Total de visualizações de página

terça-feira, janeiro 24, 2012

Governo apresenta proposta de reajuste salarial a delegados


                A secretária de Estado de Administração. Alice Viana, o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha, e o delegado geral de Polícia Civil, Nilton Atayde, fizeram nesta segunda-feira (23) a primeira reunião de negociação salarial dos delegados de polícia, na sede da Sead. As propostas foram apresentadas aos diretores do sindicato e da associação dos delegados da Polícia Civil e dos delegados aposentados, que representaram a categoria no encontro.
                Alice Viana apresentou a proposta do Estado, que consiste em um reajuste de 19,46% no vencimento base atualmente pago aos delegados de polícia; de 22,9% a 23,4% na renumeração, decorrente da majoração nas gratificações de risco de vida; de 50% para 70% para a polícia judiciária; e de 62% para 70% calculados sobre o vencimento base.
                Os representantes da categoria apresentaram uma contraproposta, para ser avaliada pelo governo, na qual o reajuste do vencimento base tem acréscimo de mais 2% na proposta apresentada e a gratificação de polícia judiciária passa para o percentual de 100% do vencimento base, ao invés dos 70% oferecidos. Os sindicalistas argumentaram que as reivindicações não impactariam o pagamento da folha dos demais servidores públicos, já que eles não recebem essa gratificação.
                A contraproposta foi recebida pela secretária de Administração, que vai estudá-la e submetê-la às áreas orçamentárias e financeiras e ao governador do Estado, para manifestação em relação à repercursão do impacto financeiro. Os representantes da categoria também solicitaram a criação do auxílio-moradia e um reajuste no tíquete-alimentação, de R$ 325 para R$ 500.
                O delegado de Polícia Civil João Moraes disse que a categoria não pensa em greve. “Acreditamos num bom posicionamento do governo para consagrar essa negociação e esquecermos essa palavra neste momento e no futuro também”, afirmou. Alice Viana lembrou que o governo sempre está disposto a negociar. “Afinal, o dialogo é a melhor forma que temos de solucionar os conflitos. O sindicato e a associação têm a consciência do que uma greve representa, por isso estão buscando a negociação normal como forma de solução dos conflitos”, reforçou.
                Um delegado em início de carreira recebe hoje R$ 6.986.25. Com a proposta do governo, o salário inicial passa para R$ 8.586.11. O delegado com categoria D, por sua vez, tem salário de R$ 7.913,28, valor que passa para R$ 9.765,32 com os índices apresentados. Uma nova reunião acontece quarta-feira (25), na sede da Sead, para que o governo se manifeste sobre a proposta dos delegados. Também ficou acordado que será instituída uma mesa de negociações, cuja composição será discutida no mesmo dia.

Texto:
Antenor Filho-Secom
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...