Total de visualizações de página

quinta-feira, janeiro 12, 2012

Programa de Articulação e Cidadania visita área quilombola em Abaetetuba

                Uma equipe formada por representantes da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Casa Civil, projeto Malungo e Prefeitura de Abaetetuba fez, na manhã desta quarta-feira (11), uma visita ao quilombo de Jenipaúba, em Abaetetuba, nordeste do Estado. A visita fez parte das ações do Programa de Articulação e Cidadania, que prevê a revitalização dos projetos de geração de renda voltados para os reminiscentes de quilombos.
                Na área de Jenipaúba, havia uma fábrica de beneficiamento de açaí e geração de energia limpa gaseificada. O espaço foi construído e equipado no primeiro governo de Simão Jatene e entregue à comunidade no ano de 2006, mas não chegou a funcionar por falta de continuidade de investimentos. O abandono de tantos anos permitiu que a fábrica tivesse motores e alguns equipamentos roubados.
                O estrago só não foi maior porque moradores que se comprometeram pessoalmente em vigiar o local. “Infelizmente não dava para ficar aqui durante 24 horas. É uma tristeza a gente ver isso se acabando com o tempo, saber que foi investido dinheiro público para nos beneficiar, mas não conseguimos sozinhos tocar o projeto”, disse o coordenador de projetos da Malungu, Associação das Comunidades Quilombolas do Pará, Gercindo Vilhena da Costa.
                Na avaliação inicial, os técnicos constataram que será possível recuperar a fábrica, pois muitos equipamentos então em bom estado de conservação. O próximo passo é montar um comitê técnico para tornar o projeto viável e dar andamento à recuperação da estrutura, conforme explicou o secretário municipal de Agricultura de Abaetetuba, Sérgio Maués. “Apesar do cenário de abandono, acredito que teremos como recuperar esse espaço para a geração de renda das comunidades locais. As ações da equipe técnica em conjunto com a gestão das comunidades envolvidas possibilitarão o funcionamento do espaço”, aduziu.
                Um relatório técnico deverá ser apresentado ao governado do Estado na próxima semana, a fim de apontar as principais ações que deverão ser desenvolvidas para recuperar o projeto. “É possível recuperar e ativar o projeto pensado para essa comunidade. É lógico que já temos prejuízos nos equipamentos, mas com a união das partes envolvidas e de novos investimentos do governo, poderemos conseguir fazer essa fábrica funcionar plenamente em 2013”, ressaltou o agrônomo da Sagri Flávio Viana.
                Para Ellen Guedes, do Programa de Articulação e Cidadania, a visita gerou o resultado esperado. “A intenção do programa é articular com os órgãos e instituições que podem dar andamento aos projetos. Recebemos uma denúncia da comunidade e atendemos ao pedido do governador de vir averiguar a situação. Infelizmente a denúncia é real. Agora vamos articular para que esse espaço seja recuperado e receba a atenção que merece”, concluiu.

Texto:
Dani Filgueiras-Secom
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...