo ele, uma das inovações da lei é o principio da abertura de dados, ou seja, estímulo à divulgação de dados em formato aberto.

                A lei prevê obrigatoriedade do uso da internet, exceto para municípios com até dez mil habitantes, e o principio da transparência passiva, no qual o cidadão solicita dados que devem ser entregues no prazo máximo de 20 dias, prorrogáveis por mais 30. O pedido não precisa ser motivado, apenas conter a identificação do requerente e a especificação da informação. O serviço de busca e fornecimento das informações é gratuito, salvo a cobrança de cópias de documentos. Segundo a legislação, devem ser criados serviços de informações ao cidadão em todos os órgãos e entidades do Poder Público.

                Para Marcelo Sousa, a lei traz diversos desafios, entre eles os custos com a implementação, que serão significativos, sem contar a designação de autoridade, que assegurará o cumprimento da lei em cada órgão e entidade, e a criação da Comissão Mista de Reavaliação de Informações. Para garantir a efetividade da lei, será preciso alocar e treinar recursos humanos para trabalhar nos Serviços de Informação ao Cidadão. Outro grande desafio será a mudança da cultura, com conscientização e capacitação de agentes públicos.



Texto:

Ana Márcia Pantoja-Sefa






Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...