Total de visualizações de página

quarta-feira, dezembro 28, 2011

@ A NOTÍCIA DO DIA: Escolas da rede pública terão em seu curriculum a volta da matéria Religião. Agora só falta voltar a matéria Organização Social

Os Dez mandamentos serão
fundamentais para a formação
realmente de um cidadão

1º - Amar a Deus sobre todas as coisas.
2º - Não usar o nome de Deus em vão.
3º - Guardar domingos e festas de guarda. (Sabbath, Sábado, no original, significa 'descanso". O dia de descanso do cristão é o Domingo, substituindo o Sétimo Dia dos hebreus, como atesta Justino, mártir, no século II d.C.)
4º - Honrar pai e mãe (e os outros legítimos superiores).
5º - Não matarás.
6º - Guardar castidade nas palavras e nas obras.
7º - Não roube. (nem injustamente reter ou danificar os bens do próximo).
8º - Não levantar falsos testemunhos.
9º - Guardar castidade nos pensamentos e nos desejos.
10º- Não cobiçar as coisas do outro.
Ensino Religioso passa a
fazer parte da grade
curricular das
escolas municipais
Ensinar a ética, os valores humanos e a postura de respeito à diversidade religiosa são as atribuições constantes no Projeto de Lei enviado pelo prefeito Paulo Mustrangi à Câmara dos Vereadores, que insere o ensino religioso no currículo escolar das escolas municipais a partir do próximo ano.
O edital do concurso público, publicado no último sábado (10/12) disponibilizou 200 vagas para a categoria de professor da disciplina.
Os interessados em participar do processo de seleção para uma vaga de professor de ensino religioso devem possuir curso de licenciatura plena em qualquer área e ter uma licença emitida por autoridade religiosa competente. Os profissionais serão selecionados mediante aprovação no concurso público de provas e títulos e a carga horária de trabalho é de 18 horas semanais.
 Na tarde de segunda-feira (12), Mustrangi participou do evento em comemoração ao Dia da Bíblia, acompanhado pelo presidente do Conselho de Ministros Evangélicos de Petrópolis (COMEMPE), pastor Adilson Luiz da Silva. O prefeito comentou sobre a importância da implementação do ensino religioso nas escolas.
 “Temos que resgatar valores humanos e o ensino religioso ajuda a fortalecer este viés. Acredito que essa ação possibilitará os estudantes a interagirem de maneira diferenciada dentro dos espaços sociais. Quero salientar que o ensino religioso não terá o caráter confessional. O objetivo maior é trabalhar a tolerância, assegurando o respeito à diversidade religiosa e cultural existente no país”, assegurou Mustrangi.
 Vale ressaltar que o monumento a Bíblia, instalado na Praça da Liberdade, foi restaurado pelo atual governo municipal.
Responsabilidades genéricas da profissão
 Algumas das responsabilidades genéricas do exercício da profissão incluem a atualização em relação aos conhecimentos inerentes à especialidade docente; planejamento, requisição e manutenção dos suprimentos das atividades pedagógicas; interar-se do conteúdo programático do Ensino Religioso a partir de orientações provenientes das respectivas autoridades religiosas; manter comportamento idôneo e coerente com valores preconizados pelo ensino religioso; participar e implementar propostas pedagógicas dentro da unidade escolar onde o profissional estiver inserido; cumprir as orientações emanadas da direção da unidade escolar e dos demais órgãos da Secretaria de Educação e exercer a docência de acordo com a especialidade, direcionada a alunos dos anos iniciais e finais do ensino fundamental.
Pais podem optar por
Ensino Religioso para
efetivar matrícula

Da Redação, com Arquidiocese do Rio de Janeiro
A aprovação da Lei do Ensino Religioso Confessional e Plural nas Escolas Municipais do Rio de Janeiro vai garantir uma melhor formação para os estudantes, por não desprezar a característica transcendente presente em cada ser humano. Para que a Lei já aprovada se estabeleça é importante que pais e responsáveis manifestem o desejo de que seus filhos cursem a disciplina do Ensino Religioso Católico, no ato da matrícula, mesmo se esta opção não for oferecida por quem prestar atendimento na unidade escolar.
Conforme informações obtidas pela Arquidiocese do Rio de Janeiro, na Secretaria de Educação Municipal, durante a primeira etapa da matrícula para o ano de 2012, realizada via internet entre os dias 25 de outubro e 25 de novembro, os pais não tinham à disposição a opção de Ensino Religioso para a matrícula dos filhos. Portanto, faz-se necessário que na próxima etapa, que é a presencial, para a efetivação da matrícula, os mesmos manifestem a vontade de que seus filhos cursem a disciplina nas unidades escolares.
"O responsável deve se aproximar da pessoa responsável pela matrícula e expressar-se já como conhecedor da Lei 5.303, e dizer que ele gostaria que o filho tivesse o Ensino Religioso Católico na sua escola. É também em cima dessa percentagem que vai haver as liberações para as vagas dos professores", explicou o Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro e Animador do Ensino Religioso nas Escolas, Dom Nelson Francelino Ferreira.
Através da Comissão Arquidiocesana de Ensino Religioso, a Igreja Católica no Rio de Janeiro convoca todos os pais, responsáveis, professores, sacerdotes, catequistas e a sociedade carioca a divulgarem a importância de expressar o desejo pela nova disciplina, aprovada por lei, na efetivação da matrícula do Ensino Religioso nas escolas do município.
"Na busca e na esperança de uma sociedade mais justa e pacífica, a Arquidiocese do Rio espera que o Ensino Religioso nas escolas tenha uma presença atuante e transformadora, por meio do trabalho responsável e profícuo dos professores", desejou Dom Nelson.
Por que optar pelo ensino religioso?
De acordo com o Bispo Animador do Ensino Religioso nas Escolas, a nova disciplina é importante para ampliar os horizontes dos alunos:
"O Ensino Religioso é uma disciplina que não está só a cargo do município, mas das instituições religiosas. Então, os professores que vão lecionar terão as credenciais das suas instituições religiosas, para garantir que não haja professores que reduzam a religião a uma mera filosofia, a uma mera ética ou a interpretações pessoais. A presença da religião dentro da escola é uma presença fundamental para ampliar os conceitos e os horizontes, num contexto em que tudo vai se reduzindo, em sentido de esperança, de expectativa. A religião, com a sua dinâmica de transcendência, agiganta, amplia os horizontes. Então, o ensino religioso plural e confessional vai ser dado nas escolas a partir das manifestações que os pais fizerem no ato da matrícula", explicou.
Sancionada pelo Prefeito Eduardo Paes em 19 de outubro, a Lei Número 5.303/2011 ofertará aulas religiosas nas escolas – inicialmente as de turno único – da rede Municipal do Rio, e prevê a criação do cargo funcional de Professor de Ensino Religioso para alunos do1° ao 9° ano do Ensino Fundamental.
Para mais informações, os interessados devem ligar para a Comissão Arquidiocesana de Ensino Religioso pelo telefone (21) 2292-3132 ramal 412.
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...