Total de visualizações de página

sexta-feira, janeiro 27, 2012

@ CORREIO JURUNENSE e as quentes de ontem, quinta, dia 26 de janeiro

Estado reajusta em mais
de 20% os salários dos
delegados de polícia
                O governo do Estado concedeu reajuste de 22,88% no vencimento base e de 25,96% a 26,53% na renumeração aos delegados de polícia do Pará. Esse foi um dos benefícios oferecidos à categoria após duas horas de negociação com o Executivo, representado pela secretária de Administração, Alice Viana, e pelo secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha, na tarde desta quarta-feira (25). Com o reajuste, o Pará passa a pagar o 11º melhor salário aos delegados de polícia no país, ficando à frente de Estados como São Paulo, Santa Catarina e Bahia. Antes, ocupava o 26º lugar no ranking nacional de remuneração dos delegados.
                Também foi concedido aumento nas gratificações de risco de vida, que eram de 50%, e passam a ser de 70%. O mesmo aconteceu com a gratificação de Polícia Judiciária, que passou de 62% para 70%, calculados sobre o vencimento base. Os benefícios são extensivos aos delegados inativos do Estado.
                Com o reajuste, um delegado em início de carreira, com salário atual de R$ 6.986,25, passará a receber R$ 8.800,00, a partir da folha de pagamento do mês de março. Já o delegado classe D terá o salário de R$ 10.012,97.
                O resultado da negociação significa "o resgate da cidadania e das perdas salariais dos anos anteriores", na opinião do delegado João Moraes, presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Pará (Sindelp/PA), que também ressaltou a importância do diálogo estabelecido com o governo do Estado.
Parceria - “Essa negociação pode mudar a história da minha carreira e da minha categoria para melhor. Hoje, o posicionamento com o governo é de parceria, de respeito e de cumprimento de palavra. Nós certamente cumpriremos a nossa, e esperamos que o governo concretize o sonho da categoria em ter a dignidade reposta e o reconhecimento de carreira jurídica”, ressaltou João Moraes.
                A secretária de Estado de Administração, Alice Viana, garantiu a permanência da mesa de negociações com a categoria. “Nós chegamos a uma efetiva melhoria nos salários dos delegados do Pará. Todas as reivindicações foram atendidas, no sentido de se estabelecer um processo de negociação sistemático e permanente, que permita uma recomposição efetiva de remuneração”, informou.
                O delegado Fernando Flávio, presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Pará (Adepol), disse que está confiante no compromisso assumido pelo governo do Estado, de recuperar os salários da categoria. “Essa conquista de reajuste é um grande avanço. Mas o mais importante é a abertura de um canal de negociação para nossa melhoria salarial neste governo”, ressaltou.
                A próxima reunião deverá acontecer na primeira quinzena de março. Os reajustes nas tabelas salariais e o aumento de percentuais negociados serão encaminhados ao Legislativo, para apreciação.
Salários dos delegados de polícia do Pará: atuais e com o reajuste a ser pago na folha de março
Delegado de polícia A
Salário atual: R$ 6.986,25
Salário com reajuste: R$ 8.800,04
Delegado de polícia B
Salário atual: R$ 7.280,31
Salário com reajuste: R$ 9.184,79
Delegado de polícia C
Salário atual: R$ 7.589,08
Salário com reajuste: R$ 9.588,78
Delegado de polícia D
Salário atual: R$ 7.913.28
Salário com reajuste: R$ 10.012,97

 
Texto:
Dani Filgueiras-Secom
Pará gera dois mil empregos
formais na agropecuária em 2011
                O emprego formal no campo continua em crescimento no Pará. Em 2011(janeiro a dezembro), o Estado foi, disparado, o que mais gerou postos de trabalho formais no setor agropecuário, na Região Norte – crescimento de4,19 % e a geração de cerca de dois mil postos de trabalho. Com base em informações oficiais do Ministério do Trabalho, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e em parceria com a Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Renda (Seter), o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese-PA) elaborou o novo estudo sobre o balanço dos empregos formais gerados na agropecuária paraense e nos demais Estados do Norte.
                O novo Mapa também faz parte do Projeto Observatório do Trabalho do Estado do Pará, uma parceria do Governo do Estado, por meio da Seter, e Dieese-PA. O balanço mostra que, em 2011, o Pará registrou, na agropecuária, 35.060 admissões contra 32.992 desligamentos - saldo positivo de 2.068 postos de trabalho.
                Segundo o no Mapa de Empregos Formais na Agropecuária, em 2011 foram feitas 61.175 admissões contra 56.792 desligamentos no setor, na Região Norte - saldo positivo de 4.383 postos de trabalho e crescimento de 5,26%. Em 2011, todos os Estados do Norte apresentaram crescimento de empregos formais. E o Pará foi o destaque com a geração de 2.068 postos de trabalho.
                Na sequência, surgem os estados do Tocantins (939 postos), Amazonas (382 postos), Rondônia (306 postos), Acre (251 postos), Roraima (219 postos) e Amapá (218 postos). Segundo os novos números, o saldo de postos de trabalho obtidos na agropecuária, no Pará, em 2011, além de ser o maior entre os demais Estados do Norte, representa 47% do saldo total de postos de trabalho gerados em toda a região (4.383 postos).

 
Texto:
Rusele Mendes-Seter
Golpistas nordestinos
são descobertos e acabam
presos em Igarapé-Açu
                A equipe de policiais militares de São Francisco do Pará, nordeste do Estado, sob comando do sargento Ranilson, apresentou, nesta quarta-feira, 25, ao delegado Ronaldo Lopes, dois homens acusados de crime de estelionato em Igarapé-Açu, cidade vizinha, após uma aposentada de 79 anos de idade ter sido vítima da dupla nesse município. Com os dois, dezenas de cartões de banco de outras vítimas e um carro usado em golpes foram apreendidos. Os homens identificados como Mikael da Silva Lima, 30 anos, maranhense de Vitória (MA), e José Claudênio Rodrigues de Souza, 32, cearense de Quixadá (CE), foram à residência da idosa dizendo serem funcionários de um banco e que iriam lhe conseguir um auxílio-saúde no valor de R$ 150.
                Ainda, conforme o relato da idosa, a dupla lhe pediu os documentos pessoais, inclusive o cartão do banco e a senha. Depois, eles foram embora do local afirmando que após duas semanas um agente do governo iria procurá-la em sua casa para agilizar o benefício. Os dois levaram o cartão do banco e a senha para fazer um empréstimo e um saque no valor total de R$ 1.000, em uma agência bancária de Igarapé-Açu, em nome da vítima. Assim que a retirada da quantia em dinheiro e o golpe foram percebidos, familiares da vítima denunciaram o fato à Delegacia de Igarapé-Açu prestando informações de que os golpistas estavam, no dia do crime, em um carro Gol, de placa JUT 5800, de São Paulo.
                Assim, a Polícia Civil passou a investigar os estelionatários até descobrir o paradeiro deles. Com isso, policiais civis e militares de Igarapé-Açu e São Francisco do Pará, em conjunto, passaram a procurá-los até que policiais militares abordaram a dupla no centro da cidade de São Francisco do Pará. Ao serem revistados, os acusados estavam ainda de posse do cartão bancário da vítima e outros cartões de outras três pessoas, possivelmente novas vítimas de golpes. Também foram apreendidos R$ 1.000 em dinheiro com os presos, subtraídos da conta bancária da aposentada. No momento da prisão, os acusados ainda chegaram a oferecer os R$ 1.000 aos policiais militares para não serem presos.
                Eles foram apresentados na Delegacia de Igarapé-Açu ao delegado Ronaldo Lopes onde foram autuados pela prática de crime de estelionato e de corrupção ativa. O delegado solicita a outras vítimas da dupla que entrem em contato com a Delegacia de Igarapé-Açu pelo fone (91) 3441-1140 ou pelo fone 181 do Disque-Denúncia para denunciá-los.
Santa Izabel
                Policiais civis do Núcleo de Apoio à Investigação (NAI) flagraram na tarde de ontem, 25, no município de Santa Izabel do Pará, nordeste do Estado, Leandro Sena da Silva, pelo crime de tráfico de drogas. Atendendo a uma denúncia anônima, os policiais foram averiguar a comercialização de entorpecentes que acontecia em uma casa localizada no bairro do Florestal.
                Ali, após confirmação da denúncia, os agentes abordaram e conseguiram prender em flagrante Leandro Sena. Durante revista no imóvel, foram apreendidas 19 “trouxinhas” de pasta base de cocaína. O acusado e o material entorpecente apreendido foram levados para a sede do NAI, em Castanhal, para autuação em flagrante delito e encaminhamento das apreensões para perícia no Centro de Perícias Científicas Renato Chaves. Toda a operação policial foi comandada pelos delegados Augusto Damasceno e Fernando Rocha, seguindo determinação do delegado-geral Nílton Atayde, para intensificação do combate ao tráfico de drogas na região.

 
Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil
II Seminário Alusivo ao
Dia Nacional de Combate
ao Trabalho Escravo
                A Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 8ª Região (Amatra-PA/AP) promove, nesta sexta-feira, 27, no Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região, em Belém, o II Seminário Alusivo ao Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. O evento começa às 8h30, com a mesa de discussão: Trabalho escravo: partindo do princípio da dignidade humana às condições análogas e degradantes dos espaços de trabalho no Brasil. Às 14h, haverá a segunda mesa de discussão: Avanços e perspectivas no enfrentamento ao trabalho escravo, Diminuição da vulnerabilidade e prevenção ao aliciamento, Repressão à utilização de trabalho escravo e Reinclusão de trabalhadores libertos e resgate da cidadania.
                A secretária adjunta de Estado do Trabalho, Emprego e Renda, Mônica Coutinho, vai participar desta segunda mesa, a partir das 14h, junto com Murilo Sales, coordenador estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Trabalho Escravo, da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) e Solon Pereira, da Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República. São parceiros na realização do seminário o Governo do Estado, por meio da Seter e Sejudh; Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae); Comissão Estadual de Erradicação do Trabalho Escravo do Estado (Coetrae-PA), Assembleia Legislativa do Pará, CNBB, Cáritas Brasileira, Comissão Pastoral da Terra e Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE-PA).
Empresa italiana vai
produzir óleo de
inajá no Pará
                A empresa italiana Etos está montando um empreendimento para produção do óleo alimentar e industrial, a partir do beneficiamento do inajá, produzido na região do Baixo Tocantins. O projeto foi o tema da reunião realizada nesta quarta-feira, 25, na Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri).
                O representante da Etos, Luca Candelari, expôs ao secretário Hildegardo Nunes as bases do projeto que está sendo realizado em Cametá e envolve 5 mil agricultores familiares da Coopamazônia. As máquinas esmagadoras começam a funcionar em março, para teste do processo de debulhamento do fruto.
                O projeto será desenvolvido em 65 mil hectares, onde a produção será por meio de manejo sustentável, com preservação das espécies nativas e reflorestamento. Cada família de agricultores receberá R$ 35 mil por ano para cada 10 hectares cedidos ao projeto. Toda a produção de óleo será exportada para a Europa.
                O projeto tem o apoio das Universidades Federais do Pará (Ufpa) e Rural da Amazônia (Ufra) e pretende ter a parceria do governo do Estado. O Secretário Hildegardo Nunes se manifestou favorável, mas informou que as Secretarias de Estado de Incentivo à Produção e Indústria e Comércio devem estar envolvidas para fechar o apoio do governo. Na próxima semana o gerente de Produção Vegetal da Sagri, Alexandre Galvão, viaja para Cametá com a finalidade de conhecer a área do projeto e a Coopamazônia. Após a avaliação será marcada nova reunião com as secretarias.

 
Texto:
Raimundo Sena-Sagri
Estação das Docas
é destaque no
site TripAdvisor
                Após receber várias avaliações positivas no site TripAdvisor, a Estação das Docas entrou no menu “Atrações em Destaque” da homepage, que reproduz opiniões importantes de viajantes de todo o mundo, com mais de 50 milhões de acessos mensais.
                No último dia 23, a Partnerships Associate, Maria Ferreira, entrou em contato diretamente de Londres com a Assessoria de Comunicação da OS Pará 2000 para ajustar o fechamento desta parceria entre a Estação das Docas e o TripAdvisor. “Sempre escolhemos um ponto turístico de cada Estado brasileiro para destacar em nossa página da web, e no Pará, a Estação das Docas foi escolhida para ser evidenciada”, frisou Maria Ferreira.
“Com o estabelecimento desta parceira a divulgação da Estação das Docas ganha proporções além das fronteiras, é uma oportunidade de promovermos a Estação diretamente aos viajantes que estão interessados em conhecer a nossa cidade”, destaca Isa Arnour, assessora de imprensa da OS Pará 2000.
Defensoria Pública assinará
convênio do Programa
de Proteção às
Pessoas Ameaçadas
                Nesta sexta-feira, 27, às 9h, o Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos (NDDH) da Defensoria Pública do Estado do Pará, representada pelo Defensor Público Geral, Antonio Roberto Figueiredo, assinará um convênio de cooperação técnica que envolve as Instituições Gestoras de Programas de Proteção. São elas: a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos do Estado do Pará, por meio do seu secretário, José Acreano Brasil Júnior; com a Secretaria de Estado de Trabalho, Emprego e Renda, representada pelo Secretário, José Alfredo Silva Hage Júnior, com a interveniência da Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos (SDDH), representada por seu presidente, Marco Apolo Santana Leão; e do Movimento República de Emaús, representado por seu Coordenador Geral, Pe. Bruno Sechi.
                O convênio entre as Instituições Gestoras de Programas de Proteção tem por finalidade específica formalizar a cooperação e a ação conjunta das partes, no sentido de propor medidas assecuratórias que garantam aos usuários dos Programas de Proteção às Pessoas Ameaçadas, acesso seguro às políticas públicas da área de formação, profissionalização e inserção ao mercado de trabalho, no intuito de garantir a qualificação e o acesso ao trabalho aos cidadãos que promovem, protegem e defendem os Direitos Humanos, e que, em função de sua atuação e atividades nessas circunstâncias, encontram-se em situação de risco e vulnerabilidade.
                As instituições que assinarão o convênio terão a obrigação conjunta de: Promover a troca de informações, documentos técnicos e métodos de trabalho, salvaguardadas as informações de cunho sigiloso e restrito, ao pessoal credenciado e designado para atuar junto aos usuários dos Programas de Proteção às Pessoas Ameaçadas, na execução de suas atividades; e manter, sob as penas da lei, sigilo absoluto aos quais tenham acesso aos dados e informações resultantes da execução dos trabalhos, inclusive em relação às próprias entidades, órgãos ou pessoas que, em razão das ações desenvolvidas, estejam sendo alvo de fiscalização, investigação ou proteção.
                Todas as Instituições Gestoras de Programas de Proteção assumirão o compromisso de executar, diretamente, as ações de proteção, através de uma equipe interdisciplinar, com a colaboração da rede sigilosa de voluntários; além de elaborar, em conjunto com os técnicos designados pela Secretaria Estadual de Trabalho e Renda, propostas para facilitar e agilizar o atendimento aos usuários dos Programas de Proteção às Pessoas Ameaçadas; e fornecer dados estatísticos e relatórios, bem como todos os documentos pertinentes ao atendimento do usuário nos serviços utilizados.
                O convênio terá eficácia e vigência de 12 meses, a partir da data da sua assinatura, renovando-se pelo mesmo período, caso não haja manifestação em contrário das partes convenentes, no prazo prévio de 30 dias, ficando assim, eleito o foro da capital do Estado do Pará para dirimir dúvidas que não possam ser resolvidas de comum acordo pelos participantes.

Texto:
Gilla Aguiar-Defensoria Pública
Mostra "Cinema e
Carnaval" no cine Olympia
O Espaço Cultural Cinema Olympia continua com programação especial pelo seu centenário. Homenageando a folia de Momo, o espaço exibirá a mostra “Cinema e Carnaval”, com filmes que tem como tema ou ambientação, o carnaval brasileiro.
A mostra irá de 31 de janeiro a 26 de fevereiro, em sessão única às 18h30. Entrada gratuita.Confira a programação da mostra:
“ASSIM ERA ATLÂNTIDA”, de Carlos Manga (1975) - De 31/01 a 02/02
Sinopse: Documentário sobre as chanchadas do tempo da Atlântida, com cenas de todos os filmes que a empresa possuía em seu arquivo e depoimentos de atores falando daqueles tempos gloriosos.
“AVISO AOS NAVEGANTES”, de Watson Macedo (1950) - De 03 a 05/02
Com Oscarito e Grande Othelo.
Sinopse: A história se passa num luxuoso navio, onde uma companhia teatral brasileira está retornando ao Brasil depois de apresentações em Buenos Aires. Na embarcação também está um príncipe que se apaixona por Eliana, mas ela só tem olhos para o imediato do navio. Oscarito embarca clandestinamente no mesmo navio, onde é descoberto pelo cozinheiro da embarcação. Surge entre Oscarito e Eliana uma relação de amor e ódio.
“GAROTA ENXUTA”, de J. B. Tanko (1959) - DE 07 À 09/02
Com Grande Othelo e Ankito
Sinopse: Para participar de um show na televisão em homenagem à indústria automobilística nacional, a filha do patrocinador consegue a ajuda de um servente dos estúdios e seu irmão, um compositor, também à espera de oportunidade na carreira artística.
“GAROTAS E SAMBAS” (1957) - DE 10 À 12/02
Com Zezé Macedo
Sinopse: Uma das mais divertidas comédias musicais da Atlântida nos conta as aventuras e desventuras de duas moças do interior em busca de uma oportunidade no rádio e nas badaladas casas noturnas do Rio de Janeiro.
“É DE CHUÁ”, de Victor Lima (1958) - DE 14 À 16/02
Com Grande Othelo e Ankito
Sinopse: A malandragem está solta e os sambistas esquentando os tamborins. Enquanto o carnaval não vem, um casal de trambiqueiros aluga uma enorme casa para se aproximar da alta sociedade e roubar as joias de um gordo histérico. Ao mesmo tempo, os mestres do humor, Grande Otelo e Ankito, diretores de uma escola de samba, tentam conseguir dinheiro para pagar as fantasias do desfile que foram confiscadas pelo português do bar.
“CARNAVAL ATLÂNTIDA”, de José Carlos Burle (1952) - DE 17 À 19/02
Com Oscarito e Grande Othelo
Sinopse: Produtor de cinema brasileiro quer fazer um épico sobre Helena de Tróia e, para isso, contrata um professor de cultura grega. Mas aos poucos é levado a mudar de idéia e fazer uma chanchada musical.
“ORFEU DO CARNAVAL”, de Marcel Camus (1959) - DE 21 À 26/02
Com Breno Mello
Sinopse: Filme baseado em um mito, Orfeu Negro passa-se durante o carnaval do Rio de Janeiro, na década de 1950. Orfeu apaixona-se por Eurídice, uma jovem recém-chegada do interior. O interesse do rapaz desperta ciúmes em Mira, noiva de Orfeu.
Serviço: Mostra "Cinema e Carnaval”.Cine Olympia
De 31/01 a 26/02/12. Às 18h30.Entrada Franca.

Texto: Vanda Duarte-Ascom Fumbel
Gavião-real é encontrado
na APA Araguaia
                Técnicos do Parque Estadual Serra das Andorinhas (Pesam), em São Geraldo do Araguaia, encontraram um ninho de Gavião-real no interior da Área de Proteção Ambiental (APA). Eles catalogaram o achado e estão monitorando a ave desde novembro passado. O ninho está em um dos jatobazeiros mais antigos e altos da região, com aproximadamente 50 metros de altura. O Gavião-real está na lista de animais ameaçados de extinção da natureza desde 2002.
                Para sistematizar o trabalho, a equipe técnica do parque, formada pela Zootecnista Giselle Leandro Sousa, pelo sociólogo Cassiano de Oliveira, em parceria com o agrônomo Joari Oliveira Procópio, elaborou um projeto para monitorar a ave de rapina. Eles visitam o ninho duas vezes ao mês.
                A coordenadora do projeto, Giselle Leandro, explica que o monitoramento do gavião-real visa efetivar a proteção das aves encontradas na APA Araguaia; elaborar um banco de dados sobre a espécie Harpia harpyja para subsidiar as atividades da Sema em relação à preservação da avifauna silvestre da região e proporcionar a integração entre o trabalho de fiscalização ambiental com a finalidade de obter resultados mais consistentes na manutenção da qualidade ambiental da APA.
                A zootecnista explica ainda que a equipe tem duas linhas de trabalho. A primeira é referente a proteção e monitoramento da ave localizada, enquanto a segunda está relacionada ao levantamento de dados sobre a espécie em geral encontrada no interior da APA Araguaia e do Parque Estadual Serra das Andorinhas. “Vale ressaltar que a pesquisa integra duas das principais áreas de atuação da gerência do Pesam. A primeira está ligada às atividades de Proteção e Fiscalização Ambiental, a segunda é concernente ao Manejo de Recursos Naturais da Unidade de Conservação”, informou Giselle Leandro, acrescentando que por meio do monitoramento do ninho da harpia a equipe pretende contribuir na proteção e gestão do patrimônio ambiental do Pesam.
                Cassiano de Oliveira explica que o gavião real é uma espécie rara na região sudeste do estado e de grande importância ecológica para o ecossistema da Unidade de Conservação. “O projeto foi elaborado como resposta à necessidade de proteção e monitoramento da espécie no interior da APA Araguaia”, explicou Cassiano, acrescentado que o monitoramento do ninho também visa efetivar ações de fiscalização ambiental de forma sistematizada e integrada com outras áreas de atuação da gestão da unidade.
                O agrônomo Joari Procópio destaca que a função agronômica na pesquisa consiste no georreferenciamento da área, como plotagem dos pontos das coordenadas geográficas do local do ninho; bem como realizar estudo da árvore que sustenta o ninho. “Realizamos análise taxonômica da árvore onde está o ninho e a harpia objeto da pesquisa. Identificamos o tipo de árvore, altura, medida do tronco, nome científico, ordem e família a que pertence. Assim como a situação de fitossanidade do vegetal, além do delineamento da área”, informou Proscópio, destacando que o trabalho também visa sensibilizar moradores da comunidade local por meio de ações de educação ambiental sobre a importância de proteger o gavião-real.
                Para o gerente do Parque Estadual Serra das Andorinhas, Abel Pojo, encontrar um ninho de gavião-real na APA Araguaia reflete a importância da unidade de para preservação da espécie. “Estamos em um contexto de grande pressão sobre os recursos naturais. A identificação do ninho na APA é verdadeiramente um achado. Assim como a onça-pintada, essa ave está entre os predadores de topo de cadeia alimentar, ou seja, são animais que precisam de um ecossistema equilibrado para viver e se reproduzir”, destacou, frisando que pretende debater a importância da pesquisa científica em unidades de conservação para ampliar o conhecimento das áreas e as dinâmicas de sua fauna e flora das áreas protegidas.

Texto:
Káthia Oliveira-Sema
Escola Cidade de Emaús
faz "Caminhada pela Paz"
                A escola Cidade do Emaús convida alunos, professores e a comunidade em geral para uma caminhada pela paz. A caminhada pacífica tem como objetivo principal dizer não à violência nos ambientes familiar e escolar, contribuindo para uma cultura de paz. Vestidos de branco, os participantes percorrerão várias ruas do bairro do Benguí, levando a mensagem da boa convivência à toda a comunidade, além de chamar a atenção das autoridades para questões pertinentes à segurança pública.
Funcionária do Banpará
recebe título de
Honra ao Mérito
                A coordenadora do Banpará em Salvaterra, Oscarina Barbosa, recebeu o título de Honra ao Mérito da Câmara Municipal de Salvaterra, como cidadã Salvaterrense. O título se justifica pelos serviços prestados à localidade e pelo atendimento ao público, por meio do Banpará, que promove o fomento à economia local com linhas de crédito, principalmente o Banpará Comunidade.
“Na última greve, muitos colegas participaram, com o todo o direito. No entanto, era um momento crítico de pagamento aos funcionários da Prefeitura e, como o PAA é o único ponto de atendimento do Banpará na região, fechar as portas teria graves consequências. Muitas pessoas humildes precisavam receber seus salários e, além disso, também era época de renovação do contrato com a Prefeitura. Conversei, então, com o gerente geral, assumi o caixa do Posto e ninguém ficou sem receber! O prefeito renovou o Contrato para pagamento dos servidores“, contou a coordenadora.
Mais de 145 mil caranguejos
liberados para a venda
                Um total de 96 declarações de estoque (seis a mais que no primeiro período) foram feitas junto ao Ibama permitindo a venda do caranguejo no segundo período do defeso da espécie de 2012, que começou na última terça-feira, dia 24, e terminará no próximo domingo, 29. O total de caranguejos que poderão ser comercializados até o final da andada (proibição de venda) atingiu 145.805 unidades, quase 30 mil caranguejos a mais do que no defeso anterior, segundo dados do Ibama.
                A Secretaria de Meio Ambiente do Estado (Sema) também teve destacada atuação fazendo apreensão de 500 caranguejos em Salinas; 30 em São João de Pirabas e 200 em Vizeu e Bragança, que estavam prontos para a venda. Os crustáceos, que seriam comercializados de forma irregular, foram apreendidos e os responsáveis autuados.
                O período de proibição da captura e venda para proteção da espécie terminará domingo, 29, e depois ainda haverá mais quatro defesos, dois em fevereiro e dois em março, o que segundo o secretário de Pesca e Aquicultura do Pará, Henrique Sawaki, "garante a preservação da espécie", aduzindo que está sendo feita uma campanha junto aos catadores, considerados o principal elo desta cadeia de preservação do caranguejo.

Texto:
Sérgio Noronha-Sepaq
Ribeirinhos de Prainha
atingidos por enchente
histórica renovam crédito rural
                Na última segunda-feira, 23, quarenta e cinco famílias ribeirinhas de Prainha, no oeste do Pará, receberam, ao todo, mais de R$ 100 mil de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para a compra de apetrechos para pesca artesanal, principalmente “pano rede” de malhadeiras e motor de barco rabeta. Outros três produtores receberam R$ 2,5 mil cada para custear o plantio de mandioca.
                O financiamento - intermediado pelo escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) e liberado pelo Banco da Amazônia, com o apoio da prefeitura local - tem cunho renovatório. Os primeiros contratos, no valor unitário de R$ 2 mil, foram assinados em 2009 em caráter emergencial, depois que os agricultores de área de várzea perderam moradias e roças, inundadas por um nível incomum de cheia de afluentes do rio Amazonas.
“Aquela foi a pior e mais longa enchente das últimas décadas. Muita gente que vivia à margem dos rios perdeu casa e toda a safra”, lembra o chefe do escritório local da Emater em Prainha, o técnico em Agropecuária, Marlon Duarte.
                As famílias beneficiadas com a renovação de crédito vivem da pesca (sobretudo de acari, uma espécie de cascudo, do qual também fabricam “farinha de peixe”, para venda e consumo próprio) e do cultivo de melancia. Só de fruto, são colhidas mais de duas mil toneladas por ano. Considerando a pesca e a cultura da melancia, os produtores obtêm renda mensal que ultrapassa os R$ 5 mil.
“São agricultores familiares com plena capacidade de crédito e comprometimento – tanto técnico, quanto social – com suas atividades produtivas”, situa Duarte. Para ele, “a boa aplicação e a responsabilidade com o crédito recebido alcançam o objetivo de recuperação das áreas e profissionalização das cadeias de produção”, resume.
                De acordo com o secretário de Agricultura do município de Prainha, Rosemiro Gomes, “sempre que há integração das entidades ligadas ao setor produtivo de Prainha, as ações se facilitam, com o cumprimento das metas”.

Texto:
Aline Miranda-Emater
Banpará faz doação
para projeto na
região das ilhas
                O Banpará, alinhado com a sua política de responsabilidade social, fez uma doação ao Projeto Reciclando com arte – Biojoias, que beneficia 12 famílias da região das ilhas. A sede da Associação de Moradores Artesãos das Ilhas (Amai) fica na Ilha de Urubuoca, na qual são produzidas biojoias, com matéria-prima local.
Estrangeiros participam
de demonstração
técnica em Bragança
“Me sinto muito feliz, pois eu nunca tinha ficado com tantas pessoas de outros países. A Emater é a peça chave para divulgar nosso trabalho”. Assim o agricultor João Maria Farias, de 54 anos, expressou sua satisfação com a visita, nesta quarta-feira, 25, à propriedade dos Silva Ribeiro, na Comunidade Montenegro, da zona rural de Bragança, dos 17 estrangeiros participantes do curso de Capacitação em Metodologias de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), promovido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater). Em um dia de campo, os cursandos puderam aplicar a prática de demonstração técnica em fabricação de farinha de mandioca, uma metodologia muito comum aos extensionistas paraenses.
                A aula ao ar livre começou com explicações dos técnicos da Emater sobre especificidades técnicas da planta. Os passos subsequentes ficaram a dispor do processo de beneficiamento da mandioca, atividade comandada pela agricultora Maria Ribamar Ribeiro, de 69 anos, que com a ajuda de três das sete filhas chega a produzir 400 kg de farinha por mês em sua própria casa de farinha. A atividade foi acompanhada passo a passo pelos estrangeiros.
“No meu país não tem mandioca, uma vez visualizei uma em Moscou, mas é muito caro. Ver a produção de farinha ao vivo deixa tudo muito mais interessante. Adorei conhecer a farinha que é o forte econômico desta região”, ressaltou Abdukholik Mukhtorov, Ph.D em Economia e chefe do departamento de reforma agrária do Instituto de Pesquisa de Mercado da República do Uzbequistão.
                A ferramenta da demonstração técnica foi utilizada também para a demonstração da fabricação de embalagem artesanal de talo, paneiros feitos pelo agricultor João Maria, da folha do Guarumã. A moçambicana Maria Isabel Omar, bióloga, mestre em aquicultura e diretora do Instituto Nacional de Desenvolvimento da Aquacultura (Inaqua) de Moçambique, disse que a utilização deste cesto é comum nos países africanos, até para transporte de roupa. “Mas é incrível vê-lo fazendo tão rápido um paneiro deste. É importante este incentivo artesanal local, valorização cultural e assim, agregando valor a farinha”, afirmou.
                O encerramento deste módulo aconteceu na sala de aula, sob a anuência das facilitadoras, a pedagoga Ivanete Alves e a engenheira florestal Norma Rosa, quando os participantes – divididos em grupos – explanaram o que observaram da aplicação de metodologias de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater). “O aproveitamento está em perceber a contribuição da prática em grupo, parte do Diagnóstico Rural Participativo, já que de volta ao país deles, serão multiplicadores dessa técnica. A avaliação das atividades práticas também é importante por respeitar as questões ambientais, sociais e econômicas de uma determinada comunidade”, concluiu a pedagoga da Emater.
Capacitação
                O primeiro curso internacional da Emater acontece até esta sexta-feira, 27, na cidade de Bragança, no nordeste paraense. Oficialmente, os 17 agentes públicos estrangeiros que trabalham no setor agrícola de seus países receberão certificador de participação. A iniciativa teve a parceria da Associação Brasileira das Entidades de Assistência Técnica e Extensão Rural (Asbraer), que, por meio da Agência Brasileira de Cooperação, vinculada ao Ministério das Relações Exteriores, e a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO/ ONU), selecionou a Emater do Pará para promover esta capacitação técnica.

Texto:
Kenny Teixeira-Emater
Fundação Curro Velho
abre inscrição para
estágio na área de Música
                Universitários que estejam cursando Licenciatura em Música, a partir do quinto semestre, podem se inscrever para uma vaga de estágio na Fundação Curro Velho. O estudante vai atuar no Núcleo de Música da instituição, acompanhando oficinas e outras atividades ligadas à gestão na área de música.
                A Fundação Curro Velho oferece uma Bolsa Auxílio durante o período de seis meses, e o estagiário realizará atividades durante quatro horas diárias, no horário de 14h às 18h. Todos os candidatos à vaga de estágio serão submetidos a uma  análise curricular e a uma entrevista previamente marcada. Os interessados devem levar currículos, até o dia 14 de fevereiro, no Núcleo de Música da Fundação Curro Velho, de 8h às 14h, na sede da Fundação Curro Velho, localizada na Rua Professor Nelson Ribeiro, nº 287, bairro do Telégrafo. Informações 3184-9105.
Operação intensifica
ações de segurança
em Marituba
                O sistema de Segurança Pública do Pará intensificou na manhã desta quinta-feira, 26, as ações de combate à criminalidade no município de Marituba, na Região Metropolitana da capital. A operação, denominada de “Marituba Segura”, já prendeu dois homens, um acusado de crime ambiental e outro que estava foragido da Justiça.
                Até segunda-feira, dia 30, diversas ações serão desenvolvidas na cidade, que conta com reforço de 320 homens das polícias Militar e Civil, Superintendência do Sistema Penal (Susipe), Centro de Perícias Científicas (CPC) Renato Chaves, Departamento de Trânsito do Estado (Detran) e Polícia Rodoviária Federal, que apóia a operação. A ação coletiva também visa estimular as denúncias feitas pela população por meio do número 181.
                Na manhã desta quinta, cerca de 60 homens trabalharam em incursões nas áreas consideradas de “alto risco” no município. Eles buscavam averiguar denúncias feitas pela própria comunidade. A ação resultou na prisão dos dois homens, um foragido da Justiça e o outro acusado de crime ambiental por manter em cativeiro animais silvestres. De acordo com o coronel Roberto Campos, da Polícia Militar (PM), que coordena a operação, além das ações que buscam flagrantes de crimes, serão cumpridos mandados de prisão durante as incursões das tropas.
                Entre as ações desenvolvidas pela “Marituba Segura”, o coronel destacou a operação “Saturação”, que está ocupando todos os bairros da cidade, inclusive com viaturas extras; a operação “Barreira”, que está fiscalizando, em parceira com o Detran, veículos particulares e coletivos, verificando a documentação; além de incursões das tropas especiais da PM em locais de alto risco, realizando mandados de busca e apreensão; e a fiscalização em bares e casas de show. Em todas as ações, informa Campos, a polícia busca apreender drogas, armamentos, além de averiguar roubo de veículos e a presença de menores, no caso dos bares e casas de show. As ações também vão ocorrer nos braços de rios que cortam o município, com o apoio da tropa fluvial da PM.
“O objetivo desta grande ação é diminuir ainda mais o índice de criminalidade no município. Por isso estamos trabalhando com várias tropas da Polícia Militar, em conjunto com os demais órgãos de Segurança Pública do Estado, e com apoio da Polícia Rodoviária Federal, para garantir à população a segurança”, ressaltou o coronel.
                Segundo Campos, na semana passada uma ação de menor porte já aconteceu em Marituba. O resultado foi a redução do número de ocorrências policiais e de registros de homicídios. Com a “Marituba Segura”, a expectativa é ainda maior. Para isso, o Sistema de Segurança Pública espera contar com a participação da população, que pode fazer denúncias por meio do Disk Denúncia – 181. “A polícia não trabalha sem informação. E quem pode nos ajudar com essas informações é a própria comunidade. A população pode ligar para o 181. Quem denunciar vai receber um código, com o qual poderá acompanhar o andamento da denúncia no site da Segup”, explicou.
Texto:
Thiago Melo-Secom
Banco Mundial pretende
fechar parcerias com o
Programa Municípios Verdes
                O braço financeiro do Banco Mundial, a IFC - International Finance Corporation (ou Corporação Financeira Internacional), será mais uma das parceiras do Programa Estadual Municípios Verdes. O interesse da corporação em investir no programa foi tema de uma reunião, realizada na manhã desta quinta-feira, 26, entre os diretores da entidade, secretários de Estado e o governador Simão Jatene, no gabinete do Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia.  Na ocasião, ficou acordado também a assinatura de um memorando de entendimento entre a IFC e o Instituto de Desenvolvimento Florestal do Pará (Ideflor), com o objetivo de auxiliar o órgão paraense a  identificar novas áreas de concessão florestal.
                O diretor da IFC para a América Latina, Paolo Matelli, explicou ao governador que o que atraiu o setor privado do Banco Mundial ao programa, foi o trabalho de sucesso desenvolvido pelo governo do Pará. “Ficamos muito felizes em saber que o governo paraense conseguiu implantar uma política de geração de renda com a preservação do meio ambiente. Isto tem a ver com a nossa estratégia, com o nosso foco, que é promover o investimento sustentável do setor privado dos países em desenvolvimento, ajudando a reduzir a pobreza e a melhorar a qualidade de vida das pessoas”, ressaltou.
                Para o governador Simão Jatene, a parceria com o IFC é de suma importância para a expansão de mecanismos de premiação e incentivo às boas práticas adotadas pelos municípios que aderirem ao programa, já que, segundo ele, esse é um dos maiores desafios que a iniciativa enfrenta. “A repressão deve existir, mas não pode ser a estratégia do programa. A estratégia é a premiação. Hoje, no Pará, nós temos uma visão clara de onde estamos partindo e aonde queremos chegar. O programa Municípios Verdes não pode ser um projeto de Governo e, sim, da sociedade. É preciso que ela assuma o protagonismo e vocês podem ser nossos parceiros privilegiados para que isso aconteça”, disse.
                Redução – Durante a reunião, o secretário extraordinário para o programa Municípios Verdes, Justiniano Neto, expôs aos representantes da IFC os números que demonstram a redução do desmatamento no Pará nos últimos 12 meses após a adesão de mais 90 municípios ao programa. “Nos últimos 12 meses, o Pará reduziu em 30% o desmatamento, enquanto no mesmo período,  essa prática predatória dobrou em estados como Mato Grosso e Rondônia”, enfatizou.
                O secretário especial de Estado de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, Sidney Rosa, completou: “O governo conseguiu chegar a um modelo de desenvolvimento sustentável que tem duas premissas: buscar dos atores municipais o desmatamento zero e, ao mesmo tempo, com apoio do Estado, intensificar a produção nas áreas que já estão abertas”, concluiu.
                Amanhã, os diretores da IFC assistirão a uma apresentação detalhada do Programa Municípios Verdes e em seguida, assinam o memorando de entendimento com o Ideflor.

 
Texto:
Bruna Campos-Secom
Emater ganha ambiente
de videoconferência em março
                A sala de reunião do escritório central da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), em Marituba, na Região Metropolitana de Belém, será inaugurada até o começo de março, funcionando também como ambiente de videoconferência, com recurso tecnológico para transmissão ao vivo de imagem e som.
                Ao longo de novembro e dezembro últimos, o espaço de 50 m², com capacidade para até 40 pessoas, foi revitalizado, recebendo pintura extra e novo mobiliário. Os equipamentos de videoconferência foram doados pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a partir de um contrato de cessão de uso de bens, assinado no fim de 2010.
                De acordo com a presidente da comissão de licitações da Emater, a advogada Bruna Aquino, a iniciativa da reforma faz parte do processo de modernização e melhoria na infraestrutura do órgão: “A sala de reunião é de usufruto geral, com benefícios imediatos para a execução de procedimentos típicos da atuação da Empresa, como encontros, treinamentos e conferências. É um grande passo em termos de conforto e tecnologia”, diz.
“Considerando a natureza de funcionamento da Emater, em que o escritório central e alguns no interior se separam por quilômetros, a sala de teleconferência é fundamental para encurtar distâncias, acelerar trâmites e facilitar entendimentos. É possível, além disso, a comunicação ágil e completa com outros estados e países. Também serve para a realização de cursos, sem que seja necessária a presença física do professor, por exemplo. Isso tudo tem caráter revolucionário na extensão rural do Pará”, explica o assessor da presidência, Patrick Paraense, técnico em informática e administrador, um dos responsáveis pela execução do projeto.

 
Texto:
Aline Miranda-Emater
Novo método de
acomodação do
caranguejo reduziu
mortandade
                               Durante visita técnica realizada pelos técnicos Átila Brandão, Marcelo Mousinho e Patrick Passos ao município de São João da Ponta foi ministrado o curso sobre a logística de acomodação do caranguejo uçá. Bem como, aplicado o método de armazenamento e transporte do crustáceo, aprimorado pela Secretaria de Aquicultura e Pesca (Sepaq) em 2011, que consiste em selecionar o tamanho do animal, acomodá-los sobre esponjas embebidas em água e transportá-los em basquetas. Visando assim maior conforto do animal e diminuição da taxa de mortalidade.
                               Com a aplicação desse novo método, foi possível observar algumas diferenças em relação ao método tradicional utilizado no transporte desses animais, que atualmente é feito em sacos de ráfia. Sem dúvida, o principal benefício verificado foi em relação à mortalidade. Em comparação com o método de transporte tradicional, a mortalidade foi reduzida de 50% para menos de 1%, segundo dados da própria Sepaq.
                               Tal fato foi possível graças a alguns aspectos que devem ser considerados, como a distância do município de São João da Ponta para Belém, viagem que é feita em duas horas, e o tempo entre a tirada do caranguejo e o acondicionamento, que foi em média, de duas horas em cada comunidade do município, sendo São Francisco e Deolândia. Além da forma zelosa como os animais foram acomodados nas basquetas, evitando traumas ao animal no processo que envolve o transporte até Belém.
                               Os técnicos da Sepaq estão trabalhando para aprimorar a técnica proposta pela Embrapa Meio Norte em 2007 e adequando à realidade amazônica. Os resultados após sete processos de comercialização do crustáceo, dentro da Feira do Pescado realizada pela secretaria nos bairros de Belém, são exitosos, tendo em vista que nas seis primeiras experiências a mortalidade do animal acomodado e transportado vivo nesse novo método foi reduzida para 8% e agora chegou ao seu melhor índice com 0.8% de perda. O que demonstra o avanço na cadeia produtiva do caranguejo.
                               Outros resultados são o incremento direto na renda do caranguejeiro, pois a comercialização do animal em parceria com a Secretaria Estadual de Pesca e Aquicultura rendeu em média R$ 82,00 para cada caranguejeiro, equivalente a dois dias de trabalho, posto que cada centena do animal é vendida no município de São João da Ponta em média por 0,40 centavos a unidade.

 
Texto:
Sérgio Noronha-Sepaq
Noêmia Jacob assume
presidência da Cohab

                O primeiro compromisso de trabalho da nova presidente da Cohab, Noêmia Jacob, após ser empossada pelo Conselho de Administração da Companhia, foi receber uma comissão do Fórum de Entidades dos Moradores de Áreas de projetos do PAC (Fema-PAC). Composto por doze pessoas, o grupo entregou à dirigente um documento contendo um resumo de reivindicações referentes aos projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
                Segundo André Marinho, que integra a coordenação do Fórum, a entidade espera "ter uma relação de parceria e diálogo permanente com a Cohab", já que o grupo surgiu com a perspectiva de "resolver o problemas das obras que vem se arrastando há anos", declarou. Ele também foi porta-voz das boas vindas à nova titular da Cohab. "Queremos lhe dar boas vindas e dizer que estamos dispostos a contribuir e firmar uma parceria com o órgão", completou.
                Noêmia Jacob fez questão de dizer que a Cohab e o Fórum não estão em campos contrários ou em divergência. "Temos a clareza da importância das obras do PAC e o nosso objetivo é retomar os projetos, porque eles são resultado de aplicação do dinheiro público. Pretendemos tomar conhecimento do que está acontecendo em cada obra", prometeu. A nova dirigente afirmou também que deseja manter uma relação respeitosa com o movimento de luta pela moradia, acrescentando que considera os movimentos sociais como "os nossos olhos do ponto de vista da fiscalização".
                Ainda pela manhã, Noêmia Jacob teve a oportunidade de ser apresentada, durante encontro informal, a todos o servidores da Cohab, no Espaço de Convivência da empresa. Em pronunciamento, a presidente da Companhia de Habiração do Pará disse que seu desejo é de que a companhia volte a exercer seu verdadeiro papel e contribua para a diminuição do déficit  habitacional no Estado, colaborando para que as pessoas tenham acesso à moradia, posto que há disponibilidade de recursos para isso.
“Estamos vivendo um momento histórico. Os programas habitacionais estão aí para mostrar isso. O nosso desafio é esse, e temos recursos para viabilizar os projetos. Sei que o ano de 2011 foi difícil para a administração anterior, reconhecemos o trabalho realizado, mas quero convidar vocês a fazer da missão da Cohab uma realidade. Vamos fazer com que a Cohab volte a ser referência no Estado”, conclamou, reforçando a necessidade de contar com a colaboração dos servidores.

Texto:
Rosa Borges-Cohab
Presidente da Martinica
deixa o Pará com
várias parcerias firmadas

                Depois de quatro dias de visita a Belém, o presidente da Martinica, Serge Letchimy, volta ao deparatamento ultramarino francês com bons resultados e importantes parcerias firmadas com o Estado do Pará. Na manhã desta quinta-feira, 26, o presidente se reuniu com o governador Simão Jatene em seu gabinete, no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, para um balanço sobre as ações que serão implantadas tanto no território francês quanto no Pará. “São dois povos que vivem muito próximos, mas que foram separados por questões históricas. Depois dessa parceria firmada com o Governo do Pará, descobrimos que temos muitas coisas em comum que podem trazer benefícios para os dois lados”, concluiu Serge Letchimy.
                As  parcerias citadas por ele abrangem desde a importação de biomassa para a geração de energia até pesquisas na área farmacologia, beneficiamento de madeira e intercâmbio turístico. “São pelo menos 10 operações que devem ser tocadas por nós e pelo Governo do Pará. O nosso foco é o desenvolvimento econômico e pelo o que conhecemos e conversamos com o governador, o objetivo do estado é o mesmo”, ressaltou o presidente.
                Daqui a quatro meses, Simão Jatene deverá retornar à Martinica para assinar um termo de cooperação entre o Pará e a região francesa, oficializando a integração entre os governos. “O encontro com o presidente foi muito agradável e produtivo, permitiu com que os nossos técnicos e os técnicos da Martinica busquem alternativas que podem trazer resultados positivos tanto para nós quanto para eles. Além disso, essa aproximação foi fundamental para que pudéssemos nos conhecer e estreitar laços não só entre os governos, mas principalmente entre o povo do Pará e o povo da Martinica”, concluiu o chefe do Executivo Estadual.
                Interesse – Além da importação da biomassa, a Martinica demonstrou interesse pelo setor de fruticultura, com a importação de polpa, e pela madeira para fabricação de móveis. Durante os dias que durou a visita do presidente Serge Letchimy ao Pará, foi discutida também a criação de novas rotas de transporte marítimo e aéreo para incrementar o comércio e o turismo entre o Caribe e a Amazônia.

Texto:
Bruna Campos-Secom
Inscrições para
Musicalização nos
polos do Projeto
Música e Cidadania
                Com o objetivo de expandir e descentralizar o ensino da música, o Projeto Música e Cidadania da Fundação Carlos Gomes, retoma as atividades e começa as ações para 2012 com mais polos conveniados e abre o período de matrículas. Entre 30 de janeiro e 10 de fevereiro as várias unidades, ou seja, a República do Pequeno Vendedor no bairro da Condor; o Lions Club de Benevides; a Cidade de Emaús no Benguí; a Sociedade Beneficente Cristo Redentor no bairro da Cabanagem; a Paróquia Nossa Senhora de Fátima em Icoaraci; a Associação Paraense das Pessoas com Deficiência – APPD na Vila Teta, e o Lar de Maria em São Brás, receberão novos alunos, bastando para isso que o interessado procure o polo mais próximo da sua residência, levando comprovante de matrícula escolar e documento de identificação.
Em 2012 o Projeto Música e Cidadania amplia a parceria com o Pro Paz e aumenta sua ação atuando também no Mangueirão, no Instituto de Ensino em Segurança Pública (Iesp), na Ufpa e Ufra, contribuindo conjuntamente para a construção da cidadania. As inscrições para esses polos estão sendo feitas pelo Pro Paz nos próprios locais.
Produção artesanal do
açaí é padronizada por
meio de decreto


                O Governo do Estado está normatizando a manipulação artesanal do açaí e da bacaba. Por meio do decreto nº 326, publicado na última terça-feira, 25, o executivo estabelece regras que visam padronizar a produção do fruto, definindo requisitos higiênicos-sanitários para os batedores artesanais e para a infraestrutura dos pontos de venda. Com a medida, o Estado busca conhecer, também, o número real de estabelecimentos que manipulam artesanalmente o açaí, a fim de desenvolver políticas públicas de inclusão sócio-produtivas imediatas neste segmento da cadeia produtiva.
                A primeira medida a ser implementada pelo decreto é o cadastro dos manipuladores do açaí. Será feito o cadastramento obrigatório semestralmente de todos os estabelecimentos que produzem e comercializam artesanalmente o fruto no Estado do Pará. Esse processo será coordenado e executado pelo Grupo de Trabalho formado pelas secretarias de Estado de Agricultura (Sagri) e de Saúde (Sespa). O mesmo grupo também fica responsável por desenvolver campanhas para convocar os batedores artesanais para o cadastramento, além de promover ações de educação sanitária, ressaltando a importância da estruturação e organização dos pontos de venda.
                O decreto estabelece a infraestrutura necessária para o funcionamento dos pontos de venda do fruto, ressaltando que eles devem estar situados longe de quaisquer criações de animais domésticos, seja em área urbana ou rural. A estrutura física, entre outras especificações, deverá ser construída em alvenaria, com teto de telha forrado de material resistente e de cor clara, que seja de fácil higienização. Além disso, é obrigatório também existir um lavatório exclusivo para a lavagem das mãos na área de manipulação, devendo possuir dispensador de sabão líquido, porta papel toalhas ou outro sistema seguro de secagem das mãos e lixeira acionada sem contato manual.
                Os estabelecimentos devem contar também com profissionais capacitados, que sejam habilitados para realizar a higienização do fruto, seguido do branqueamento (choque térmico), bem como a higienização do local, respeitando as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O decreto firma ainda a quantidade de hipoclorito que deve ser utilizada a cada litro de açaí, durante a limpeza do fruto. As medidas serão aplicadas pelo Estado e fiscalizadas pelas vigilâncias sanitárias de cada município paraense.
                A medida foi bem aceita pelos batedores de açaí e consumidores em Belém. Francisco Ribeiro, de 72 anos, há mais de 50 bate o açaí artesanalmente. No mesmo ponto de venda há mais de 35 anos, no centro da capital, ele já formou sua clientela fiel, graças ao modo como produz o suco. “Desde que eu comecei nessa profissão, há mais de 50 anos, eu sempre me preocupei com a higiene. Por mais que no começo eu não tivesse tanta informação e condições, eu já fazia a lavagem do açaí com água quente. Agora o meu ponto segue todas as recomendações. É tudo limpo frequentemente, o fruto passa por vários processos de higienização, de centrifugação, antes de ir para o batedor. Com todo esse investimento, todo mundo ganha, o consumidor, que terá um produto de qualidade, e nós, que vamos conquistar a preferência dele”, contou o batedor, que além de vender para a clientela de Belém, também exporta para outros estados pelo menos 4 mil litros do açaí durante a safra do fruto (entre agosto e dezembro).
                Na opinião de Francisco, a padronização estabelecida pelo decreto é um avanço significativo para toda a sociedade paraense. “A saúde e a higiene nunca podem ser esquecidas por quem trabalha com alimentos. Temos que trabalhar cumprindo a Lei, de acordo com as normas, sabendo que o contrário pode prejudicar a sociedade e a nós mesmos, que poderemos deixar de vender o açaí”, ressaltou.
                Quem não dispensa o açaí todo dia, também comemora a aplicação das medidas. A secretária Elisângela Almeida, que compra pelo menos três litros por semana, diz que “é um alívio ver” medidas de segurança sendo aplicadas na produção do suco. “A gente não tinha muito conhecimento antes. Mas agora sabemos o que precisamos observar na hora de comprar o açaí. Que todos respeitem as medidas que estão sendo criadas”, desejou. 

Texto:
Thiago Melo-Secom
Paratur promove curso
na área de gastronomia
                A Companhia Paraense de Turismo (Paratur) promoverá aula prática do curso “Cozinheiro de Restaurante”, com 20 alunos contemplados através do Programa Estadual de Qualificação Profissional de Turismo (PEQTur). A aula acontece nesta quinta-feira, 26, no buffet Jucys Recepções, localizado no bairro da Cidade Velha, a partir das 17h.
                Os alunos são atendidos por meio de uma parceria entre a Paratur, Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e Associação Paraense de Recursos Humanos (APRH). O curso é ministrado por Sonia Santos, instrutora da APRH, e todos os profissionais que dele participam integram o staff dos principais restaurantes de Belém.
                O curso “Cozinheiro de Restaurante”, que acontece entre os dias 11 e 30 janeiro, tem carga de 60 horas e está sendo realizado no Colégio Orlando Bitar, localizado na Avenida Governador José Malcher, 793.
                PEQTur - Cerca de 10.280 profissionais que atuam direta e indiretamente na área do turismo em 68 municípios do Pará devem passar por algum tipo de qualificação entre 2012 e 2015, por meio do Programa Estadual de Qualificação do Turismo (PEQTur), lançado em novembro pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur) na presença do governador Simão Jatene. O programa é uma ação de continuidade à capacitação realizada em 2011 através do Plano Emergencial de Qualificação Profissional do Turismo, que contemplou 1330 pessoas.
                Os municípios que receberam a qualificação em turismo foram: Belém, Bragança, Marapanim, Curuçá, Quatipuru, Parauapebas, Marabá, Vigia, Santarém, Paragominas,  Soure,  Salvaterra, São Caetano de Odivelas, Salinas e Benevides.
Projeto “Choro do Pará”
define programação
para o primeiro
semestre de 2012
                A equipe do projeto “Choro do Pará” definiu nesta segunda-feira (26) as atividades para o primeiro semestre de 2012, incluindo o repertório para as apresentações. O projeto é uma realização do governo do Estado, por meio da Secretaria Especial de Promoção Social e Fundação Curro Velho.
                Neste semestre, a oficina “Choro do Pará” homenageará o Dia do Choro, comemorado em 23 de Abril, data do aniversário do compositor e músico Pixinguinha. “As oficinas terão carga horária de 33 horas e terminarão próximo ao Dia do Choro, fazendo uma homenagem à data e ao Pixinguinha”, informou Paulo Moura, um dos idealizadores do projeto e gerente de Música da Fundação Curro Velho.
                Paulo Moura, que participa do projeto desde a primeira edição, ressaltou que o trabalho já tem um saldo positivo. Grupos de chorinho como o “Charme do Choro”, formado apenas por mulheres, e “Chorando pra Cachorro”, do distrito de Mosqueiro, surgiram nas salas do projeto Choro do Pará.
                O repertório da oficina terá canções de Pixinguinha e autores paraenses. Alunos que se interessam pelo gênero também se apresentarão na Feira da Beira, evento cultural promovido pela Fundação Curro Velho, e em praças públicas de Belém.

                O primeiro módulo da oficina será dividido em quatro partes: Percussão, Solo, Cavaquinho e Violão. Os instrutores serão Diego Leite, Meninéia, Claude Lago e Carlos Buchecha. Para participar do projeto, os interessados devem ter o instrumento e conhecimento prévio sobre música.
                As inscrições para as oficinas são gratuitas e podem ser feitas de 13 de fevereiro a 15 de março. As aulas começam no dia 16 de março, sempre às sextas-feiras e aos sábados, das 16 às 19h, na Casa da Linguagem, localizada na Avenida Nazaré, nº 31.

Texto:
Andreza Gomes-FCV
Secon recebe permissionários do Mercado de São Brás
Na manhã desta quinta-feira(26), a Secretaria Municipal de Economia (Secon) recebeu os cinco permissionários do Mercado de São Brás que foram notificados no início da semana. O propósito da reunião foi de ouvir os questionamentos e reivindicações dos trabalhadores.
Ao final do encontro, as notificações foram suspensas e ficou acordado o adiamento da colocação do tapume que inviabilizaria a permanência dos mesmos em seus locais de trabalho, uma vez que as obras serão realizadas em etapas.
Desta forma, os trabalhadores se comprometeram que assim que for necessário o remanejamento deles para o andamento da obra, os mesmos sairão para locais previamente definidos.
Inscrição para Corrida
de Belém encerra
nesta sexta-feira
A inscrição para a 16ª edição da Corrida de Belém encerra nesta sexta-feira (27). Até esta quinta-feira, quase 1.500 corredores foram inscritos para a competição. Uma das novidades que a corrida trás este ano é o uso do chip único, última tecnologia em cronometragem eletrônica. No ato da inscrição, o atleta recebe juntamente com o chip, a camisa e seu o número na prova, além do regulamento da competição.
Para se inscrever o atleta deve apresentar cópias da carteira de identidade e CPF, e se for servidor público precisa ainda levar o último contracheque. A inscrição custa R$ 20,00. Como premiação, o primeiro colocado geral nas categorias masculino e feminino receberá uma motocicleta. Já o segundo e o terceiro colocado serão premiados com vale-compras nos valores de mil reais e 500reais, respectivamente.
A categoria de servidor público foi criada este ano e premiará, em dinheiro, afirma o secretário Municipal de Esporte Francileno Mendes. “O primeiro colocado, tanto no masculino quanto no feminino, desta categoria, receberá mil reais cada um.Esta foi a forma encontrada pelo órgão para valorizar o funcionário público municipal”, explica.
A Corrida de Belém tem um percurso de 10 km e há três anos a largada e chegada acontece na Av. Visconde de Souza Franco (Doca) passando por pontos históricos da cidade, como o Ver-o-Peso, Catedral Metropolitana, Palácio do Governo e Basílica de Nazaré.
Segundo a coordenação do evento, quatro ambulâncias do Samu e da Unimed (duas fixas e duas móveis), além de quatro motocicletas do Samu e oito da Guarda Municipal de Belém (GBel), darão o suporte no atendimento médico de urgência e emergência que ocorrerem durante a competição.
“As ambulâncias do Samu, uma delas, uma UTI móvel (Unidade de Suporte Avançado) estará fixa na Doca para atender os casos mais complexos, enquanto que as motocicletas estarão acompanhando todo o percurso e foram orientadas a acionar as ambulâncias em casos mais graves”, informa o coordenador de Esporte da Sejel, Rui Baeta.
Um posto fixo na Doca com 20 socorristas da Defesa Civil Municipal também atuará no atendimento médico aos atletas.
Ao todo, mais de 150 pessoas trabalharão na Corrida de Belém entre árbitros, professores de educação física, representantes da Federação Paraense de Atletismo, Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), Unimed, Defesa Civil Municipal, Corpo de Bombeiros,Polícia Militar, Coordenadoria de Comunicação da Prefeitura de Belém,Salamandra Sports, Jornal O Liberal e Secretaria Municipal de Esporte,Juventude e Lazer (Sejel). O evento encerra as comemorações pelos 396 anos da cidade.
Cortejo Bumbarqueira
está pronto para
animar o carnaval de Belém





                Os mapas dos cortejos, a divisão de tarefas, os ajustes de logística e as estratégias de organização para a segunda edição do cortejo carnavalesco Bumbarqueira - Carnaval do Pará, que acontecerá no próximo dia 11 de fevereiro, foram definidos nesta quinta-feira (26), em reunião realizada no Centur (Centro Turístico e Cultural do Pará). Com a expectativa de reunir mais de 15 mil pessoas, o evento incluirá campanhas educativas nas áreas de saúde e direitos humanos, e orientações sobre reciclagem de lixo.
                Todo o circuito dos cortejos receberá reforço na segurança. Banheiros químicos e postos de atendimento médico também serão disponibilizados na área do evento, que terá como pontos de encontro a Praça do Carmo, o Ver-o-Peso e a Praça Dom Pedro II. Realizado pelo governo do Estado em parceria com a Prefeitura de Belém, empresas e ONGs, o evento envolverá cerca de mil participantes de blocos de carnaval, grupos de carimbó, bandas de fanfarra e carnavalescas de vários municípios do Pará. O "Bumbarqueira" é uma autêntica mostra da cultura paraense.
“O governo valoriza as manifestações culturais. É uma forma de mostrar a diversidade do nosso Estado e incentivar os artistas do interior”, disse Nilson Chaves, diretor-presidente da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves. “Assinamos o Termo de Ajuste de Conduta (TAC) e estamos obedecendo às regras e normatizações estipuladas pelo termo. Isso é muito positivo, porque estamos respeitando não apenas a cultura, mas o meio ambiente, o patrimônio público, os foliões e os moradores do entorno”, ressaltou a diretora de Interação Cultural da Fundação, Lucinha Bastos.
                O horário do evento também foi definido no Termo de Ajuste de Conduta. “Bumbarqueira é um termo que significa ‘festa sem hora pra acabar’, mas na verdade a nossa tem horário definido. O evento acontecerá das 16 às 21h, horário estipulado pelo TAC”, reiterou a diretora.
Parceria - Honorato Cosenza, da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), elogiou a iniciativa do Estado em promover o cortejo Bumbarqueira, e reiterou a importância da parceria entre as instituições públicas. “O poder público sempre deve trabalhar junto. E isso deve acontecer de forma tranquila, como vem acontecendo nos outros eventos feitos em parceria conosco, não só na área de promoção cultural. A Prefeitura de Belém realmente estimula, apoia e parabeniza o governo do Estado, e esperamos que esse evento seja um grande sucesso”, declarou.
                As instituições parceiras na realização do cortejo Bumbarqueira - Carnaval do Pará são a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), Secretaria de Estado de Cultura (Secult), Fundação de Radiodifusão do Pará (Funtelpa), Instituto de Artes do Pará (IAP), Fundação Carlos Gomes, Fundação Curro Velho, Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Divisão de Polícia Administrativa (DPA), Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan), Secretaria Municipal de Economia (Secon), Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), Companhia de Transportes do Município de Belém (CTBel), Celpa, Organização Social Pará 2000 (que gerencia a Estação das Docas, o Mangal das Garças e o Hangar), Sesc e ONG No Olhar.

Texto:
Dani Filgueiras-Secom
Exames do Vestibulinho
da Uepa serão em fevereiro
                Os exames para o Vestibulinho 2012 da Universidade do Estado do Pará (Uepa) serão realizados no próximo dia 5 de fevereiro. As inscrições aos processos seletivos de Transferência Interna (permitido apenas a quem já é matriculado na instituição) e Transferência Externa (aberto a graduandos regularmente matriculados em outras Instituições de Ensino Superior) foram abertas em dezembro de 2011.
                A homologação das inscrições foi divulgada no último dia 5 de janeiro. Mais informações sobre o processo podem ser obtidas na Diretoria de Acesso e Avaliação (DAA) da Uepa, pelo telefone (91) 3299-2216 e pelo e-mail daa@uepa.br, ou pelo link www.uepa.br/portal/downloads/Vestibulinho2012/Edital_59-11_Transferencias_Internas_2012
Policiais começam a
testar armamentos no
estande de tiros do Iesp


                Cerca de 30 policiais civis e militares, especialistas em armas, começaram nesta sexta-feira (26) uma instrução, coordenada por profissionais de uma indústria de armamentos, no estande de tiros do Instituto de Ensino de Segurança do Pará (Iesp), em Marituba, município da Região Metropolitana de Belém. Os policiais conheceram os mais modernos armamentos fabricados pela companhia.
                A instrução contou com as presenças do secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Luiz Fernandes Rocha; do delegado geral de Polícia Civil, Nilton Atayde; do delegado geral adjunto, Rilmar Firmino, e do diretor da Academia da Polícia Civil, Adonai Mota.
                De acordo com o assessor policial da Delegacia Geral, José Carlos Pereira, o objetivo da instrução é apresentar o armamento novo a policiais civis e militares. Os agentes fizeram disparos com cinco tipos de armas: carabina CT-30 24/7 G2; submetralhadora MT-40 e pistolas ponto40 modelos 24/7 G2, 840 e 740 Slim.
                A instrução é ministrada pelos profissionais da companhia Taurus, Jorge Luiz Menegolla, supervisor de vendas; José Carlos Fauri, assessor técnico de armamento e tiro, e Carlos Coutinho, representante da indústria no Pará.
                O delegado adjunto, Rilmar Firmino, frisou que, além da capacitação, a instrução permitiu aos policiais o manuseio de novas armas, que serão avaliadas devido ao interesse do Sistema de Segurança Pública do Estado em adquirir novos armamentos.
                No final do ano passado, a Polícia Civil comprou novas pistolas ponto40, modelo 840, para uso do efetivo policial. A meta é a renovação completa das armas utilizadas nas ações de repressão e combate ao crime. Nesta sexta-feira (27) prossegue a instrução no estande do Iesp, das 8 às 11h.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil
Carnaval das Crias do
Curro Velho representa
momento socioeducativo
                Há 21 anos, as crianças e jovens atendidos pela Fundação Curro Velho levam para a avenida samba no pé, consciência ambiental e responsabilidade social. O Grêmio Recreativo Escola de Samba Crias do Curro Velho apresenta, dia 11 de fevereiro, o enredo “Nas asas da vovó”, revivendo os antigos carnavais. Para os preparativos da folia, a instituição usa o Carnaval como um instrumento socioeducativo.
“Aqui na fundação, o Carnaval é uma ferramenta socioeducativa, então usamos os elementos dessa festa como ferramenta educacional. Envolvemos as crianças e adolescentes no processo que valoriza o Carnaval como um instrumento de educação”, diz o técnico em Gestão Cultural da Fundação Curro Velho, Ednaldo Britto.
                O tema “Nas asas da vovó” traz uma série de informações para as crianças e adolescentes, relembrando como eram os bailes de carnaval e as batalhas de confetes e serpentinas nos bairros tradicionais de Belém. Ednaldo Britto ressalta que a própria melodia do samba-enredo é um instrumento de educação.
“O samba enredo é usado para a criação de coreografias, tudo é instrumento educacional. Quando solicitamos que as pessoas colaborem com material para ser reciclado e reaproveitado no Carnaval, é um outro universo educativo que essa festa oferece, para que a criança e o adolescente veja que aquilo que estava sendo descartado como lixo pode virar um objeto, uma fantasia e um adereço alegórico”, explica o técnico.
                As crianças e adolescentes que participam da Escola de Samba Crias do Curro Velho são oriundas, na maioria, da Vila da Barca. “Temos uma especial relação com a Vila da Barca. É uma oportunidade durante o Carnaval de nos aproximarmos com a comunidade, com os moradores, afinal são 20 anos de relações com eles”, conta.
                O desfile das Crias da Fundação Curro Velho começa às 9 horas, com concentração na praça Brasil, dentro da programação "Bumbarqueira – Carnaval do Pará", promovida pelo governo do Estado. A escola de samba tem o apoio do programa Pro Paz, Fundação de Radiodifusão do Pará (Funtelpa), Banco do Estado do Pará (Banpará) e a iniciativa privada.

Texto:
Andreza Gomes-FCV
Rede municipal de ensino
está pronta para o
início do ano letivo
A partir desta segunda-feira (30), recomeçam as aulas nas escolas do ensino infantil e fundamental da rede municipal de ensino.Cerca de 70 mil crianças e jovens estão matriculados em instituições de ensinos espalhadas por Belém, Icoaraci, Outeiro e Mosqueiro. Durante a Jornada Pedagógica, que aconteceu no período de 23 a 26 de janeiro, os professores definiram o conteúdo pedagógico, as datas das avaliações e outros detalhes do trabalho a ser implantado durante o ano.
Porém, antes mesmo da Jornada Pedagógica ser iniciada, uma escola já tinha dado o pontapé inicial nos preparativos. Desde o dia 16 de janeiro, a ecoescola Alda Eutrópio, uma das 6 unidades de ensino que trabalham num modelo inovador de educação, que privilegia as múltiplasinteligências da criança, se mobiliza. No primeiro momento, foi feita uma formação intensiva com os professores. Os últimos dias foram dedicados à preparação das salas para os 12 professores receberem as 450 crianças já matriculadas.
Em 2012, o número de professores foi dobrado para trabalhar com 150 crianças a mais, com a criação do primeiro ano do ensino fundamental, a antiga alfabetização. Só no chamado C1, vão ser 6 turnos,"Essas turmas foram criadas em caráter emergencial. A secretária, Therezinha Gueiros, percebeu a demanda de alunos sem escola aqui, na área do Tapanã" explicou a diretora da Alda Eutrópio, Elizangela Jordão.
Em breve, um novo bloco será construindo, anexo à Escola Alda Eutrópio, para a expansão do trabalho até o quinto ano do ensino fundamental. A ecoescola já preparou uma recepção especial para os pais dosalunos. Na segunda-feira, durante a chegada das crianças, os responsáveis serão apresentados às professoras e tomarão conhecimento de tudo o que seus filhos irão aprender durante 2012.

Textoe fotos:Ascom Semec
Delegado geral garante
que denúncia de agressão
está sendo apurada
                O delegado geral de Polícia Civil, Nilton Atayde, recebeu na tarde desta quinta-feira (26) José Roberto Paes, que denunciou à Corregedoria Geral dois policiais civis, por agressão física e discriminação. Acompanhado dos delegados Nilma Lima, corregedora geral, e Eloi Fernandes, titular da Divisão de Crimes Funcionais (Decrif), José Roberto Paes teve o apoio do chefe da Polícia Civil para apuração das acusações. “Não é essa a orientação que damos aqui aos servidores”, enfatizou Nilton Atayde, sobre possíveis abusos cometidos por policiais civis.
                Dois procedimentos foram instaurados na Corregedoria Geral para apurar os fatos, nas esferas criminal e administrativa. No primeiro, serão apurados os crimes denunciados por José Roberto, integrante do movimento LGBT. No outro, as condutas dos policiais serão averiguadas. Nilton Atayde também ressaltou o empenho da Polícia Civil do Pará no combate aos crimes relacionados à homofobia.
                No ano passado, foi instalada a Delegacia de Combate aos Crimes Discriminatórios e Homofóbicos (DCCDH), situada na Divisão de Investigações e Operações Especiais (Dioe), com o objetivo de atuar de forma permanente no combate à homofobia. “É o primeiro passo para que possamos dar uma dimensão maior à apuração de crimes homofóbicos”, ressaltou o delegado geral.
                Sobre as agressões denunciadas, Nilton Atayde enfatizou que não tolera desvios de conduta por parte de policiais civis. “Na condição de delegado geral, peço desculpas pelo ocorrido, mas informo que já adotamos as providências para apurar o fato”, disse ele a José Roberto. “Para nós, é tolerância zero para atos ilegais, como corrupção”, reiterou Atayde.
                José Roberto Paes afirmou que, apesar de ter recebido ameaças caso denunciasse o fato, tomou a decisão de procurar seus direitos. “Acreditamos que esse seu gesto vai servir como um exemplo, pois outras pessoas ficarão encorajadas a denunciar atos de agressão”, disse Nilton Atayde.
                José Roberto foi submetido a exame de corpo de delito, no Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, e o resultado foi positivo para lesão corporal. Nilton Atayde colocou a estrutura da Delegacia à disposição de José Roberto, que agradeceu a forma como foi recebido e a rapidez com que a denúncia está sendo apurada.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil

Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...