Total de visualizações de página

quarta-feira, janeiro 25, 2012

@ CORREIO JURUNENSE e as principais notícias desta manhã e início da tarde, de quarta-feira, dia 25 de janeiro. CONFIRA...

Defesa Civil Municipal
forma 2º Grupamento
de Pronto Salvamento (GPS)
Capacitar e preparar pessoas para situações de emergência. Esse é o objetivo da qualificação promovida pela Defesa Civil Municipal que forma nesta quinta-feira, 26, o 2º Grupamento de Pronto Salvamento (GPS). Trinta profissionais de diversas áreas receberão os certificados de que estão aptos a rápidas respostas, desastres e calamidades de grandes proporções que possam ocorrer na cidade.
O GPS foi idealizado a partir do desabamento do edifício Real Class, em 29 de janeiro de 2012. Segundo o coordenador da Defesa Civil Municipal, Mário Chermont, a partir da atuação dos voluntários nesse episódio, surgiu a necessidade de formação de um grupo com o preparo adequado para atuar nesse tipo de situação.
No total 60 voluntários já passaram pela qualificação que aborda teorias e práticas de primeiros socorros, humanização, defesa civil, dengue e resgate. A formação do Grupamento de Pronto Salvamento da Defesa Civil de Belém (GPS) teve a parceria da Defesa Civil Estadual, Corpo de Bombeiros, Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e técnicos da própria Defesa Civil de Belém.
Para ser voluntário da Defesa Civil de Belém é preciso ser maior de 18 anos e fazer o cadastro na sede da Defesa, que fica localizada na travessa Campos Sales, nº 33, entre 15 de Novembro e Boulevard Castilho França, durante horário comercial
Pará gerou 52 mil postos
de trabalho com carteira
assinada em 2011
                O Pará teve o segundo maior saldo de empregos formais desde a criação da série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. Os números, que fazem parte do novo Mapa de Empregos gerados no Pará e demais Estados da Região Norte, em 2011 (janeiro a dezembro), é divulgado pela Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Renda (Seter) e o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese-Pará).
                O relatório faz parte do Observatório do Trabalho do Estado do Pará, uma parceria entre o Governo do Estado, por meio da Seter e o Dieese-PA. Em 2011 (janeiro a dezembro) foram feitas, em todo o Pará, 366.721 admissões contra 315.228 desligamentos - saldo positivo de 51.493 postos de trabalho e crescimento de 8,04%. Quase todos os setores econômicos do Estado apresentaram crescimento de empregos formais. A exceção foi o setor serviço de indústria e utilidade pública (recuo de 0,08%). A construção civil apresentou o melhor desempenho: crescimento de 20,72%, seguido pelo extrativo mineral (17,92%), serviço (9,17%), comércio (9,86%), agropecuária (4,19%) e indústria de transformação (3,39%).
                O Dieese-PA analisou o comportamento do emprego formal em 2011 (janeiro a dezembro) em todo o Norte. Todos os sete Estados da região apresentaram saldos positivos. O destaque foi o Pará: 51.493 postos de trabalho e crescimento de 8,04% com relação ao registrado em 2010. Foi seguido pelo Amazonas (45.186 postos), Rondônia (11.781), Tocantins (8.419), Amapá (7.256), Acre (4.688) e Roraima (2.606).
                Em todo o Norte foram feitas, em 2011, 986.603 admissões contra 855.174 desligamentos - saldo positivo de 131.429 postos de trabalho e crescimento de 8,47% no emprego formal. Desse saldo total de todo o Norte (131.429 postos), 39% (51.493) foram gerados no Estado. E para 2012, o Dieese-PA estima que o Pará vai continuar gerando postos de trabalho praticamente nas mesmas proporções em que gerou em 2011.
Brasil
                Segundo o Ministério do Trabalho, mesmo com o acirramento da crise econômica mundial, em 2011, o Brasil criou 1.944.560 postos de trabalho celetistas. Os dados do Caged apontam um crescimento de 5,41% em relação ao estoque de empregos de dezembro de 2010. O resultado foi o segundo melhor da série histórica do cadastro. O ministro interino do Trabalho e Emprego, Paulo Roberto Pinto, considera que, para 2012, a expectativa em relação à geração de empregos no mercado de trabalho formal é bastante favorável. Segundo ele, deverá haver um incremento em torno de dois milhões de empregos formais celetistas ao final do ano.
                As informações por setor de atividade econômica mostram expansão generalizada do emprego. No setor de serviços, O País teve o segundo maior saldo para o período, com a criação de 925.537 postos (6,43%). No comércio foram gerados 452.077 postos (5,61%), na construção civil, 222.897 postos (8,78%) e na indústria de transformação, 215.472 postos (2,69%). A agricultura obteve o melhor resultado desde 2005, com a criação de 82.506 postos (5,54%). Na extrativa mineral foram gerados 19.510 postos (10,33%) - saldo recorde para o período; na administração pública, mais 17.066 postos (1,90%), e, no setor de serviços industriais de utilidade pública, 9.495 vagas (2,48%).

Texto:
Rusele Mendes-Seter
II Prêmio Cultural da
Prefeitura Municipal de Belém
Os talentos de 61 servidores públicos municipais ganham o merecido reconhecimento nessa quinta-feira,26. Eles serão as estrelas do II Prêmio Cultural da Prefeitura Municipal de Belém. A solenidade, no Palácio Antônio Lemos, premiará os 39 melhores textos (poemas, contos e crônicas); as 12 melhores produções em artes visuais (fotografia, pintura, escultura); e os dez melhores curta metragens. O tema das obras é a cidade de Belém.
O II Prêmio Cultural da PMB se propõe a ampliar as fronteiras da história a partir de versões feita por quem realmente faz a história: seus habitantes. Os trabalhos artísticos que concorrem ao Prêmio dão suas versões da cidade. Essas obras serão, ainda, importantes documentos de registro histórico.
Receberão prêmios em dinheiro os primeiros, segundos e terceiros lugares de cada categoria com R$ 5 mil, R$ 3 mil e R$ 1 mil, respectivamente. As obras premiadas serão publicadas. A todos os autores premiados e selecionados serão fornecidos certificados pela Comissão Cultural da PMB.

Prefeitura Municipal de Belém
Secretários de governo
apresentam oportunidades
de negócios com a Martinica

                No segundo dia da visita do presidente da Martinica, Serge Letchimy, ao estado, uma agenda de intensas de negociações foi cumprida com vários encontros temáticos que reuniram, além de secretários de estado e equipes técnicas do governo, dirigentes de instituições privadas e empresários de setores de exportação com interfaces às necessidades dos martinicanos.
                As atividades aconteceram no Centro Integrado de Governo (CIG), nesta quarta-feira, 24, pela manhã e tarde, quando os integrantes da comitiva com altos representantes e funcionários do governo da Martinica, que também inclui lideranças empresariais, identificaram as áreas de interesse e produtos que vão nortear prioridades e oportunidades no documento de cooperação econômica e técnica a ser indicado às assinaturas entre Martinica e Pará.
                O secretário Especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção (Sedip), Sidney Rosa, e o titular da Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), David Leal, apresentaram e teceram considerações sobre as potencialidades do estado e, em seguida, ouviram as demandas da comitiva da Martinica, em especial em relação à necessidade de geração de energia limpa para renovar a matriz energética daquele país, a partir de biomassa, um dos objetivos da aproximação estratégica com o Pará.
                O setor de fruticultura, com a importação de polpa, e a madeira para fabricação de móveis, foram outros interesses listados pelos membros da comitiva, que lançaram uma provocação com a ideia de que, futuramente, se trabalhe uma ampliação no projeto de cooperação econômica entre o Pará e a França, ou seja, União Europeia, por meio da Martinica, e para esse fim ressalvaram a adequação às rígidas normas europeias e a qualidade exigida para circulação de produtos mercado europeu.
                As opções de negócios entre o Pará e Martinica poderão se estender a outros setores da base produtiva paraense, desde as gemas minerais, o alumínio para fabricar estruturas, ao agropecuário, com destaque para compra de gado e frango, já que a Martinica tem que atender ao seu crescente mercado interno, e até sugeriram a discussão de parceria para aumentar a produção destes itens naquele país com apoio técnico do estado.
Biodiversidade
                Outra chance de negócio da economia paraense com os martinicanos repousa na nossa rica biodiversidade. Eles mostraram interesse nos fármacos. E neste aspecto, ao expor os diferenciais do Pará, o especialista Gonzalo Enríquez, Assessor Especial da Sedip, lembrou que “10% da biodiversidade do planeta estão no estado na forma pura de plantas, microorganismos, essências, e que essa bioindústria gera emprego, renda, preserva a floresta e exige pouca logística”, provocou.
                O pesquisador acrescentou ainda que a indústria de fármacos conta com insumos da biodiversidade da floresta amazônica, movimenta no mundo cerca de US$ 150 bilhões e apresenta um crescimento anual de mais de 15%, mais do que qualquer segmento econômico.
                Após as colocações das necessidades e oportunidades que remeterão às bases de um futuro acordo de cooperação econômica e técnica, as discussões foram centradas nas formas de viabilizar os negócios em parceria, com chances de gerar emprego e renda na Martinica e no Pará. O governo defende maior verticalização da cadeia produtiva em benefício social, econômico e ambiental da população.
                Uma das alternativas apontadas pelos martinicanos foi a opção por  joint venture, e neste sentido o representante da Câmara de Comércio e Indústria da Martinica firmou disposição para estudos técnicos e facilitar intercâmbio para aproximar os empresários paraenses dos martinicanos. Outro caminho sugerido nesta direção seria o “apoio da Sociedade das Antilhas de Investimentos, um fundo com mais de 12 milhões de euros, que poderia se somar ao Fundo das Guianas, o qual dentro de cinco anos terá um montante de 35 milhões de euros”, adiantou o representante da Câmara.
                As implicações de ordem logística para colocar os produtos paraenses no mercado da Martinica foi outro ponto que mereceu atenção e nesta questão se discutiu de que maneira tornar os preços competitivos para garantir os negócios. Rotas aéreas e marítimas foram alternativas sugeridas e que serão analisadas oportunamente. Os secretários Sidney Rosa (Sedip) e David Leal (Seicom) fizeram uma avaliação muito positiva dos primeiros entendimentos com os integrantes da comitiva e colocaram os técnicos do estado à disposição para as conversações que se seguirão com cada setor do governo da Martinica.
                Já o presidente Serge Letchimy ressaltou que “vai solicitar um cronograma de todos os entendimentos técnicos que estão em curso nesta viagem, as oportunidades de negócios, intercâmbios culturais, de pesquisa, para fechar uma proposta e encaminhar ao governado do estado”. Letchimy disse que gostaria de “assinar esse acordo de cooperação econômica e técnica talvez dentro de seis meses”, finalizou.

Texto:
Andréa Amazonas-SEDIP
HOSPITAL OPHIR LOYOLA INFORMA...
O Núcleo de Acolhimento do Enfermo Egresso – NAEE , do Hospital Ophir Loyola, começou uma campanha para evitar o desperdício e conscientizar pacientes, acompanhantes e funcionários sobre a responsabilidade com o meio ambiente. Para isso, foram distribuídas canecas de uso permanente, o que reduziu o consumo de copos descartáveis em 50%.

Atenciosamente,
Lívia Soares
Assessoria de Comunicação Social/HOL
Ideflor divulga empresas
habilitadas na licitação
ara concessão florestal
                O Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (Ideflor), publicou no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira, 25, o resultado preliminar da primeira fase da licitação para concessão florestal na Floresta Estadual (Flota) do Paru. A licitação disponibiliza 434,7 mil hectares da Flota, abrangendo os municípios de Monte Alegre e Almeirim, no Baixo Amazonas.
                As empresas têm cinco dias para recorrerem do resultado. Os recursos devem ser registrados no Protocolo Central do Ideflor e endereçados à Comissão Especial de Licitação. Após esse período, uma data vai ser definida para a segunda fase da licitação. Ao todo, o edital licita nove Unidades de Manejo Florestal.
Intercâmbio Cultural no
Pôr-do-Som da Estação
                Valorizar e divulgar a cultura do Estado do Pará é o que o grupo Charme Caboclo irá fazer nesta sexta-feira, 27, a partir das 18h, em mais uma apresentação no projeto Pôr-do-Som, na orla do Armazém 3, da Estação das Docas. “É um momento muito importante de intercâmbio onde interagimos com os outros grupos folclóricos locais, conhecemos o trabalho deles e também mostramos o nosso”, comenta a coordenadora do Grupo, Rita de Cássia sobre o projeto.
“Vamos mostrar através de muita dança um retrato de cada região do enorme Estado do Pará, e contar um pouco de sua história. Teremos demonstração da cultura da região do salgado com o tradicional xote, o nosso carimbó não irá faltar e ainda nossas danças negras como a capoeira e o olodum”, conta Rita.
                Para fechar a programação do mês de janeiro do projeto Pôr-do-Som, o Grupo Charme Caboclo fará uma apresentação com 27 dançarinos e músicos, entre crianças, adolescentes e adultos que prometem divertir todos que comparecerem a Estação das Docas, com a já famosa interação total com o público.
                Serviço:
                Grupo Charme Caboclo
Emater conclui diagnóstico
sobre assentamentos
federais do Baixo Amazonas
                No início deste mês, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) concluiu quatro Planos de Desenvolvimento de Assentamentos (PDA) e dois Planos de Recuperação de Assentamentos (PRA) na região do Baixo Amazonas. Os PDAs são referentes às áreas Região dos Lagos, Jaquara, Jacarecapá e Aldeia – todas em Monte Alegre. Já os PRAs dizem respeito ao Campos do Popó, também em Monte Alegre, e ao Campos do Pilar, em Alenquer.
                Ao todo, considerando os dois municípios, foram beneficiadas 1.235 famílias, de 22 comunidades. A maior parte das populações tem acesso ribeirinho ou localização à beira de estradas. O que as iguala, também, é a produção voltada à subsistência. “Alguns desses assentamentos são centenários. Os agricultores foram se instalando pouco a pouco e constituíram comunidades, que só agora começam a ter a ocupação territorial realmente reconhecida, de modo a poderem usufruir de acesso a políticas públicas”, explica o técnico agrícola e veterinário Alain Xavier, supervisor do escritório regional da Emater no Médio Amazonas.
                Segundo ele, existe um potencial de crédito rural na região, via Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), de mais de R$ 10 milhões, e a possibilidade imediata de aplicação de recursos federais em torno de R$ 20 milhões, por meio de crédito-apoio e crédito-educação.
                A iniciativa de pesquisa e diagnóstico da Emater faz parte de um convênio entre a Empresa e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), assinado em 2008 e com vigência até o fim deste ano. Os documentos completos foram encaminhados ao Incra, que, aprovando os dados, estabelecerá diretrizes de atuação tanto de si próprio, como de órgãos parceiros.
                Tanto o PDA, quanto o PRA consistem em análises amplas e profundas, padronizadas de acordo com instruções do Incra, da situação socioeconômica, migratória e ambiental de cada lote, comunidade e assentamento, com participação opinativa e validação pelos próprios assentados, por meio de assembléias gerais promovidas pela Emater. Além disso, o PDA e o PRA incluem um Plano de Utilização, com indicações sobre projetos preferenciais para cada localidade e a implantação de unidades demonstrativas de atividades-chave. Já foram implantadas, por exemplo, unidades de galinha caipira, de sistemas agroflorestais, de cultivo de forrageira para pastagem e de correção de solo, com calcário, para plantio de mandioca. Estão previstos também, ainda para este início de ano, Dias de Campo.
                No caso do PDA, o documento é imprescindível no processo de regularização fundiária dos assentamentos e no embasamento de investimentos governamentais, porque ajuda a legitimar a história de colonização, moradia e produção. O PRA seria uma atualização de dados de um PDA anterior.
                Em Monte Alegre, os assentamentos foram identificados com fotos de satélite e propostas de construção de postos de saúde e escolas: “Os Planos são completos e versam sobre todo o contexto comunitário, muito além da produção agrícola: para sobreviver como agricultor familiar, o produtor tem que ter amparo e estrutura ao redor, no seu dia a dia”, explica o técnico em agropecuária Elinaldo Garcia,chefe do escritório local da Emater. Em Alenquer, o Campos de Pilar, no Ramal do Escondido, reúne 85 famílias, que vivem principalmente da pecuária de leite e de corte e do cultivo de mandioca, milho e arroz.
                Para o técnico em agropecuária Edivaldo Vasconcelos, chefe do escritório local da Emater no município, “o posicionamento geográfico do assentamento, perto de estrada e perto também da cidade, é mais um ponto a favor para a profissionalização das cadeias produtivas, porque facilita o escoamento da produção”, disse.

Texto:
Aline Miranda-Emater
Presos do Pará concluem
Projovem Prisional



                Trinta e três detentos do Presídio Estadual Metropolitano I (PEM I), localizado no município de Marituba, receberam na última terça-feira, 24, os certificados de conclusão do Projovem Prisional, programa destinado à ressocialização do apenado através da educação e formação profissional, fruto de um convênio estabelecido entre o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Secretaria Nacional da Juventude e Superintendência do Sistema Penal (Susipe).
                A cerimônia de entrega dos certificados aconteceu nas próprias dependências do PEM I e foi aberta com a mensagem de agradecimento do orador da turma, o interno Eduardo Brandão, que destacou a importância do Projovem para os detentos e suas famílias. “Esse curso oferece uma oportunidade de transformação para todos nós. Somos agradecidos a Deus, em primeiro lugar, por nossas vidas, e aos órgãos competentes pela execução do projeto e também nossos familiares, pelo apoio que nos deram. Sem isso não teríamos conseguido chegar até aqui”, disse emocionado.
                O titular da Susipe, Tenente Coronel André Cunha, destacou a importância da educação no processo de reinserção dos egressos do sistema penal e conclamou-os a seguirem adiante nesse processo. "O próximo passo agora é o ingresso no Ensino Médio. Sabemos que é possível mudar essa situação e o Projovem Prisional comprovou isso. Agora é hora de seguir adiante. Aproveito também para dar os parabéns aos professores pelo trabalho e dedicação. Fica a certeza de que vocês (professores) foram fundamentais para a transformação dessas pessoas”, ressaltou o superintendente.
                Durante a cerimônia, as autoridades presentes receberam placas de agradecimento, confeccionadas pelos próprios internos, em razão do empenho para que o projeto fosse implantado e executado pela Susipe.
                Parceria - O Projovem Prisional faz parte do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) e permite aos egressos concluírem o Ensino Fundamental e se qualificarem por meio de uma profissão. No caso dos detentos custodiados pela Susipe, a formação se dá na área de movelaria.
                Segundo a coordenadora executiva do Projovem Prisional no Pará, Gisele Vaz, “a conclusão do curso é um processo de dignidade humana, na qual os presos se tornam protagonistas de uma nova realidade. E a política pública é fundamental nesse processo de transformação”, afirmou. Os estados do Acre e Rio de Janeiro também aderiram a esse projeto piloto. A partir dos resultados obtidos serão criadas novas políticas públicas para a educação prisional no Brasil.
                O evento também contou com a presença do juiz da 3ª Vara do Tribunal do Júri e coordenador do projeto "Começando de Novo", Cláudio Rendeiro; da assessora da Casa Civil da Governadoria, Ellen Guedes; e da coordenadora pedagógica do ProJovem no Pará, Simone Lopes.

Texto:
Nara Pessoa-Susipe
Novo secretário toma posse na Sema
                A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) informa que o novo secretário de Meio Ambiente José Alberto Colares, nomeado para a pasta na última terça-feira, 24, tomará posse do cargo na próxima segunda-feira, 30. Na terça, 31, já está agendada uma reunião do secretário com todos os servidores da casa.
Secti abre inscrições para
curso de Capacitação
em Propriedade Intelectual
                No mundo dos negócios, obras artísticas, invenções, inovações, marcas e outras expressões da criatividade humana são protegidas por lei pelo sistema de Propriedade Intelectual. No Brasil, e em especial no estado do Pará, as empresas investem pouco em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e, raramente, utilizam o sistema de (PI) como forma de proteção de suas invenções.
                Pensando em reverter essa situação, a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi) firmaram um acordo de cooperação técnica de modo a disseminar a cultura de PI para atores estratégicos ligados à Academia e ao setor produtivo.
                O primeiro desdobramento do acordo é a oferta do Curso Básico de Capacitação em Propriedade Intelectual, modalidade à distância, ministrado por técnicos do Inpi. São ofertadas 40 vagas e podem participar professores, pesquisadores, empresários de micro, pequenas e médias empresas inovadoras do Estado do Pará e demais profissionais ligados a Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I).
                Os interessados em se inscrever devem enviar, até o dia 31 deste mês, nome completo, e-mail de contato e instituição pertencente para o endereço eletrônico nicelma.oliveria@secti.pa.gov.br. As aulas iniciam no dia 19 de março e vão até 7 de maio, sendo necessário que os selecionados tenham acesso à internet em casa ou no local de trabalho para realizarem o curso.
                O curso básico integra o ciclo de capacitação em PI, que prevê, ainda, a realização dos módulos Intermediário e Avançado, de 40 e 32 horas, respectivamente, ambos na modalidade presencial. Até 2013, a Secti e o Inpi promoverão outros treinamentos, de acordo com os seguintes módulos: a) Introdução à Propriedade Intelectual; b) Patente (nível básico); c) Proteção do software; d) Transferência de Tecnologia. Além disso, o acordo prevê, ainda, a realização de palestras, workshops e/ou reuniões temáticas durante eventos organizados pela Secretaria.

Texto:
Ana Carolina Pimenta-Secti
Corrida de Belém já tem
mais de mil inscritos
Movimento intenso nos guichês de inscrição para a 16ª Corrida de Belém.Nesta quarta-feira, 25, a quatro dias para a competição, havia fila nos guichês instalados no Boulevard Shopping e na Secretaria Municipal de Esporte, Juventude e Lazer (Sejel).  “É sempre assim. A procura aumenta agora nos últimos dias de inscrição e com certeza até esta sexta-feira,27, estaremos atingindo o número de dois mil corredores inscritos, a nossa expectativa de competidores para o evento”, afirma Paulo Silva,Coordenador da Salamandra Sports, empresa responsável pela organização do evento.
No ato da inscrição o atleta recebe um kit com o número que vai usar na corrida (e que deve ser colocado na camisa), o chip de uso único (cronômetro digital) e o regulamento da competição. “A camisa da corrida começou a ser entregue a partir desta terça, então o atleta que se inscreveu e que não recebeu a camisa já pode vir buscá-la no guichê onde efetivou a inscrição”, esclarece Silva.
Para se inscrever o atleta deve apresentar cópias da carteira de identidade e CPF, e se for servidor público precisa ainda levar o último contracheque. A inscrição custa R$ 15,00 e se encerra nesta sexta-feira 27. Como premiação, o primeiro colocado geral nas categorias masculino e feminino receberá uma motocicleta. Já o segundo e o terceiro colocados serão premiados com vale-compras nos valores de mil reais e 500 reais, respectivamente.
A Corrida de Belém tem um percurso de 10 km e há três anos a largada e chegada acontece na Av. Visconde de Souza Franco (Doca) passando por pontos históricos da cidade, como o Ver-o-Peso, Catedral Metropolitana, Palácio do Governo e  Basílica de Nazaré.
Os últimos ajustes no atendimento de urgência e emergência e orientação médica dos atletas durante a competição estarão em discussão nesta quarta-feira,25, à tarde em uma reunião geral entre os realizadores do evento, a Prefeitura de Belém, Jornal O Liberal; e os órgãos parceiros, entre eles, Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), Unimed e  Corpo de Bombeiros e Polícia Militar. “É o momento em que estaremos afinando estes detalhes para o evento que todos os anos encerra a programação da Prefeitura para o aniversário da cidade”, explica o Secretário Municipal de Esporte, Francileno Mendes.

Texto: Ieda Ferreira -Ascom Sejel
Duzentos e doze policiais
civis são promovidos
por antiguidade ou merecimento
                Até o final de janeiro, 212 policiais civis terão sido promovidos pelo Governo do Estado por tempo de serviço ou por merecimento. Desde 2003 que um número tão expressivo de servidores da corporação não recebia este reconhecimento, estabelecido em 1997 pelo decreto nº 2.115, que regulamentou o processo de promoções na Polícia Civil paraense. Até abril, o Executivo Estadual pode divulgar uma nova lista de promovidos seguindo os mesmo critérios. As promoções têm por finalidade despertar o interesse pelo serviço, motivar o policial à profissionalização, selecionar valores profissionais e propiciar igualdade de oportunidades.
                Os policiais que receberam a promoção este mês comemoram. O papiloscopista Fernando Machado, que completa, em maio, 22 anos como concursado da Polícia Civil, ficou surpreso com a notícia de que seria promovido. “Quando eu fiz o concurso, em 1990, não imaginava o quanto eu iria gostar de trabalhar como papiloscopista, não tinha ideia da profissão. Eu me preparava para o vestibular e estava sem emprego quando surgiu essa oportunidade. São anos de dedicação, mas confessor que recebi com surpresa essa promoção”, revela Machado, de 48 anos, promovido por tempo de serviço.
“É muito bom saber que os nossos direitos não foram esquecidos. Eu busco fazer o melhor, me preparando, trabalhando com empenho. Busco aproveitar as oportunidades e sei do meu dever de servir a população, mas nunca esperei esse reconhecimento. ”, afirma o papiloscopista, que hoje coordena a área de estatísticas em seu setor na Polícia Civil, e que não deixa de se capacitar. Ele já fez cursos da Secretaria Nacional de Segurança Pública e até uma capacitação em uma agência de segurança no Japão, em 2002. Neste, Fernando foi um dos dois brasileiros a representar o país no evento.
                A delegada titular da Divisão Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), Alessandra Jorge, também teve o trabalho reconhecido pela promoção divulgada esta semana no Diário Oficial. O trabalho que desenvolve à frente da Delegacia Especializada na defesa dos direitos das mulheres foi, na opinião dela, crucial para que recebesse o benefício. “Não devemos esperar o reconhecimento, mas trabalhar porque gostamos. E eu gosto muito do que eu faço”, ressalta a delegada, que já recebeu premiações por conta do trabalho desenvolvido junto às mulheres vítimas de violência. Uma dessas premiações foi a medalha Evano Vich, em 2011, pela investigação do caso do maníaco que estuprava mulheres em Belém e pela prisão do mesmo, em janeiro do ano passado.
                Alessandra tem 37 anos, é formada em Direito e está na Polícia Civil desde 2000. Em 2003 ela esteve à frente da DEAM em Breves, na Ilha de Marajó. No ano de 2007, assumiu a direção da delegacia na capital, onde está até hoje e pretende seguir trabalhando. “Quero continuar servindo a população sempre muito bem para ser merecedora desse reconhecimento. Ser policial não significa saber correr atrás de bandido ou saber fazer inquérito, mas, sobretudo, atender bem a população, saber servir a comunidade”, defende.
                Quem também está entre os 212 promovidos agora em janeiro na Polícia Civil é o investigador Jango Nascimento. Ele é investigador concursado desde 1991 e acredita que o reconhecimento é resultado do trabalho que afirma realizar com extremo prazer. “Eu me dedico de corpo e alma ao meu serviço. Sou um apaixonado pela minha profissão. Sempre busco fazer o meu melhor, investindo nos estudos, me empenhando nas investigações e atendendo bem a comunidade. Procuro tratar cada cidadão como um parente meu, com muita dignidade”, destaca Jango, que como investigador é chefe de operações da Seccional de Ananindeua, na Região Metropolitana da capital, mas já esteve na mesma função em outras delegacias, como a do distrito de Icoaraci, onde permaneceu por 15 anos.
“Na delegacia de Icoaraci eu estive a frente de vários casos. Um deles foi o de uma moça encontrada morta na rua, sem nenhuma identificação. Nós passamos um bom tempo investigando quem era a mulher, até que conseguimos descobrir o paradeiro da família e que ela tinha sido vítima do namorado. Conseguimos encontrar o acusado e prendê-lo”, conta Nascimento, promovido por merecimento. O investigador espera que a valorização dos servidores seja também um estímulo para todos os outros policiais, que na opinião dele não tem nada a perdem por se empenhar.
Valorização - O delegado geral da Polícia Civil do Estado, Nilton Atayde, explica que a promoção dos policiais civis deveriam ocorrer de três em três anos, mas a última aconteceu em 2003. “Essa promoção dos servidores foi uma das prioridades que elegemos ao assumirmos a delegacia geral. Acreditamos que este é um reconhecimento importante, que é um direito do servidor”, diz. Segundo o Atayde, outra promoção deverá ocorrer este ano, no mês de abril, seguindo os critérios estabelecidos no decreto nº 2.115/97, sobre tempo de serviço e merecimento.
                No caso da promoção por merecimento, Nilton explica que os policiais são avaliados por uma comissão que avalia a vida funcional de cada um, observando o trabalho desempenhado na corporação e junto à sociedade. “Essa promoção está relacionada a uma vida funcional sem máculas, de acordo com a funções e o desempenho do servidor. Esperamos que esse ato estimule os policiais, mostrando que é possível progredir na carreira por meio da valorização e reconhecimento”.

Texto:
Thiago Melo-Secom
 “Procissão das Almas” de
Walcyr Monteiro na Estação
“Nosso objetivo é valorizar os escritores da terra e transmitir através do teatro um pouco da nossa riquíssima cultura”. Assim  Joécio Lima, integrante do Grupo de Teatro Aldeato, define o espetáculo “Procissão das Almas”, que será apresentado no próximo domingo, 29, a partir das 17h30, na orla do Armazém 3 da Estação das Docas.
                O Grupo de Teatro Aldeato extraiu o espetáculo do livro “Assombrações e Encantamento da Amazônia” do escritor paraense Walcyr Monteiro. “Além de ser um mito amazônico, a história acontece em Belém. E, nessa apresentação fizemos uma inversão de papéis que deu muito certo, em que homens representam mulheres e vice-versa”, frisa o ator Joécio Lima.
                Para quem não conhece, o espetáculo conta a história de Dona Carmelinha, uma senhora fofoqueira, que sabia tudo da vida dos outros, até que um belo dia uma procissão muito estranha passou em frente de sua casa. O que acontece depois você confere no domingo, 29, no Projeto Pôr-do-Som.
                Sonoplastia, cenário e figurino ajudam a contextualizar a história na montagem feita pelo grupo, que garante ao público a certeza de muita diversão nesa viagem pelo mundo dos mitos amazônicos. A OS Pará 2000 informa que, devido ao período de chuvas, o espetáculo foi transferido para orla do Armazém 3 da Estação.
Serviço: Grupo de Teatro Aldeato “Procissão das Almas”. Dia 29 (domingo), a partir das 17h30, na Orla do Armazém 3 da Estação das Docas. Entrada Franca

Texto:
Isa Arnour -Pará 2000
Etiene Andrade assume
jornalismo da Cultura FM
                A jornalista Etiene Andrade assumiu a Coordenação de Jornalismo da Rádio Cultura FM. Ela ocupa a vaga deixada pelo saudoso Hamilton Pinheiro, falecido no mês passado, aos 63 nos. A jornalista era a correspondente da emissora no município de Castanhal e agora tem o desafio de comandar a equipe da emissora em busca de dar maior agilidade aos produtos jornalísticos da casa. Etiene disse que substituir Hamilton Pinheiro está sendo bastante difícil.
“A perda do Hamilton foi um choque, porque ele representava mais que um colega de trabalho. Ele foi um tutor para muitos de nós. Com sua postura responsável e ao mesmo tempo descontraída e acessível, abriu portas para novos talentos no jornalismo”, contou. “Por isso o papel de substituí-lo é um estímulo a mais para que eu desenvolva um bom trabalho, tendo como referência a valorização do quadro de profissionais da Cultura que é com certeza um dos mais qualificados e experientes do radiojornalismo paraense”, completou.
                Etiene Andrade disse que coordenar o setor jornalismo da Rádio Cultura é o maior desafio de sua carreira, pela fato da Rádio Cultura ser referência para quem atua na área. “Coordená-lo é ter o dever de garantir a excelência desse serviço e ter como desafio torná-lo ainda mais dinâmico e eficiente. Além disso, eu comecei minha carreira profissional no jornalismo da rádio. Fui estagiária, repórter, produtora e editora. Essa trajetória na casa faz com que eu me sinta ainda mais responsável em contribuir positivamente para a evolução de nossa produção jornalística”, concluiu.
                Etiene Andrade é jornalista, formada pela Universidade Federal do Pará. Trabalha como jornalista desde de 2001. Já atuou na Rádio e TV Cultura (edição, reportagem, produção), foi produtora e editora na TV RBA e assessora de comunicação na Paratur e na Santa Casa de Misericórdia do Pará.

Texto:
Ronaldo Quadros-Funtelpa
Operação Porta a Porta
tira catadores do lixão
Incentivar a solidariedade da população com o trabalho dos catadores na coleta de lixo seletiva  é a proposta da parceria que a Prefeitura Municipal de Belém, através da Secretaria Municipal de Saneamento-Sesan, começa a pôr em prática a partir desta quinta-feira,26, nos bairros da Pedreira e do Marco.
A parceria da PMB com os catadores do Aurá e Associações  consiste em desenvolver uma metodologia de coleta seletiva chamada de “Porta a Porta” . A sociedade poderá colaborar solidariamente com essas associações separando os recicláveis que o catador solicitar.
Vale ressaltar que nem todos os plásticos ou papéis são vendáveis e que há necessidade, também de forma solidária, de a população lavar os produtos antes de acondicioná-los para a doação.
A Prefeitura de Belém já consegue dar apoio para a Associação da Coleta Seletiva que tira 140 toneladas de reciclados produzidos por mês, em Belém. Com essa iniciativa a administração municipal objetiva atender as novas regras da lei dos resíduos sólidos nº12.305, que determina a retirada dos catadores do ambiente do aterro sanitário. “ Com esse trabalho em parceria com os catadores, nós vamos atingir duas situações. A primeira, e a mais importante, tirar os catadores das condições subumanas do lixão. A segunda, contribuir com o meio ambiente e dar uma fonte de renda para esses catadores que vão trabalhar de forma digna”, avalia o secretário municipal de Saneamento,Ivan Santos.

Texto: Ascom Sesan
Águia e Paysandu se
enfrentam em Marabá
                Empolgado com a primeira vitória por 2 a 1 contra a Tuna Luso na semana passada, o Paysandu, quinto colocado na tabela de classificação do Campeonato Paraense, enfrenta o Águia, terceiro no ranking, nesta quarta-feira, 25, às 20h30, em Marabá, em busca de mais uma vitória que assegure o ingresso no G-4 e a passagem para a próxima fase do Parazão 2012. A Rede Cultura de Comunicação (TV, Rádio e Portal Cultura) vai transmitir a partida, ao vivo, para todo o Pará, direto do estádio Zinho Oliveira.
                Para o comentarista esportivo Edson Matoso, o jogo não tem favorito, visto que a diferença entre as duas equipes é de apenas três pontos. Para ele o que vai diferenciar as duas equipes é a preparação. Matoso destaca que o Águia começou a formar o time para o Parazão deste ano logo depois do final do campeonato do ano passado, enquanto o Paysandu se afundou em uma grave crise que está se refletindo no desempenho do time este ano.
“O João Galvão (técnico do Águia) começou a chamar os seus parceiros de Marabá para começar a contratar, reformar o grupo e começar a trabalhar. Já o Paysandu ainda ficou discutindo se estava certo o trabalho do Luiz Omar (ex-técnico), o elenco e até hoje essa história continua”, analisou.
                Matoso aposta em um jogo equilibrado, com maior possibilidade para o Águia de vencer a partida de hoje. Para ele, o técnico do Paysandu, Nad (Ronaldo dos Santos Couto), ainda tem dificuldades para escalar o time, pois o grupo que entrou no segundo tempo da última partida contra a Tuna teve maior movimentação, em relação ao que começou jogando.
                A provável escalação do Águia será: Alan, Júnior Ferrari, Charles, Roberto e Rayro; Arnaldo, Diogo, Marquinho e Flamel; Valdanes e Branco, sob o comando de João Galvão. Pelo Papão, devem jogar Ronaldo (Paulo Rafael); Yago Pikachu, Thiago Costa, Darlan e Jairinho; Vânderson, Neto, Robinho e Leandrinho; Nenê Apeú e Juba.

Texto:
Ronaldo Quadros-Funtelpa
Novo diretor geral do
Ideflor toma posse
                O novo diretor geral do Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (Ideflor), Thiago Valente, toma posse no cargo nesta sexa-feira, 27, no auditório do Ideflor, em Belém. Na ocasião, José Alberto Colares, que dirigiu o Ideflor desde o ano passado, repassará oficialmente o cargo diante dos servidores da autarquia.
                O engenheiro florestal Thiago Valente Novaes é natural de Belém, tem 28 anos de idade e trabalha no Ideflor desde 2008. Ele foi aprovado no primeiro concurso do instituto, onde ocupou os cargos de Gerente de Concessões Florestais e Diretor de Gestão de Florestas Públicas. Em 2011, foi aprovado no concurso do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, mas foi cedido ao Ideflor.
Governo do Estado nomeia
mais 69 servidores para
a Defensoria Pública
                O Governo do Estado nomeou mais 69 servidores aprovados no Concurso Público C-119 para cargos na Defensoria Pública. A lista dos novos nomeados foi publicada na última terça-feira, 24, no Diário Oficial do Estado. Os cargos a serem ocupados pelos recém-empossados serão distribuídos da seguinte forma: 50 lotações para Assistente Administrativo, 10 para Auxiliar Operacional e 9 para Motorista.
                É importante ressaltar que todos os aprovados no Concurso C-119 para os cargos de Técnico em Gestão Pública, Administração, Analista de Sistemas, Arquitetura, Biblioteconomia, Ciências Sociais, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Engenharia, Estatística, Psicologia, Pedagogia e Serviço Social já foram chamados. Os 88 aprovados no Concurso - para os cargos de Assistente administrativo e Auxiliar Operacional - que ainda não foram nomeados serão convocados até o final mês de abril.
                Segundo o coordenador do Núcleo de Planejamento da Defensoria, Marcus Holanda, o Plano Plurianual (PPA) da Defensoria Pública para o quadriênio 2012-2015 prevê a nomeação de defensores e servidores, meta que já foi quase totalmente cumprida com a nomeação e posse dos últimos 45 defensores públicos da 1ª Entrância pelo Concurso C-143, zerando assim o cadastro de reservas daquele certame.
                De acordo com o defensor público do Estado, Antônio Roberto Cardoso, estas nomeações vem garantir que os serviços do órgão ganhem mais agilidade e eficiência, posto que a instituição passa a contar com um número maior de servidores. “Temos muito a agradecer ao Governo do Estado por sempre olhar a Defensoria com sensibilidade e toda a atenção possível. Essas nomeações são de suma importância para a instituição, principalmente tendo em vista nossa missão, que é a garantia do acesso à justiça para a população mais carente”, finalizou.

Texto:
Gilla Aguiar-Defensoria Pública
Operação Inverno já retirou
97 mil toneladas de
entulho em canais

De 1º de agosto do ano passado até esta semana, a Secretaria Municipal de Saneamento – Sesan, já retirou 97 mil toneladas de entulho e lama dos canais que estão recebendo a “Operação Inverno”. Para se ter idéia da gravidade do problema, esse montante dá para encher quase cem piscinas olímpicas.
O técnico em saneamento Marcus Carvalho, que há 25 anos trabalha nesta área, explica que por Belém estar numa região de muita intensidade de chuva, o escoamento dessas águas deveria ser rápido, por causa da quantidade de canais, não causando transtornos demorados à população. Mas, há um porém, avalia Marcus. "A capital está situada no mesmo nível do mar e quando existe a coincidência de chuva e maré cheia, os alagamentos, segundo ele, são inevitáveis".
Marcus Carvalho coordena a “Operação Inverno”. O objetivo dos trabalhos é justamente minimizar as consequências da combinação maré alta/chuvas. Mas ele esclarece que o mais importante na operação é a parceria com a população. "Os moradores das marginais dos canais têm que fazer sua parte", argumentou.
Nesta fase da operação, cerca de 350 homens estão atuando em seis pontos estratégicos, com máquinas "drag-line", retroescavadeiras, caminhões hidrojatos e caçambas. O trabalho consiste na dragagem, limpeza e roçagem do taludo, a vegetação que fica às margens dos canais, além da desobstrução da rede de esgoto.
A quantidade de lama e entulho surpreende até mesmo o experiente Marcus Carvalho. Ele diz que é encontrado de tudo nos canais, como vasos sanitários, sofás, carcaças de geladeira e fogão. Marcus afirma ser a parceria com a população o maior desafio da Prefeitura de Belém
A intensificação da operação atualmente acontece no canal da Quintino Bocaiúva, com a limpeza manual. A dragagem mecânica está sendo intensificada no Canal da Três de Maio.
Dois trabalhos também são considerados importantes nesta operação, explica o técnico da Sesan. A desobstrução do sistema de tubulação, utilizando um caminhão hidrojato, e a limpeza manual das bocas dos canais. As equipes têm encontrado dificuldades no canal da baixada da Vileta, no bairro do Marco. "A população não está respeitando o dia e o horário da coleta de lixo, que é jogado na rua desordenadamente. Vem o entulho, o volume aumenta e acaba tendo como destino os canais", reclama.
Seguros Banpará recebe
1059 adesões em dois meses
                Em apenas dois meses, o Banco do Estado do Pará (Banpará) já vendeu 1059 apólices de seguros da nova modalidade de serviço oferecida pela instituição, os seguros de Vida, Acidente Pessoal e Residencial, disponibilizados aos clientes do banco em convênio com as seguradoras MAPFRE e ACE. A meta até o final do ano é de atingir 85 mil adesões. A grande procura pelos itens recém-lançados mostra que os clientes acreditam e confiam nos produtos do Banco.
                O Banpará Vida é um seguro simples e, para a adesão, não é necessário o preenchimento de Declaração Pessoal de Saúde e Atividade – DPSA. As coberturas básicas são garantia do pagamento do capital segurado aos beneficiários indicados, em caso de falecimento, além de organização e o custeio do funeral.
                Já o Seguro Banpará Acidente Pessoal garante indenização do capital segurado aos beneficiários indicados em caso de morte ocasionada por acidente pessoal coberto. O Seguro Banpará Residencial, além de garantir proteção 24 horas para o patrimônio, oferece serviços emergenciais, como chaveiro e encanador, entre outros. Conta, ainda, com coberturas adicionais para roubo e furto de bens, mediante arrombamento e responsabilidade civil por danos causados a terceiros.
                A gerente geral da Agência Ananindeua, Edileuza da Silvia, parabenizou o esforço de toda equipe pelo empenho nas vendas. “Toda equipe está comprometida com os resultados da Agência. Foi distribuída uma meta individual para cada funcionário e todos correram atrás ”. O Seguros Banpará vai oferecer prêmios em dinheiro, cujos sorteios serão mensais e estarão vinculados às extrações da Loteria Federal. A contratação poderá ser feita em qualquer ponto de atendimento do Banco.

Texto:
Yedda Bevilacqua-Banpará
Sejudh apoia evento alusivo
ao Dia Nacional de
Combate ao Trabalho Escravo
                A Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), em parceria com a Associação dos Magistrados do Trabalho Pará e Amapá (Amatra 8), promove nesta sexta-feira, 27, o II Seminário Alusivo ao Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Viabilizado pela Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo (Coetrae-Pa), a atividade ocorre de 9h às  17h, no Auditório do Tribunal Regional do Trabalho da 8° Região (TRT 8), situado na Tv. Dom Pedro I, n°750, bairro do Umarizal.
                A programação é alusiva ao 28 de janeiro - Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. O encontro pretende receber estudantes, professores, organizações da sociedade civil, procuradores e juízes federais e do trabalho, auditores fiscais e representantes dos poderes executivo, legislativo e judiciário.
                A mesa de abertura conta com a presença do Procurador da República e mestre em direitos humanos, Ubiratã Cazetta; o Desembargador Federal do Trabalho, Gabriel Velloso Filho; o Procurador Regional do Trabalho, José Cláudio de Brito; e o Presidente da Amatra, Juiz Antônio Coelho. O primeiro tema a ser abordado será: “Trabalho escravo: partindo do princípio da dignidade humana às condições analógicas e condições degradantes dos espaços de trabalho no Brasil”.
A segunda mesa debatedora traz a temática: “Avanços e perspectivas no enfrentamento ao trabalho escravo: diminuição da vulnerabilidade e prevenção ao aliciamento; repressão à utilização de trabalho escravo; e reinclusão de trabalhadores libertos e resgate da cidadania”. Desta vez, foram convidados para ocupar a banca, a secretária adjunta da Secretaria de Estado de Trabalho Emprego e Renda (Seter), Mônica Coutinho; o representante da Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República, Solon Pereira; o Coordenador de fiscalização rural da Superintendência Regional de Trabalho e Emprego, Raimundo Barbosa; e o Coordenador Estadual de Promoção dos Direitos dos Trabalhadores Rurais, Combate ao Trabalho Escravo e Tráfico de Pessoas, Murilo Sales.
                O 28 de janeiro foi oficializado como Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo após a chacina de Unaí, ocorrida há 8 anos, no estado de Minas Gerais. “Em 2004, três auditores fiscais e um motorista do Ministério do Trabalho foram brutalmente assassinados enquanto se dirigiam para fiscalizar das condições de trabalho e moradia de colhedores de feijão de Unaí, noroeste de Minas Gerais. Mesmo depois de oito anos dessa chacina, os envolvidos ainda não foram a julgamento”, explica Sales. Informações sobre o seminário desta sexta-feira são disponibilizadas no fone: (91) 3224-6577.

Texto:
Ellyson Ramos-Sejudh
Susipe certifica mais
de 400 agentes penitenciários








                A Superintendência do Sistema Penal (Susipe), em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), certificou 464 agentes penitenciários que concluíram o curso de formação continuada na Escola de Administração Penitenciária da Susipe. De junho a dezembro do ano passado, eles participaram de um processo de qualificação para a execução das tarefas junto aos detentos. A entrega dos certificados aconteceu na manhã desta quarta-feira, 25, em cerimônia no auditório Ismael Nery, do Centur.
                O superintendente da Susipe, tenente coronel André Cunha, que participou da solenidade, ressaltou a importância do curso para o Sistema Penal. “Capacitar o servidor é investir na qualidade do serviço público. Mais que isso, é valorizar o servidor. Muitos deles já trabalham há anos na autarquia e nunca haviam passado por um processo de atualização profissional, só tiveram a formação de ingresso. E atualização não só aperfeiçoa o servidor, como dá a ele outro gás, uma injeção de ânimo, que traz de volta a sua dedicação ao trabalho. Tudo isso contribui para um serviço de melhor qualidade”, afirmou.
                De acordo com a gerente da Escola, Soliane Fernandes, outro objetivo do curso, além da qualificação, foi contribuir para o esclarecimento da função do agente, enquanto integrante de um processo de ressocialização e humanização dos detentos. “Nosso objetivo foi fazer com que eles possam desempenhar suas funções com mais qualidade, mas, sobretudo, baseados no princípio da dignidade humana”, afirmou.
Agente penitenciário há 9 anos, Rodman Santos afirmou que o aprendizado do curso será imprescindível daqui para sempre. “Todos os temas que nós vimos são de suma importância. Nosso trabalho é difícil e requer esse preparo. Falar de ressocialização não é fácil, o resultado não é imediato. Mas hoje, nós e o sistema penitenciário todo, estamos norteados na dignidade, no tratamento desse detento. E vamos colher isso lá na frente”, destacou Rodman, que foi o escolhido pelos demais alunos para ser o orador da turma.
                Para a procuradora de Justiça do Estado, Maria Célia Filocreão, que representava o Ministério Público, a capacitação veio em um momento oportuno. “A sociedade é dinâmica. Nós estamos passando por um período de mudanças em dois os níveis do comportamento humano, então é necessário que nós busquemos essa atualização, para conhecer os novos métodos, as novas leis”, afirmou.
                O curso abrangeu quatro eixos temáticos: relações humanas e reinserção social; saúde mental e qualidade de vida; segurança e disciplina, e Administração Penitenciária. Durante os seis meses foram formadas 12 turmas, que concluíram uma carga horária de 116 horas/aula. Cada turma era composta por cerca de 40 agentes, todos com lotação em unidades da Região Metropolitana de Belém. 

Texto:
Amanda Engelke-Secom
Alunos de programas
especiais da Uepa
devem se recadastrar
até o dia 30
                Foi prorrogado até o dia 30 de janeiro o recadastramento online de alunos dos programas especiais da Universidade do Estado do Pará (Uepa), entre eles os da Universidade Aberta do Brasil (UAB), do Programa Territorial Participativo (PTP) e do Plano Nacional de Formação de Professores (Parfor). O recadastramento é obrigatório e faz parte da rematrícula dos alunos.
                Para se recadastrar, os alunos devem acessar o endereço http://siga.uepa.br/sigaluno/ e, em seguida, levar o comprovante de recadastramento impresso e assinado e os documentos listados abaixo nos polos ou nas Coordenações de Registro e Controle Acadêmico (CRCAs) do Campus onde estuda, no período para a rematrícula definido pelo curso ou programa.
                A Diretoria de Desenvolvimento de Ensino (DDE) reforça que, embora relacionados, recadastramento e rematrícula não são a mesma coisa. "O recadastramento condiciona a rematrícula. Só se pode fazer o segundo diretamente na CRCA, depois de fazer o primeiro, pela internet", explica a diretora de Desenvolvimento de Ensino da Uepa, Alessandra Raiol.
                Todos os alunos dos Programas Especiais deverão entregar os documentos abaixo e levar seus originais para conferência:
- Comprovante do seu recadastramento devidamente assinado
- Cópia do seu Cadastro de Pessoa Física (CPF)
- Cópia do seu Registro Geral (RG)
- Cópia de Comprovante recente de seu endereço (telefone fixo, água, luz, etc ...)
                Para mais informações, os alunos devem entrar em contato com os seguintes Centros de Registro e Controle Acadêmicos (CRCAs):
- Campus I/Centro de Ciências Sociais e da Educação (CCSE): (91) 4009.9543
- Campus II/Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS): (91) 3276.2365
- Campus III/CCBS – Educação Física: (91) 3246.8109
- Campus IV/CCBS - Escola de Enfermagem Magalhães Barata: (91) 3229.1131
- Campus V/Centro de Ciências Naturais e Tecnologia (CCNT): (91) 3276.7152
Fundação Hemopa
promove curso sobre
Tecnovigilância
                Nesta quinta-feira, 26, a Fundação Hemopa promoverá curso sobre “Tecnovigilância”, no auditório do hemocentro. O evento, que está sendo coordenado pela Gerência de Farmácia, tem a finalidade de capacitar os profissionais da área técnica na identificação de problemas relacionados aos materiais médicos hospitalares.
Os participantes assistirão palestras proferidas pelos seguintes profissionais: Mário Chaves, que é especialista em Regulação e Vigilância Sanitária, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); as farmacêuticas Fabiana Menezes de Souza Câmara e Andrea Santos de Souza Aguiar, da Vigilância Sanitária do Estado (Visa); e a enfermeira Dociana Érica Cabral Famigosa, da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará (FSCMP). Cerca de 80 profissionais deverão participar do evento
Governos do Pará e da
Martinica discutem
criação de nova rota
de transporte

                Estimular a criação de novas rotas de transporte marítimo e aéreo para incrementar o comércio e o turismo entre o Caribe e a Amazônia. Este foi o principal assunto discutido nesta quarta-feira, 25, entre o secretário Especial de Infraestrutura e Logística, Sérgio Leão e o presidente da Martinica, Serge Letchimy, no terceiro dia de visita oficial ao Pará.
                As parcerias entre o estado do Pará e a região da Martinica, um departamento ultramarino insular da França, podem abranger desde a importação de biomassa e gás para geração de energia até pesquisas na área farmacológica, beneficiamento de madeira e intercâmbio turístico e cultural. Mas segundo o presidente Serge Letchimy, o principal entrave hoje para viabilizar essa cooperação é o transporte. Por isso ele propôs a criação de um grupo de trabalho formado por representantes do governo paraense e da Martinica para identificar produtos da nossa balança comercial que possam viabilizar a criação dessa nova rota. “O Pará e Martinica podem ser os portões de entrada/saída da rota Amazônia/ Caribe. Ao invés das importações de produtos europeus ou chineses chegarem via São Paulo, poderíamos criar esta nova alternativa, com certeza mais barata e mais rápida”, declarou o presidente.
                O secretário Sérgio Leão informou que hoje as grandes linhas de transporte comercial são definidas por empresas que atuam no sul e sudeste do país, onde se concentra a maior demanda. “O mercado local é pequeno em relação ao transporte marítimo brasileiro. Já na área mineral nós não enfrentamos esse problema devido ao grande interesse das empresas. Só no porto de Vila do Conde, por exemplo, nós temos estacionados hoje 12 navios de grande porte”, disse o secretário.
                Ao final da reunião, foi criada uma comissão, formada pelo Presidente da Companhia Gás do Pará, Claudio Conde; pelo diretor da Companhia de Portos e Hidrovias do Estado, Haroldo Bezerra e por representantes do empresariado local e do governo da Martinica, para identificar produtos de interesse dos dois estados que possam se beneficiar dessa nova via de transporte. Todo o trabalho será acompanhado pela Câmara de Comércio e Indústria da Martinica.

Texto:
Marlicy Bemerguy-SEINFRA
Carteiras de Meia Passagem
estão disponíveis
na Reitoria da Uepa
                A Diretoria de Controle Acadêmico (DCA) da Universidade do Estado do Pará (Uepa) informa que já estão disponíveis as carteiras intermunicipais expedidas por meio da Comissão Gestora de Meia Passagem, gerenciada pela Agência de Regulação de Serviço Público do Estado do Pará (Arcon).
Quem solicitou o benefício deve procurar, até o fim de janeiro e sempre entre 8h e 14h, a DCA, que fica na Reitoria da Universidade - Rua do Una, 156, bairro do Telégrafo, em Belém - para apanhar o documento, mediante apresentação de Carteira de Identidade e CPF. Quaisquer esclarecimentos podem ser obtidos pelo telefone (91) 3299-2219.
Rede Cultura fará
cobertura do
Festival Rec-Beat
                Os paraenses Gang do Eletro e Dona Onete são algumas das atrações do Festival Rec-Beat que acontece nos dias 18, 19, 20 e 21 de fevereiro, em Recife (PE). A Gang do Eletro se apresenta na abertura e Dona Onete no fechamento do festival. A diva do carimbó chamegado, que está em fase de pré-produção do seu primeiro CD de nome 'Feitiço Caboclo', produzido por Marco André, terá como convidados especiais os cantores Felipe Cordeiro, Luê Soares e Lia Sophia, que dividirão o palco com a cantora de 72 anos, que será acompanha pelos músicos Pio Lobato (guitarra), Vovô (bateria), Fabrício Lobinho (percussão) e Calibre (baixo).
                A Rede Cultura de Comunicação (TV, Rádio e Portal Cultura), vai enviar equipes para fazer a cobertura do Festival. Pela TV Cultura irá a equipe do programa Invasão, formada pelos jornalistas Robson Fonseca e Sônia Ferro e o cinegrafista Samuel Rodrigues. A Rádio Cultura FM vai enviar outra equipe formada por um apresentador, um repórter, um produtor e dois técnicos para fazer a cobertura dos quatros dias do Festival Rec-Beat, um dos mais antigos e importantes de música independe do Brasil.
                Segundo o diretor da TV Cultura do Pará, Tim Penner, além de gravar programas especiais, a equipe do Invasão produzirá reportagens para o jornalismo da emissora, principalmente sobre as atrações paraenses, Gang do Eletro e Dona Onete. Tim Penner disse que acha importante a presença da TV Cultura do Pará no evento para mostrar a evolução dos artistas que têm recebido apoio do governo e da emissora educativa.
                A Rádio Cultura, além da transmissão ao vivo, vai gravar programas especiais que serão veiculados em programas como o Radar 93, adiantou o coordenador da Rádio Cultura FM, Beto Fares. “Além do intercâmbio artístico, vamos poder gerar conteúdos diferenciados na nossa programação”, atestou Fares. Ele adiantou que a equipe vai observar como a produção do evento trabalha a parte sonora em palco ao ar livre, com o som direcionado pra frente, que poderá ser adaptado nos eventos que e emissora realiza ao ar livre, na capital e interior do Pará.

Texto:
Ronaldo Quadros-Funtelpa
Presa em flagrante
tesoureira da Colônia
de Pescadores de Afuá
                               A Polícia Civil de Afuá, na ilha do Marajó, sob comando do delegado Edgar Henrique Monteiro, prendeu em flagrante, na tarde de terça-feira, 24, Andréia do Socorro Barbosa Costa, de 40 anos, que atua como tesoureira na Colônia de Pescadores do município. Ela é acusada dos crimes de falsidade ideológica, estelionato e usurpação de função pública qualificada para obtenção de vantagem financeira. Andréia utilizava o nome da Prefeitura Municipal de Afuá e da Secretaria Municipal de Educação local em um carimbo falsificado, com objetivo de autenticar solicitações do benefício do auxílio-defeso pago a pescadores pelo Ministério da Pesca e Agricultura, do governo federal. Ela confessou em depoimento ao delegado que mandou fazer o carimbo e que cobrava, de cada pescador, R$ 20 para preparar a documentação. De acordo com o delegado, a prática irregular foi denunciada à Delegacia na última segunda-feira.
                               A partir da denúncia, o delegado e um escrivão foram até a sede da Colônia de Pescadores, onde flagraram a tesoureira no momento em que autenticava documentos de pescadores. "Havia no local mais de 50 pessoas aguardando para serem atendidos pela funcionária", constatou o delegado. Em poder dela, os policiais apreenderam um carimbo onde estavam impressos o título "Prefeitura Municipal de Afuá" e subtítulo "Secretaria Municipal de Educação". Logo abaixo, a inscrição "Confere com o original e dou fé" e o campo para preenchimento da data e assinatura. Diversas declarações já devidamente carimbadas e assinadas pela tesoureira foram apreendidos pelo delegado e estão na Delegacia, para onde ela foi conduzida para prestar declarações.
                               Conforme o delegado, em depoimento prestado na Delegacia de Afuá, Andréia admitiu o uso ilegal dos nomes da Prefeitura e da Secretaria Municipal, porém alegou que o fez por recomendação da direção da Colônia de Pescadores com objetivo de baratear os custos da autenticação dos documentos apresentados pelos pescadores. Segundo ela, esse processo é feito pelo cartório da cidade, que cobra uma taxa de R$ 9 para autenticar dois documentos exigidos para requerer o benefício, no caso uma declaração de residência emitida pela Prefeitura de Afuá, confirmando que o requerente mora no município, e uma declaração da atividade profissional de pescador. "No entanto, ela cobrava taxa-extra de R$ 10 de cada documento para fazer declarações que davam fé pública a cada um dos documentos, recebendo, portanto, R$ 20 de cada pescador", apurou Edgar Henrique.
                               Ao todo, foram mais de 300 pescadores que procuraram a Colônia de Pescadores de Afuá, nos últimos quatro dias, para solicitar o benefício. Em declarações prestadas ao delegado, a tesoureira afirmou que a taxa cobrada era para pagar viagens da direção da Colônia que, segundo ela, tinham o objetivo de levar em mãos a documentação referente aos pescadores do município. Em declaração na Delegacia, uma pessoa representante da direção da Colônia admitiu que sabia da autenticação feita pela tesoureira, mas alegou desconhecer que o procedimento adotado por Andréia era ilegal. A acusada trabalha desde abril de 2009 como tesoureira na instituição, que representa os pescadores do município. Ela está presa em Afuá, à disposição da Justiça, no aguardo da sentença judicial da prisão em flagrante ou expedição de alvará de soltura.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil
Governo articula projetos
contra desastres naturais
                A Defesa Civil do Estado e a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) firmaram parceria para prevenir o Pará contra desastres e catástrofes naturais. A primeira medida fruto dessa parceria é o curso de capacitação que será realizado a partir de fevereiro, primeiramente no oeste do Estado, habilitando técnicos para agir em situações extremas. A parceria prevê, ainda, a execução de projetos estruturais que visam preparar o Estado para o inverno do ano que vem. Paralelo a esse planejamento, a Defesa Civil garante estar de prontidão neste período de fortes chuvas no Estado, que deve durar até junho, segundo as previsões meteorológicas.
                De acordo com o coordenador adjunto da Defesa Civil do Pará, coronel José Augusto Almeida, o curso, que será ministrado prioritariamente no oeste e sudeste paraense, capacitará os técnicos a prevenir desastres e tomar medidas em situações de emergência. “Além disso, o nosso objetivo é capacitar as regionais da Defesa Civil a partir do Sistema Regional de Manejo de Incidentes, que dá ênfase no desastre da região, mas permite uma visão geral do Estado como um todo”, afirmou o coronel, em reunião com a Sudam nesta quarta-feira, 25, no Comando do Corpo de Bombeiros, em Belém.
                A coordenadora de Defesa Civil da Sudam, Adelaide Nacif, adiantou que para a elaboração de projetos de infraestrutura está sendo feito um zoneamento de todo o Estado, observando a vulnerabilidade de cada região. Ainda segundo a coordenadora, o curso de capacitação de técnicos pode reduzir o nível de vulnerabilidade a desastres em alguns locais.
                "A partir desse zoneamento nós vamos discutir o desenvolvimento desses projetos estruturais para prevenir o Estado contra desastre já no ano que vem. A capacitação irá reduzir bastante essa possibilidade. Os técnicos poderão, por exemplo, orientar a população e os municípios quanto ao descarte correto do lixo, evitando que esse material prejudique o fluxo da água das chuvas nas cidades, ou que contamine rios e córregos. Isso tudo é considerado desastre para a Defesa Civil”, explicou Adelaide.
Preparativos - O coronel Almeida assegurou que o Pará está preparado para atender, a partir de fevereiro, todos os municípios que forem atingidos pelas cheias dos rios, em razão do aumento dos índices pluviométricos neste período do ano. Além do efetivo dos bombeiros na capital e no interior, o Estado providenciou equipamentos para realizar o atendimento necessário aos municípios atingidos. Uma sala de situação está sendo equipada no Comando da corporação, na capital, onde a Defesa Civil manterá contato permanente com todas as regiões do Estado, monitorando o nível dos rios e a previsão meteorológica.
                As medidas fazem parte do Plano de Contingência contra desastres naturais adotado pelo Governo em todas as regiões paraenses, em parceria com os municípios e órgãos federais. No total, serão utilizados pelo menos R$ 9 milhões na construção de abrigos, armazenamento de kits humanitários, de alimentos e de medicamentos, além da compra de equipamentos que devem ser utilizados nos municípios do interior prejudicados pelos desastres. O orçamento foi feito com base nos anos anteriores, quando, em média, 34 mil famílias, em trinta cidades, foram afetadas pelas chuvas e pelo aumento do nível dos rios.
                Nas próximas semanas, a atenção do Estado estará voltada para o município de Marabá. O nível dos rios que cercam a cidade – Itacaiunas e Tocantins – chegou a 9,84 metros nesta terça-feira, 24, quase o volume máximo, que é 10 metros. A partir deste nível, algumas famílias deverão ser remanejadas para abrigos criados pelo município, segundo informou o coordenador regional da Defesa Civil em Marabá, tenente coronel Marcos Norat. “Estamos monitorando a situação e oferecendo apoio técnico para o município. Caso a situação chegue ao estado de calamidade, já estaremos preparados para atender às vítimas”, ressaltou.

Texto:
Thiago Melo-Secom
Crias do Curro Velho
renovam talentos na
preparação do carnaval
                Todo ano novos personagens enriquecem a história da escola de samba Crias do Curro Velho. No barracão, novas e antigas crias interagem para dar vida ao carnaval da fundação. A base são os projetos sociais e o reaproveitamento de material. O jovem Wilker Oliveira, 22 anos, há 12 anos nas atividades do Curro Velho, já foi instrutor de algumas oficinas, e para ele, a melhor época é o carnaval.
“O carnaval é espetacular! É quando há mais trabalho, mas é quando temos um retorno maior”, diz o cenógrafo, que aprendeu muito em cada uma das oficinas de que participou na instituição. Michele Ferreira, 30 anos, começou como cria do Curro Velho e hoje atua como contrarregra e atriz em festivais. A jovem, ex-vizinha da fundação, há 15 anos participa das oficinas da instituição e desde 2005 está no núcleo de produção do carnaval das Crias.
“Quando estou na avenida empurrando o carro e vejo o sorriso das crianças fico emocionada. É o resultado de todo um processo. Isso é o mais importante para mim”, diz, enquanto corta talas de miriti para a confecção dos carros alegóricos. A mais nova cria é o estudante Bruno Pinto Nunes, 23 anos. O futuro arquiteto conheceu a Fundação Curro Velho há um ano, por uma entrevista que viu no programa “Sem Censura Pará”. Desde então, ele quis conhecer de perto o trabalho social.
“É a terceira oficina que faço na fundação, a primeira para o carnaval. Vim aqui para aprender e trabalhar esse lado social”. O rapaz admira o trabalho de transformar a matéria em arte. “É mágico ver um trabalho tão bem feito transformando materiais a que não se daria valor”, ressalta ele, que prepara o papel para revestir o carro alegórico. “O material usado são a goma, a mesma do tacacá, e folhas do saco de cimento”, informa.
                O artista plástico Bruce Macedo, que confecciona objetos cênicos para o carnaval desde o ano de 1999, conta que materiais são usados nos carros. “O material básico são o miriti e sacas de cimento. Depois vamos pegar o que veio de doação, como garrafas pet, para dar o acabamento dessas alegorias”, finaliza o artista.
                O desfile das Crias da Fundação Curro Velho está marcado para 11 de fevereiro, a partir das 9 horas, como parte da programação "Bumbarqueira – Carnaval do Pará", promovido pelo governo do Estado. A escola de samba tem o apoio do programa Pro Paz, Fundação de Radiodifusão do Pará (Funtelpa), Banco do Estado do Pará (Banpará), Instituto Criança Vida, jornal O Liberal e empresas Cikel, Di Casa, Azevedo Barbosa Corretores e Alubar.

Texto:
Andreza Gomes-FCV
Mototaxista é preso
vendendo crack
em Redenção
                Elias Alves Dantas, 57 anos, está preso em Redenção, município do sul do Pará, acusado de tráfico de drogas. O flagrante aconteceu na noite de terça-feira (24), durante as investigações realizadas por policiais civis, sob a coordenação do delegado Carlos Vieira. Elias, que trabalha como mototaxista, foi abordado quando entregava "pedras de crack" a usuários, na Rua Altamira, periferia da cidade.
                               Todos foram encaminhados à Delegacia de Redenção, onde foi lavrado o flagrante. Os usuários confirmaram as denúncias anônimas recebidas pela polícia, as quais apontam Elias como um dos mais conhecidos traficantes de drogas da cidade. "Já compramos outras vezes dele", relatou um dos usuários.
                               Essa modalidade de tráfico é conhecida informalmente como "disque-droga", pois os compradores e fornecedores de entorpecentes usam os serviços de mototaxistas para entrega. "Recebemos muitas denúncias anônimas sobre o modo como Elias atua. Os profissionais da área de mototáxi, que trabalham honestamente, querem ver expurgadas pessoas que mais atuam no mundo do crime do que na legalidade. São esses poucos maus exemplos que prejudicam os mototaxistas", afirmou o delegado, com base em informações fornecidas por representantes da categoria em Redenção.
                               Segundo Carlos Vieira, apesar de muitas vezes o traficante de drogas, que utiliza a profissão de mototaxista, não ser um grande fornecedor, ele faz parte do esquema de distribuição. "Essa conduta nós temos que combater, a fim desmantelar o tráfico em todas as suas frentes", concluiu o delegado.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil
Susipe propõe parceria
à Defensoria Pública
para agilizar atendimento
                O titular da Superintendência do Sistema Penal (Susipe), André Luiz de Almeida e Cunha, reuniu-se na última terça-feira (24) com o defensor público geral, Antônio Roberto Cardoso, na sede da Defensoria Pública. Na ocasião, André Cunha propôs aos defensor uma parceria para que seja feito um mutirão na Colônia Agrícola Heleno Fragoso. O objetivo é agilizar os processos de detentos, alguns ainda aguardando decisões judiciais.
                A Susipe quer implantar um mecanismo que dê ao detento mais agilidade para consultar seu processo. “A proposta é implantar totens de auto-atendimento, que funcionarão com leitura biométrica. Assim, uma vez por mês, o preso poderá consultar a situação do processo, o que facilitará muito a vida da população carcerária”, explicou o titular da Susipe.
                André Cunha também falou da possibilidade de o projeto ser implantado, em caráter experimental, em duas casas penais que têm acesso à internet, o Centro de Recuperação do Coqueiro e o Centro de Reeducação Feminino, ambos localizados no município de Ananindeua, região metropolitana de Belém. Esse sistema, que seria implantado em conjunto com a Defensoria, existe apenas no Distrito Federal, segundo o dirigente da Susipe.
“A expectativa é muito grande, principalmente pela integração da base de dados entre a Defensoria Pública e a Susipe, o que vai ajudar a aprimorar o atendimento da população carcerária”, disse André Cunha. Ao final do encontro, ficou acertado que a superintendência formalizará as propostas e as encaminhará à Defensoria Pública, para a posterior providência.

Texto:
Gilla Aguiar-Defensoria Pública
Posse de Noêmia
Jacob na presidência da Cohab
                A nova presidente da Companhia de Habitação do Pará (Cohab), Noêmia Jacob, tome posse no cargo em cerimônia nesta quinta-feira(26). Funcionária da Caixa Econômica Federal desde 1989, onde começou como escriturária concursada, assumiu em 1991 o Núcleo de Comunicação, graças à formação como jornalista. Também compõe o quadro de professores da Universidade da Amazônia (Unama), do curso de Comunicação Social.
                Noêmia Jacob foi gestora do Planejamento Estratégico da Caixa, e a partir de 2004 assumiu a superintendência regional do banco, cargo exercido até 2009, quando foi transferida para Manaus, como superintendente do Amazonas. Quanto aos desafios impostos pela política de habitação do Estado, ela acredita que a Cohab deverá desempenhar um papel decisivo.
“Os grandes programas habitacionais do governo, como Minha casa minha vida e PAC, têm um viés social e são imprescindíveis para o desenvolvimento urbano. A Cohab passa a ser a instituição estadual que deverá fazer diferença significativa na melhoria da qualidade de vida das pessoas, fazendo com que a população de baixa renda tenha acesso à habitação”, reforça.
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...