Total de visualizações de página

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Notícias de sexta, sábado, domingo e segunda-feira, 8/9/10/11 junho de 2012:

<><><><>
Moradores de Mojuí dos
Campos recebem
orientação nutricional
                Raimunda Ivoneide Moraes, 43 anos, pesa 59 quilos, distribuídos em 1,48 metro de altura. O índice de massa corporal demonstra que a dona de casa está com sobrepeso. Para perder esses "quilinhos" a mais, ela procurou o serviço de avaliação e orientação nutricional da Coordenação Estadual de Nutrição da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), um dos 50 serviços oferecidos à população de Mojuí dos Campos durante a Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva. Somente nos dois primeiros dias da ação, foram feitos cerca de 200 atendimentos na área da nutrição.
                A equipe é formada por uma nutricionista, uma técnica de enfermagem e uma voluntária. Para identificar se um paciente está acima do peso, é feito o calculo do índice de massa corporal, a partir da medição do peso, da altura e da circunferência da cintura. A divisão do peso pela altura ao quadrado resulta no índice, e a partir da consulta em uma tabela especifica é informado o quanto de peso o paciente deve perder.
                Uma alimentação saudável, com baixa caloria, aliada à prática de atividades físicas, foi a recomendação dada para Raimunda Ivoneide. "A dieta ficou um pouco mais rigorosa. Ela disse para reduzir a farinha, o pão e o macarrão. Comer mais frutas e tomar sucos ao invés de refrigerante. Vou seguir a dieta", afirmou.
                Além da orientação para a perda de peso, a Coordenação Estadual de Nutrição também está atendendo crianças, gestantes e idosos. O trabalho se estende ainda à pacientes hipertensos, diabéticos, cardíacos e com problemas gástricos. As dietas recomendadas são adaptadas para a realidade da região. "Orientamos uma dieta a partir do que o paciente tem disponível e pode adquirir com facilidade, desde que atenda à necessidade do que for recomendado", explica a nutricionista Dainara Costa.
                A servidora municipal Raimunda Josiane Sampaio, 28 anos, procurou o serviço de nutrição por dois motivos: apesar da pouca idade, a jovem é hipertensa e está acima do peso. A dieta recomendada excluiu diversos alimentos que antes eram consumidos com frequência por ela. "Gosto muito de churrasco e também como muitos doces. A médica me proibiu e disse que era para substituir os doces por frutas e que as carnes deveriam ser grelhadas, com pouquíssimo sal", contou.
                Na programação diária da Coordenação de Nutrição da Sespa, há palestras para pequenos grupos, como as gestantes. Nelas são repassadas a importância de uma alimentação saudável para mãe e para o bebê. No caso das crianças, um cuidado muito importante é a inclusão de verduras e legumes nas refeições. Rafael dos Santos Ferreira, 8 anos, assume que não gosta desse tipo de alimento. Comê-los diariamente só em pratos especiais. "Se for um sanduíche bem gostoso com alface eu até como”, brincou.
                Os idosos também recebem uma orientação especial. Quem já passou dos 60 anos deve fazer no mínimo três refeições por dia, explicou Dainara Costa. Uma dica bem acessível é incluir no almoço o feijão, pelo menos cinco dias da semana. Esse genuíno alimento brasileiro é uma completa combinação de proteínas. Consumir leite e seus derivados também é indicado para quem quer ter uma boa saúde na terceira idade. "São alimentos saudáveis e que fornecem as quantidades necessárias de proteínas e vitaminas para o organismo", ressaltou a nutricionista.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom

Diário Oficial do Estado
completa 121 anos
 de criação
                O Diário Oficial do Estado completa nesta terça-feira (12) 121 anos de circulação. Neste mais de um século, o veículo se consolidou como o órgão impresso oficial mais importante da história do Estado. Para comemorar a data, a direção da Imprensa Oficial anunciou a digitalização de todo o acervo, que traz cerca de 31 mil edições com atos dos poderes públicos.
                Em 121 anos, o veículo oficial do Estado já percorreu todas as bases materiais da história da impressão de veículos. A primeira edição do Diário Oficial, de 1891, coincide com o lançamento do grande jornal brasileiro “Jornal do Brasil”, que foi criado para defender a monarquia deposta dois anos antes. Era o início da era republicana no país.
                A criação das imprensas oficiais era uma forma de sustentar o regime republicano, que passava por uma grande crise provocada pelos monarquistas descontentes. É deste mesmo ano a criação da imprensa oficial de São Paulo, o veículo oficial de maior circulação do país.

                Inicialmente, o Diário Oficial do Pará era impresso com tipos de madeira. Na história da impressão, o ano de 1891 representa uma revolução na indústria gráfica. É desta época a chegada do linotipo e do monotipo, mecanismos compostos de teclado que fundiam os tipos separadamente – o começo de uma revolução na imprensa mundial, que era impulsionada pelo aumento de leitores causado pelo processo de alfabetização.
                Do fim do século XIX até hoje, o Diário Oficial do Estado se estabeleceu como um veículo com credibilidade e qualidade de impressão. No período, cerca de 30 mil jornais foram impressos com os atos dos poderes públicos, entre leis, decretos, portarias, resoluções, instruções normativas e outras matérias de caráter oficial.
                Fiel ao objetivo de sua criação, que é o de divulgar os atos do governo, também se tornou fonte de informações de assuntos culturais, científicos, industriais e outros temas de utilidade pública.
Tecnologia – O presidente  da Imprensa Oficial do Estado, Cláudio Rocha, explica que a grande revolução na forma de impressão do Diário Oficial começa nos anos 1990, quando o veículo ainda era feito no processo de “cola e papel”. Desde então, a paginação passou a ser feita no programa eletrôpnico Page Maker, e as edições passaram a ser colocadas na internet, para consulta gratuita.
“Fomos o primeiro Diário Oficial do Brasil a estar integralmente na internet”, ressalta Cláudio Rocha. Depois veio a chegada do formato PDF, e, no último ano, a certificação digital, que foi o “grande salto”, pois permite que todas as páginas do diário online estejam disponíveis com a assinatura digital, tecnologia que tem mecanismos de segurança capazes de garantir autenticidade, confidencialidade e integridade à publicação.
                Com a digitalização do acervo, finaliza-se um ciclo necessário à democratização da informação no que diz respeito à transparência dos atos governamentais. Para Cláudio Rocha, “a digitalização tem uma função social importante porque permite aos cidadãos a obtenção de informações de dados históricos a partir de fontes seguras”.
Hoje, cerca de 150 pessoas procuram a Imprensa Oficial, mensalmente, para fazer pesquisas nos arquivos dos diários oficiais. “Oferecer esse material ao usuário é algo que somente a tecnologia poderia nos proporcionar e também uma forma de garantir a transparência das ações governamentais”, defende Cláudio Rocha. Com dez mil acessos diários, o Diário Oficial do Pará completa 121 anos como um dos veículos oficiais mais lidos do país.

Texto:
Marcio Flexa-Secom

Polícia Civil prende quatro
pessoas envolvidas
com tráfico em Soure
                A Superintendência Regional da Polícia Civil dos Campos do Marajó, com sede em Soure, divulgou nesta segunda-feira (11) as prisões de quatro pessoas envolvidas nos crimes de tráfico de drogas, tentativa de homicídio e lesão corporal. Elas foram presas durante a operação “Recidere”, entre os dias 7 e 10. Três dos presos são reincidentes em práticas criminosas na região, daí o nome da ação policial ser uma referência ao ato de reincidir.
                As prisões foram deslanchadas em cumprimento a mandados judiciais expedidos pela Comarca de Soure. A ação policial começou no último dia 7, quando foi preso, em cumprimento a mandado judicial de prisão preventiva, Carlos Alexandre Dias Nascimento, conhecido como “Morceguinho”, acusado de tentativa de homicídio. A partir de investigações, a equipe de policiais civis levantou o local onde ele estava escondido. Ele foi preso e conduzido para a unidade policial em Soure.
                Dia 8, foram cumpridos mais três mandados de busca e apreensão domiciliar com prisões em flagrantes de duas mulheres. Uma delas é Edineide Bandeira Montello, conhecida por “Miúda”, acusada de tráfico de drogas, que já havia sido presa pelo mesmo crime, mas estava atualmente em liberdade. Após seis meses de investigações, foi feita a busca na casa dela, onde foram encontrados seis “petecas” de pasta base de cocaína, objetos de origem duvidosa e vários pedaços de plásticos picotados usados para embalar entorpecentes.
                A outra presa é Dayse Nazaré Torres Ferreira, que também já havia sido presa anteriormente por tráfico de entorpecentes. Durante a busca em sua casa, foi encontrada uma arma de fabricação caseira, que era usada para caça de animais silvestres. “Dayse” era investigada havia nove meses por tráfico de drogas, por meio de denúncias feitas ao Disque-Denúncia. No último dia 10, foi preso e autuado em flagrante Ronivaldo Cruz Lima, por lesão corporal grave. Ele se envolveu em uma briga em que desferiu golpes de terçado em um homem.
                Durante a operação, os policiais civis fizeram barreiras nas principais avenidas da cidade, com vistorias e buscas em carros e motos e a finalidade de encontrar veículos roubados e objetos ilegais, como armas e drogas. Os policiais também fizeram atividades preventivas de combate a acidentes de trânsito. Foram feitas ainda rondas policiais nos bares e nas casas noturnas da cidade, com a finalidade de combater a criminalidade.
                A operação teve a participação de policiais civis de Soure e de policiais civis que reforçaram o fim de semana no município, com apoio de policiais militares e de conselheiros tutelares.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

Ébano Quarteto unirá
som dos clarinetes
ao das aparelhagens
                Mozart, Bach e outros compositores eruditos, além de experimentações e participações especiais, fazem parte do repertório que os clarinetistas do Ébano Quarteto apresentam terça-feira (12), às 17h30, na Capela do Espaço São José Liberto, na programação do XXV Festival Internacional de Música do Pará.
                O professor Marcos Jacob Cohen, clarinetista da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro (Brasília-DF), faz participação especial na apresentação do quarteto, formado em 2004 com o incentivo do ucraniano Oleg Andreyev, então professor de Prática de Música de Clarinete na Fundação Carlos Gomes.
                O grupo é formado por Claudionor Amaral, bacharel em Música pela Universidade do Estado do Pará (Uepa), em parceria com a Fundação Carlos Gomes, com pós-graduação em Docência do Ensino Superior; Márcio Gilberto Carvalho, Luís Eugênio Ribamar e João Paulo Favacho, bacharéis em Música pela Uepa/ FCG.
                Segundo Claudionor Amaral, o festival tem contribuído para o amadurecimento dos trabalhos dos músicos, assim como dos projetos desenvolvidos pelo Estado, especialmente os de interiorização, que levam cursos em formatos diversos, como master class e workshops, para crianças de escolas públicas.
                Muitas vezes, diz, os estudantes têm o primeiro contato com um instrumento musical nestas oportunidades e, posteriormente, se interessam em seguir carreira. Claudionor citou os exemplos dos demais integrantes do quarteto, Márcio, Luís Eugênio e Gilberto, que despertaram o interesse pela música em um desses projetos, e hoje são músicos e professores atuantes.
                Claudionor Amaral contou que o Ébano Quarteto ensaiou exaustivamente para a apresentação no festival. “Foi muito trabalho. Muitas horas de ensaio. É tudo pelo respeito que a gente tem pelo público e pela música, que é tão importante na vida das pessoas”, diz.
                Quem for à Capela do São José Liberto poderá conferir, entre outras peças, “Serenata (1º Movimento)”, de Wolfgang Amadeus Mozart; “Brejeiros”, de Ernesto Nazareth; “A Fuga” (em sol menor), de Johann Sebastian Bach, e “Bachianas Nº 5 (ária)”, de Heitor Villa-Lobos,  com adaptação de Aníbal Gomes, regente da Banda Sinfônica do Conservatório Carlos Gomes.
                Além da participação de Marcos Cohen, outro destaque da apresentação será o momento em que o Ébano Quarteto mostrará “Fuga”, de Sebastian Bach, que em seguida será tocada em uma versão diferente, com participação do DJ Bruno. Eles mostrarão uma experimentação preparada especialmente para o festival, que vai unir o som dos clarinetes às aparelhagens musicais.
Serviço: O Ébano Quarteto se apresenta terça-feira (12), às 17h30, na Capela do Espaço São José Liberto, no XXV Festival Internacional de Música do Pará, que prossegue até sexta-feira (15). Entrada franca. A programação do festival está no site www.fcg.pa.gov.br.

Texto:
Luciane Fiuza-São José Liberto

Preso um dos chefes do
tráfico de drogas no
município de Xinguara
                Rogério Dias Cardoso, considerado um dos chefes do tráfico de drogas em Xinguara, município do sul do Pará, foi preso nesta segunda-feira (11), pela equipe de policiais civis da Seccional Urbana local, sob o comando do delegado Orimaldo Farias. Conhecido por "Gordo", o acusado foi flagrado durante a operação denominada "Fim da Linha", realizada pela Polícia Civil no município.
                Diversas denúncias anônimas levaram os policiais civis a uma casa situada na Rua 08, bairro Itamarati, onde funcionava uma venda de drogas. Por mais de duas horas, os policiais viram pessoas se aproximarem do portão da casa, por onde recebiam pacotes com drogas.
                No momento em que um dos compradores se aproximou da casa, os policiais entraram no local e abordaram inicialmente uma adolescente. Com ela foram encontrados dinheiro e várias pedras de crack. Em seguida, os policiais verificaram que "Gordo" estava dentro da casa, acompanhado de um usuário.
                Ao ver os policiais, o acusado correu para o quintal, onde soltou um cachorro Pitbull para atacar os policiais, que se defenderem usando spray de pimenta no animal. Em seguida, "Gordo" e o usuário foram presos. Os policiais apreenderam na casa 17 "petecas” de crack, diversos telefones celulares e máquinas digitais, trocadas por drogas pelos compradores.
                Com as apreensões, os policiais conduziram o acusado para a unidade policial em Xinguara, onde ele foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e corrupção de menor. A prisão de "Gordo" foi considerada uma grande vitória para as polícias da região. "Ele é um dos ‘chefões’ do tráfico de drogas em Xinguara, onde comanda a venda em várias bocas de fumo e na área do terminal rodoviário da cidade. A venda é realizada com a ajuda dos chamados 'aviões", explicou o delegado Orimaldo Farias.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

Fapespa lança edital para
bolsas de iniciação
científica de graduação
                O Governo do Estado, por intermédio da Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa), lançou o edital para Concessão de Quotas de Bolsas de Iniciação Científica de Graduação (IC-Gr) para Instituições de Ensino Superior (IES) e/ou Pesquisa, sediadas no Estado do Pará, que possuam personalidade jurídica de direito público ou privado sem fins lucrativos.
                Os objetivos são apoiar o desenvolvimento do pensamento e da prática científica dos estudantes de graduação e promover a iniciação à pesquisa no nível superior de educação, nas diferentes áreas do conhecimento, por meio da concessão de quotas de bolsas IC-Gr às instituições.
                As propostas aprovadas serão financiadas com recursos, que chegam a R$ 1.080.000,00, oriundos do Programa Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Sustentável da Fapespa, inserido no Plano Plurianual do Governo do Pará.
                O prazo para apresentação das propostas termina no próximo dia 26 de julho. As propostas aprovadas serão publicadas no Diário Oficial do Estado e divulgadas no site da Fapespa.
                Mais informações poderão ser obtidas na Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa, na Travessa Nove de Janeiro, nº 1686, entre as avenidas Gentil Bittencourt e Conselheiro Furtado, Bairro São Braz; pelo fone: 3323-2564 ou pelo e-mail dicet@fapespa.pa.gov.br.
                O edital pode ser obtido pelo link http://www.sig.fapespa.pa.gov.br/index.php?id=3&acao=4&edital_id=377

Texto:
João Ramos-FAPESPA

Ideflor e Sema levantam
temas que serão
abordados na Rio +20
                Com a meta de reduzir o índice de desmatamento no Pará em 80% até o ano de 2020, o Programa Municípios Verdes será apresentado na Conferência Rio +20, que começa esta semana, no Rio de Janeiro. O programa foi tema de mesa redonda em evento promovido pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado (Ideflor) em parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). Os debates desta segunda-feira,11, no Hotel Beira Rio, em Belém, também celebraram a Semana do Meio Ambiente.
                Segundo o secretário extraordinário do Municípios Verdes, Justiniano Neto, as ações e desafios do programa serão apresentados em dois eventos na Rio +20. “As ações seguem três eixos, entre eles o ordenamento ambiental e fundiário, no qual fazemos um diagnóstico e também tentamos organizar a produção dos municípios. Outro eixo é o da gestão compartilhada, em que procuramos estruturar os órgãos ambientais municipais para que façam a gestão compartilhada com o Estado”, disse.
                Há ainda, segundo o secretário, o apoio à produção sustentável nos municípios participantes, que já resultou na diminuição do desmatamento e aumento da receita e do emprego. O secretário de Meio Ambiente, José Alberto Colares, ressaltou que o Pará apresentará um compromisso de toda a sociedade na conferência. “Vamos mostrar que não queremos mais produzir de qualquer jeito. O compromisso da sociedade paraense com o desenvolvimento sustentável tem que ser mais que um discurso proselitista”, frisou.
“Temos que não só ter respeito com o meio ambiente, com regularização fundiária, mas acima de tudo ter compromisso com a equidade social, ou seja, a essencialidade da economia sustentável está no desenvolvimento da qualidade de vida na internalização de renda. Não dá mais para produzir sem isso como âncora para qualquer projeto do Estado”, ponderou Colares.
                Entre as ações do governo do Estado para reforçar o desenvolvimento sustentável estão concessões florestais e o apoio ao sistemas agroflorestais. “O Ideflor está promovendo as concessões, que representam uma maneira de combater o desmatamento e também de promover desenvolvimento econômico, social e ambiental, preservando o meio ambiente”, reforçou o diretor geral do Ideflor, Thiago Novaes.
                Nas áreas que já foram alteradas, que não têm mais cobertura vegetal e estão passando pelo processo de degradação e até mesmo de desertificação, o Ideflor pode promover e incentivar os plantios florestais e também estimular os sistemas agroflorestais, que podem representar a segurança alimentar do pequeno produtor, o desenvolvimento econômico e a recomposição do ambiente, concluiu.

Texto:
Flávia Ribeiro-Ideflor

Programa de Turismo é
tema de workshop
na ilha do Marajó
                A Secretaria de Estado de Turismo (Setur) e a Companhia Paraense de Turismo (Paratur) promovem esta semana em Soure e Salvaterra, na ilha do Marajó, o workshop “Prodetur: salvaguarda social e ambiental”, que tem como objetivo apresentar a matriz de investimentos do Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) no arquipélago.
                O workshop acontece em duas datas: nesta terça-feira (12), em Salvaterra, na Câmara de Vereadores , e quarta-feira (13) em Soure, no auditório da prefeitura, sempre às 9 horas. Outra abordagem, segundo a coordenadora do Prodetur Pará, Márcia Bastos, é o projeto de Mapeamento Cultural para fins Turísticos, que está sendo feito nas regiões turísticas de Belém e Tapajós, extensivo ao Marajó. O trabalho resulta de levantamento de aspectos da cultura dos municípios que integram essas regiões turísticas e que podem ser trabalhados como atrativos turísticos.
                Como resultado do Mapeamento Cultural do Tapajós, por exemplo, a Paratur e a Setur lançam, na Feira Internacional de Turismo da Amazônia (Fita), que acontece de 21 a 24 deste mês, no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, o livro “Aritapera: terra, água, mulheres & cuias”,obra organizada pelos antropólogos Antonio Maria de Souza Santos, pesquisador do Museu Paraense Emílio Goeldi, e Luciana Gonçalves de Carvalho, professora da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa).
                O livro aborda a importância do uso das cuias no universo amazônico e como elas estão inseridas no cotidiano das comunidades ribeirinhas. Feitas do fruto da cueira (Crecentia cujete), seu uso tem origem indígena, conforme aparecem em registros de missionários que percorreram o baixo-Amazonas desde o século XVII. Outras expressões culturais estão surgindo a partir do mapeamento, que vai levantar também o que é mais marcante na cultura marajoara e que pode ser insumo do turismo.
                O Prodetur prevê para os próximos anos Marajó um investimento de US$ 22 milhões, oriundos de captação junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que serão aplicados principalmente em obras de infraestrutura, como a revitalização dos terminais fluviais turísticos de Soure e Salvaterra, a construção de ponte sobre o rio Pacaracauari, além de revitalização do Sistema de sinalização e informações turísticas. Segundo o secretário de Turismo, Adenauer Góes, além do Marajó o Prodetur Pará  destinará US$ 6,6 milhões para o polo Belém e US$ 15,4 milhões ao Tapajós.
                A presidente da Paratur, Socorro Costa, informa que o workshop Prodetur em Salvaterra e Soure também vai ocorrer em Belém, com participação de representantes de todas as regiões turísticas, dia 23, das 9h30 ao meio-dia, durante a Fita. Em julho, a programação acontece em Santarém, com participação de diversos atores ligados às entidades, gestores públicos e representantes do trade em geral. Lá também haverá lançamento do livro “Aritapera: terra, água, mulheres & cuias”.

Texto:
Benigna Soares-Paratur

Quinteto de Saxofones vai
homenagear os namorados
no São José Liberto
                Com um repertório que inclui obras do alemão Sebastian Bach e do paraense Maestro Isoca, nascido em Santarém, passando pelo frevo do Mestre Duda e músicas especialmente selecionadas para o Dia dos Namorados, o Quinteto de Saxofones da Fundação Carlos Gomes (FCG) vai se apresentar nesta terça-feira (12), às 16h, no Coliseu das Artes, no Espaço São José Liberto, dando prosseguimento à programação do XXV Festival Internacional de Música do Pará.
                Aberto no dia 3 de junho, com atrações praças, teatros, museus e outros espaços culturais, o festival prossegue até a próxima sexta-feira (15), numa realização do Governo do Estado, por meio da Fundação Carlos Gomes.
                O Quinteto de Saxofones da Fundação é formado por Marcos Cardoso (saxofone alto e saxofone soprano), que é professor de Saxofone da Escola de Música da Universidade Federal do Pará (Emufpa); Alexandre Pinheiro (saxofone alto e tenor), Enoclison Bezerra (saxofone alto) e Harley Bichara (saxofone barítono). Todos os integrantes são professores do Conservatório Carlos Gomes, com formação em Bacharelado em Saxofone pelo Conservatório. O grupo tem ainda Fábio André Farias (saxofone tenor), músico formado pelo Curso Técnico de Saxofone do Conservatório.
                O saxofonista Marcos Cardoso conta que o grupo participa do festival desde 2004, por isso ele pesquisou as músicas apresentadas nas demais edições para selecionar o repertório comemorativo ao jubileu de prata do evento.
Repertório - Entre as músicas escolhidas estão “Brandenburg - Concerto Nº 3”, de Johann Sebastian Bach; um frevo do Mestre Duda, com arranjo de Rafael Bis; a canção “Um Poema de Amor”, de Wilson Fonseca (Maestro Isoca) e “Carinhoso” (de Pixinguinha), que recebeu um arranjo especial do quinteto de saxofonistas. “As duas últimas foram selecionadas em homenagem aos apaixonados do dia”, destaca Marcos Cardoso, se referindo ao Dia dos Namorados, comemorado no próximo dia 12, data da apresentação do grupo.
                Com experiência em eventos internacionais, para Marcos Cardoso o “maior prêmio” que o Quinteto de Saxofones pode receber é ver o resultado do trabalho que os músicos têm realizado na capital e no interior do Estado, por meio de projetos diversos, como os de interiorização e o “A Música na Escola” - parceria da FCG com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), que leva apresentações e cursos para alunos da rede pública de ensino.
“Tocar para as crianças, ensinar, é sempre muito emocionante, principalmente quando, muito tempo depois, a gente descobre que algum aluno que conhecemos com quatro ou cinco anos já está cursando um Bacharelado (em Música)”, relata o professor.
Formação musical - Outro projeto importante, ressalta o saxofonista, é o “Concerto Didático”, que consiste em levar uma vez ao mês alunos de escolas públicas ao Theatro da Paz, onde são realizadas apresentações e palestras sobre formação musical, instrumentos e outros temas afins. O projeto é desenvolvido em parceria entre a FCG, o Theatro da Paz, a Seduc e a Secretaria de Estado de Cultura (Secult).
                Para os músicos do Quinteto de Saxofones da FCG, o Festival Internacional de Música do Pará, além de formar plateia e estimular o gosto musical do público para os mais diversos gêneros, tem ainda o caráter didático, por meio dos cursos e palestras promovidos.
                Nesta terça, às 17h30, na Capela do Espaço São José Liberto, também se apresentarão os clarinetistas do Ébano Quarteto, que contará com a participação especial de Marcos Cohen, professor da  Universidade Federal do Pará (UFPA) e integrante da Orquestra Sinfônica de Brasília.
Serviço: Apresentações do Quinteto de Saxofones da Fundação Carlos Gomes (FCG) nesta terça-feira (12), às 16h, no Coliseu das Artes, e às 17h30 do Ébano Quarteto, na Capela, ambos no Espaço São José Liberto (Praça Amazonas, s/n, Jurunas). A apresentação integra o XXV Festival Internacional de Música do Pará Entrada franca. Realização: Fundação Carlos Gomes e Governo do Pará. Toda a programação do festival está no site www.fcg.pa.gov.br

Texto:
Luciane Fiuza-São José Liberto

Prodepa capacita
integrantes da Cipa
                Os novos membros da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) da Empresa de Processamento de Dados do Pará (Prodepa), biênio 2012/2013, participam, desde a semana passada, do Curso de Formação de Cipeiros, ministrado pelo técnico de Segurança do Trabalho Marcelo Branches. Os participantes foram capacitados para desenvolver ações com noções de segurança e saúde do trabalho. O curso encerra nesta terça-feira (12).
                A comunicação dos acidentes de trabalho, elaboração de planos de prevenção, elaboração de manuais e ações que dão suporte ao conjunto da empresa, foram temas abordados. "Queremos qualificar os profissionais da Cipa, prepará-los para prevenção de riscos e oferecer maior segurança aos empregados e visitantes", disse o técnico.

Projeto Tocantinzinho prevê
lavra e beneficiamento
de ouro em Itaituba
                A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) promove quinta-feira (14), às 10 horas, audiência pública na Câmara Municipal de Itaituba, no sudoeste do Pará, para informar a comunidade sobre o projeto Tocantinzinho, que pretende usar tecnologia industrial para lavra e beneficiamento de ouro e debater o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) apresentado pela empresa Brazauro Recursos Minerais, dona do empreendimento.
                O resultado da audiência vai subsidiar o parecer técnico da Sema para a concessão ou veto da licença prévia solicitada para a obra. Segundo o EIA/ Rima em análise, o projeto Tocantinzinho é uma mina a céu aberto localizada na província mineral do Tapajós, a 200 quilômetros da cidade de Itaituba, que ficará em uma área antes ocupada por garimpeiros artesanais.
                Com reservas estimadas de 60 toneladas de ouro e vida útil em torno de onze anos de operação, o produto final beneficiado será ouro em barras e a empresa diz ter capacidade de produção de 4,9 toneladas ao ano, com 94% de pureza.
                As emissões, os impactos ambientais previstos nas áreas de influência vindos da implantação e operação do empreendimento e os programas e projetos de controle ambiental necessários à contenção dos prováveis impactos negativos aos meios físico, biótico e socioeconômico são informações que permitem aos técnicos da Sema definirem a liberação ou não do licenciamento ambiental.
                O projeto Tocantinzinho prevê, entre outras interferências no meio ambiente, a construção de uma linha de transmissão de energia, para o funcionamento da mina, a partir do município de Novo Progresso. A logística do processo industrial também vai usar barragem de rejeitos, pista de pouso e outras obras necessárias de supressão vegetal, terraplanagem e abertura e construção de estradas para viabilizar a lavra e o beneficiamento do ouro.
                Os empreendedores defendem que o incremento da participação no mercado internacional do ouro vai gerar divisas ao Brasil, além de emprego e renda, substituindo o atual garimpo precário sem controle ambiental por uma extração mineral técnica com cuidados ambientais.

Texto:
Káthia Oliveira-Sema

Percussionista alia
tecnologia
e tradição no
Festival de Música
                A programação artística de segunda-feira (11) do XXV Festival Internacional de Música do Pará começou ao meio-dia, na Sala Ettore Bósio, do Conservatório Carlos Gomes. O percussionista Ricardo Souza fez uma apresentação solo e tocou sete instrumentos distintos, demonstrando a versatilidade e sonoridade da percussão.
                Ricardo, formado pelo Conservatório Carlos Gomes, saiu em 1993 do país para continuar estudando. Concluiu o bacharelado, mestrado e doutorado nos Estados Unidos, mas não esqueceu as raízes musicais. “Já participei do festival como aluno e como profissional em anos anteriores, mas esta edição é especial. O curso de percussão do conservatório está comemorando 25 anos também, e há muito o que comemorar”, disse.
                O repertório apresentado foi criado especialmente para o músico, que há doze anos mora fora do país. Ele veio a Belém especialmente para o festival. Além dos instrumentos tradicionais usados na percussão, como o xilofone e timbale, o artista preparou uma peça inusitada, com um dos mais modernos equipamentos eletrônicos.
“Usei neste recital a última tecnologia em música eletroacústica. O computador entra em diálogo com o músico por meio da captação do som do instrumento, neste caso o timbale, e o transforma de várias maneiras criando ambientes sonoros muito peculiares”, descreveu.
                O programa do percussionista foi criado por um americano na França, no Institut de Recherche et Coordination Acoustique/ Musique (Ircam), o instituto de música e tecnologia criado pelo francês Pierre Boulez. Os instrumentos de percussão eram mais usados na música folclórica e popular e apenas no século XX foram trazidos para a música erudita.
“Estes instrumentos são novos na família dos instrumentos clássicos, e o uso da tecnologia amplia seu alcance sonoro, dando novos sons e permitindo composições bem diferentes”, definiu.


Texto:
Julia Garcia-Secom

Produtos florestais
geram renda e aquecem
a economia em todo o Pará
                Produtos extraídos da floresta estão gerando renda no mercado paraense e conquistando consumidores nacionais e internacionais. É o que mostra o estudo “Cadeias de Comercialização de Produtos Florestais Não Madeireiros (PFNM)”, desenvolvido pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp), com a parceria do Instituto de Desenvolvimento Florestal do Pará (Ideflor).
                O estudo considera análises socioeconômicas das cadeias de comercialização dos PFNM para as Regiões de Integração do Baixo Amazonas, Guamá, Rio Caeté, Xingu e Marajó. “Os diagnósticos dos PFNM descortinam uma economia invisível até então, demonstrando que no seu entorno existe uma grande movimentação de mão de obra e geração de renda, contribuindo para a valorização dos ativos florestais como alternativa sustentável ao desenvolvimento da região”, ressalta Cassiano Ribeiro, diretor de Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural do Idesp.
                Os relatórios permitem identificar possibilidades produtivas locais e regionais, entraves tecnológicos, necessidades de investimentos (de curto e longo prazo), regularização e especialização dos agentes locais e regionais, além de apontar produtos que não constam das estatísticas oficiais ou que são subestimados, e dar recomendações para melhorar a cadeia produtiva e ampliar a geração de renda.
“O diagnóstico permite ainda uma análise regionalizada sobre a importância dos PFNM. Assim, alguns produtos apresentam importância local, como os fitoterápicos, artesanatos e óleos, geralmente tendo como principal canal de escoamento as feiras nos municípios. Outros produtos, como o açaí, adquirem expressão estadual, nacional e até internacional, e exigem canais mais sofisticados de transformação e comercialização”, destaca CassianoRibeiro.
                Os estudos identificaram que, na Região de Integração do Baixo Amazonas, o produto de destaque é a castanha do Brasil, popularmente conhecida como castanha do Pará, gerando uma renda bruta de R$ 71 milhões, sendo que 67% desse valor circularam fora do Estado.
                Na Região do Guamá, o destaque ficou com o açaí, com 85% da renda bruta, de R$ 88 milhões, circulando dentro do Pará. O produto também se sobressaiu nas regiões do Marajó e Rio Caeté, gerando, respectivamente, R$ 690 milhões, com 52% de circulação na região, e R$ 16 milhões,  com 27% circulando fora do Estado. No Xingu, o cacau amêndoa é o principal produto, gerando R$ 1,54 bilhão, com 52% desse montando circulando fora do Pará.
Fortalecimento - Os resultados obtidos subsidiarão o Ideflor em ações que visam o fortalecimento das cadeias desses produtos. “Dentro da estratégia do Ideflor de recuperação de áreas alteradas e reflorestamento pautado em Sistemas Agroflorestais (SAF), o estudo de não madeireiros dá embasamento para que possamos discutir com os comunitários quais serão as espécies com fins comerciais que poderão ser inseridas nas ações”, informa Edson Cruz Barbosa, coordenador da Gerência de Promoção da Economia do Ideflor.
                Segundo Barbosa, o objetivo do estudo é reproduzir a cadeia de comercialização desses produtos, mostrando em que nível (local, regional e nacional) estão os recursos produzidos a partir dos mesmos. “O estudo vai beneficiar toda a população paraense, mas principalmente estudantes, pesquisadores de áreas afins, agricultores e extrativistas, principalmente os povos e comunidades tradicionais e agricultores familiares (PCTAF) do Estado do Pará, que podem vislumbrar agora a força das cadeias de comercialização dos produtos oriundos de suas regiões”, enfatiza.
RESUMO EM NÚMEROS DO ESTUDO REALIZADO
- Região de Integração: Baixo Amazonas
                Número de municípios: 12
                Total de produtos identificados:  63
              Alimentícios: 14
              Fármaco e cosméticos: 31
              Artesanatos e utensílios: 14
              Derivados da madeira: 3
              Derivado animal: 1
                Principal produto: Castanha do Brasil (R$ 71 milhões), 67% de renda bruta gerada e circulada fora do Pará
                Outro destaque: Açaí (R$ 12,7 milhões) e 100% de renda gerada e circulada somente no Baixo Amazonas
                Outros produtos: Cipós, sementes de cumaru, cacau, amêndoa, malva, tucumã fruto e copaíba
                Renda Bruta Total (RBT) gerada e circulada: R$ 99,4 milhões
- Região de Integração: Guamá
                Número de municípios: 18
                Total de produtos identificados:  31
              Alimentícios: 17
              Fármaco e cosméticos: 9
              Artesanatos e utensílios: 2
              Derivados da madeira: 2
              Derivado animal: 1
                Principal produto: Açaí (R$ 88 milhões), 85% de renda bruta gerada e circulada no Pará
                Outro destaque: Cacau (R$ 2 milhões) e 64% de renda gerada e circulada fora do Pará
                Outros produtos: muruci, urucum, mel, malva, taperebá, carvão e pupunha
                Renda Bruta Total (RBT) gerada e circulada: R$ 99,5 milhões
-  Região de Integração: Marajó
                Número de municípios: 16
                Total de produtos identificados:  55
              Alimentícios: 17
              Medicinais, fármaco e cosméticos: 19
              Artesanatos e utensílios: 14
              Derivados da madeira: 4
              Derivado animal: 1
                Principal produto: Açaí (R$ 690 milhões), 52% de renda bruta gerada e circulada no Marajó
                Outro destaque: Palmito (R$ 460 milhões) e 44% de renda gerada e com circulação fora do Pará
                Outros produtos: Castanha do Brasil, bacaba, bacuri, artesanato regional, utensílios e cupuaçu
                Renda Bruta Total (RBT) gerada e circulada: R$ 750 milhões
-  Região de Integração: Rio Caeté
                Número de municípios: 15
                Total de produtos identificados:  34
              Alimentícios: 10
              Medicinais, fármaco e cosméticos: 13
              Artesanatos e utensílios: 8
              Derivados da madeira: 2
              Derivado animal: 1
                Principal produto: Açaí (R$ 16 milhões), 27% de renda bruta gerada e circulada fora do Pará
                Outro destaque: Bacuri (R$ 1,3 milhão) e 95% de renda gerada e circulada somente no Rio Caeté
                Outros produtos: Buriti, mel, malva e carvão
                Renda Bruta Total (RBT) gerada e circulada: R$ 22 milhões
-  Região de Integração: Xingu
                Número de municípios: 10
                Total de produtos identificados:  46
                ·         Alimentícios: 14
                ·         Medicinais, fármaco e cosméticos: 21

                ·         Artesanatos e utensílios: 8
                ·         Derivados da madeira: 2
                ·         Derivado animal: 1
                Principal produto: Cacau amêndoa (R$ 1,54 bilhão), 52% de renda bruta gerada e circulada fora do Pará
                Outro destaque: Cacau fruto (R$ 1,38 milhão) e 98% de renda gerada e circulada somente no Xingu.
                Outros produtos: Castanha do Brasil, urucum, açaí fruto, palmito, taperebá e muruci
                Renda Bruta Total (RBT) gerada e circulada: R$ 1,56 bilhão
Serviço: Os relatórios do estudo estão disponíveis nos sites do Ideflor (www.ideflor.pa.gov.br) e do Idesp (www.idesp.pa.gov.br)

Texto:
Flávia Ribeiro-Ideflor

Titular da Segup participa
de comemoração da
Batalha Naval de Riachuelo
                O secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha, participou da solenidade comemorativa ao 147º aniversário da Batalha Naval de Riachuelo, data magna da Marinha do Brasil. O evento ocorreu na manhã desta segunda-feira (11), nas dependências do Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar (Ciaba), no bairro da Pratinha, em Belém.
                Durante a cerimônia, organizada pelo comando do 4º Distrito Naval, Luiz Fernandes representou o governador Simão Jatene. O comandante do 4º Distrito Naval, vice-almirante Ademir Sobrinho, fez a entrega da Ordem do Mérito Naval, a mais alta comenda da instituição, a diversas personalidades civis e militares.
                O evento teve a presença do comandante da 8ª Região Militar, general de divisão Carlos Roberto Peixoto; e do comandante do I Comando Aéreo Regional (Comar), major brigadeiro do ar, Carlos Eurico Peclat dos Santos, entre outras autoridades estaduais.
                A Batalha Naval do Riachuelo é considerada pelos historiadores como um evento decisivo da Guerra da Tríplice Aliança contra o Paraguai (1864-1870), o maior conflito militar na América do Sul, somente superado em vítimas no Novo Mundo pela Guerra Civil Americana (1861-1865).
                A importância da vitória nesta batalha está ligada ao fato que, até aquela data, o Paraguai assumia a iniciativa na guerra, e a disputa inverteu a situação, garantindo ao Brasil o bloqueio e o uso dos rios, que eram as principais vias do chamado “teatro de operações” da guerra.

Texto:
Lene Alves-SEGUP

Curro Velho oferece oficinas
para mulheres da
região das ilhas
                A partir desta segunda-feira (11), cerca de 15 mulheres do Movimento de Mulheres das Ilhas de Belém participam da oficina de cartonagem e embalagem em papel artesanal promovida pela Fundação Curro Velho. A instrutora, Jeane Moraes, explica que as mulheres de Cotijuba produzem papel artesanal, a partir do tronco da bananeira e da folha priprioca.
“Vou aprender muito com elas. A oficina é sempre uma soma e troca de experiências. As mulheres produzem o papel artesanal, uma matéria-prima, e eu vou ensinar a cartonagem, produção de caixa, pasta de eventos e sacolas”, explica.
                A aluna Adriana Lima comemora a parceria do movimento de mulheres com o Curro Velho. “Há muito tempo queríamos essa oficina aqui em Cotijuba. Temos a matéria-prima, o papel artesanal, e queremos desenvolver a produção, para termos uma maior comercialização. Queremos produzir produtos para eventos, feiras e outros”, afirma.
                A oficina de cartonagem e embalagem em papel artesanal acontece na sede do Movimento de Mulheres das Ilhas de Belém, localizada na ilha de Cotijuba, até sexta-feira (15).

Texto:
Andreza Gomes-FCV

Maestro Leo Brouwer
encerra participação no
Festival Internacional de Música
                O mestre em violão e compositor cubando Leo Brouwer se despediu nesta segunda-feira (11) da programação do XXV Festival Internacional de Música do Pará. Depois de reger a Orquestra de Câmara Solistas de Londrina (PR) e ministrar master class sobre violão, o maestro falou durante duas horas sobre os processos de composição na Sala Multimídia do Conservatório Carlos Gomes.
                Considerado um dos maiores compositores vivos, com uma obra de mais de 300 títulos, Leo Brouwer lotou os espaços onde se apresentou em Belém.  Suas composições são estudadas em conservatórios musicais em todo o mundo.
                A relação do maestro com o Brasil é antiga. Ele contou que há 45 anos conhece a cultura brasileira, a qual considera muito próxima à cultura cubana. “Somos irmãos; temos as mesmas raízes. Mesmo o Brasil sendo um país continental e Cuba uma pequena ilha, temos a mesma mistura de povos, de cultura”, frisou. Sobre a interação com os músicos paraenses, o maestro destacou o interesse destes em conhecer seu trabalho.
                Para Tom Salazar, que participou dos eventos pedagógicos e assistiu ao concerto do violonista, o fascínio pela obra de Leo Brouwer tem muitos motivos. “Eu estudo há anos a obra deste gênio. Ele revolucionou a maneira de tocar violão, a concepção estética do instrumento. É incrível conviver com um grande compositor como ele, ouvir suas experiências, saber um pouco do seu processo criativo”, afirmou Salazar.
                Sérgio Molina, professor de Composição e Arranjo do Conservatório Carlos Gomes, declarou ser um privilégio ter o compositor participando do festival. “Ele é referência para todos nós, que somos músicos. Além de compositor e violonista, ele é um produtor de arte e cultura”, garantiu o professor.
                Sobre a oportunidade criada pela Fundação Carlos Gomes e o Governo do Estado com o festival, o professor disse que, “do ponto de vista pedagógico, trazer Leo Brouwer para Belém é muito importante. Da master class e da palestra participaram alunos do primeiro ao quarto ano do curso de composição do Conservatório, além de regentes e outros estudantes e profissionais de música”.
Complexidade – Em sua palestra, o maestro cubano abordou as motivações para compor no século XXI, afirmando que “a análise morfológica (de forma) da composição não é a mesma que nos séculos XIX e XX, mas integra toda esta história, e isso significa que compor música atualmente é mais complexo ainda”.
Segundo o professor Sérgio Molina, o maestro enfatizou os caminhos da composição. “Para ser criativo, ter uma abordagem particular da concepção artística, é necessário conhecer e até dominar os movimentos anteriores. É imprescindível conhecer o que foi composto antigamente para conseguir um pensamento composicional novo”, acrescentou.
                No final da palestra, os participantes fizeram fila para cumprimentar o maestro e conseguir um autógrafo nas partituras adquiridas.

Texto:
Julia Garcia-Secom

CTBel realiza leilão de
veículos nesta terça-feira,12
A Companhia de Transportes do Município de Belém (CTBel) realiza nesta terça-feira,12, na sede do órgão (Av. Bernardo Sayão, 2072, Jurunas), a partir das 9h,  o seu primeiro leilão tipo maior lance para alienação (transferência de domínio de um indivíduo para terceiros) de 131 veículos automotores em estado de sucata ou recuperáveis que foram retidos, removidos ou apreendidos e que se encontram há mais de 90 dias no Pátio de Retenção e não foram procurados por seus proprietários.
Os veículos a serem leiloados são carros e motos e estão divididos em lotes (com ou sem direito a documentação) que serão vendidos no estado e condições em que se encontram, não cabendo qualquer reclamação posterior à compra quanto às suas qualidades intrínsecas ou extrínsecas, inclusive quanto a sua documentação.
O comprador só terá direito à documentação se adquirir sucatas ou veículos recuperáveis no leilão. Os adquirentes dos veículos reduzidos à condição de sucata estão cientes de que eles não poderão ser reutilizados, inclusive o motor, sendo aproveitáveis tão somente as peças, conforme prevê a Resolução Nº 331 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Já os veículos recuperáveis têm direito à documentação, pois poderão voltar a circular nas ruas, atendidas as exigências legais.
Documentos - As pessoas interessadas em arrematar veículos no leilão devem ser imputáveis, maiores de idade ou emancipados pela forma da lei. Quando pessoa física deve apresentar identidade, CPF e comprovante de residência (água, luz ou telefone). Se pessoa jurídica, procuração pública ou particular, CNPJ com endereço atualizado, RG ou CPF para o procurador da empresa.  

Texto: Ascom CTBel

Uepa em Paragominas
oferece especialização
em Educação Inclusiva
                O campus de Paragominas da Universidade do Estado do Pará (Uepa) oferta 50 vagas para a Especialização em Metodologias de Ensino em Educação Inclusiva. As inscrições devem ser realizadas até o dia 10 de julho. Voltado a professores licenciados plenos, o curso capacita docentes para trabalhar sob o pressuposto da Educação Inclusiva, de forma a ressignificar a qualidade da Educação no Estado. 10% das vagas ofertadas serão concedidas em forma de bolsa de estudo para, em ordem de prioridade, professores e técnico-administrativos efetivos no exercício de suas funções e alunos egressos da Uepa.
                Para se inscrever, o candidato paga uma taxa de R$ 50, e caso aprovado, deve pagar 18 parcelas de R$ 200 referentes ao desenvolvimento do curso. A primeira mensalidade será paga no ato da matrícula, não havendo devolução do valor pago em caso de desistência do aluno. O processo seletivo é composto de duas etapas eliminatórias: uma composta de análise de Curriculum Lattes e seleção de projeto de pesquisa, e outra em que oportunizará que o candidato (aprovado na etapa anterior) seja entrevistado por uma banca avaliadora.
                O curso compreende a carga horária de 405h/a, com funcionamento das aulas no campus de Paragominas da Uepa desenvolvidas em Regime Intervalar, estando o inicio previsto das mesmas previsto para Julho de 2012. Para concluir a pós-graduação, os alunos devem elaborar e defender um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), orientado por professores dessa pós-graduação.
                Confira o cronograma do concurso
- Período de inscrição: 11/06 A 10/07/2012
- 1ª etapa (análise de currículo): 11/07/2012
- Resultado: 12/07/2012
- 2ª etapa (Entrevistas): 13 e 14/07/2012 - Das 8h às 18h
- Resultado final: 16/07/2012 - Às 18h
- Período de matrícula: 16 a 20/07/2012
- Início das aulas: 21/07/2012
                Serviço:
                Uepa - Campus de Paragominas
                Rodovia PA-125, s/nº
Bairro: Algelim
                Fone: (91) 3729-3074 / (91) 3729-4305

Texto:
Carolina Menezes-Uepa

Pará sedia pela primeira
vez a Semana
Estadual do Bebê
O Pará sai na frente na garantia dos direitos das crianças na primeira infância (0 a 6 anos de idade), com a realização da “Semana Estadual do bebê”, que acontece no período de 11 a 15 de junho, simultaneamente em Belém, Marabá, Santarém, Altamira e Soure. A iniciativa já foi realizada em outros estados brasileiros, mas é a primeira vez que acontece em nível estadual. A abertura oficial da programação, aconteceu na manhã desta segunda-feira, 11, na Escola de Governo do Pará, e contou com as presenças da coordenadora do Pro Paz, Izabela Jatene, do deputado federal Zenaldo Coutinho, do coordenador regional do Unicef, Fábio Atanásio e da vice-prefeita de Canela (RS), Lesli Oliveira.
                Promovida pelo Governo do Pará, por meio do programa Pro Paz, em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância e Adolescência (Unicef), a semana permitirá a profissionais de saúde, nutrição, direitos humanos, educação e assistência social trocar informações e repassar orientações às futuras mães, para garantir às crianças um ambiente de paz e segurança desde antes do nascimento e durante toda a primeira infância. As oficinas e palestras ocorrerão ao longo desta semana na Escola de Governo, localizada na avenida Almirante Barroso, em Belém.
“Durante a semana serão realizadas várias ações voltadas para a questão da primeira infância, como o reforço do pré-natal, a importância de um parto seguro, do aleitamento materno e do Registro de Nascimento. É um momento importante para que os municípios envolvidos possam promover ações de capacitação que fortaleçam as redes de apoio à primeira infância”, enfatizou a coordenadora do Pro Paz, Izabela Jatene.
                A Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), também está presente na ação, com a implantação de unidades interligadas aos hospitais e maternidades, oferecendo os serviços de cartório, para que os bebês já saiam dos hospitais com a certidão de nascimento. “É com muito orgulho que podemos dizer que o Pará está sendo o pioneiro neste grande projeto. Um dos objetivos é reduzir o índice de subregistro e também o número de mortes de mães durante o parto e de crianças de 0 a 6 anos. Temos certeza, ao adotar essa programação, o Pará já serve como exemplo para outros estados brasileiros”, enfatizou o coordenador do Unicef no estado, Fábio Atanásio.
                A programação também inclui emissão de Registro Civil de Nascimento, orientações de saúde bucal e imunização para crianças na faixa de 0 a 6 anos, nos bairros do Benguí, Sacramenta, Terra Firme, Jurunas e no distrito de Icoaraci. O Pro Paz levará às escolas palestras de prevenção à violência e abuso sexual. Atividades artísticas e culturais, promovidas pelo Instituto de Artes do Pará (IAP) também irão ocorrer em escolas, praças e nas comunidades. A Semana Estadual do Bebê encerra no próximo sábado, 16, com uma caminhada pela paz e não violência, às 16h, com concentração na escadinha do cais do porto rumo à Praça da República.
                Inicio – A Semana do Bebê iniciou no ano 2000, no município de Canela (RS). Desde então, anualmente são promovidos debates acerca de diversas temáticas, tais como: os direitos de mulheres trabalhadoras a amamentarem e os direitos tanto da gestante quanto do bebê. “Desde que implantamos a semana no município, as questões voltadas para a primeira infância passaram a ser tratadas como prioridade”, ressaltou a vice-prefeita, Lesli Oliveira.

Texto:
Bruna Campos-Secom

Cerimônia abre série de
oficinas da Primeira
emana Estadual do Bebê
                Na manhã desta segunda-feira, 11, o Governo do Pará e o Fundo das Nações Unidas para a Infância e Adolescência (Unicef) deram início à série de palestras e oficinas que integram a Primeira Semana Estadual do Bebê. A cerimônia, que reforçou a parceria existente entre as instituições proponentes do evento, contou com a presença do coordenador do Unicef no Pará, Fábio Atanásio, do deputado federal Zenaldo Coutinho, da vice-prefeita do município gaúcho de Canela, Leslie de Oliveira, e da integrante do comitê gestor do Programa de Governo Pro Paz, Izabela Jatene.
                Com o tema “A primeira infância em primeiro lugar”, o evento pretende estabelecer um ambiente de paz e segurança a crianças na faixa de zero a seis anos. As ações abertas à comunidade em geral e capacitações com profissionais das áreas de saúde, assistência social, direitos humanos e educação, dentre outras, iniciaram nesta manhã. Até a próxima sexta-feira, 15, a Escola de Governo (EGPA), em Belém, vai sediar diversas palestras e oficinas.
                 Por se tratar de um evento integrado, a programação da Semana do Bebê também acontece de forma simultânea nos municípios de Altamira, Marabá, Santarém e Soure. “É um evento desafiador, ousado, porque envolve cinco polos. Para um estado com dimensões continentais como esse, é um esforço imenso. E isso mostra o quanto o governo priorizou esta ação”, explica coordenador do Unicef no Pará, Fábio Atanásio.
                Segundo a vice-prefeita do município de Canela (RS), Leslie de Oliveira, 379 municípios brasileiros já realizaram pelo menos uma edição da Semana do Bebê. “É muito bom ver realidades tão diferentes trabalhando as mesmas questões (relativas à primeira infância) de forma séria, compromissada. Parabéns ao Pará pela iniciativa, pois a população inteira é quem ganha”, ressalta. “A paixão pelo tema e sensibilidade pela vida motivaram a realização desta Semana”, define o deputado federal, Zenaldo Coutinho.
                Durante a cerimônia, a representante do primeiro município brasileiro a realizar o evento entregou à Izabela Jatene o troféu da Semana do Bebê. A imagem homenageia pessoas que atuam, de forma efetiva, na promoção dos direitos da primeira infância em todo o país. “Parabenizo a todos os ‘amigos do bebê’. É uma grata satisfação estar aqui, pois são 13 anos de execução do projeto em Canela, mas ainda aprendemos com as experiências nos municípios de outros estados”, explica Lesli. Durante discurso de agradecimento, Izabela afirmou que “as reuniões semanais e a união de forças foram importantíssimas para a concretização deste projeto, que requer qualidade nas ações. Apostamos que tudo dará certo e que faremos a diferença”.
Programação para esta segunda-feira (11/06):
                8h às 17h - Serviços de Orientação sobre Saúde Bucal; Imunização de 0 a 6 anos; e Mutirão Registro Civil. As atividades são realizadas na Escola Estadual de Ensino Fundamental Avertano Rocha, na Tv. Itaboraí – Distrito de Icoaraci.
                8h às 12h e das 14h às 18h – oficina “Multicampiartes”, voltadas para profissionais de Arte e Educação e também ao público infantil.
                9h à 11h - Roda de Conversa com Gestores Municipais: Sistema de Garantia de Direitos; e Mostra Pará Audiovisual Infantil.
                9h às 12h e das 14h às 18h - Capacitação para profissionais da área da saúde; oficina sobre o Guia dos Direitos da Gestante e do Bebê; oficina de Sensibilização do Programa Saúde na Escola/GGMs (Grupo Gestor Municipal); palestra sobre a Campanha “Por uma Infância sem Racismo”; oficina de Recuperação de Resíduos de Matérias-primas Industrializadas e discussão para implantação de COM-VIDAS.
                16h00 às 17h30 - Mostra Pará Audiovisual Infanto-Juvenil
Locais:
                Altamira: Escola Dom Clemente, na Rua Antônio Vieira - bairro Brasília;
                 Belém: Escola de Governo (EGPA) - Avenida Almirante Barroso, 4314.
                Marabá: Escola Municipal de Ensino Fundamental Raimundo José de Sousa, na Rua 26 de Junho, s/n – Bairro Liberdade;
                Santarém: Escola Onézima Pereira de Barros, na Av. Mendonça Furtado, 3103 – Bairro da Aldeia;
                Soure: Escola Gasparino Batista da Silva e Escola Edda de Sousa Gonçalves;
  
Texto:
Ellyson Ramos-Sejudh

Revisão do PCCS da Uepa
entra em discussão
                Servidores efetivos de vários setores da Reitoria participaram na última quarta-feira, dia 6, do primeiro encontro para discutir a proposta apresentada em abril referente à revisão do atual Plano de Carreiras, Cargos e Salários - PCCS da Universidade do Estado do Pará (Uepa). O pró-reitor de Gestão e Planejamento (Progesp), Manoel Maximiano Jr., comandou o debate, realizado no auditório do prédio da Reitoria, no bairro do Telégrafo. Dentre os assuntos tratados, os servidores citaram itens como extensão da validade do auxílio-creche em relação ao número de filhos dos funcionários, possibilidade de inclusão de critérios da concessão do Tempo Integral de Dedicação Exclusiva (Tide) no PCCS, dentre outras temáticas.
                Maximiano destacou que a intenção desse encontro e dos próximos, que devem se repetir em outros campi da universidade em datas ainda não definidas, é aperfeiçoar a proposta apresentada com ajuda das sugestões e opiniões do corpo técnico, administrativo e operacional. A comissão responsável pela revisão do atual PCCS da Uepa entregou uma proposta ao Conselho Universitário (Consun) de revisão do Plano após oito meses de trabalho. Cópias do documento foram entregues a todos os conselheiros e em seguida o texto foi disponibilizado no site da Universidade para consulta.

Fapespa continua seleção de
bolsistas para
monitoria do Navegapará
                A Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa) selecionou mais 10 bolsistas para a monitoria do Navegapará. O Edital objetiva ampliar o atendimento das demandas para implantação de Infocentros do Programa no Estado do Pará. Ao mesmo tempo, a Fapespa inicia o processo de seleção para mais bolsistas. Os interessados deverão inscrever-se até 31 de outubro de 2012 pelo site da Fapespa (www.fapespa.pa.gov.br). Os candidatos devem ter concluído o ensino médio, ter conhecimento em informática básica, disponibilidade de 20 horas semanais, entre outros requisitos especificados no edital. São 52 vagas que serão distribuídas para os municípios de Barcarena, Belém, Bragança, Capanema, Igarapé-Miri, Jacundá, Marabá e Santo Antônio do Tauá. Os candidatos selecionados receberão bolsas no valor de R$ 350,00, com duração de 12 meses.

Municípios Verdes é
destaque na França
                O secretário extraordinário para a Coordenação do Programa Municípios Verdes, Justiniano Netto, esteve na França participando do “The Carrefour International du Bois” na cidade de Nantes, evento realizado na semana passada. Na oportunidade, ele apresentou aos franceses as iniciativas do Programa Municípios Verdes, do Governo do Pará, que vêm alcançando resultados significativos na diminuição do desmatamento a partir da aplicação de uma lógica sustentável na produção agrícola e pecuária do Estado.
                Segundo o secretário, a apresentação do PMV foi um sucesso e atraiu a atenção de vários importadores europeus. “A palestra foi muito prestigiada. Diversos importadores da Europa manifestaram interesse nos produtos paraenses e elogiaram o ordenamento ambiental que o Estado do Pará está promovendo. Ao mesmo tempo, manifestaram preocupação em razão de estarmos a menos de um ano para entrada em vigor das normas de controle de legalidade europeias (sistema FLEGT) e pelo fato do governo brasileiro ainda não ter definido junto à União Europeia qual o mecanismo que garantirá o cumprimento dessas normas pelo Brasil. Por isso, nos próximos meses o Governo do Pará, por meio do Ideflor (Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará), vai se mobilizar junto ao Itamaraty e ao Serviço Florestal Brasileiro para obter uma solução para a questão, a fim de evitar qualquer restrição aos produtos paraenses nos países da Europa. Ao mesmo tempo, vamos fortalecer o sistema de monitoramento e fiscalização estadual para assegurar ainda mais a legalidade da madeira paraense”, relata Justiniano.
                A visita também serviu para fechar novas parcerias e colaborações internacionais. “Fiz uma visita à Escola Superior de Floresta de Nantes, a maior da França. Conhecemos a estrutura e os estudantes brasileiros que estão fazendo curso na instituição. Os diretores da escola acenaram com a possibilidade de assinar um Acordo de Cooperação com o Programa Municípios Verdes e com a Universidade do Estado do Pará para que nossos estudantes de tecnologia da madeira possam se especializar aqui em Nantes. Em contrapartida, vários empresários paraenses, inclusive dois concessionários de florestas, acenaram com a possibilidade de receber os estudantes franceses em estágio” explica o secretário.

Texto:
Diego Andrade-SECMP

“A viagem dos Palhaços”
atraiu grande
público ao Mangal



                Centenas de crianças e adultos prestigiaram o projeto Teatrinho do Mangal que apresentou no último domingo, 10, o espetáculo “A viagem dos Palhaços” no entorno do Museu da Navegação, no Parque Mangal das Garças, em Belém. O espetáculo encenado pelos atores Artur Neves, Rubinaldo Júnior e Joécio Lima fez uma viagem contando histórias de cada lugar por onde os palhaços passaram, intercalando com brincadeiras e participação do público infantil.
                O som do violão durante a apresentação deu o tom certo para cada contação feita pelo trio. “O retorno do público que prestigiou interagindo com cada apresentação é muito legal. Tivemos o palhaço perna de pau, as cachorrinhas Milu e Miluta, o circo das pulgas saltitantes e ainda o palhaço cospe fogo, que animaram muito as crianças e os papais”, destacou o palhaço Jojoca, vivido pelo ator Joécio Lima.
“Achei ótimo a programação, trouxe minha filha para passear e adorei o que encontrei”, destacou Bráulio Lopes.  A analista de sistema Gislene Freitas, acompanhada da família, aprovou a programação do teatrinho. “Achei maravilhosa a apresentação, muito engraçada mesmo, as crianças interagem, só queria que fosse mais longo o espetáculo”, comentou. A apresentação “A viagem dos palhaços”, que durou cerca de 40 minutos, levou muita música e entretenimento às crianças que estiveram no Mangal. De acordo com a Organização Social Pará 2000, o projeto “Teatrinho do Mangal” continuará em julho com outras apresentações voltadas para a temática de educação ambiental. Acompanhe a programação pelo site: www.mangalpa.com.br

Texto:
Isa Arnour -Pará 2000

Aniversariodo Bancrévea 121
Final de Semana Junino Participe!
22/06 (sexta)- Arraiá da Saudade
- HAROLDO REIS
- MARCELO WALL
Show a partir das 22hrs
Mesas R$ 80,00
23/06 (Sábado) -   Forró daJK
- TROPO DO FORRÓ
- FORRÓ BOM DE FARRA
e OUTROS
Ingresso R$ 15,00
24/06(Domingo) - Banho de Cheiro
- Banho de cheiro
- Quadrilhas
- Pau de cebo
- Quebra pote
- Pescaria
- Corrida de saco

Cancelada a Feira do
Pescado do mês de Junho
                A diretora de pesca da Secretaria de Pesca e Aquicultura do Pará (Sepaq), Jossandra Pinheiro, confirmou nesta segunda-feira, 11, que a Feira do Pescado, já tradicional em Belém e sempre aguardada com expectativa pelo consumidor, foi cancelada. Ela afirmou que problemas técnicos levaram a Sepaq a não realizar o evento neste mês, mas que o programa deverá retornar no mês de julho, provavelmente em um dos balneários do Pará, o que está sendo negociado com os parceiros da secretaria, que são as indústrias e os locais de realização. Assim que houver confirmação oficial da diretoria de pesca, o consumidor será avisado.

Chamada para
masterclass
do XXV Fimupa
                O XXV Festival Internacional de Música do Pará informa que reabriram as inscrições para a masterclass de canto com a soprano romeno-americana Mariana Mihai. São 15 vagas para ouvintes e cinco vagas para executantes (com a peça devidamente decorada). O curso vai acontecer nos dias 13 e 14 de junho, das 14h30 às 17h, na Sala Ettore Bósio do Conservatório Carlos Gomes. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas na própria Secretaria do CCG.

Orgãos lembrarão o Dia
Mundial de Combate
ao Trabalho Infantil
                Com a finalidade de chamar a atenção da sociedade para o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, neste 12 de junho, a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) concederá uma entrevista coletiva nesta terça-feira, às 9 horas, no auditório do prédio-sede, localizado em Nazaré, centro de Belém, para abordar que ações estão sendo desenvolvidas no Estado para o enfrentamento desse problema. No mesmo dia, às 15 horas, haverá Audiência Pública sobre o assunto na Câmara Municipal.
                Representantes de vários órgãos do Estado envolvidos no combate e erradicação do trabalho infantil participarão da entrevista, entre eles a coordenadora do Centro de Referência Estadual em Saúde do Trabalhador (Cerest), Jarina Gomes, e profissionais da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região (PRT/8) e da Fundação Papa João XXIII (Funpapa), entre outros.
                Vinculado à coordenação estadual de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), o Cerest atua, há sete anos, na Coordenação Colegiada do “Fórum e da Comissão Paraense de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Adolescente” com ações intra e intersetoriais destinadas a consolidar a “Política Nacional de Saúde para a Erradicação do Trabalho Infantil” no Pará através de articulações, capacitações e sensibilização de gestores e profissionais do SUS e da rede socioassistencial para ações conjuntas visando à identificação, acolhimento e notificação de agravos com crianças e adolescentes em situação de trabalho.
                Durante a entrevista, Jarina abordará o estabelecimento do Termo de Cooperação Técnica entre a Sespa e a Procuradoria Regional do Trabalho (PRT8º/MPT), celebrado em 2011, que visa proteger, preservar e recuperar a integridade física e mental da saúde de crianças e adolescentes em situação de trabalho, que constitui um instrumento para o enfrentamento dessa violação de direitos.
                Além disso, a equipe do Cerest Estadual está realizando o mapeamento da população precocemente exposta a riscos relativos nos processos produtivos, através dos projetos “Perfil Municipal” e “Diagnóstico em Saúde do Trabalhador no Estado do Pará”, cujas pesquisas reúnem dados sobre crianças e adolescentes em situação funcional e o acesso às informações referentes ao trabalho infantil.
                Ainda segundo Jarina Gomes, em função do Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, os Cerest’s Regionais também vêm promovendo ações de enfrentamento ao problema, sobretudo voltadas aos municípios de abrangência dessas unidades. O Cerest Regional Araguaia, com sede em Conceição do Araguaia, participará de uma ação conjunta com o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), Conselho Tutelar e Coordenação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), a ser realizada no dia 12 de junho.
                Já o Cerest Regional Baixo Amazonas, com sede em Santarém, realizará na sexta-feira, 15, a segunda reunião ampliada para discussão das Diretrizes para Atenção integral de Crianças e Adolescentes Economicamente Ativos, em Santarém. No mesmo dia, o Cerest Regional de Marabá promoverá o Seminário de Erradicação do Trabalho Infantil em Goianésia. Já o Cerest Metropolitano, com sede em Belém, programou o Seminário de Enfrentamento do Trabalho Infantil.
                De forma paralela, o Cerest Estadual vem participando, através de um servidor do corpo técnico, pela terceira vez consecutiva, da Tutoria do curso de ensino à distância "Atenção Integral à Saúde de Crianças e Adolescentes Economicamente Ativos", promovido pelo Ministério da Saúde e pelo Núcleo de Estudo de Saúde do Adolescente, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Nesa/Uerj), voltado a profissionais de Saúde, da Rede Socioassistencial e do Controle Social. 
                Serviço: Ações do Estado para a erradicação do trabalho infantil. Entrevista coletiva no dia 12, quarta-feira, às 9 horas, no auditório da Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), 2º andar - Avenida Governador José Malcher, 1018, entre travessas Joaquim Nabuco e Almirante Wandenkolk. Informações pelos fones (91) 3219-6304 e 8215-8555.

Texto:
Mozart Lira-Sespa

Expansão do Navegapará
é prioridade para
o governo do Estado

                A continuidade e expansão do Programa Navegapará é umas das prioridades do planejamento estratégico da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti). A informação foi repassada, pelo secretário Alex Fiúza de Mello, em reunião realizada na última quarta-feira, 6, com a presença de diversos gestores de infocentros da Região Metropolitana de Belém. Recentemente, o governo já havia anunciado investimentos de R$ 21 milhões, ainda em 2012, para expandir a rede de fibra óptica para as regiões sul e sudeste do estado, garantindo que os municípios das duas regiões possam ter acesso à internet de qualidade por meio de infovias. A rede também vai chegar à região nordeste, por meio do Programa Navegapará, em até dois anos.
                O governo também começa a resolver os problemas dos espaços públicos destinados à inclusão digital, ampliando a oferta de serviços à comunidade. Representantes de associações comunitárias, organizações não governamentais e de outros segmentos sociais apresentaram os problemas relacionados ao Navegapará em suas comunidades. O secretário lembrou que os infocentros, por estarem localizados em áreas de extrema vulnerabilidade social, têm uma enorme importância para a população mais carente, por isso, precisam ser totalmente regularizados.
                No encontro foi anunciado, ainda, que a rede de banda larga será ampliada em todo o Estado, para suprir as inúmeras demandas por internet gratuita e de qualidade. A expansão da rede de transmissão atenderá, por exemplo, moradores da Ilha de Outeiro. Dos oito infocentros instalados na ilha entre 2009 e 2010, seis não possuem o link de internet por inviabilidade técnica. “Ficamos felizes por saber que o secretário está sensível a nossa situação. Desde que nosso infocentro foi criado, em 2010, não temos acesso à internet e esperamos que essa situação preocupante se resolva, já que há dois anos nossa comunidade espera ansiosa pelo funcionamento do espaço”, informou Laurene Athayde, coordenadora do Infocentro Colibri, de Outeiro.
                Outro problema que será solucionado é a falta de monitores em alguns infocentros. O titular da Secti lembrou que há dois editais abertos destinados à seleção de monitores para o Navegapará, a fim de suprir todas as demandas, por meio do convênio com a Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa) e o Banco do Estado do Pará (Banpará). Os representantes terão novo encontro na secretaria ainda em breve buscando debater novas diretrizes, com base em um relatório elaborado pelos próprios gestores sobre suas realidades. “Cada infocentro tem as suas peculiaridades. A partir desse levantamento, seremos capazes de avaliar cada situação e pensarmos soluções conjuntas para cada tipo de problema apresentado”, explica Mônica Braga, coordenadora do Navegapará/Infocentros.

Texto:
Ana Carolina Pimenta-Secti

Agricultores atingidos pela
cheia do Tapajós e Amazonas
receberão crédito emergencial
                A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) está reunindo as lideranças das comunidades Aritapera, Ituqui, Tapará e Urucutiruba, localizadas nas áreas de várzea no município de Santarém, oeste do estado, atingidas pela cheia dos rios Tapajós e Amazonas para a realização de um calendário de estratégias, atendimento e acompanhamento para a aplicação do crédito emergencial, através do Programa Nacional de Apoio a Agricultura Familiar (Pronaf), nas linhas A, B, AF e MA, destinado a produção e recuperação de bens atingidos.
                Os créditos vão beneficiar as famílias que tiveram perda total das produções de milho, feijão e hortifrutigranjeiros, devido à cheia. Segundo dados da Emater, pelo menos 1.450 toneladas de alimentos foram perdidas. Só de melancia, as quatro comunidades responsáveis pela maior produção do fruto na região perderam mil toneladas. Dados do Ministério da Defesa dão conta de que o inverno registrado esse ano foi igual ao ocorrido em 2009, que tinha sido o maior dos últimos 50 anos, quando o nível dos rios aumentou quatro metros acima do normal. Ao todo 2.200 famílias serão beneficiadas com os créditos contratados através do Banco da Amazônia, com data limite até 30 de dezembro.
                Segundo o técnico da Emater, Dorivan do Vale, os agricultores familiares interessados em contratar o crédito devem procurar as lideranças de suas comunidades, para participarem das reuniões e agendarem a visita dos técnicos, ou procurar o Escritório Local da Emater em Santarém, situado à avenida Rui Barbosa n° 2124, bairro da Aldeia, para maiores informações. As reuniões começam nesta segunda-feira (11) e seguem até sexta-feira (15), pela comunidade Aritapera, em seguida os técnicos estarão na  comunidade Uricurituba dos dias 19 a 21; na comunidade Tapará, de 26 a 28 e por último no Ituqui de 3 a 6 de julho.


Texto:
Iolanda Lopes-Emater
Ver-O-Peso pode ganhar
mercado flutuante de peixe
Peixeiros pedem ajuda de Priante para viabilizar o projeto
Trabalhadores do Ver-O-Peso apresentaram este mês ao deputado federal José Priante (PMDB-PA) projeto para a construção de um mercado flutuante, que teria a função de absorver e modernizar a comercialização de pescado na popular “Pedra do Peixe”, que há década funciona ao lado do tradicional mercado.
O mercado flutuante seria construído sobre plataforma ou balsa, e ficaria ancorado na baía do Guajará, em local próximo ao Ver-O-Peso. Teria espaço para receber pequenas embarcações, áreas para armazenagem e distribuição de peixe, além de barracas para venda do pescado.
Segundo os trabalhadores, essa é a melhor alternativa para evitar que a comercialização de peixe no Ver-O-Peso seja desativada após a inauguração do Terminal Pesqueiro Público de Belém, prevista para dezembro.
Ao conhecer o projeto básico do mercado flutuante, Priante assumiu o compromisso de viabilizar o empreendimento junto ao Governo Federal. Para isso, solicitou ao Serviço Brasileiro de Apoio à Pequena e Micro Empresa (Sebrae-Pará) que desenvolva os projetos técnico e de gestão do empreendimento.
O superintendente do Sebrae-Pará, Wilson Shuber, que participou da reunião, concordou em desenvolver o projeto em  parceria com os sindicatos que representam peixeiros, feirantes e trabalhadores do Ver-O-Peso.
Na elaboração do projeto também serão consultados o Ministério Público Federal e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para que o empreendimento seja feito de acordo com a legislação e dentro das normas de proteção de prédios públicos tombados, que é o caso do Ver-O-Peso.
Os projetos de engenharia e arquitetura do “Mercado de Peixe Flutuante” começam a ser elaborados este mês, conforme acertado na reunião com Priante.
Peixe e açaí comandam cadeia econômica
Peixe e açaí são os principais produtos que movem toda a cadeia econômica do Ver-O-Peso, a maior feira ao ar livre da América Latina. As atividades ali são dividas em três pontos de comercialização: o Ver-O-Peso, a Pedra do Peixe e a Feira do Açaí.
Segundo Fernando Souza, presidente do Sindicato dos Peixeiros de Belém, na Pedra do Peixe por dia são comercializadas 100 toneladas de peixes, o que gera 2 mil empregos diretos, distribuídos entre dez tipos diferentes de atividades, que vão do carregador ao vendedor.
Na Feira do Açaí diariamente são vendidas 15 toneladas da fruta in natura, gerando 4 mil empregos diretos, segundo Neuza Reis, representantes dos vendedores de frutas. Já o Ver-O-Peso chega a empregar 10 mil trabalhadores.
“Sem a venda do peixe e do açaí, o movimento do Ver-O-Peso vai diminuir sensivelmente, eliminando os empregos e prejudicando toda a cadeia econômica”, alerta Neuza Reis, temendo os efeitos do Terminal Pesqueiro.
Organizando a indústria da pesca
O Terminal Pesqueiro de Belém vem sendo construído há quatro anos na Rodovia Arthur Bernardes pelo Ministério da Pesca. A obra está orçada em R$ 46 milhões e deve ser concluída em dezembro. O terminal vai disciplinar a pesca industrial no Pará, pois será o principal ponto de recepção, venda e distribuição de todo o pescado paraense.
“É uma obra vital para a economia do Pará, que por ser a maior zona pesqueira do Brasil, precisa organizar e modernizar a sua indústria pesqueira”, defende Priante. “Mas para que a indústria artesanal da pesca não seja seriamente prejudicada, é preciso preservar o papel histórico, econômico e social do Ver-O-Peso, permitindo que ali a venda do peixe seja mantida”.
O projeto dos trabalhadores do Ver-O-Peso, segundo Priante, cria um espaço mais adequado para a comercialização do peixe, sem prejuízo à tradição. “O consumidor continuará comprando peixe no Ver-O-Peso, só que num local mais apropriado, em instalações mais adequadas e com novos serviços”, esclarece o deputado.
Priante adiantou que fará em Brasília aos primeiros contatos para viabilizar política e financeiramente o projeto que já considera o futuro Mercado Flutuante de Peixe do Ver-O-Peso.

Sesma realiza ação
educativa no Dia
dos Namorados
No Dia dos Namorados, comemorado em 12 de junho, técnicos da área da saúde estarão promovendo uma ação de orientação e conscientização para os casais quanto a práticas sexuais seguras, em quatro pontos diferentes da cidade.
Com o tema “Quem ama e se ama, faz amor com segurança e usa camisinha”, a campanha educativa pretende sensibilizar o maior número de pessoas na Casa Dia, Casa da Mulher e Casa do Idoso, vinculados à Prefeitura de Belém e na feira do Ver-o-Peso, alertando sobre a importância da prevenção a doenças sexualmente transmissíveis, hepatites virais e outras doenças.
A campanha será feita por meio da entrega de material educativo e preservativos, testes rápidos para as DST’s e vacinas para hepatite B.

Secretaria Municipal de Saúde (Sesma)

Imetropará analisa produtos
coletados na Operação Junina
                Nesta terça-feira, 12, o Instituto de Metrologia do Pará (Imetropará) vai examinar os produtos coletados durante a Operação Junina. Os exames, que começam a partir das 8h, vão determinar se há alguma irregularidade em produtos como canjica, milho para mingau e leite, entre outros. A ação será acompanhada pelo presidente do Imetropará, Luiziel Guedes.

Esquema de tráfico de drogas
desarticulado em
Icoaraci é investigado
                A equipe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), unidade vinculada à Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), vai aprofundar as investigações sobre a procedência de cerca de quatro quilos de cocaína apreendidos, na noite de sexta-feira, 8, no distrito de Icoaraci, em Belém. A droga estava em poder de Débora Susy Moura Moreira, 20 anos, e Claudismithi Pastique da Silva e Silva, 24, que foram autuados por tráfico de entorpecentes. O flagrante foi efetuado pelos policiais civis durante investigações sobre um ponto de distribuição de drogas no distrito. Em depoimento, os presos alegaram que a cocaína veio de Goiânia, capital de Goiás.
                De acordo com o delegado Hennison Jacob, titular da DRE, no momento da abordagem, a mulher havia acabado de sair de uma casa e já estava na garupa da moto pilotada por Claudismithi. Os dois pretendiam fazer a entrega de drogas em pontos no distrito de Icoaraci. Nesse momento, os dois foram revistados pelos policiais civis que encontraram, dentro de uma sacola plástica carregada por Débora, cerca de dois quilos da droga.
                Em seguida, os policiais revistaram a casa, onde mais dois quilos do entorpecente foram apreendidos. Toda a droga estava lacrada. Ainda, em depoimento, a presa alegou que teria recebido ordens, via telefone, do interior de uma casa penal do Pará, para fazer a entrega da droga. Após a autuação, Débora Susy foi transferida da DRCO para o Centro de Reeducação Feminino (CRF), em Ananindeua, na Grande Belém. Já o preso já está à disposição do Sistema Penitenciário do Pará.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

Imetropará analisa produtos
coletados na Operação Páscoa
                Nesta terça-feira, 12, o Instituto de Metrologia do Pará (Imetropará) vai examinar os produtos coletados durante a Operação Páscoa. Os exames, que começam a partir das 8h, vão determinar se há alguma irregularidade em produtos como canjica, milho para mingau e leite, entre outros. A ação será acompanhada pelo presidente do Imetropará, Luiziel Guedes.

Começa em Marabá a
Semana Estadual do Bebê
                A abertura oficial da Semana Estadual do Bebê foi marcada com shows religiosos e música popular paraense, na voz de Simone Almeida, na noite do  último domingo, 10, na Praça da Liberdade, em Marabá. O evento, que acontece simultaneamente em Belém, Marabá, Ananindeua, Altamira e Soure, tem como foco principal os cuidados com a primeira infância e é destinado a pais e familiares de crianças de 0 a 6 anos; profissionais da saúde, arte e educação, assistência e direitos humanos; gestores municipais e comunidade em geral. Durante os cinco dias da programação acontecerá um mutirão para emissão de primeira e segunda vias do Registro Civil, vacinação, orientações sobre saúde bucal, cursos e oficinas para orientação de pais e profissionais da saúde sobre a primeira infância. A semana conta, ainda, com a campanha “Por uma Infância sem Racismo”, exibição de filmes da Mostra Pará Audiovisual Infanto-Juvenil, atrações culturais e folclóricas, e uma caminhada pela paz e não violência.
                Para a adolescente Edileuza Alves de Souza, grávida de oito meses, a Semana do Bebê é uma oportunidade de aprendizado para as mães de primeira viagem, como ela. “Esse é o meu primeiro filho e não tenho nenhuma experiência de como cuidar dele, tudo o que sei aprendi conversando com as pessoas mais velhas. Tenho certeza que essas palestras vão ajudar bastante nos cuidados que terei com meu filho e vai garantir uma infância melhor pra ele”, concluiu.
                A Semana do Bebê é uma realização do Governo do Estado do Pará, por intemédio do Pro Paz e em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância e Adolescência (Unicef). O evento é realizado no Estado pela primeira vez e será utilizado como estratégia do governo paraense para mobilizar a sociedade em prol da primeira infância, acelerando os impactos positivos sobre a qualidade de vida das crianças, seguindo o exemplo dos resultados obtidos há mais de 10 anos em Canelas, cidade da Serra Gaúcha, onde o evento é realizado anualmente e de onde foi difundido para 25 municípios do Rio Grande do Sul, além de cidades em Portugal, Argentina e Uruguai.
                Em Marabá, a ação acontece na Escola Municipal de Ensino Fundamental Raimundo José de Souza, localizada no bairro Liberdade, que possui cerca de 70 mil habitantes e é um dos mais carentes da cidade. A presidente da Associação dos Moradores do Bairro Liberdade, Maria do Livramento, festejou a realização da Semana Estadual do Bebê na comunidade onde vive. “A demanda é muito grande e ampla. Ficamos felizes em receber esse projeto do Pro Paz, porque só através da garantia de direitos é que podemos pensar em uma cultura de paz”.
A Prefeitura de Marabá garantiu parceria no evento através da Secretaria de Cultura do Município. O titular do órgão, Melquiades Justiniano, explicou que pela primeira vez a Secretaria adiou a abertura da quadra junina, que coincidia com o encerramento da Semana Estadual do Bebê, por reconhecer a importância deste evento para a cidade. “Nós queríamos garantir a nossa participação na programação para dar a nossa contribuição a esse projeto de interesse coletivo. O Estado, através de ações como essa, promove a reflexão e interage com a comunidade na promoção do acesso à cidadania através da cultura, educação e assistência a saúde, minimizando a vulnerabilidade social”, afirmou.
                A expectativa da organização para o evento em Marabá é atender cinco mil pessoas durante toda a semana, promovendo a mobilização da sociedade em torno da proteção à gestante e às crianças, pois é na primeira infância que o ser humano desenvolve suas capacidades cognitivas, motoras, socioafetivas e de linguagem. O investimento nesse período incentiva o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social das crianças. “A prevenção e o cuidado na primeira infância é a garantia que teremos um jovem mais saudável e consciente no futuro. O Governo do Estado está sensível a isso e conta com a participação efetiva de todo o povo marabaense na Semana Estadual do Bebê”, disse Márcia Roberta Martinez, gerente de projetos do Pro Paz.

Texto:
Dani Filgueiras-Secom

Paratur na Expocatólica
                Três agências de turismo (Travel In, Vitória Régia Turismo e Lecytur) já confirmaram participação junto com a Paratur e Setur na Expocatólica. Este ano a Paratur, além do estande temátivo e material de divulgação do turismo religioso leva ao evento, que acontece de 5 a 8 de julho, no Expocenter Norte, em São Paulo (SP), o organicista e pianista Paulo José Campos de Melo, para uma homenagem à Nossa Senhora de Nazaré, no dia 7, sábado. O estande do Pará no evento inaugura nacionalmente a nova marca do tursmo paraense, inspirada no açaí e em grafismos marajoaras, tapajônicos e araguaia.

Coletiva de lançamento da
Campanha de Erradicação
do Trabalho Infantil
                Para marcar o Dia Internacional de Combate ao Trabalho Infantil, o Fórum Paraense de Erradicação do Trabalho Infantil realizará no dia 12 de junho, coletiva de imprensa de lançamento da campanha de 2012, cujo tema é “Vamos acabar com o Trabalho Infantil – Em defesa dos direitos humanos e da justiça social”. Na oportunidade serão mostrados os resultados de 2011 e as ações realizadas pelo Fórum para erradicação do trabalho infantil.
                O Fórum paraense foi criado em outubro de 1997 e objetiva sensibilizar e mobilizar a sociedade paraense pela defesa, proteção e garantia aos direitos da criança e adolescente, com ênfase na erradicação do trabalho infantil. O Fórum é composto por 41 entidades governamentais e não governamental e uma Coordenação Colegiada, representada por nove Entidades. Participarão da coletiva representantes do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente - CEDCA/PA; Centro de Referência Estadual em Saúde do Trabalhador, Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa); Secretaria de Estado de Assistência e Social (Seas); Ministério Público do Estado, Ministério Público do Trabalho, Superintendência Regional do Trabalho e Emprego; Universidade da Amazônia (Unama); Universidade Federal do Pará (UFPA). O Fórum conta ainda com o apoio institucional do DIEESE/PA, que participará da coletiva com a sistematização e análise do Censo e PNAD, relativos ao Trabalho Infantil. Neste contexto, o Fórum Paraense, através das entidades que vêm atuando no enfrentamento da problemática, realizará as seguintes ações:
                Coletiva com a Imprensa
                Objetivo: Lançamento da Campanha Estadual
                Dia: 12 de Junho de 2012
                Horário: 10 horas
                Local: Auditório da Seas

                Audiência Pública
                Dia: 12 de junho de 2012
                Horário: 15h
                Local: Câmara Municipal de Belém

Público lota apresentações do
Festival Internacional
de Música do Pará
                As apresentações da noite deste domingo (10) fecharam a primeira semana do XXV Festival Internacional de Música do Pará (Fimupa) com casa cheia. Às 18h no Theatro da Paz, a Orquestra Jovem da Fundação Carlos Gomes abriu a noite, dando passagem para a Amazônia Jazz Band e o sexteto Pife Muderno, convidado da última apresentação, que fecharam mais um dia de repertório eclético e diversificado.
                Joel Costa, diretor artístico do Fimupa está satisfeito com o andamento do evento. “É um festival muito difícil de organizar, mas muito prazeroso. Temos recebido muita atenção do público, que tem prestigiado todas as apresentações. Estamos no meio do Festival e a procura enorme pelas apresentações é uma mostra da importância do evento, que é um resgate dos grandes eventos culturais na cidade”. Os destaques desta semana, segundo o diretor, são a apresentação do Quarteto Sterhazy, grupo estadunidense que se apresenta nesta segunda-feira (11). No dia seguinte vale a pena ficar de olho no conjunto holandês Valerius Ensemble, na quarta-feira (13) os paraibanos do Sexteto Brassil e na quinta-feira e sexta-feira a grande Orquestra Sinfônica do Festival é a maior atração.
                Na programação deste domingo, o maestro Rodrigo Santana, regente da Orquestra Jovem da Fundação Carlos Gomes, montou um programa inédito para o começo da noite e destaca o comprometimento dos alunos do conservatório como o diferencial. “Nós ensaiamos muito para este concerto. Na última semana nos reunimos todos os dias para treinar o repertório. Este festival representa o auge para todos nós. É quando podemos mostrar para o mundo nosso trabalho”.
A vertente educacional do evento é um dos traços mais importantes do Festival na opinião do regente. “O intercâmbio artístico é enriquecedor e colabora muito com a formação dos estudantes de música. Artistas nacionais e internacionais convidados para o Festival participam desta ação pedagógica que amplia os conhecimentos destes adolescentes. A Fundação Carlos Gomes (FCG) e o Governo do Estado estão de parabéns”, comemora Rodrigo Santana.
                Adriana Azulay, pianista e solista do concerto, é formada pela Fundação Carlos Gomes e relembrou os anos em que participou do Festival Internacional ainda como aluna do Conservatório. “Há 15 anos eu participei pela primeira vez do Fimupa. É muito importante esta experiência para a formação de um jovem músico. Ainda me lembro da minha primeira vez no Theatro da Paz (TP), ainda sinto o mesmo frio na barriga”.
A Amazônia Jazz Band fechou a programação deste domingo emocionando a plateia, que lotou o TP e vibrou com cada acorde dos instrumentos. A fila para entrar dobrava a esquina e chegava aos fundos do teatro, uma amostra da popularidade do grupo e da importância do Festival. Os amigos Felipe Araújo, Marco Filho, Juliana e Jamile do Carmo estavam ansiosos para entrar no TP e não se incomodaram em aguardar na fila. “Vale muito esperar para entrar. É a terceira edição do Festival que prestigio, foi através deste evento que eu descobri o que a música representa pra mim”, diz Marco Filho, estudante de música.
                Os 20 músicos da Amazônia Jazz Band, acompanhados pelo maestro Nelson Neves, apresentaram um repertório eclético e inédito, característica do grupo, que sempre programa novidades para seus espetáculos. “A cada concerto realizamos um programa diferente, é como um presente para o público que acompanha nosso trabalho e que é sempre tão caloroso conosco”, comenta o maestro.
                Nelson Neves retorna aos palcos do TP depois de 12 anos afastado de Belém. Ele não poderia esperar melhor recepção, o público vibrou com a apresentação do grupo, aplaudindo com empolgação toda a apresentação. “É uma emoção enorme estar de volta. Já havia estado aqui como pianista, mas é a minha primeira vez como regente e a primeira vez desde que retornei dos Estados Unidos”.
Pife Muderno
                Os convidados da noite foram os músicos do sexteto Pife Muderno, liderado pelo flautista e compositor carioca Carlos Malta. Eles tocaram com a Amazônia Jazz Band no segundo ato da apresentação e a mistura de ritmos encantou a plateia do TP. A interação entre os músicos surpreendeu pelas diferenças rítmicas e de instrumentos. “Criamos um diálogo instigante entre os grupos, que são muito distintos, nós com instrumentos rústicos, como as flautas a zabumba e eles com instrumentos mais modernos, como a guitarra e a bateria”, avalia Carlos Malta.
                As dificuldades em tocar juntos foram vencidas, segundo Carlos Malta, pela qualidade dos músicos paraenses. “Tivemos a oportunidade de ensaiar juntos por três dias e o resultado desta integração ficou muito empolgante. A cultura musical e a qualidade técnica dos integrantes da Amazônia Jazz Band contribui demais para este resultado”, afirma Carlos Malta.
                A música apresentada em conjunto foi composta pelo flautista carioca. O compositor explica que ela é dedicada aos elementos da natureza (fogo, terra, água e ar). As músicas foram criadas calcadas na força dos ritmos brasileiros. O diálogo entre a banda de pífanos e a big band apresentaram um panorama da música brasileira. “Este festival é de nível internacional, não é a toa que chegou a 25ª edição. Não há evento parecido com este no Rio de Janeiro, eu como carioca invejo os paraenses”.
O evento final do domingo aconteceu no CamarIN Cultural, às 23h. O Robenare Jazz Trio, liderado pelo pianista Robenare Marues - integrante da Amazônia Jazz Band - saiu correndo do TP para chegar a tempo da sua segunda apresentação da noite. “Estou muito feliz com o concerto do TP, foi muito gratificante, o público foi maravilhoso e dividr o palco com o Pife Muderno foi empolgante”. O último show do dia apresentou um repertório diversificado, que apresentou desde releituras de peças eruditas até standars do jazz e música latina, tudo com tempero bem brasileiro.

Texto:
Julia Garcia-Secom

Índios Kayapó fazem parceria
com Sema em projeto de
conservação da biodiversidade
                O Projeto Conservação da Biodiversidade de Terras Indígenas do Pará, executado pela Gerência de Gestão Ambiental de Territórios Indígenas e Quilombolas, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), consolidoumais uma importante parceria, desta vez com os indígenas da etnia Kayapó, durante Assembleia Geral do Instituto Kabu (organização indígena que reúne três terras dos Kayapó), na cidade de Novo Progresso.
                As lideranças indígenas assinaram o Termo de Consentimento que formaliza o interesse dos Kayapó na realização do Etnomapeamento, atividade que formará 40 pesquisadores indígenas nas áreas de cartografia, etnografia, dentre outras, o que tornará possível a realização do maior mapeamento étnico em territórios indígenas do mundo. Esse trabalho conjunto permite a ampliação da área de atuação do projeto, que já tem como parceiros os indígenas de diversas etnias da região da Calha Norte do Estado e também dos Tembé, na Terra Indígena Alto Rio Guamá, nordeste paraense.
                Na ocasião, as equipes técnicas da Gerência de Gestão Ambiental de Territórios Indígenas e da Conservação Internacional do Brasil, por meio de convênio técnico financeiro, estiveram reunidas com diversas lideranças indígenas Kayapó para atividades de consentimento prévio da ação de Etnomapeamento das Terras Indígenas Kayapó, Badjonkôre, Baú, Las Casas e Menkragnotire, no sul do Pará.
                De acordo com a pesquisadora da Sema, Claudia Kahwage, os indígenas foram informados sobre a necessidade atual de implantar estratégias conjuntas entre povos indígenas, governos e sociedade civil organizada para conservação da biodiversidade das áreas protegidas do Estado, tendo em vista as pressões e graves ameaças que têm se configurado na região do sul do Pará.

Texto:
Káthia Oliveira-Sema

Vacinação contra a poliomielite
começa neste sábado
em todo o Estado
                Está confirmada para o período de 16 de junho a 6 de julho, em todos os municípios paraenses, a realização da Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite, destinada a vacinar mais de 700 mil crianças menores de 5 anos de idade. A ação é do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), que continua respondendo aos compromissos internacionais assumidos pelo Ministério da Saúde (MS) com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) e Organização Mundial de Saúde (OMS), para que o Brasil consolide a erradicação do poliovírus.
                A Divisão de Imunizações da Sespa informa que a meta é vacinar, em etapa única, 773.517 crianças menores de cinco anos (4 anos, 11 meses e 29 dias), que receberão dose oral independente de tê-la recebido anteriormente. As únicas contra-indicações à vacina são febre maior que 38 graus, vômito e diarréia. Ao todo, 1 milhão de doses estão sendo disponibilizadas às secretarias municipais de saúde.
                A campanha deve mobilizar cerca de quatro mil profissionais em postos instalados em todos os municípios paraenses. Como o primeiro dia de vacinação é considerado o Dia D, as vacinas estarão disponíveis nos chamados postos volantes, localizados somente nessas ocasiões em shoppings, supermercados, centros comunitários, templos, igrejas e praças. Nos demais dias, de segunda a sexta-feira, estarão disponíveis em Unidades Básicas de Saúde e nos postos de atendimento do programa Saúde da Família. A recomendação do Ministério da Saúde é que, só no dia 16, pelos 45% da meta seja alcançada.
Gripe
                Dados do Vacinômetro, sistema do Ministério da Saúde, indicam que até esta segunda-feira (11) a melhor adesão no Pará à Campanha de Vacinação Contra a Gripe, realizada entre 5 de maio e primeiro de junho, está empatada entre as crianças e idosos, com o percentual de cobertura de 82%. Em números, isso significa que 177.733 crianças, entre seis meses e menores de dois anos, já foram protegidas contra a gripe, de um total de 213.975 mil.
                Em paralelo, 443.119 pessoas com mais de 60 anos já receberam a vacina, o que corresponde à taxa de 82% do total de 535.135 mil. Entre os trabalhadores da saúde, 76.109 também já se vacinaram contra a gripe e a cobertura neste público é de 78% do total de 96.609 profissionais. As gestantes respondem pelo percentual de cobertura de 72%, o que representa 77.646 futuras mães vacinadas, de um total de 106.987 mulheres. A população indígena alcançou até agora 66% de cobertura, ou seja, 18.910 índios foram vacinados perante o total de 28.463 mil.
                A Sespa informa que a velocidade dessa informação está relacionada com a estrutura da rede de informática disponível principalmente nos municípios do interior do Estado, visto que o sistema vai sendo alimentado ao longo da campanha de acordo com as condições operacionais de cada Secretaria Municipal de Saúde.  Em poucos dias, o Pará terá oficialmente alcançado a meta preconizada pela Campanha Contra a Gripe, que é de 80%.
                Em 2011, o Pará alcançou o percentual de 85, 23% da população a ser vacinada, ou seja, de um universo de 992.977 pessoas, 846.356 foram imunizadas. A seguir, classificamos cada grupo prioritário, a quantidade e o percentual imunizado: crianças (189.368 imunizadas; 85,23%) / Trabalhadores da Saúde (84.648 imunizados; 87, 62%) / Gestantes (91.721 imunizadas; apenas 63, 95%) / Indígenas (20.080 imunizados; 72,17%) e Idosos (460.539 imunizados; 92,43%).

Texto:
Mozart Lira-Sespa

Rede Estadual promove
V Jogos Paralímpicos Escolares
                Com o tema “Esporte e acessibilidade para todos”, a quinta edição dos Jogos Paralímpicos Escolares reúne em Belém, de 13 a 16 de junho, cerca de 300 estudantes com deficiência física, visual, ou intelectual da Rede Pública Estadual de Ensino. O evento também será uma seletiva que definirá as equipes que representarão o Pará na etapa nacional dos Jogos Paralímpicos Escolares, em São Paulo, de 15 a 20 de outubro.
                A abertura do evento esportivo será às 17h, no Núcleo de Esporte e Lazer (NEL) - da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) -, localizado no bairro do Umarizal, com a apresentação das delegações participantes e desfile da tocha olímpica, entre outras atrações. Participam dos jogos atletas em idade escolar dos municípios de Abaetetuba, Barcarena, Belém, Castanhal, Igarapé-Miri, Marabá, Moju, Parauapebas, Portel, Tucuruí, e Ulianópolis.
                Os estudantes atletas paralímpicos disputarão vagas para a etapa nacional nas modalidades Goalball, voleibol sentado, futebol e futsal, atletismo, natação, judô, tênis de mesa e bocha. Entre os alunos-atletas estará Jéssica Alves, da Escola Estadual Augusto Meira, revelada pela equipe paraense de Goalball, que integrou a seleção brasileira na modalidade, em Guadalajara, no México, onde disputou o Para Panamericano, em novembro do ano passado.

Mosqueiro registra três
prisões no final de
semana prolongado



                As prisões de um foragido de Justiça e duas prisões em flagrante por tráfico de drogas e tentativa de homicídio movimentaram a Seccional Urbana de Mosqueiro, em Belém, durante o final de semana prolongado motivado pelo feriado de Corpus Christi. Drogas foram apreendidas após investigações realizadas pela equipe da Polícia Civil, que contou com reforços para atender a demanda de ocorrências. Tanto em Mosqueiro, quanto nos outros dois balneários mais procurados do Estado – Salinópolis e Outeiro – não houve registros de homicídios no período. As informações foram divulgadas nesta segunda-feira, 11. Na noite da sexta-feira, dois homens foram apresentados ao delegado Benedito Magno Costa, diretor da Seccional Urbana de Mosqueiro. Um deles, Gledson Magno Silva, de apelido “Guel”, estava na condição de foragido da Justiça por roubos em Mosqueiro.
                Com mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça, ele foi preso em Colares, nordeste do Pará, num trabalho em conjunto das Polícias Civil e Militar, desse município. “Guel” é acusado dos crimes de roubos e tentativa de homicídio. Diversas vítimas estiveram em Mosqueiro para fazer o reconhecimento do preso. Ele foi transferido para Mosqueiro, onde está preso à disposição da Justiça. O outro acusado é Dheyson de Souza Ribeiro, que foi flagrado com 39 “petecas” de cocaína, do tipo “nóia”, em uma casa, na rua principal do bairro Aeroporto, pela equipe formada pelos investigadores Alves (chefe-de-operações) e Abreu, da Seccional de Mosqueiro, e Aquino e Guilherme Melo, de reforço no distrito, sob coordenação do delegado Magno Costa.
                Conforme o delegado, as prisões são resultado de um trabalho em conjunto com a comunidade de Mosqueiro, que tem denunciado o paradeiro de criminosos e práticas ilegais no distrito. Na noite de domingo, outro flagrante foi registrado em Mosqueiro. Desta vez, um cabo bombeiro reformado, de nome Adailton Corrêa de Oliveira, foi autuado por tentativa de homicídio pelo delegado Odon Muniz. Oliveira se envolveu em uma briga de bar em que acabou por esfaquear Joaquim Pereira da Conceição. A vítima permanece internada.
Salinópolis
                Um procedimento de flagrante foi registrado no município de Salinópolis durante o final de semana prolongado. O condutor de um ônibus de piquenique vindo de Castanhal, com cerca de 50 pessoas a bordo, foi preso em flagrante por conduzir o veículo em estado de embriaguez. Policiais militares da Polícia Rodoviária Estadual fizeram a apresentação do motorista na Delegacia da Polícia Civil local, ao delegado Raphael Cecim, por volta de 19 horas de domingo. A detenção do motorista ocorreu no momento em que o ônibus retornava da praia do Atalaia, em Salinópolis, para Castanhal. A cidade litorânea também contou com a presença de uma equipe do serviço Disque-Silêncio, sob coordenação da delegada Flávia Leal, da Divisão de Investigações e Operações Especiais. Os agentes fiscalizaram e combateram a incidência de poluição sonora nas praias. Não houve qualquer registro de anormalidades pelo serviço policial.
                Na avaliação do delegado Rui Porto, o final de semana prolongado foi tranquilo no distrito. Apenas dois procedimentos de Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) foram lavrados por crimes de lesão corporal leve e outro por ameaça. “Não registramos homicídios. Tivemos policiamento nas ruas, com motopatrulhamento, e guardas vidas nas praias, além do reforço policial na Delegacia vindo de Belém”, comentou Porto.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

Prefeitura de Belém entrega
Praça Alacid Nunes
totalmente revitalizada
A população pediu e a Prefeitura Municipal de Belém, através da Secretaria Municipal de Meio ambiente (Semma) atendeu. O que era um canteiro sem utilização, agora é uma praça totalmente revitalizada, com direito a brinquedos para as crianças, duas áreas de convivência para os adultos e paisagismo.
A comunidade do bairro do Guamá receberá a Praça Alacid Nunes, totalmente revitalizada, nesta terça-feira, 12, a partir das 8h30, contando com a presença do Prefeito de Belém, Duciomar Costa e da titular da Semma, Camilla Miranda.
 A praça que fica localizada na Rua dos Mundurucus, entre as Travessas Guerra Passos e Barão de Mamoré, próximo ao Hospital Barros Barreto, tem uma área de aproximadamente 480 metros quadrados, recebeu serviços de paisagismo, calçamento, iluminação, entre outros. A Semma teve a preocupação de criar acesso próprio para portadores de deficiência (rampas), além de instalar bancos, lixeiras e brinquedos no local. Os espaços de convivência são locais onde os moradores poderão aproveitar para conversar e interagir.
No paisagismo foram utilizadas quase mil mudas de espécies de arbórias e arbustos, entre elas estão açaizeiros, pata de vaca, liriope, entre outros, além de mais de 300 metros de grama.
Para fazer com que a população se sinta responsável pelo local, a Semma também levou os arte-educadores para interagir com as crianças, que puderam fazer a pintura do muro da praça.
 Na inauguração a Semma também estará presente com os arte-educadores, que irão interagir com os moradores, levando o Cine Semma, com a apresentação de filmes de lendas da Amazônia, jogos educativos, atividades de pintura, oficina de fantoches. Na ocasião também serão distribuídas mudas de plantas para a população.

 Ana Paula Azevedo- Ascom Semma

Concurso público para
a Fundação Carlos Gomes
registra mais de 800 faltas
                Os candidatos que participaram da primeira etapa do Concurso Público C-166, promovido pela Secretaria de Estado de Administração (Sead), para provimento de cargos efetivos de nível superior, nível médio e nível fundamental da Fundação Carlos Gomes (FCG), tiveram uma manhã de domingo (10) tranquila. De acordo com a Diretoria de Acesso e Avaliação da Universidade do Estado do Pará (DAA/Uepa), responsável pela execução do processo seletivo, não houve contratempos. Apenas o número de faltosos, 889 dos 4.825 inscritos, foi considerado alto.
                Os exames foram aplicados em quatro dos cinco campi da Uepa, em Belém, e em quatro escolas públicas, das 8 às 12h. Até o próximo dia 18 os aprovados nessa fase serão convocados para a Prova de Títulos.
                Teresa Ferro, uma das candidatas, realizou o exame no Centro de Ciências Naturais e Tecnologia (CCNT), no bairro do Marco. Ela, que tenta uma das duas vagas para o cargo de psicólogo, saiu confiante. "Gostei da prova. O nível estava bom, não vi muita dificuldade. Acho que posso ter um bom resultado", declarou.
                Herberth Pereira fez a prova na Escola Estadual Pedro Amazonas Pedroso, também no bairro do Marco, para o cargo de assistente administrativo. "Estou começando a fazer concursos só agora e gostei da de hoje. Foi tudo bem tranquilo", afirmou, ao deixar o local de prova.
                O processo seletivo se refere a 61 vagas para os cargos de Técnico em Administração em Finanças e Técnico em Gestão de Informática (nível superior); Assistente Administrativo e Assistente de Informática (nível médio), e Auxiliar Operacional e Motorista (nível fundamental). Do total de vagas destinadas a cada cargo, até 20% ficarão reservadas a candidatos com deficiência.
                Foram aplicadas provas objetivas, de caráter eliminatório, para todos os cargos. Na segunda etapa, serão aplicadas provas de títulos de caráter classificatório para os cargos de nível superior. O concurso público terá validade de dois anos, a contar da publicação da homologação no Diário Oficial do Estado (DOE) do Pará, podendo ser prorrogado uma única vez, por igual período, a critério da Sead.

Texto:
Ize Sena-Uepa

Orquestra de Choro do
Pará empolga o
público na Estação das Docas
                Um público de todas as idades conferiu, no fim da tarde de sábado (09), a apresentação da Orquestra Choro do Pará, da Fundação Curro Velho, que tocou clássicos do chorinho no anfiteatro São Pedro Nolasco, na Estação das Docas. Aos 73 anos, Lourdes Moraes era uma das mais animadas na plateia. “Adoro chorinho. Meu marido era músico e tocava saxofone”, disse ela, empolgada com o repertório.
                A psicóloga Glenda Cunha destacou a iniciativa de levar uma orquestra de choro para um espaço público. “Como diria Milton Nascimento, a música vai aonde o povo está. Esse espetáculo é maravilhoso, uma música que nos renova”, declarou.
                Graça Silva, professora universitária, estava acompanhada da neta Tainá, de 2 anos, ouvindo chorinhos paraenses. “Minha neta já faz musicalização. Eu acho fantástica essa apresentação, porque a educação musical tem que ser acessível a toda a população. O governo está de parabéns, proporcionando eventos como este em lugares públicos”, afirmou.
                O repertório que os 42 instrumentistas da Orquestra Choro do Pará apresentaram no Festival Internacional de Música do Pará incluiu composições de Jacob do Bandolim, Pixinguinha, Paulo Moura, e Adamor Ribeiro (o Adamor do Bandolim), entre as quais “Naquele Tempo”, “Pedacinho do Céu”, “Carinhoso” e “Noites Cariocas”.
Para um dos coordenadores do Projeto Choro do Pará e gerente de Música da Fundação Curro Velho, Paulo Moura, participar do festival foi uma grande vitrine para o choro paraense. “É uma alegria imensa ver o choro do Pará, pela primeira vez, ter a oportunidade de mostrar esse trabalho no Festival Internacional de Música. Esperamos participar todos os anos”, declarou.

Texto:
Andreza Gomes-FCV



Não tenho nada com isso, apenas compartilhei dos amigos do Facebook
mas fazendo o comentário, lembro que RexPa é
 sempre um RexPa independente
de valer ou não pontos. O técnico do Remo antes
do jogo em entrevista a TV Liberal já jogava o chapéu
e depois do jogo, não foi diferente. O certo é que esse
time queo Remo possui se permanecer no Brasileiro
vai os remistas de cabelos brancos ou carecas, pois tá difícil.
Também não se iludam do time do Paysandu, que apesar de
vencer o RexPa não diz nada na realidade, pois quando é valendo
os bicolores também ficam com o coração na mão. Querem uma
idéia na vera? O Papão se conseguisse remontar aquele time
qie jogou na Libertadores poderia ceder esse time que possui atualmente
no seu plantel, para os remistas, aí sim, o futebol paraense poderia
pensar em boa participação no Brasileiro.


Cleide Moraes

comemora

‘niver’ ao lado da

comunidade e fãs
Cleide Moraes ao centro com o vizinho Carlos e
Camila Mesquita, filha do jornalista Jorge Mesquita

uciana, Cleide Moraes, Venina e Carlos, moradores da
Passagem Mariana, hoje totalmente asfaltada

A festa continou no Botequim com as presenças de muitos amigos
de Cleide como o Nelson (Direita) com a esposa e amigos

Cleide Moraes com a filha, na hora dos parabéns no Botequim

Cleide Moraes agradece a manifestação de carinho que já é comum
dando um abraço em si mesmo

Parte da platéia cantando que se postou na frente do palco
cantando parabéns para sua artista predileta

O apresentador de TV Ari Santos também deixou seu recado à Cleide


Cleide com o maridão com familiares e artistas da terra em 'clic' especial
Uma mesa de doce ofertada pelas fãs e servido a todos os presentes no Botequin

Cleide servindo o bolo aos fãs no palco


O amigo Nelson e esposa com Cleide Moraes ao centro
O domingo, dia 10 de junho foi um dos mais exuberantes para a Rainha da Seresta, Cleide Moraes, por comemorar mais um ano de vida e ao lado de sua comunidade e fãs de sua arte de cantar. O CORREIO JURUNENSE, através do seu diretor Jorge Mesquita, presenciou e registrou esses dois momentos durante o dia e noite de sua amiga.

Pela manhã acompanhado de sua filha Camila Mesquita, o jornalista Jorge Mesquita foi á residência da cantora Cleide Moraes, na Passagem Mariana, no Jurunas. Lá constatou a harmonia que existe da comunidade local para com a sua artista e excelente vizinha. Cleide ao lado de amigos daquela área residencial estavam deslumbrados com a grande conquista conseguida no ano passado, com o saneamento e asfaltamento daquela artéria, que por vários anos era um tormento para os moradores, principalmente chovia: tudo ia para o fundo e os prejuízos contabilizados durante os anos, são exorbitantes.

Como seu conhecimento, Cleide Moraes aproveitou a presença do atual prefeito de Belém, Duciomar Costa em campanha para o seu segundo mandato, e solicitou o asfaltamento da mesma. Quando menos se esperava, lá chegou o asfaltamento do local. Hoje a comunidade vive em paz e feliz.

Os parabéns: Aproveitando a oportunidade o jornalista Jorge Mesquita agrupou alguns moradores que estava no momento fora de suas residências e ali fizeram uma foto, primeiro para agradecer e mostrar a alegria por estar agora sim, morando bem, e segundo, por parabenizar a sua artista Cleide Moraes pelo seu aniversário.

Os parabéns no Botequim: Como acontecem todos os domingos a partir das 17h, Cleide Moraes e amigos artistas da terra dão um show especial a seus clubes de fãs e seguidores. A casa de show ‘O Botequim’ na Avenida Gentil Bittencourt com uma presença excelente de público cantou os parabéns para sua artista, com direito a bolo e elogios mil. A festa foi genial, e diante tudo isso, renovamos nossos parabéns a essa guerreira, Cleide Moraes.


Som de tubas, fagotes e da
Orquestra Jovem marcam
o nono dia do Fimupa




                Música popular brasileira, música folclórica paraense e sonatas barrocas do século XVI formaram o repertório do Grupo de Tubas da Amazônia e do Belle Art Quartet, que se apresentaram, respectivamente, no Coliseu das Artes e na Capela do Espaço São José Liberto, na tarde de sábado (09), dentro da programação do XXV Festival Internacional de Música do Pará (Fimupa).
                O Grupo de Tubas da Amazônia deu início às apresentações às 16h, com um repertório de clássicos da MPB e música paraense, principalmente o carimbó. Às 17h30, para o público que lotou a Capela, o Belle Art Quartet fez sua estreia mundial.
                O som das tubas ecoou no Coliseu das Artes, acompanhado por uma bateria.  A cantora Camila Honda cantou duas músicas da Bossa Nova, acrescentando o suingue brasileiro à densidade dos instrumentos.
                Alessandro Dias, coordenador do grupo, informou que a escolha do repertório é o diferencial de um grupo com a formação do “Tubas”, e que a realização deste trabalho está bastante ligada ao Festival Internacional. “O Fimupa contribuiu muito para o desenvolvimento artístico, musical e social no Estado. O festival envolve várias ramificações da música, com apresentações que misturam grupos de jazz, música erudita, carimbó, música folclórica e de outros países. Isso é muito importante para o cenário nacional e internacional”, reiterou.
Todas as edições - O Belle Art Quartet mostrou na Capela do São José Liberto sonatas que datam do século XVI. As composições barrocas italianas, francesas e alemãs foram apresentadas com instrumentos como cravo, fagote e flauta doce. “Estamos fazendo hoje a estreia mundial do grupo. Ensaiamos há dois meses para o Festival Internacional”, disse Luís Balieiro, diretor do grupo e professor da Fundação Carlos Gomes (FCG) desde 1986.
                Ele acredita ser o único músico que participou de todas as 25 edições do Festival Internacional de Música, que começou como um Festival de Música de Câmara e foi crescendo, até chegar a uma programação intensa, que reúne músicas de vários países e ritmos distintos.
                Sobre o aspecto educativo do festival, Balieiro afirmou que a qualidade técnica dos estudantes e profissionais paraenses melhorou muito graças ao intercâmbio realizado nos dias do evento. “O acesso à informação e a competência de profissionais renomados são fundamentais para a qualidade dos artistas paraenses. Nesta edição do festival, a FCG conseguiu ampliar ainda mais este serviço, propondo que os músicos realizem master class, workshops e palestras, enriquecendo a formação musical dos participantes”, informou.
Orquestra Jovem - Estudantes da Fundação Amazônica de Música (FAM) abriram as apresentações do nono dia do festival no Theatro da Paz. Os 65 integrantes da Orquestra Jovem Vale Música, regida pelo maestro Miguel Campos Neto, apresentaram um concerto com obras de Christian Bach, Carl Weber e Piotr Tchaikovsky. Participaram como solistas o violoncelista Lucas Amaro e o clarinetista João Marcos Mattos, estudantes da FAM e integrantes da orquestra.
                A FAM desenvolve um projeto de descoberta e aprimoramento de talentos na Região Metropolitana de Belém. A fundação, que forma músicos para orquestras e bandas, pela primeira vez participa do Festival Internacional de Música do Pará.
                O maestro Miguel Campos destacou a oportunidade oferecida pelo Fimupa aos jovens da orquestra. "É a primeira vez que somos convidados para o festival, que é uma vitrine do que está acontecendo em Belém no momento. Mostra que a FCG está preocupada em apresentar os músicos de Belém como um todo, e não apenas os formados pelo conservatório", afirmou o regente.


Texto:
Julia Garcia-Secom

Banda Sinfônica do Pará,
formada durante o festival,
estreia no Theatro da Paz

                Formada há uma semana com 67 músicos, todos integrantes de 22 bandas de todo o Estado, a Banda Sinfônica do Pará estreou na manhã deste domingo (10), no palco do Theatro da Paz, dentro da programação do XXV Festival Internacional de Música do Pará. A experiência foi uma proposta do festival, que reuniu e apresentou aos instrumentistas a música clássica.
                A apresentação contou com a regência de cinco maestros, entre os quais Marcelo Jardim, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e Mônica Giardini, de São Paulo, convidados também para ministrar a oficina de formação da banda.
 “Foi um desenvolvimento muito forte o desses músicos. A proposta é que eles levem novos conceitos para as suas bandas. É muito interessante esta experiência musical, que reúne gente de todos os cantos do Pará. Com certeza vai contribuir ainda mais para a riqueza cultural do Estado”, afirmou Marcelo Jardim.
                A maestrina Mônica Giardini disse que está “encantada” com a produção musical paraense e que ficou satisfeita com o resultado da banda sinfônica. “É a primeira vez que estou no festival e fiquei bastante interessada na produção musical do Estado. Já existe um trabalho muito bom de interiorização, e esta formação da sinfônica reforça tudo isso”, ressaltou.
                Na apresentação, a banda tocou ritmos que surpreenderam o público no centenário teatro. No repertório escolhido pelos regentes e pelos próprios músicos estavam obras de compositores europeus, brasileiros e de outros países da América Latina.
Chorinho – A programação do festival começou na manhã deste domingo com a apresentação do grupo de choro Clave da Lua, no Museu Paraense Emílio Goeldi. Com cinco integrantes, todos ex-alunos do Conservatório Carlos Gomes, o Clave da Lua mostrou aos frequentadores do museu clássicos da música brasileira e da música paraense, como “Tico tico no fubá” e “Espinha de Bacalhau”, além de composições do maestro Waldemar Henrique e do violonista Nego Nelson, ambos paraenses.
                Esta foi a quarta vez que o grupo se apresentou no festival. Para Danny Lúcio, fundador do grupo, “é sempre um prazer mostrar para o público o trabalho musical feito no Estado”. Os visitantes do Museu Goeldi - uma das instituições científicas mais respeitadas do planeta - aprovaram a mostra de chorinho. “É muito gostoso ouvir esses clássicos da nossa música brasileira e do Pará. A gente acaba apresentando para as crianças essa cultura”, disse Arnaldo Gouveia, que assistiu com os filhos a atração.
Serviço: O XXV Festival Internacional de Música do Pará, que prossegue até 15 de junho, com atrações em vários espaços de Belém, é promovido pela Fundação Carlos Gomes e pelo Governo do Estado.


Texto:
Thiago Melo-Secom

Clássica Trio e Reginaldo
Viana fazem a festa da
música na noite de sábado



                O Festival Internacional de Música do Pará apresentou uma intensa programação cultural na noite de sábado (09), em Belém. O público pode conferir o talento de músicos paraenses e de outros Estados. Além da música clássica, o Festival abriu espaço para artistas locais. Os espetáculos ocorreram em diferentes espaços da capital desde o início da noite, reunindo adultos e jovens apreciadores de música.
                A programação começou com o grupo Clássica Trio, na sala Ettore Bósio, no Conservatório Carlos Gomes. Formado pela pianista paraense Ana Maria Adade e pelos músicos paraibanos José Medeiros e Heleno Feitosa, que tocam, respectivamente, oboé e fagote, o Clássica Trio encantou o público, formado em sua maioria por estudantes. Compositores famosos do século XIX, como o francês Ernest Mahle, estavam no repertório.
                O ponto alto da noite foi a apresentação da Orquestra de Câmara de Solistas de Londrina, do Paraná, no palco do Theatro da Paz. Com 13 músicos da sua formação original, e mais convidados de outros Estados, vindos especialmente para o festival, o grupo mostrou um repertório de clássicos da música mundial, além de composições do próprio maestro Leo Brauwer, que regeu a orquestra. Entre as composições do maestro estava uma suíte de seis canções, tocada por quatro violonistas.
                O diretor artístico da orquestra, Evgureni Ratchev, que já tocou outras vezes no Festival Internacional de Música do Pará, disse que é sempre um prazer se apresentar no evento, principalmente no Theatro da Paz. “São músicos profissionais do Paraná e de vários Estados que apresentam ao público paraense peças de grande importância para a música clássica. E o público sabe apreciar este trabalho”, disse ele.
                O público lotou o Theatro da Paz no espetáculo da Orquestra de Londrina. O casal Elizabeth Yamada e Jonathan Miranda prestigiou a apresentação e ressaltou a qualidade do Festival Internacional de Música do Pará. “Gostamos de ver a produção de música local e de outros Estados. A gente costuma assistir a orquestras sempre que possível, seja aqui, em outras cidades ou no exterior. A programação está excelente, e impressiona o talento de todos os músicos”, afirmou o casal, que acompanha as apresentações do festival desde a última quinta-feira (7).
Música popular - Além da música clássica, o festival abre espaço para artistas paraenses apresentarem seus trabalhos. O cantor Reginaldo Viana e sua banda foram a atração do espaço CamarIN Cultural, na Avenida Senador Lemos. Há 19 anos trabalhando como cantor e compositor, este ano Reginaldo lança seu primeiro CD com composições próprias e outras já conhecidas nacionalmente. O festival, para ele, foi uma oportunidade para mostrar esse trabalho.
“O Festival Internacional de Música projeta o artista, marca o seu trabalho, que passa a ser conhecido do público. Somos mais valorizados pelo público, e isso é muito importante, ainda mais neste momento de projeção da música popular feita no Pará para todo o país”, declarou Reginaldo Vana, que fez uma participação especial ano passado no Festival de Música.
                No show deste sábado, ele e sua banda animaram a plateia, que se rendeu aos ritmos dançantes, transformando o festival em uma grande festa. “São baladas românticas, mas também tem sambas e todos os ritmos da MPB. Tudo presente no meu novo CD, intitulado Azul”, contou o artista.


Texto:
Thiago Melo-Secom



VAMOS MEDITAR?















OBS: Colaboração dos amigos do Faceboock



Caravana começa neste

domingo a atender

população de Mojuí

dos Campos


                A população de Mojuí dos Campos começa a usufruir neste domingo (10) dos serviços da Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva no Baixo Amazonas. A cidade, localizada a 14 quilômetros de Santarém, é a sétima beneficiada pelas ações do programa. Serão três dias de atendimento nas áreas de saúde, cidadania e cultura. O trabalho começará às 8h e ficará concentrado na Escola Estadual Fernando Guilhon, no centro de Mojuí dos Campos. Às 06h serão distribuídas as fichas para o atendimento médico e emissão de documentos.

                Como aconteceu nos demais municípios, os moradores de Mojuí dos Campos e comunidades vizinhas poderão contar com 400 consultas por dia em Oftalmologia. Para Odontologia, a expectativa é realizar 2 mil procedimentos diariamente. As demais especialidades - Clínica Médica, Ginecologia e Pediatria - estão preparadas para realizar 150 consultas/ dia.

                Os trabalhos da coordenação já começaram na sexta-feira (8), com o deslocamento das unidades móveis de Belterra para Mojuí dos Campos. Neste sábado (09), a coordenação da caravana se reuniu com os voluntários locais para realizar um treinamento, repassar as informações necessárias sobre o programa, as metas e como é realizado o atendimento. Noventa pessoas do município, ligadas à administração municipal, nas áreas de educação e assistência social, darão apoio às ações.

                Segundo o coordenador da Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva, Vagno Silva, a expectativa é que a demanda em Mojuí dos Campos seja bem maior que a de Belterra, por se tratar de um município recentemente emancipado. "Mojuí dos Campos é um município que tem poucos anos de emancipação. Em razão disso, algumas áreas ainda precisam de desenvolvimento, como é o caso da saúde", observou.

Documentação - Na área de cidadania, as equipes do Setor de Identificação da Polícia Civil estão preparadas para confeccionar uma média de 400 Carteiras de Identidade por dia. Já o CPF será feito de acordo com a demanda. "Não temos uma meta para a emissão do cadastro de pessoas físicas. Quem nos procurar voltará para casa com o documento em mãos", garantiu Vagno Silva. Assim como em Belterra, não serão emitidas Carteiras de Trabalho em Mojuí, em razão da falta de material. "Estamos aguardando o envio, que é feito pelo Ministério do Trabalho, em Brasília", explicou o coordenador.

                Além da população da sede municipal, o atendimento beneficiará moradores da zona rural de Mojuí dos Campos. Algumas pessoas também já se organizam em filas em frente ao local das ações. “Soubemos que algumas famílias de comunidades próximas estão se deslocando para a sede de Mojuí em busca de atendimento. Algumas pessoas também já estão se antecipando", informou a coordenadora do Programa Presença Viva, Hebe Ripardo.

                A caravana oferecerá ainda vacinas (tríplice viral, contra pólio, hepatite e febre amarela), exames laboratoriais, teste rápido para HIV e hepatites, aferimento de pressão arterial, testagem de glicemia e orientação nutricional. A programação cultural fica por conta do Instituto de Artes do Pará (IAP), que está exibindo a “Mostra Pará”, uma série de documentários e produções paraenses na área de audiovisual.





Texto:

Danielle Ferreira-Secom



Ideflor e Sema promovem

debates para comemorar

Semana do Meio Ambiente

                Carta Amazônia e Rio+20, Código Florestal e Concessão Florestal são alguns assuntos em pauta no evento promovido pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (Ideflor), em parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), na próxima segunda-feira (11), das 09 às 17h30, no Hotel Beira Rio, em Belém, em comemoração à Semana do Meio Ambiente.

                Com o tema central “Municípios Verdes: Cidades Sustentáveis”, o evento também pretende promover a articulação de debates com a Conferência Rio+20, além de reunir representantes do poder público estadual, municipal e segmentos como empresas, ONGs e universidades, para debater e encaminhar propostas que contemplem a realidade socioambiental do Estado. Para participar é necessário fazer a inscrição no site da Sema (www.sema.pa.gov.br).

Programação

                8 às 09h – Abertura oficial

                09 às 10h – Mesa Redonda, com o tema “Municípios Verdes”

10 às 10h45 – Mesa Redonda, com o tema “Cidades Sustentáveis”

11 às 11h30 – Intervalo

                11h30 às 12h15 – Palestra, com o tema “Política Nacional de Resíduos Sólidos: modelo de gestão”

12h15 às 13h – Mesa Redonda, com o tema “Economia Verde: Mudanças climáticas e Serviços ambientais”

13 às 14h - Intervalo

                14 às 15h – Palestra, com o tema “Carta Amazônia e Rio + 20”

15 às 16h15 – Palestra, com o tema “Concessão Florestal e sociobiodiversidade na Amazônia”

16h15 às 17h30 – Mesa Redonda, com o tema “Novo Código Florestal: impactos na economia e meio ambiente amazônico”



Presa quadrilha

responsável por furtos

de cargas em Marabá


                Uma operação conjunta, iniciada pelo Núcleo de Apoio à Investigação (NAI), levou à prisão de uma quadrilha formada por seis ladrões de veículos transportadores de cargas, na cidade de Marabá, no sudeste do Estado. Segundo as informações divulgadas pela Polícia Civil neste sábado (09), a captura do bando contou com a participação de policiais da Superintendência Regional do Sudeste Paraense e da Seccional Urbana de Marabá, sob o comando dos delegados Alvaro Ikeda, titular do NAI; Alberto Teixeira, da Superintendência, e José Humberto de Melo Júnior, diretor da Seccional.

                Os presos são Paulo do Ó Monteiro, 25 anos; Nivaldo Corrêa, 29; Glildo Pinto Silva, 31; Elissandro Caetano de Sá, 32; Antônio Costa Santana, 33, e Cleildo Silva do Nascimento, 29, todos residentes em Marabá. Com eles, os policiais apreenderam 21 fardos de embalagens (sacolas), material furtado de uma carreta estacionada no bairro Santa Rosa, no município. Os objetos estavam no interior de um veículo usado pelo bando.

                Glildo Pinto Silva e Nivaldo Corrêa, conforme apuraram os policiais civis, já têm passagem pela Polícia por crime de furto de cargas. "A quadrilha já era investigada por outros assaltos ocorridos na região", informou o delegado Álvaro Ikeda. Os presos foram autuados em flagrante por formação de quadrilha e furto qualificado. Estão todos recolhidos à disposição da Justiça.





Texto:

Walrimar Santos-Polícia Civil



Capela do São José

Liberto recebe a cantora

Angélika e o

pianista Paulo José

                Uma das apresentações mais esperadas no XXV Festival Internacional de Música do Pará, realizado pela Fundação Carlos Gomes (FCG) e o Governo do Estado, acontecerá neste domingo (10), às 17h30, na Capela do Espaço São José Liberto. É a parceria da cantora alemã Angélika e do pianista paraense Paulo José Campos de Melo, superintendente da FCG, iniciada há mais de 26 anos, quando se casaram. Com voz, violão e piano, eles mostrarão um repertório que inclui do forró a composições famosas em diversos idiomas, como francês, inglês, espanhol, catalão e italiano.

                O casal se conheceu em 1981, na Alemanha, durante as comemorações pela Anistia Internacional (Dia da Porta Aberta). Eles se apresentaram em momentos diferentes durante o evento, mas acabaram convidados para apresentarem três músicas no réveillon de Frankfurt (Alemanha). Desde então, as apresentações não pararam e, sempre que podem, devido aos compromissos profissionais, sobem ao palco juntos. O repertório para a apresentação na Capela do São José Liberto foi selecionado entre quase 100 canções.

                As carreiras de Angélika e Paulo José percorreram caminhos bem diferentes, e podem ser um exemplo de como a música alcança todos os públicos quando há dedicação, qualidade e respeito à diversidade de estilos.

                Nascido no Pará e com formação erudita, Paulo José Campos de Melo concluiu o curso de Piano no Conservatório Carlos Gomes, e o bacharelado e mestrado em Música, com diploma de Concerto em Piano na Escola Superior de Artes Berlim. A carreira internacional, reconhecida pela crítica especializada, sempre foi dividida com o trabalho como gestor. Por mais de duas décadas dirigiu teatros europeus, e já se apresentou em mais de 20 países, com as mais importantes orquestras, tenores e sopranos do planeta.

                Já a trajetória da alemã Angélika, nascida em Hannover, começou como autodidata, por influência da família de músicos, em que quase todos tocavam um instrumento, seguindo a tradição das famílias de classe média alemãs.  Angélika, que estudou Literatura Linguística Inglesa e Espanhola e fala cinco idiomas, começou a carreira artística tocando violão. Despertou, posteriormente, para o canto, onde participou de grupos musicais em igrejas.

                Quando também começou a cantar canções folclóricas tradicionais da Alemanha para a família e amigos, o sucesso das apresentações a levou a conquistar um prêmio de uma gravadora, que incluía a gravação de um disco. Ela acabou desistindo do prêmio, por não gostar do estilo de música escolhido.

                Atualmente, Angélika se divide entre o Brasil e a Alemanha, onde cumpre compromissos profissionais em Göttingen, que incluem o trabalho em dois coros ligados à Igreja.

Repertório – Entre as músicas selecionadas para a apresentação deste domingo estão “Tililingo” (de Almira Castilho, que foi parceira de Jackson do Pandeiro), “Eu Quero Chamegar” (cantada por Alcione), “Aquarela” (de Toquinho e Vinícius de Moraes) e “Todo o Sentimento” (de Chico Buarque). Além dos brasileiros, foram escolhidas obra de compositores franceses, como Jacques Brel; argentinos (Maria Va) e alemães (Sei Still).

                Para Angélika, participar do Festival Internacional de Música tem muitos significados. “Eu gosto muito do Pará. É uma experiência muito especial cantar aqui, não só pela família. Acho o Festival importante por trazer mais cultura para essa região, e possibilitar para muitas pessoas o contato com a música erudita”, frisou.

                Segundo Paulo José Campos de Melo, participar como músico e organizador do festival é um grande desafio, que só aceitou por contar com uma grande equipe na organização do evento, que lhe dá o suporte necessário.

“Este é um dos festivais mais superiores em termos de público, que recebeu muito bem as bandas que vieram do interior”, destacou Paulo José, apontando o sucesso das apresentações na Estação das Docas, nas praças da capital e no Theatro da Paz.

                Comemorando 25 anos de criação, o Festival Internacional de Música do Pará é considerado um dos maiores do Brasil. “Acredito que este vai ser um dos festivais mais concorridos da história. É também o festival mais diversificado. Queremos mostrar que as políticas públicas são pensadas para todo o povo, desfazendo essa ideia de que é um festival elitista”, concluiu Paulo José Campos de Melo. O festival começou no dia 3 de junho e prossegue até o dia 15, com apresentações diárias e gratuitas em diversos pontos da capital paraense.

Serviço: Apresentação de Angélika e Paulo José Campos de Melo neste domingo (10), às 17h30, na Capela do Espaço São José Liberto/Polo Joalheiro (Praça Amazonas, s/n, bairro do Jurunas).





Texto:

Luciane Fiuza-São José Liberto



Policiais civis prendem

acusado de tráfico na

zona rural de Bragança

                O combate ao tráfico de entorpecentes em Bragança, município do nordeste do Pará, realizado pela Polícia civis, levou à desarticulação de um esquema de fornecimento e venda de drogas em uma comunidade do interior. Investigações resultaram na prisão em flagrante de Adson Miranda Mescouto, apelidado de "Dadinho", responsável pelo fornecimento de drogas no vilarejo conhecido como Treme, na zona rural.

                Sob o comando do delegado Fernando Albanese, a equipe de policiais foi ao endereço do acusado, após denúncias de tráfico envolvendo Adson. Durante várias semanas, a equipe fez um levantamento na área para confirmar as informações. Os policiais também investigaram como Adson abastecia diversos pontos de venda de drogas, as chamadas “bocas de fumo”, na localidade.

                O delegado informou que os policiais decidiram abordar a casa após confirmarem que Adson havia preparado e armazenado grande quantidade de entorpecentes, para abastecer outros traficantes na região. Os policiais entraram na casa, onde encontraram 14 embalagens com 25 gramas de pasta de cocaína cada.

                Também havia na casa oito petecas de 5 gramas de pasta base de cocaína, prontas para consumo, um veículo Prisma de cor prata, placa NXA-5398 - que segundo as investigações seria usado no transporte e distribuição da droga -, balança, material de embalagem, dinheiro e telefones celulares. Todos os objetos e drogas apreendidos foram encaminhados para a Delegacia de Bragança, onde foi lavrado o procedimento policial por tráfico de entorpecentes. As drogas foram encaminhadas para perícia. O preso está recolhido à disposição da Justiça.



Texto:

Walrimar Santos-Polícia Civil



OSTP e cantora cubana

são destaques no Festival

Internacional de Música



                A Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP), sob a regência de Miguel Campos Neto e com a participação do solista Paulo José Campos de Melo, e a música cubana na voz da cantora Yusa, foram destaques no XXV Festival de Música do Pará na noite de sexta-feira (8), nas programações do Theatro da Paz e do Café CamarIN Cultural. Um grande público assistiu às duas apresentações.

                Criada em 16 de dezembro de 1996, em Belém, a Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz é uma das “espinhas dorsais” do Festival Internacional de Música do Pará (Fimupa), afirmou o secretário de Estado de Cultura, Paulo Chaves. Para ele, os 25 anos do festival é uma prova da importância que o evento tem para a cultura local. "Nada que tenha sua devida importância dura tanto tempo”, reiterou. Na longa trajetória da OSTP está a gravação, em 1999, do CD intitulado "Arthur Moreira Lima interpreta Waldemar Henrique".

                O maestro Miguel Campos Neto, regente atual da OSTP, já havia se apresentado em outras oportunidades com Paulo José Campos de Melo. Ele destacou a importância de reger a Orquestra durante a 25ª edição do festival. Ele disse que começou a estudar música após assistir às primeiras edições do festival, e já teve a oportunidade de participar como violinista. “Desde o ano passado eu venho regendo a OSTP, o que é uma grande honra”, afirmou.

                Paulo José Campos de Melo é paraense, mas morou durante anos na Europa, onde aprimorou os estudos e fez concertos em vários países. Atualmente, é superintendente da Fundação Carlos Gomes, cargo que já havia ocupado entre 1996 e 2006. Para ele, foi muito gratificante a experiência de estar como gestor e solista da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz no concerto de sexta-feira. Ele destacou o papel da equipe que está organizando esta edição do festival, o qual, ressaltou, está tendo um dos melhores resultados de todas as edições. “A única forma de conseguir gerir e tocar é estar acompanhado de pessoas que amam a música e que são comprometidas com o que estão fazendo”, frisou.

Música cubana - A segunda atração da noite foi a cantora Yusa,  representante da música cubana. O trabalho da artista mistura a tradição da música de seu país com os sons de outras origens. Yusa vive em Havana, capital de Cuba, mas já tocou em turnês pela Inglaterra, França, Alemanha, Itália, Holanda, Brasil, Japão e outros países.

                Em 2005, ela foi convidada pela Blue Note, do Japão, para realizar uma série de shows com sua banda em Tóquio. A ligação com a música brasileira aconteceu por intermédio do cantor Lenine. Yusa também participou do encerramento do Jogos Pan-americanos de 2007, no Rio de Janeiro, dividindo o palco no Maracanã com Jorge Drexler e Lenine.

                No show, ela apresentou as músicas de seu novo CD intitulado “Libro de Cebecera”, que traz músicas de compositores que fizeram parte de sua formação musical, entre os quais o brasileiro Gilberto Gil. Para ela, o show no festival foi uma “grande festa”. Após sua participação no Fimupa, a cantora apresentará seu novo CD no “Cotton Jazz Club", no Japão, nos dias 25, 26 e 27 de junho. “Para mim é muito importante participar de um festival de música erudita, pois venho de um conservatório de música clássica. Além disso, é uma grande oportunidade para conhecer o público e a musicalidade local”, declarou.

                Neste sábado (09), o  XXV Festival Internacional de Música do Pará prossegue com o Grupo de Tubas da Amazônia, que se apresentará às 16h, no Coliseu das Artes, e o Belle Art Quartet, às 17h30, na Capela, ambos no Espaço São José Liberto.

                A programação do festival prossegue com a Orquestra de Choro do Pará, às 18h, na Estação das Docas. Também às 18h, o Clássica Trio se apresentará na Sala Ettore Bósio, no Conservatório Carlos Gomes. O Muiraquitã Jazz Trio será a atração, às 20h30, na Igreja de São Domingos de Gusmão. Paralelamente, acontecerá no Theatro da Paz o concerto da Orquestra de Câmara Solistas de Londrina (PR), às 20h30. A programação de sábado será encerrada às 23h, com Reginaldo Viana e Banda, no CamarIN Cultural.

Serviço: XXV Festival Internacional de Música do Pará (Fimupa) acontece de 3 a 15 de junho, em vários espaços culturais de Belém. Realização: Fundação Carlos Gomes e Governo do Pará. Mais informações no site www.fimupa.com.br



Texto:

Marcio Flexa-Secom



Caravana encerra trabalho

em Belterra com mais

de 32 mil atendimentos

                Moradora do KM-129 da Rodovia Santarém-Cuiabá (BR-163), próximo ao município de Belterra, no oeste paraense, Patrícia Rocha voltou a enxergar bem e a sorrir após ser atendida pela equipe da Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva, que registrou no município 1,2 mil atendimentos, em três dias de ação na cidade, só na área oftalmológica, e mais de 32 mil atendimentos nos serviços de saúde. O município, segundo o Censo 2010 (IBGE), tem pouco mais de 16,3 habitantes.

                Apesar da distância entre sua casa e a sede municipal de Belterra, Patrícia disse que valeu o esforço de "madrugar" em frente à Escola Estadual Waldemar Maués, onde foram concentradas as ações da caravana. Após a consulta com o oftalmologista, ela foi encaminhada ao tratamento odontológico, que nem esperava conseguir. Foram as assistentes sociais do Programa Presença Viva que detectaram a necessidade do procedimento. A jovem voltou para casa com óculos e um belo sorriso no rosto. "Eu tinha até vergonha de sorrir por conta dos meus dentes. Estou muito satisfeita e agradecida pelo atendimento", declarou Patrícia.

                Assim como ela, milhares de pessoas procuraram os mais de 50 serviços ofertados pela caravana, no sexto município beneficiado na região do Baixo Amazonas desde o dia 16 de maio. Em Belterra, os mais de 32 mil atendimentos de saúde nas unidades móveis incluíram exames laboratoriais, consultas em cinco especialidades (Oftalmologia, Odontologia, Ginecologia, Pediatria e Clínica Médica), teste rápido para HIV, hepatites, aferimento de pressão arterial, testagem de glicemia e orientação nutricional.

                A maior procura, a exemplo dos demais municípios beneficiados pela ação, foi pelas consultas oftalmológicas, cujos procedimentos ultrapassaram 5 mil. "Foram exames, prescrição de óculos, medicamentos e encaminhamentos cirúrgicos nessa área", detalhou o coordenador da Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva no Baixo Amazonas, Vagno Silva. O serviço de emissão de documentos ofertou, além do registro de nascimento (em primeira e segunda vias), Carteira de Identidade e Cadastro de Pessoa Física (CPF).

Toda a família - Além dos moradores da sede do município, foram atendidas pessoas de localidades próximas e populações tradicionais, como os quilombolas. A família do braçal Mizael dos Santos, 17 anos, viajou cerca de três horas para registrar a filha recém-nascida, um serviço realizado pela Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas). A mãe, Lucivânia da Silva dos Santos, 20 anos, conseguiu sua Carteira de Identidade, documento necessário para ser incluída em programas sociais do governo.

                Mizael, que está impossibilitado de trabalhar por conta de um acidente, também soube como proceder para ser incluído na Previdência Social. Toda a família passou por consultas na Clínica Médica e Pediatria. "Eu estou muito grato por este serviço do governo. Morando distante, sem dinheiro para estar me deslocando com a família, não tinha muita esperança de resolver esses problemas, e acabei conseguindo de uma vez só", ressaltou Mizael.

                Na avaliação da coordenadora do Programa Presença Viva, Hebe Ripardo, a caravana em Belterra conseguiu atingir a meta planejada. Oferecemos os serviços com o laboratório central, a farmácia com os medicamentos e o quadro clínico completo. As demandas do município foram atendidas com a ação do governo", concluiu. De Belterra, a caravana segue para Mojuí dos Campos, onde iniciará os atendimentos neste domingo (10), na Escola Estadual Fernando Guilhon.



Texto:

Danielle Ferreira-Secom



Banda de Uruará mostra

na Estação o som dos

metais e instrumentos de sopro


                Vinte e seis horas de estrada foi o tempo que a Banda Diego Cotes de Moraes, do município de Uruará, no oste paraense, levou para chegar a Belém. O grupo da região da Transamazônica, formado por 25 músicos - de 11 a 19 anos -, se apresentou nesta sexta-feira (8) na Estação das Docas, na programação do XXV Festival Internacional de Música do Pará (Fimupa). Nem a distância e nem a chuva, que atrasou em mais de uma hora o começo do show, tirou a vontade dos músicos de contagiar o público.

“A oportunidade de participar de um evento como o Festival Internacional é fantástico para todos nós, inclusive para os moradores de Uruará, que estão orgulhosos da nossa participação. Todas as bandas do interior estão satisfeitas. A gente percebe o compromisso da Fundação Carlos Gomes (FCG) em investir e valorizar nosso trabalho”, ressaltou o maestro Paulo Jorge Moreira, regente da banda.

                Os adolescentes fazem parte de um projeto de educação musical criado pelo município de Uruará e desenvolvido na Escola Diego Cotes de Moraes. São 250 crianças e adolescentes aprendendo a tocar um instrumento. Segundo Paulo Moreira, o papel da FCG neste processo é fundamental, pela qualidade técnica dos alunos formados no município. “Os estudos começam com a musicalização, ensino de teoria musical. A procura por esta formação é grande em Uruará, e o trabalho de interiorização da FCG é muito importante para os grupos. Eu estou entre as pessoas que desfrutaram desta ação. Venho a Belém constantemente e já fiz vários cursos de qualificação, feito também por monitores e professores”, informou o regente.

                O repertório apresentado no palco armado no Forte São Pedro Nolasco foi diversificado, uma das características dos artistas que estão se apresentando no XXV Fimupa. Boleros, sambas e um pout pourri de carimbó foram os destaques da noite. O maestro explicou que a Banda Diego Cotes de Moraes mantém a tradição das bandas de música e evita a utilização de instrumentos elétricos e vocais. “Minha principal preocupação é com a afinação e a manutenção da formação tradicional das bandas de música, baseadas principalmente nos metais e instrumentos de sopro”, disse ele.

Madrigal - Próximo à Estação das Docas, na Igreja de Santo Alexandre, as vozes eram os instrumentos. O Madrigal Experimental de Repertório, de canto coral, se apresentou em frente ao altar da igreja e encantou o público com as belíssimas vozes de seus integrantes. Nas canções, temas como amor, dor e alegria garantiram momentos de pura emoção.

                O regente Adamilson Abreu montou um repertório eclético, que começou com obras do século XVI. “Este concerto é uma amostra do ecletismo do festival. Isto foi pensado para atrair todo tipo de público interessado em música. Começamos no século XVI e viemos até os dia de hoje, desde o francês Jacob Arcaldet até Caetano Veloso”, frisou o maestro.

                A professora de Música Karina Cardoso saiu de ônibus na terça-feira (5) de Marabá, no sudeste do Estado, em direção a Belém, somente para assistir à programação do XXV Fimupa. “Eu vim participar do máximo de apresentações possíveis. Esse festival é tudo de bom. A gente relaxa durante os espetáculos e esquece um pouco da correria da vida", declarou.

                O XXV Fimupa promove mais de 60 concertos em diversos locais da capital paraense. A programação ampla visa atingir o maior público possível, enchendo de som a cidade de Belém. “Esta edição do festival é especialíssima. Estamos comemorando bodas de prata, e 25 anos de existência é uma proeza em tempos de imediatismo como o que nós vivemos”, afirmou Adamilson Abreu.



Texto:

Julia Garcia-Secom



“Operação Mão Amiga” da

Polícia Civil realizou ‘pente

fino’ na Nação Jurunense e

recebeu elogio de moradores

Delegado Roberto Teixeira
teve grande idéia em
prevenir e coibir as
ações que poderiam se transformar
em violência nos bairros de Belém em
especial, na Nação Jurunense











A reportagem do CORREIO JURUNENSE essa madrugada deparou com uma grande e necessária operação da Polícia Civil pelos bairros da Nação Jurunense e resolveu fazer o acompanhamento para constatar o que de fato acontece numa operação como esta, que envolveu neste caso, viaturas e policiais de outras seccionais da região metropolitana de Belém dando apoio.

A operação denominada de “Mão Amiga” teve a liberação por parte do delegado e diretor da Divisão de Polícia Metropolitana (DPM), Roberto Teixeira e comandada pelo chefe de Operações da Delegacia do Jurunas, Rafa.

O objetivo da operação foi fazer averiguações de bares que esteja ou não regularizados junto as repartições policiais. Os bares irregulares tinham seus frequentadores convidados a se retirarem e o proprietário orientado a paralisar seu funcionamento e providenciar a sua regularização. A frequência de menores nos bares também fazia parte da operação, mas nada ficou constatado.

A noite e madrugada deste sábado até por volta das 01h quando encerrou a operação estava tranquila, primeiro porque se trata de um final de semana de feriadão e muita gente se encontra viajando.  Em alguns pontos do Jurunas, Condor e Cremação por onde passavam as viaturas, se notava famílias sentadas à frente de suas residências e em alguns pontos, moradores chegaram a elogiar a ação da Polícia Civil, conforme disse o Sr. Cardoso, residente na Bom Jardim “a Polícia Civil está de parabéns pela iniciativa em não cruzar os braços mesmo em se tratando de feriado prolongado, pois quando a gente pensa que a calmaria pode reinar é aí que acontece as coisas”, disse.


Continua a irresponsabilidade,
falta de atenção e imprudência
no trânsito jurunense



HONÓRIO COM A PARIQUIS

O CAUSADOR DO ACIDENTE



Não dá entender como acontecem acidentes de trânsito e de forma absurda. O mesmo acontece de forma descomunal e inesplicável. Cruzamentos que estão bem sinalizados, onde inclusive os motoristas estão acostumados a passarem constantemente, mas mesmo assim usam de sua imprudência e acabam provocando acidentes, como este que aconteceu na confluência da Honório José dos Santos com a Rua dos Pariquis, no Jurunas.

Um dos carros capotou e por sorte seus passageiros que estavam dentro, inclusive uma criança, nada sofreram a não serem hematomas.  Os condutores esquecem de suas preferenciais quando dirigem seus veículos, atropelando lombadas, matando cachorros, tirando o fino de pessoas que andam à margem da pista de rolamento, já que as calçadas estão ocupadas com carros.

Os sinais de trânsito quando estão vermelhos acham que estão no verde ou será que eles sabem diferenciar pelo menos qual a cor que lhe autoriza a prosseguir viagem e o que obriga a parar para dar passagem a outro veículo. Enfim, uma grande aberração, o que acaba gerando tudo isso.
Uma pena! O dia seguinte destas pessoas poderiam ser muito melhor do que ontem.


ACIDENTE COM PASTOR NA ROBERTO
CAMELIER COM A FERNANDO GUILHON.
CLARO O PASTOR NÃO TEVE CULPA





Com músicas da Renascença,
Belle Art Quartet estreia
no Festival de Música do Pará
                Formado por professores do Conservatório Carlos Gomes (CCG) com a proposta de resgatar e reproduzir músicas da época da Renascença, o “Belle Art Quartet” fará sua estreia na 25ª edição do Festival Internacional de Música do Pará neste sábado (9), às 17h30, na Capela do São José Liberto. O festival, realizado pela Fundação Carlos Gomes (FCG) e Governo do Estado, começou no dia 3 e prossegue até 15 de junho, oferecendo à população uma programação diversificada em vários pontos da cidade.
“A ideia é divulgar a literatura da música antiga, principalmente a barroca do continente europeu, em um período em que o Brasil ainda estava sendo descoberto e a música já fazia sucesso na Europa. As sonatas já eram uma febre. As sonatas levaram, posteriormente, aos grandes concertos, como os de (Ludwig van) Beethoven”, explica Luís Balieiro, coordenador do quarteto, no qual toca flauta doce. Músicas antigas da América Latina e do Brasil também fazem parte do repertório do grupo, como a música instrumental do Padre José Maurício, e o Lundu.
                O coordenador do Belle Art Quartet diz que a música mostrada pelo grupo tem a marca da época em que foi criada, quando eram usados poucos instrumentos, entre os quais o cravo. Além de Luís Balieiro, que é formado pela FCG em Percussão e Flauta Doce Erudita, o grupo é composto por José Pedro Silva (na flauta doce, formado pela FCG em Flauta Doce e acadêmico de Licenciatura Plena em Música pela Universidade do Estado do Pará - Uepa), Alex Costa (no fagote, formado em Fagote pela FCG e acadêmico do Bacharelado em Fagote pela FCG em parceria com a Uepa), e Leandra Vital (no cravo, formada em Piano pela FCG, com bacharelado em Piano).
                Luís Balieiro destaca a importância de o Belle Art Quartet iniciar sua trajetória em um evento com a grandiosidade do Festival de Música do Pará. Para ele, o momento é especial por ser uma forma de aprimorar o gosto musical com obras dos séculos passados, “em contraste com as músicas comerciais, reproduzidas em massa hoje em dia”. Do repertório que será apresentado na Capela constam composições do francês Carr Rosier, do italiano Benneditto Marcello, dos alemães Georg Friedrich Händel e G.S. Telemann.
                Serviço:
                O XXV Festival Internacional de Música do Pará, realizado pela Fundação Carlos Gomes, acontece até 15 de junho em diversos locais da capital paraense. A programação do festival no Espaço São José Liberto (Praça Amazonas, s/n, bairro do Jurunas), acontece de 09 a 15 de junho, no Coliseu das Artes e na Capela, com entrada franca.

Texto:
Socorro Costa-Secom

Grupo Metal Pará leva
músicas clássicas e
populares ao
Coliseu das Artes
                Em sua quinta apresentação no Festival Internacional de Música do Pará, o Grupo Metal Pará levará neste domingo (10), às 16h, ao Coliseu das Artes, no Espaço São José Liberto, um repertório com 10 obras clássicas e populares, dentro da programação do 25º Festival Internacional de Música do Pará, promovido pela Fundação Carlos Gomes em vários espaços culturais de Belém.
                Da “Suíte de Recife”, de autoria do Maestro Duda, a “Yesterday”, composta por Paul McCartney e lançada pelos Beatles há 47 anos, o repertório – que inclui ainda música regional, como carimbó e forró - marca a trajetória do grupo, formado em 2006 por concluintes do curso de Bacharelado em Música da Fundação Carlos Gomes (FCG) em parceria com a Universidade do Estado do Pará (Uepa), informa o trompetista Álvaro Dias.
                Inicialmente, o grupo era um quinteto de metais. Mas há três anos, com a entrada de um baterista e um percussionista, ficou com a seguinte formação: Álvaro Dias, trompete; Alessandro Freitas, tuba; Anielson Ferreira, trombone; Paulo Sérgio Santos, trompa; Eliseu Cordeiro, trompete; Mário Cruz, baterista, e Joelson Silva, percussão. Todos são bacharéis em Música. Álvaro, Alessandro e Anielson têm especialização em Docência do Ensino do Ensino Superior. Segundo Álvaro Dias, o Festival Internacional de Música do Pará é importante não só por ser uma vitrine da produção musical paraense, mas por reforçar a condição de Belém como metrópole.
                Ao comemorar seu jubileu de prata, o Festival Internacional de Música do Pará valoriza o trabalho dos músicos locais e traz a Belém profissionais de outros Estados e países, como o compositor cubano Leo Brouwer, Jerrold Rubenstein e Dalia Ouziel (Bélgica), Tita Parra (Chile), o maestro holandês Jacob Slagter (que regerá a Orquestra Sinfônica do Festival), a Orquestra de Câmara Solistas de Londrina (PR), Antonio Del Claro e Déborah Oliveira (SP), além da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, sob a regência de Miguel Campos Neto, a Amazônia Jazz Band, o Muiraquitã Jazz Quartet, o Coro Carlos Gomes, a Banda Sinfônica e a Orquestra Jovem da FCG, Orquestra de Choro Uirapuru, e as cantoras Alba Maria, Andréa Pinheiro, Cacau Novaes e Maria Lídia.
                Serviço:
                XXV Festival Internacional de Música do Pará. Programação de 09 a 15 de junho no Espaço São José Liberto (Praça Amazonas, s/n, bairro Jurunas). Entrada franca. Realização: Fundação Carlos Gomes e Governo do Pará. Toda a programação do festival está no site www.fcg.pa.gov.br.

Texto:
Socorro Costa-Secom

Festival Junino do São
José Liberto tem
quadrilhas e
decoração especial
                A terceira edição do Festival Junino, promovido no Espaço São José Liberto, será aberta neste final de semana com a tradicional apresentação de quadrilhas de vários bairros de Belém e o toque especial da decoração criada pelo artista plástico e curador Emanoel Franco. Na programação junina, que acontecerá até 30 de junho, com entrada franca, sempre aos sábados e domingos, o Coliseu das Artes, arena cultural do São José Liberto, receberá quadrilhas infantis e adultas, a partir deste sábado (9).
                A decoração elaborada para o evento foi inspirada no tradicional Boi de Máscaras, a festa da cultura popular do município de São Caetano de Odivelas, situado no nordeste do Estado, representada no Boi Faceiro e no Boi Tinga, principais ícones da cultura popular odivelense. Segundo Emanoel Franco, as fitas coloridas que remetem à festividade estarão presentes nos arcos em forma de proa, de onde descerão bandeiras, em mais uma referência ao local onde ocorre esta manifestação, na qual os brincantes descem pela orla da cidade vestidos com roupas e máscaras, que se destacam pela alegria da música e o colorido da indumentária.
Referência
                Dez profissionais, entre costureiras e ferreiros, além de Emanoel Franco, são responsáveis pela confecção dos elementos da decoração. Segundo o autor, as cores também estarão identificadas na caracterização do boi de “quatro pés” (quando duas pessoas vão embaixo do boi), um diferencial desta manifestação folclórica. “É uma referência, uma alusão, a esse folclore típico da quadra junina”, enfatiza o artista, acrescentando que a festividade já passou a ser atemporal, já que o Boi de Máscaras é requisitado durante todo o ano para participar de programações diversas, caracterizando a identidade do carnaval de São Caetano de Odivelas.
“Esse trabalho é um desdobramento de uma pesquisa que estou desenvolvendo com o Boi de Máscaras, que atualmente é o conteúdo da minha atual produção de pintura”, informa Emanoel Franco, referindo-se a sua recente exposição “Os Olhos da Cor”, na Galeria Elf. Ele conta, ainda, que, por conta deste trabalho de pesquisa participará, neste sábado, da abertura oficial da quadra junina em São Caetano.
                Com 32 anos de produção artística, Emanoel Franco é uma referência no Estado, tanto pelos trabalhos premiados quanto pela participação como curador em grandes exposições. Ele é o autor da concepção do painel de canoas instalado em uma das paredes da Casa do Artesão e da instalação que decora a passarela do Jardim da Liberdade, feita a partir de fotos de João Hamid. Em 2011, ele criou com mosquiteiros o ambiente de exposição da coleção da Pará Expojoia – Amazônia Design, a feira de joias promovida anualmente no São José Liberto. O Festival Junino do Espaço São José Liberto será aberto neste sábado (9), a partir das 17h30, com as apresentações de quadrilhas da Marambaia, Cremação e Telégrafo.
                PROGRAMAÇÃO DO FINAL DE SEMANA – 09 E 10 DE JUNHO
                Dia 09 (sábado)
                17h30 – Quadrilha Infantil Gaviões - Marambaia
                18h - Quadrilha Infantil Amor Caipira - Cremação
                18h30 – Quadrilha Junina Explode Coração (adulto) - Telégrafo

                Dia 10 (domingo)

                17h30 – Quadrilha Infantil Crianças que Brilham – Terra Firme
                18h – Quadrilha Roceira Mirim Juventude que Brilha - Cremação
                18h30 – Quadrilha Explosiva Junina (adulto) – Val de Cans (adulta)
                Serviço:
                3º Festival Junino do Espaço São José Liberto, de 9 a 30 de junho, sempre nos fins de semana. Abertura neste sábado (9), a partir das 17h30, no Coliseu das Artes do São José Liberto (Praça Amazonas, s/n, bairro Jurunas). Contato: (91) 3344-3517 (Carmem Macedo). Entrada franca. Realização: Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama) e Governo do Pará/ Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom).

Texto:
Socorro Costa-Secom

Policiais civis e militares
desarticulam quadrilha
de "piratas" em Almeirim
                Uma quadrilha de "piratas", que praticava assaltos na região ribeirinha, em Almeirim, noroeste do Pará, foi desarticulada como resultado de um trabalho em conjunto das Polícias Civil e Militar, na região. O último integrante do bando, que ainda estava solto, já está preso por ordem judicial. Nilson Gonçalves Caldeira, de apelido "Nilsão", foi apresentado por uma guarnição da Polícia Militar na Delegacia do município. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira, 8, após o cumprimento da ordem de prisão preventiva decretada em março deste ano, pelo juiz da Comarca de Almeirim, Márcio Bittencourt, por representação da delegada Adriana Magno Barbosa, titular da Delegacia local.
                Segundo a delegada, diversas vítimas da quadrilha registraram boletins de ocorrência na Delegacia, onde reconheceram os integrantes do bando. "Os criminosos agiam sempre armados no período noturno, quando se aproveitavam do isolamento dos moradores ribeirinhos", explica. A ação criminosa já vinha acontecendo há cerca de dois anos. As vítimas tinham roubado os pertencentes pessoais, como eletrodomésticos, dinheiro, joias e outros objetos. Após roubo, a quadrilha fugia da região. Os bandidos, ainda segundo a delegada, ameaçavam voltar e matar as vítimas caso procurassem a Polícia.
                Durante as investigações, ainda em março, quatro integrantes do bando foram presos - Raimundo de Jesus da Cruz Alves, de apelido "Tiquito"; Agnaldo Monteiro Soares, de apelido “Mister M”; Jocivaldo Sousa de Abreu, de apelido "Milico", e José Sarmento Teles Ferreira, de apelido "Zeca”. Eles foram encontrados perto da divisa do município de Almeirim com a cidade de Prainha, a cerca de 10 horas de viagem de lancha do tipo voadeira.
                Após as prisões dos bandidos, a investigação foi aprofundada e os policiais chegaram ao quinto integrante da quadrilha, que teve a custódia preventiva solicitada à Justiça. Com a prisão de Nilson, ele está custodiado e responderá o processo sobre a prática dos crimes previstos no artigo 14, da Lei 10.826/2003 (porte ilegal de arma de fogo); artigo 288 (formação de quadrilha ou bando) e artigo 157 (roubo qualificado), do Código Penal, e ainda pelas ameaças. As investigações continuam. O procedimento segue determinação da Diretoria de Polícia do Interior, por orientação do superintendente regional do Baixo e Médio Amazonas, delegado Gilberto Aguiar.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

Professoras são presas
em Santa Maria do
Pará por estelionato
                Estão recolhidas no Centro de Reeducação Feminino (CRF), em Ananindeua, na Grande Belém, as professoras Mariana Pinheiro do Nascimento e Samy Maria Lima Franco, que respondem processo criminal por estelionato. Elas são acusadas de comandar um esquema que usou ilegalmente o nome de faculdades para enganar quase 50 alunos em Santa Maria do Pará, nordeste do Estado. As duas foram presas em flagrante por policiais civis e militares no momento em que recebiam pagamentos de mensalidades atrasadas de alunos em uma escola pública da cidade. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira, 8. Há cerca de três anos, elas atuavam no município, onde se identificavam como coordenadoras da instituição de ensino "Instituto Ômega".
                A unidade escolar estava proibida de funcionar, desde janeiro deste ano, por força de uma Ação Cautelar movida pelo Ministério Público Federal. Porém, denúncias registradas em Boletim de Ocorrência, no final da semana passada, por três alunos, davam conta de que as professoras continuavam lecionando e cobrando pagamento em dinheiro dos alunos, de forma ilegal. As denúncias levaram a equipe policial de Santa Maria do Pará a constatar o golpe.
                As mulheres estavam recebendo valores de pagamentos de mensalidades de estudantes, usando o nome da Faculdade Fares, sediada em Boa Vista, capital de Roraima, sem que a unidade de ensino tenha qualquer vínculo com a faculdade. As prisões em flagrante foram coordenadas pelo delegado Paulo César Benício, titular da Delegacia de Santa Maria do Pará. Segundo o policial civil, as professoras conseguiam alugar salas em escolas do município para dar as aulas. Elas também usavam as mesmas salas de aula para receber os pagamentos das mensalidades.
                O golpe acontecia desde 2009. Na época, um grupo de alunos alegou que a unidade de ensino era denominada de Faculdade Integrada "Ômega". Após a aprovação de alunos em um processo seletivo, a faculdade passou a se chamar Instituto de Educação Ômega. Depois, houve nova mudança de nome para Faculdade de Educação Superior do Pará, e por último, mudou para Instituto de Educação Teológica Ômega.
                Segundo as denunciantes, ao serem questionadas sobre as mudanças constantes de nome, as coordenadoras alegaram que "se tratavam apenas de mudanças na razão social da empresa Ômega". Com a suspensão das atividades do Ômega, em janeiro deste ano, por determinação do MPF, houve uma reunião em Belém para tratar do assunto. Na reunião, esteve Samy Franco e um representante do Ministério da Educação.
                Ao retornar para Santa Maria do Pará, em reunião com alunos, Samy Franco alegou que teria assinado um TAC (Termo de Ajuste de Conduta) no Ministério Público em que teriam sido lançadas três propostas de faculdades para que os estudantes pudessem dar seguimento ao processo seletivo e diplomação. Segundo ela, os alunos poderiam escolher entre as Faculdades Estácio de Sá, sediada no Rio de Janeiro, Fares, de Roraima, e Fael, sediada em Lapa, no Paraná. Contudo, ficou acertado entre os alunos e a coordenação do Instituto Ômega que, se quisessem, os estudantes poderiam continuar no Instituto Ômega para serem diplomados por uma destas faculdades, ou então poderiam procurar outras Faculdades.
                De acordo com informações apuradas pela Polícia Civil, uma turma de 47 alunos de Santa Maria do Pará decidiu aguardar a realização de uma avaliação técnica de desempenho para ingressarem em uma das faculdades que seria indicada pelas coordenadoras do Instituto Ômega. Até que, no último dia 24 de maio, à tarde, em reunião na Escola Severiano Benedito de Souza, em Santa Maria do Pará, um senhor que se identificou como João de Jesus e que se apresentou como professor e representante da Faculdade Fares, de Roraima, juntamente com Samy Franco e Mariana Nascimento, mostraram aos estudantes um pacote onde estariam as provas do processo seletivo para verificação de aprendizagem.
                Eles sugeriram aos alunos que iriam inscrevê-los na Faculdade e que, em sete dias, sairia o resultado da avaliação. Posteriormente, os alunos seriam matriculados. A avaliação de aprendizagem foi realizada em 27 de maio. A prova composta de uma redação e 20 questões objetivas teve o resultado previsto aos alunos, na ocasião, para ser divulgado no dia 1º deste mês. Na mesma data, os alunos iriam fazer o pagamento de três mensalidades de atraso por motivo de decisão do Ministério Público Federal.
                Na ocasião, os alunos suspeitaram do golpe, pois as professoras alegaram que a matrícula só seria realizada após a efetivação do pagamento das mensalidades e que o diploma de conclusão do curso também deveria ser pago pelos estudantes, em até 60 dias, ao Instituto Ômega, que iria, por sua vez, repassar o valor à Faculdade Fares. "Cada diploma custaria R$ 600", apurou o delegado Paulo Benício.
                Os alunos decidiram, por conta própria, entrar em contato com a sede da Faculdade Fares, já que as professoras não apresentaram o documento oficial que comprovava o vínculo entre o Instituto Ômega e a instituição. Foi então que os alunos tomaram conhecimento de que foram vítimas de um golpe, pois a secretária geral e diretora do Setor Financeiro da Faculdades, identificada como professora Estela, afirmou que não existia qualquer representante nem polo da Fares no Estado do Pará.
                O fato, então, foi registrado em Boletim de Ocorrência na Delegacia de Santa Maria do Pará. O investigador Jorge Couto, de plantão na unidade policial, telefonou para a Faculdade, onde conversou com um representante da universidade em que houve nova confirmação de que não havia no Pará qualquer representante da Fares. Assim, com apoio de uma guarnição da Polícia Militar, o policial civil prendeu em flagrante as duas professoras no momento em que recebiam o pagamento das mensalidades.
                Os policiais solicitaram às professoras o documento que oficializava o convênio com a Faculdade Fares, mas as acusadas admitiram que não havia qualquer vínculo. No momento do flagrante, a professora Samy Franco tentou subornar os policiais oferecendo dinheiro para que não fosse presa. Ela e outra professora foram conduzidas para a Delegacia. Com elas, os policiais apreenderam a quantia de R$ 4.087 e vários documentos timbrados com a logomarca da Faculdade Fares.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

Pará inicia Primeira
Semana Estadual do
Bebê neste domingo
                Foram meses de articulações para definir a programação da I Semana Estadual do Bebê. E depois de diversos encontros preparatórios, o Governo do Pará e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) firmaram parceria para a execução desta primeira edição do evento com dimensão estadual. O planejamento será executado simultaneamente a partir das 18h deste domingo (10), com uma programação cultural nos municípios de Altamira, Belém, Marabá, Santarém e Soure. As atividades voltadas para a saúde física e mental das crianças de zero a seis anos serão estendidas até a próxima sexta-feira, 15. O processo envolve a sensibilização de gestores municipais, do setor privado e da sociedade civil.
                Oficinas, palestras e atividades de capacitação e qualificação de profissionais das áreas de educação, saúde e assistência social prometem mobilizar a população sobre cuidados essenciais com os bebês, destacando o respeito para com a infância. As ações também são frutos de parcerias com as Universidades Federal do Pará (Ufpa) e da Amazônia (Unama), e pretendem enfatizar o quão importante é a ligação maternal para o desenvolvimento da criança.
                A Semana do Bebê iniciou no ano 2000, no município de Canela (RS). Desde então, anualmente são promovidos debates acerca de diversas temáticas, tais como: os direitos de mulheres trabalhadoras a amamentarem e os direitos tanto da gestante quanto do bebê. O evento possui programação extensa para atender o público em dois turnos e focaliza a promoção da infância sem racismo e a disseminação da cultura de paz nas escolas.
                Depois da Semana Municipal do Bebê de Acará, realizada em 2010, dezenas de municípios já realizaram o evento na Amazônia. As ações direcionam a atenção da comunidade para o “cuidar do bebê desde a gestação, pois a atenção na primeira infância, em si, é importantíssima para o desenvolvimento da criança em diversos aspectos, como o socioafetivo e intelectual”, explica a assessora de Políticas Temáticas dos Direitos da Criança e do Adolescente (APDCA), Leila Silva.
Programação
                A abertura oficial do evento, assim como toda a execução do projeto, será simultânea, e programações culturais celebrarão o início das atividades nos municípios polos. Em Altamira, o cantor Marco Monteiro se apresentará na Concha Acústica da Orla. Em Santarém, a Praça São Sebastião foi escolhida para a execução dos shows de Sebastião Tapajós e Jana Figarella. Em Marabá, Banda do Exército e Simone Almeida se apresentam na Praça da Liberdade, e a população de Soure recebe Pinduca, na Praça do Trapiche. Já na capital paraense, o Arraial do Pavulagem se apresenta na Praça da Matriz, em Icoaraci.
                As palestras e oficinas serão realizadas nos seguintes endereços:
                Altamira: Escola Dom Clemente, na Rua Antônio Vieira- bairro Brasília;
                Santarém: Escola Onézima Pereira de Barros, na Av. Mendonça Furtado, 3103 – Bairro da Aldeia;
                Marabá: Escola Municipal de Ensino Fundamental Raimundo José de Sousa, na Rua 26 de Junho s/n – Bairro Liberdade;
                Soure: Escola Gasparino Batista da Silva e Escola Edda de Sousa Gonçalves;
                Os horários destinados para cada atividade são os seguintes:
                8h às 17h -Serviços de Orientação sobre Saúde Bucal; Imunização de 0 a 6 anos; e Mutirão Registro Civil.
                8h às 12h e das 14h às 18h – oficina“Multicampiartes”, voltadas para profissionais de Arte e Educação, e também ao público infantil.
                9h à 11h -Roda de Conversa com Gestores Municipais: Sistema de Garantia de Direitos; e Mostra Pará Audiovisual Infantil.
                9h às 12h e das 14h às 18h -Capacitação para profissionais da área da saúde; oficina sobre o Guia dos Direitos da Gestante e do Bebê; oficinade Sensibilização do Programa Saúde na Escola/GGMs (Grupo Gestor Municipal); palestra sobre aCampanha “Por uma Infância sem Racismo”; oficinade Recuperação de Resíduos de Matérias Primas Industrializadas e discussão para implantação de COM-VIDAS.
                16h00 às 17h30 - Mostra Pará Audiovisual Infanto-Juvenil
Belém
                Em Belém, as oficinas e palestras estarão concentradas na Escola de Governo, situada na avenida Almirante Barroso, 4314. No entanto, haverá ainda serviços itinerantes de orientação sobre saúde bucal, mutirão de Registro Civil de Nascimento e campanhas de imunização na faixa etária de zero a seis anos. Os serviços estarão disponíveis nos seguintes locais:
                Dia 11 (segunda-feira): na EEEFM Escola Avertano Rocha, na Tv. Itaboraí –Distrito de Icoaraci.
                Dia 12 (terça-feira): EEEFM Profa. Maria Luiza da Costa Rego, na Rua Lameira Bittencourt- Bairro do Benguí.
                Dia 13 (quarta-feira): EEEFM José Alves Maia, na Av. Senador Lemos, 1800 – Bairro da Sacramenta.
                Dia 14 (quinta-feira): EEEFM Brigadeiro Fontenelle, na Rua São Domingos – bairro da Terra Firme.
                Dia 15 (sexta-feira): EEEFM Arthur Porto, Trav. Bom Jardim – bairro do Jurunas.

Texto:
Ellyson Ramos-Sejudh

Teatrinho do Mangal
apresenta neste domingo
“A viagem dos Palhaços”
Na estreia da programação do projeto Teatrinho do Mangal, o espetáculo “A viagem dos Palhaços” será apresentado, neste domingo, 10, pelo trio de atores Artur Neves, Rubinaldo Júnior e Joécio Lima, a partir das 10h30, no entorno do Memorial Amazônico da Navegação, do Mangal das Garças. “Vamos fazer um passeio por vários interiores e cidades, contando uma história de cada lugar. As histórias serão intercaladas por brincadeiras. Teremos nesse espetáculo a presença do violão, um elemento que deu certo e foi um sucesso, e que a partir de agora já faz parte da dinamização da apresentação, dos personagens Jojoca, Pierierieca e Rubinaldo” detalhou, o ator Joécio Lima.
                A presidente da Organização Social Pará 2000, Gabriela Landé, antecipa que o Teatrinho do Mangal faz parte de novos projetos da organização. “O projeto é voltado às crianças e buscamos levar grupos que trabalhem a temática da educação ambiental. O Teatrinho é um dos projetos que está sendo desenvolvido, com base na temática da educação ambiental, para estimular assim o maior número de visitações aos espaços de ensino das visitas monitoradas do parque”.
“Convidamos todos a comparecerem no Mangal, para se divertirem com muitas histórias boas para contar e recontar, além de brincadeiras de circo e muito mais”, convida o ator Joécio. E a presidente da Pará 2000, Gabriela, ressalta que “Esta é uma nova opção de lazer para os paraenses e fica o convite para as famílias acompanharem no site a programação e ter um dia de lazer mais perto da natureza”.
Serviço:
                Teatrinho do Mangal – “A viagem dos Palhaços”
Data: 10/06/2012 (domingo)
                Horário: A partir das 10h30
                Local: Entorno do Memorial Amazônico da Navegação do Parque Mangal das Garças.
                Entrada Franca
                Informações: www.mangalpa.com.br

Texto:
Isa Arnour -Pará 2000

Grupo de Tubas abre
programação do Festival
de Música no São José Liberto
                O som diferenciado do Grupo de Tubas da Amazônia abrirá a programação do 25º Festival Internacional de Música do Pará reservada ao Espaço São José Liberto neste sábado (9), às 16h, no Coliseu das Artes. Às 17h30, na Capela, se apresentará o Belle Art Quartet. O Festival Internacional de Música do Pará começou em Belém no último dia 3 de junho e prossegue até o dia 15, oferecendo à população concertos, recitais, workshops e oficinas em vários pontos da capital paraense, numa realização da Fundação Carlos Gomes.
                No Coliseu das Artes, o Tubas da Amazônia mostrará um repertório de música paraense e música popular brasileira, preparado especialmente para o festival, considerado o principal evento educativo e cultural de músicas erudita e popular do calendário oficial do Governo do Pará. No repertório, “Bananeira”, de Gilberto Gil e João Donato, com arranjo de Josibias Ribeiro; pout pourri de Nilson Chaves, arranjo de Adriano Oliveira; “Dançando Calypso”, da Banda Calypso, arranjo de Saldanha e transcrição de Alessandro Dias; pout pourri de carimbó do Pinduca, arranjo Saldanha; seleção de clássicos de Tim Maia, arranjo de França e adaptação de Alessandro Dias e “Cantaloupe Island”, de Herbie Hancock, arranjo de Edivaldo Pinheiro.
Outras atrações
                Além do Coliseu das Artes, a Capela receberá várias atrações do festival, em apresentações diárias e gratuitas. A programação no São José Liberto, reservada aos artistas locais, inclui, além do “Tubas”, Belle Art Quartet, Metal Pará, Angélika e Paulo José Campos de Melo, Quinteto de Saxofones da Fundação Carlos Gomes (FCG), Ébano Quarteto, Trompete Ensemble, Salomão Habib e Nego Nelson, Pará Trombones da FCG, Trio Quarternura, Quinteto de Metais da FCG e Trio Raízes.
                O Festival Internacional de Música do Pará é um dos maiores eventos do gênero no país pelos múltiplos aspectos que congrega, ao reunir estudantes e profissionais de formações e estilos diferentes, além de promover o intercâmbio entre os participantes. Para o músico Alessandro Dias, diretor do Grupo de Tubas da Amazônia, durante uma semana o festival difunde a cultura, a arte e a música por toda a cidade, o que considera uma contribuição social e educacional de valor incalculável para o desenvolvimento da arte e da música no Pará.
                Com um repertório composto por músicas populares e regionais, o Tubas da Amazônia foi criado em 2000 pelo professor Wilthon Matos e por alunos de tuba e eufhonium do Conservatório Carlos Gomes (CCG). O grupo passou por diversas transformações até chegar à formação atual. Hoje é composto por Alessandro Dias, bacharel em Música, com especialização em Gestão Educacional, eprofessor de Tuba e Euphonium do Conservatório Carlos Gomes na (direção e 2ª tuba); Fábio Morais, técnico em Música e concluinte do bacharelado em Música da Universidade do Estado do Pará - Uepa (1ª tuba); Josiel Garcia, técnico em Música e aluno de licenciatura  em Música da Uepa (2º euphonium); Mário Cruz, técnico em Música com habilitação em Bateria e Percussão (bateria); Samuel Azevedo, técnico em Música (1º euphonium), e Rubem Marques, técnico em Música e concluinte do bacharelado em Música da Uepa (3ª tuba;). Na apresentação deste sábado haverá a participação especial da cantora Camila Honda.
                A tuba e euphonium são instrumentos exclusivos de orquestra e banda, mas com o passar do tempo atraíram muitos adeptos, seduzidos pela sonoridade densa. O grupo Tubas da Amazônia mesclou os sons da tuba e do euphonium para obter uma sonoridade única. O grupo também realiza pesquisas sobre obras de compositores paraenses.
                Desde 2004, o Tubas da Amazônia participa do Festival Internacional de Música do Pará, ano em que esteve também como convidado no VI Festival Eleazar de Carvalho em Fortaleza/ (CE). Em 2005, também no Festival Internacional de Música do Pará, teve como regente convidado o professor Marcos Jacob Cohen - clarinetista da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro e professor do Bacharelado em Música da FCG/Uepa e da Escola de Música da Universidade Federal do Pará (Emufpa).
                Em março de 2006 participou do show “Terroir Pará”, no auditório do Ibirapuera, em São Paulo (SP), evento organizado pela Fundação de Telecomunicações do Pará (Funtelpa). No mesmo período recebeu convite da Weril Instrumentos Musicais para ser “Artista Weril”, a partir de setembro de 2006. O grupo participou ainda de quatro das cinco edições do Festival Cultura de Verão e foi convidado para representar o Brasil no ITEC – International Tuba and Euphonium Conference, nos anos de 2004, 2005, 2006, 2008 e 2009.
                Programação do XV Fimupa no São José Liberto
                DIA 9 (sábado)
                16h - Grupo de Tubas da Amazônia (PA) – Coliseu das Artes
                17h30 - Belle Art Quartet (PA) - Capela
                DIA 10 (domingo)
                16h - Metal Pará (PA) - Coliseu
                17h30 - Angélika e Paulo José (PA) - Capela
                DIA 12 (terça)
                16h - Quinteto de Saxofones FCG (PA) - Coliseu
                17h30 - Ébano Quarteto (PA) - Capela
                DIA 13 (quarta)
                16h - Trompete Ensemble (PA) - Coliseu
                17h30 - Salomão Habib e Nego Nelson (PA) - Capela
                DIA 14 (quinta)
                16h – Pará Trombones da FCG - Coliseu
                17h30 - Trio Quarternura (PA) - Capela
                DIA 15 (sexta)
                16h - Quinteto de Metais FCG (PA) – Coliseu
                17h30 – Trio Raízes (PA) - Capela
                Serviço: 25º Festival Internacional de Música do Pará. Programação de 9 a 15 de junho no Espaço São José Liberto (Praça Amazonas, s/n, bairro Jurunas). Entrada franca. Realização: Fundação Carlos Gomes e Governo do Pará. Toda a programação do festival está no site www.fcg.pa.gov.br

Texto:
Socorro Costa-Secom

Policiais civis capturam
autor de diversos
roubos em Xinguara
                A repressão à criminalidade no município de Xinguara, sul do Pará, levou a equipe de policiais civis da Seccional Urbana da Polícia Civil a deflagrar uma operação que resultou na captura do autor de diversos roubos na cidade. Josimar José de Sousa, de apelido "Nenzinho", foi localizado pelos investigadores Danilo Gondim e Silvio André, sob comando do delegado Orimaldo Farias.
                As investigações iniciaram após diversas vítimas de roubos terem comunicado, por meio de Boletins de Ocorrência, à Polícia Civil sobre os assaltos. De acordo com os relatos, o autor do crime era sempre um homem de motocicleta, modelo Honda Bis de cor vermelha, armado com um revólver do tipo calibre 38.
                Ainda, conforme as vítimas, o criminoso percorria as ruas da cidade e abordava as vítimas em via pública levando objetos de valor delas, como dinheiro, joias e telefones celulares. Com as características físicas do assaltante informadas pelas vítimas, a equipe policial passou a realizar investigações até localizar o acusado.
                Segundo o delegado, "Nenzinho" já é conhecido das Polícias no município, por já ter sido preso anteriormente por roubo, furto com arrombamento, uso de drogas, lesão corporal e dano. Atualmente, ele estava em liberdade concedida pela Justiça. "Ele foi identificado pelas características físicas informadas pelas vítimas. Assim, o acusado foi visto trafegando pelas ruas da cidade em uma motocielta com as mesmas características do veículo relatado pelas pessoas", informou o policial civil.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

Sebastião Tapajós e Sérgio
Ábalos são destaque do
Fimupa com espetáculo
de voz e violão
                O XXV Festival Internacional de Música do Pará tem sido uma ótima oportunidade para a população paraense apreciar música de qualidade. E nesta quinta-feira, 7, na noite do feriado de Corpus Christi, os violonistas Sebastião Tapajós e Sérgio Ábalos, da Argentina, uniram seus talentos no Bar, Café e Teatro “Camarin Cultural”, no bairro do Umarizal. Encerrando a noite de concertos o duo “Take Two” da Alemanha mostrou ao público paraense um amplo repertório de voz e piano, com plateia lotada.
                Sebastião Tapajós é natural de Santarém e começou a tocar violão aos 9 anos, com o pai. Mais tarde mudou-se para Belém, onde se aprofundou no estudo do instrumento. Em 1964 partiu para Portugal, onde foi aluno do Conservatório Nacional de Música de Lisboa. Ele estudou também na Espanha e atuou como concertista em outros países europeus. O músico santareno é conhecido no exterior e já lançou mais de 50 discos, assim como já acompanhou artistas como Hermeto Pascoal, Gery Mulligan, Oscar Peterson e Astor Piazzolla. Esta foi a primeira vez que  Sebastião Tapajós tocou no Festival Internacional de Música. “É um grande festival”, comentou o músico. Já o argentino Sérgio Ábalos tem influências e estilo próprio desenvolvido em cima da rumba, tango e milonga-candombe e tocou muitas vezes com Sebastião Tapajós. Ele também já fez concertos em outras oportunidades na capital paraense.
                O superintendente da Fundação Carlos Gomes, Paulo José Campo de Melo, explica que um dos destaques desta edição do Festival é a grande participação de músicos de outros países. Países como Cuba, Austrália, Bélgica, Chile, Argentina e Estados Unidos fazem parte da programação. Um exemplo é o duo alemão Take Two, formado pela voz de Carola Nolting e o piano de Michael Nolting. Os dois se conheceram em Berlim, no ano de 1975. Ela cantava em corais na Alemanha e ele formava bandas de rock. Em 1978 nasce o "Take Two", um dueto de voz e piano que  participa pela segunda vez do Festival de Musica do Pará.
                O concerto se dividiu em duas partes, na primeira, a dupla apresentou canções internacionais e presenteou o público cantando Garota de Ipanema. Já na segunda parte mostraram um repertório de músicas americanas das décadas de 60 e 70. Paulo José Campos de Melo comenta que esta é a edição do Festival com maior diversidade de estilos musicais, com maior participação de músicos do interior do Estado, maior número de espaços de apresentação e maior abrangência no que diz respeito a músicos de outros países.
                Ao todo, nos 12 dias de Festival serão mais ou menos 800 músicos que irão participar dos concertos, destes, cerca de 100 são de bandas do interior do Pará. “Esta é uma das maiores bandeiras da gestão atual, a valorização da cultura não apenas da capital mas de todos os municípios e regiões do Pará”, comenta.
                Cerca de 79 músicos de 22 municípios do Estado foram reunidos pela Fundação Carlos Gomes e formam a Banda Sinfônica do Estado do Pará, que está sendo ensaiada diariamente por duas maiores autoridades musicais do Brasil no estilo bandas, que são Marcelo Jardim, do Rio de Janeiro e Mônica Giardini, de São Paulo. A Banda Sinfônica do Pará, um dos maiores destaques desta edição do Festival de Música irá se apresentar neste domingo (10), no Theatro da Paz.
                Serviço:
                O XXV Festival Internacional de Música do Pará acontece até 15 de junho com concertos, recitais, workshops e oficinas. Mais informações no site: www.fimupa.com.br
Texto:
Marcio Flexa-Secom

Preso acusado de abusar
sexualmente de duas
crianças em Altamira
                Está preso em Altamira, oeste do Pará, por crime de estupro de vulnerável, Antônio Manoel da Silva. Ele foi acusado de abusar sexualmente de duas crianças de 7 e 10 anos. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira, 8, Pela Polícia Civil do Estado. No dia anterior à prisão, o delegado Paulo Mavignier, lotado na Superintendência Regional do Xingu, recebeu denúncia de abusos sexuais praticados por Antônio. Segundo as informações recebidas pelo policial civil, duas crianças que conviviam com o acusado seriam as vítimas do crime. A equipe policial da Superintendência foi até a casa e ouviu os relatos das crianças, que contaram os fatos com riqueza de detalhes.
                O delegado iniciou a investigação e, a partir de então, fez a representação da prisão preventiva do acusado junto à Justiça local. "O pedido de prisão foi deferido e devidamente cumprido no dia seguinte", explicou o delegado. Participaram da ação para cumprimento do mandado de prisão preventiva os investigadores Marcelo Charles Lameira Costa e Gessi Lameira Filho.
                Segundo o superintendente regional do Xingu, delegado Cristiano Marcelo do Nascimento, que supervisionou toda a ação policial, a Polícia Civil deu uma resposta rápida para a sociedade de Altamira. "Cumprimos assim nosso papel institucional", explica. Antônio Silva foi autuado com base no artigo 217-A, do Código Penal, e permanece recolhido à disposição da Justiça.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

População de Belterra tem
acesso ao teste
rápido das hepatites
                O teste rápido para as hepatites virais (B e C) começou a ser realizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em agosto do ano passado. Em apenas 15 minutos o paciente recebe o diagnóstico e pode dar início ao tratamento. Os moradores do município de Belterra estão usufruindo desse serviço, durante as ações da Caravana Pro Paz Presença Viva, que desde o dia 16 de maio está percorrendo os municípios da região do baixo Amazonas, ofertando mais de 50 serviços, entre saúde, cidadania e cultura.
                A novidade está sendo realizada pelos técnicos de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde do Estado (Sespa), que fazem a testagem também para HIV e sífilis. A grande vantagem, segundo o coordenador da Vigilância em Saúde na Caravana, José Estumano, é a agilidade do resultado. “Antes os testes de hepatites virais demoravam cerca de duas horas para a entrega do resultado. Agora em no máximo 15 minutos o paciente recebe o diagnóstico”, ressalta.
                Somente nos dois primeiros dias da ação em Belterra foram realizados cerca de 300 exames de hepatites, HIV e sífilis. Após a conclusão da testagem, os pacientes são encaminhados para uma equipe multidisciplinar, onde recebem orientações sobre a importância da prevenção das doenças sexualmente transmissíveis. A dona de casa Maria Edileuza da Silva Melo, 42 anos, foi uma das primeiras a estrear a novidade. Não estava em seus planos fazer o exame de hepatite, mas foi durante uma abordagem dos técnicos que ela se convenceu da necessidade do diagnóstico. “Eu vim na Caravana para me consultar. O rapaz me abordou e eu nunca havia feito um exame desses, mas fui esclarecida sobre o perigo dessa doença silenciosa e fatal e decidi fazer os testes”, conta.
                Grávidas
                Toda a população está sendo convidada a fazer o teste de hepatites virais, mas a busca ativa dos pacientes está focada principalmente nas mulheres gestantes. Os exames de HIV, sífilis e hepatites são realizados durante o pré-natal, mas muitas mulheres não têm acesso a este serviço por falta de informação, pela distância de algumas localidades da sede dos municípios ou precariedade nos serviços de saúde.
                A dona de casa Raimunda Silva Pedroso, 27 anos, está no sexto mês de gestação e faz o acompanhamento pré-natal no Hospital Municipal de Belterra, mas ainda não havia realizado os exames de hepatites, HIV e sífilis. Ela foi abordada por um dos técnicos enquanto consultava a filha menor na clínica pediátrica da Caravana. Ao saber da facilidade não teve dúvidas. “Ficaram de marcar meus exames no hospital, mas ainda não tinha a data certa. Eu achei excelente fazer os exames aqui, pois minha consulta do pré-natal é na próxima segunda e já vou levar esses resultados para o médico”, comemora.
                Além de sair na frente com o teste rápido das hepatites, a Vigilância em Saúde da Sespa também antecipou a Campanha Nacional contra a poliomielite, programada para ter início no próximo dia 16. Em Belterra as crianças com menos de cinco anos já estão sendo imunizadas. Além da pólio, estão sendo aplicadas as vacinas contra febre amarela, hepatite e a tríplice viral, que previne contra três doenças graves da infância: o sarampo, a rubéola e a caxumba.

Texto:
Danielle Ferreira-Secom

Desconto de IPVA para
carros com finais de
placas de 7 a 37
até 11 de junho
                Dia 11 de junho, próxima segunda-feira, é o último dia de descontos do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para os proprietários de carros com finais de placas de 7 a 37, embora a data do licenciamento destes veículos, junto ao Detran, seja 10 de agosto.
                O pagamento integral do IPVA, dois meses antes do prazo final do licenciamento, para  veículos que não tenham multas de trânsito, garante o benefício do IPVA Cidadão. Os descontos são de 15% do valor do imposto para quem está há dois anos sem multa; 10% para quem não recebeu multas no ano passado e 5% de desconto nas demais situações. O desconto não é cumulativo. O proprietário de veículo tem, ainda, a opção de antecipar o pagamento do IPVA em três parcelas, sem desconto.
                No site da Secretaria da Fazenda (Sefa) é possível consultar as datas, valores, e optar pelo pagamento integral ou parcelado, além de emitir o Documento de Arrecadação Estadual (DAE), acessando o Portal de Serviços (www.sefa.pa.gov.br). O pagamento do DAE  é feito na rede bancária autorizada (Banpará, Basa, Bradesco, Banco do Brasil, CEF) e casas lotéricas. Quando não há antecipação do recolhimento do imposto, o  IPVA é pago junto com o licenciamento anual do Detran.
Parcelamento
                Quem tem débitos vencidos até 2011 poderá parcelar o  IPVA em até 8 parcelas. Esse limite poderá ser estendido até o máximo de 36 parcelas, após análise econômico-financeira e a critério do titular da secretaria. Basta formalizar o pedido junto a Coordenação Especial de Administração Tributária do IPVA e do ITCD na Região Metropolitana de Belém. No interior do Estado, nas Coordenadorias Regionais de Administração Tributária e Não Tributária (Cerat). Maiores informações pelo call Center Sefa, 0800-725-5533, ou pelo site da Sefa, área do Manual de Atendimento.

Texto:
Ana Márcia Pantoja-Sefa

Fundação Curro Velho
promove capacitação em Libras
“Libras e Direitos Humanos” é o tema da Formação Continuada de Professores prevista para a primeira semana de julho na Casa da Linguagem, unidade da Fundação Curro Velho. São ofertadas 70 vagas e as inscrições iniciam nesta segunda-feira, 11 de junho. Segundo a assessora de Linguagem Verbal, Ana Borges, a capacitação é voltada para as pessoas que desejam desenvolver o conhecimento em Língua Brasileira de Sinais. “Essa capacitação continuada é voltada para professores, mas é aberta aos universitários e público que tenha interesse em aprender Libras”, pontua.
                No conteúdo do curso, os participantes vão aprender o alfabeto em Libras, conversação em Libras, concepção de surdez, batismo em sinais, entre outros assuntos. A formação continuada em Libras será realizada no período 2 a 7 de julho, na Casa da Linguagem, na avenida Nazaré, nº 31, esquina com avenida Assis de Vasconcelos. 
                As inscrições iniciam nesta segunda-feira, 11 de junho e serão encerradas no dia 30, na Casa da Linguagem. Professores da rede pública de ensino estão isentos da taxa de inscrição. Informações pelo telefone 3241-9786/ 8895-1334.

Texto:
Andreza Gomes-FCV

Vacinação e conscientização
para prevenção da
saúde na Jucepa
                A Junta Comercial do Estado do Pará (Jucepa) promoveu esta semana uma ação em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde para a prevenção de doenças. A campanha para servidores e usuários aconteceu no salão térreo da Jucepa e os interessados apresentaram a carteirinha de vacinação. Além da preocupação com a saúde e bem estar, a campanha também teve como objetivo conscientizar colaboradores de que a vacinação é a maneira mais eficaz de prevenir doenças.
                A Campanha de Vacinação 2012 da Junta Comercial disponibilizou vacinas contra tétano, febre amarela, coqueluche e difteria, tríplice viral, Hepatite B (até 29 anos) e Gripe ( para grávidas, crianças até 2 anos e idosos). Cerca de 80 pessoas foram vacinadas e a iniciativa da campanha foi do setor de Serviço Social da Gerência de Gestão de Pessoas da Junta.

Equipe da Polícia Civil
apreende 35 quilos de
maconha em Paragominas
                Policiais civis da Seccional Urbana de Paragominas, nordeste do Pará, apreenderam cerca de 35 quilos de maconha e em torno de 1,5 mil pés da erva plantados na localidade Água Preta, a 170 quilômetros da sede do município. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira, 7. A apreensão foi resultado de investigações realizadas pela equipe policial coordenada pelo delegado Alberone Lobato, diretor da Seccional. A localização da plantação aconteceu após a prisão em flagrante, em um apartamento, localizado no condomínio Morada do Sol, Bloco 8, de Jackline Socorro Paixão dos Santos. Com a mulher, cerca de um quilo e meio de maconha prensada foi apreendido.
                Ao ser interrogada, a acusada contou aos policiais que havia comprado a droga de um homem chamado Ariel, na localidade Água Preta. Com a informação, os policiais civis seguiram ao local indicado pela mulher, situado em uma área de difícil acesso, por dentro de mata. No local, os policiais encontraram o barraco de proprietade de Ariel, que estava na área, mas conseguiu fugir. "Ao perceber a chegada dos policiais, ele embrenhou-se na mata. Ali encontramos 35 quilos de maconha já pronta para ser comercializada; mais 1,8 quilo de sementes da erva e ainda cinco espingardas de diversos calibres", relatou o delegado.
                Ainda segundo Alberone Lobato, a equipe policial seguiu mais cerca de 2 quilômetros na mata até localizar uma plantação de maconha com aproximadamente 1,5 mil pés de maconha plantada. Tudo foi cortado e queimado na área. A operação denominada “Água Preta" contou com a participação dos policiais Paulo Henrique, Marileno Alcântara, Deleconn Oliveira, Hélio, Pereira e Jordan (investigadores), além do diretor do Instituto Médico Legal de Paragominas, Carlos Jair, e do perito criminal Mário Cantuária. A operação atendeu a determinação do delegado José Ricardo Batista de Oliveira, superintendente da Polícia Civil na Zona Guajarina.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

 
Postar um comentário