Total de visualizações de página

segunda-feira, janeiro 30, 2012

Diário Oficial do Estado resgata a história do Pará



                 A primeira Reforma Agrária do Pará, a criação da Assistência Judiciária Pública Cível, as primeiras Audiência Públicas, o Tratado de Comércio entre Brasil e Argentina, a declaração de Estado de Guerra por Getúlio Vargas. Esses e muitos outros momentos históricos do Estado do Pará podem ser lidos na coluna "A História no Diário Oficial", publicada no Diário Oficial do Estado do Pará (DOE), diariamente.
                A coluna, escrita por Ribamar Castro, jornalista e bacharel em direito, resgata e retrata a história paraense, através dos atos dos governadores do Pará, desde o início da República, informando aos leitores os acontecimentos históricos do Pará e as decisões governamentais que influenciaram a vida da sociedade paraense e alteraram o futuro.
                O Jornalista Lúcio Flávio Pinto é um dos leitores assíduos da coluna. Ele conta que começou a ler o Diário Oficial em 1969. “Com a censura, o acesso às informações era muito difícil, então passei a buscar fontes alternativas para realizar o meu trabalho de jornalista e o Diário Oficial passou a ser uma dessas fontes. Desde então, leio todos os dias, e quando passou a ser publicada a coluna do Ribamar eu liguei parabenizando e incentivando o seu trabalho, por sua grande relevância documental e histórica”, conta.
                O primeiro ato histórico de um governador foi publicado em 1998, desde então, atos governamentais relevantes são publicados diariamente na capa do DOE. O responsável pelo minucioso trabalho de pesquisa, conta como teve início a coluna. “Como eu já trabalhava há muitos anos na Imprensa Oficial, queria fazer algo que deixasse algum legado, foi quando fiz o projeto da coluna que preservava a memória da gestão pública e, na época o então presidente Nélio Palheta, apoiou o projeto e teve início a coluna”, conta Ribamar.
                A aceitação pelo público e o sucesso foram tamanhos que quatro anos após a publicação no DOE da primeira coluna foi lançado um livro reunindo os principais atos dos governadores. Tratava-se da "I Edição dos Atos dos Governadores", uma publicação que reúne os principais atos do período de 1891-1930. Os textos revelam momentos da República Velha, em atos como a extinção do Diário Oficial. A obra foi lançada em 2002 em comemoração aos 111 anos do Diário Oficial, durante a Feira Panamazônica do Livro.
                Em 2011, foi lançada a "II Edição dos Atos dos Governadores", que retrata o período de 1930-1937, o Estado Novo, época governada pelos interventores e presidida por Getúlio Vargas. A edição reúne atos do período militar, sob o comando do coronel Landry Salles Gonçalves, chefe da Brigada Militar em operações no Norte, até o fim do período do governo constitucional de José Malcher, passando pela junta Governativa Provisória. Entre os atos desta, está a criação do Tribunal Revolucionário, o decreto que dissolveu o Congresso Estadual e instauração do Estado de Sítio no Brasil. A obra foi lançada em comemoração aos 120 anos do DOE, na Feira Pan Amazônica do Livro.
                Após pesquisar mais de 18 mil edições de Diários Oficiais, Ribamar Castro continua com seu trabalho e agora prepara a III Edição, prevista para ser lançada em setembro deste ano, durante a Feira do Livro, e que reunirá os principais Atos dos Governadores do período de 1947-1953. “Quem quiser saber sobre a história da direção pública do Pará pode ler os livros, que retratam de forma cristalina a história”, indica Ribamar.
                Fiel leitor e colecionador da coluna, Lúcio Flávio também tornou-se um dos grandes incentivadores da "A História no Diário Oficial". Para o jornalista, o trabalho é de grande relevância, pois “Recupera e faz uma documentação fiel da história republicana do Pará , uma vez que resgata a história de uma fonte oficial e cristalina, que é o Diário Oficial”, sintetiza. Ele foi convidado por Ribamar para escrever o prefácio da II publicação dos Atos dos Governadores.
                O Diário Oficial do Estado do Pará nasceu com a criação da Imprensa Oficial como órgão da administração pública estadual, no dia 14 de abril de 1890, pelo Decreto nº 137, assinado pelo governador Justo Leite Chermont.  Em 11 de junho de 1891, circulou o primeiro número do Diário Oficial, já no governo do capitão de mar-e-guerra Duarte Huet de Bacellar Pinto Guedes. Há 46 anos fazendo parte desta história, Ribamar Castro elucida o objetivo do seu trabalho: “Contribuir para a preservação da memória da administração pública. Confirmando esse tempo pretérito, nossa identidade e um por vir rico, edificado no tempo que se foi, a partir dos atos dos nossos governadores”, declara.

Texto:
Manuela Viana-Secom
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...