Total de visualizações de página

sexta-feira, dezembro 16, 2011

@ REPÓRTER JURUNENSE:

Segup forma estudantes do
projeto "Amigo da Segurança"
O auditório do Complexo da Polícia Civil foi tomado por 80 estudantes do Projeto "Amigos da Segurança – Construindo uma Cultura de Paz", coordenado pela Diretoria de Relações com a Sociedade (DRS), da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), nesta sexta-feira, 16. O local sediou a solenidade de formatura dos jovens, que contou com as presenças do secretário adjunto de Segurança Pública e Defesa Social, Cláudio Lima; do delegado-geral da Polícia Civil, Nilton Atayde; e da titular da DRS, delegada Silvia Andreia Rego, além de representantes do Corpo de Bombeiros Militar responsáveis pelo Projeto "Escola da Vida".
O evento também marcou a conclusão do Curso de Segurança Pública e Defesa Social promovido em parceria com entidades da sociedade civil. O projeto também conta com a parceria do Programa Pro Paz, do Governo do Estado. Entre os jovens, crianças e adolescentes capacitados pela DRS estão estudantes de escolas do distrito de Icoaraci e do Projeto “Escola da Vida”, e mais 35 estudantes da Escola Estadual de Ensino Médio “Cristo Redentor”, localizada no bairro da Cabanagem, em Belém.
Durante a solenidade, a delegada Silvia Andreia explicou que o projeto "Amigos da Segurança" surgiu a partir de visitas feitas às escolas, onde foi verificada a necessidade de interação dos jovens com o Sistema de Segurança Pública e Defesa Social. "A gente percebeu que o contato entre os órgãos do Sistema de Segurança Pública e Defesa Social e a sociedade só acontecia no momento de uma crise (atendimento de ocorrências). Mas é importante que haja um contato com o policial para saber como é o dia a dia desse profissional", explicou a delegada.
Por meio de visitas às instalações das instituições de segurança, os alunos puderam conhecer de perto a estrutura e o funcionamento dos órgãos vinculados à Segup. Receberam visitas dos jovens as sedes da Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe), Departamento Estadual de Trânsito, Corpo de Bombeiros Militar, Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves”, Centro Integrado de Operações (Ciop), Centro Estratégico Integrado (CEI), Instituto de Ensino de Segurança Pública (Iesp), Polícia Civil e Polícia Militar.
Ainda, conforme a titular da DRS, outra meta do projeto foi mostrar aos jovens os prejuízos causado pelos trotes ao fones de emergência, como o serviço 190 (Centro Integrado de Operações). Ao falar às crianças, a delegada salientou que todos passarão, a partir de agora, a ser agentes de multiplicação dos conhecimentos adquiridos no Projeto. "Vocês serão importantes sementes para levar a mensagem da Segurança Pública para toda a sociedade", salientou.
Ainda conforme Silvia Andreia, ao longo do segundo semestre deste ano foram realizadas 16 visitas às sedes dos órgãos do Sistema de Segurança Pública e Defesa Social. Cada local recebeu duas visitas dos estudantes. "Nossa meta é que os jovens conhecessem o trabalho do policial para encontrar, inclusive, as afinidades entre as profissões. Alguns jovens, após visitar o Corpo de Bombeiros ou Polícia Militar, por exemplo,manifestavam a vontade de ser um bombeiro ou um policial", conta. Ela ressalta que, no ano que vem, a meta será ampliar o projeto, levando-o para outras escolas. "Iniciado em 2011, o 'Amigos da Segurança' foi um piloto para o que pretendemos fazer no próximo ano", salientou a delegada.
O secretário adjunto de Segurança Pública, Cláudio Lima, relembrou o projeto da Prefeitura de Belém intitulado "Socorrista Júnior", coordenado pelo SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), que inspirou a criação do "Amigos da Segurança". Ele agradeceu a todos os dirigentes de órgãos do Sistema de Segurança Pública e Defesa Social que acolheram os jovens e que aderiram ao projeto, bem como a toda equipe da DRS que está à frente do trabalho. Para a estudante Ana Karla, o projeto foi um instrumento importante na busca de conhecimento e de uma visão mais abrangente de cada órgão. "As visitas foram ótimas. Fiquei muito feliz por esta formatura e por compartilhar esse momento com vocês", disse aos colegas de projeto antes de executar o Hino Nacional com flauta. O evento contou com a apresentação do coral do Projeto "Escola da Vida", do Corpo de Bombeiros Militar do Pará.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil
Segup promove 5º curso
Básico de Inteligência
 A Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) conclui, nesta sexta-feira, 16, no auditório do Comando Geral da Polícia Militar do Pará, em Belém, o 5º Curso Básico de Inteligência (CBI). A capacitação contou com a participação de profissionais dos órgãos do Sistema de Segurança Pública do Estado do Pará, além de agentes do Departamento de Polícia Federal (DPF), Departamento de Polícia Rodoviária Federal (DPRF), Banco Central, Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), Receita Federal e policiais da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Piauí.
As cinco edições do CBI qualificaram, ao longo de 2011, cerca de duzentos profissionais do setor que atuam no Pará e de outros Estados, com o objetivo de promover a integração das ações e a unificação da doutrina de Inteligência. Ao final do curso, os profissionais estão aptos a aplicar a metodologia de produção do conhecimento, a utilizar as principais técnicas operacionais para obtenção de dados e a atuar no acompanhamento de fatos e situações de imediata ou potencial influência sobre o processo decisório.
Para o próximo ano, a Segup pretende interiorizar o curso, levando-o para as diversas regiões do Pará. Também já estão planejadas edições do CBI no Maranhão, Tocantins, Piauí e Amapá, a fim de qualificar os policiais destes estados na área de Inteligência.

Texto:
Lene Alves-SEGUP
Associação Musical de Ponta
de Pedras vai receber
instrumentos do Rock in Rio
A Associação Musical Antonio Malato, de Ponta de Pedras, mantenedora de banda homônima, e que conta com o apoio técnico da Fundação Carlos Gomes, vai receber instrumentos doados pelo público em geral e músicos participantes do Rock in Rio 2011, durante a campanha 'Doe Um Instrumento do projeto Por Um Mundo Melhor' realizado pela organização daquele evento, destinada a atender instituições sem fins lucrativos espalhadas por todo o país e que trabalham a música como veículo de educação e transformação social.
Dois mil instrumentos foram arrecadados, e dentre as 137 organizações não governamentais contempladas pela ação, três são do Pará, e a AMAM é uma delas. Criada em 1981, há trinta anos a associação exerce atividades musicais naquele município e, mantém, além da Banda Antonio Malato, uma escola de música que conta com um total de 200 músicos e estudantes. Atende, ainda, comunidades dos arredores de Ponta de Pedras, como Vila Nova e Santana do Arari, incentivando e fortalecendo a manutenção de escolas e bandas de música que congregam mais de 400 integrantes.
Em novembro, a AMAM foi a anfitriã do Projeto Painéis Funarte de Bandas, recebendo cerca de 300 músicos de mais de 20 municípios paraenses que participaram, durante uma semana, de 11 cursos para instrumentistas de banda - e foi a primeira vez que a Região Norte sediou o programa - recebendo uma das maiores pontuações pela Comissão Julgadora da Fundação Nacional de Arte, colocando-a entre as mais respeitadas do país.

Texto:
Maria Christina-FCG
Secretário de Mineração
reforça parceria com
o Polo Joalheiro
Em seu primeiro evento oficial como secretário de Estado de Indústria, Comércio e Mineração, David Leal reiterou a parceria da Seicom com o Polo Joalheiro do Pará, visando a ampliação do setor de joias artesanais no Estado e o incentivo ao beneficiamento das gemas minerais em território paraense, durante a solenidade de abertura da VIII Pará Expojoia – Amazônia Design, na noite de quarta-feira (14), no Espaço São José Liberto.
O novo secretário, que tem pós-graduação em marketing e durante 20 anos foi gerente regional da mineradora Vale no Pará, destacou a potencialidade do setor mineral no Estado e a prioridade dada a esta área pelo governador Simão Jatene, que David Leal representou na solenidade de abertura da feira de joias, a única do norte do Brasil. A partir de 2012, a Seicom será a nova mantenedora do Espaço São José Liberto e do Programa Polo Joalheiro.
“A missão da Seicom é árdua, mas gratificante, por contribuir para melhorar a qualidade de vida da população, com geração de emprego e renda”, ressaltou David Leal, para quem o Pará tem um potencial no setor mineral que o coloca como segundo maior produtor nacional de minérios. Ele destacou a importância da parceria com o Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM), referência no setor joalheiro do país, com o qual pretende fortalecer o trabalho já feito no Polo Joalheiro.
David Leal enfatizou a prioridade na qualificação de mão de obra para que o potencial mineral, em especial o gemológico, seja beneficiado no Pará, e dessa forma possa chegar com valor agregado a outras regiões brasileiras e ao exterior.
Modelo – Para Hécliton Santini Henriques, presidente do IBGM, é importante reafirmar que o programa Polo Joalheiro “é um exemplo importante do Pará para o Brasil”. Ele citou outros polos joalheiros do país, como o da Bahia, e ressaltou que o trabalho feito pelos profissionais da joalheria artesanal paraense sempre “dá bons frutos”, enaltecendo a gestão do Igama à frente do Polo Joalheiro. “O Igama faz um excelente trabalho, por isso vamos continuar juntos nesta jornada, pois estamos no caminho certo”, assegurou.
A diretora executiva do Igama, Rosa Helena Neves, abriu a solenidade agradecendo à rede de parceiros do Programa Polo Joalheiro do Pará, entre os quais o governo do Estado, idealizador e mantenedor do programa, o IBGM, a Universidade do Estado do Pará (Uepa), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Museu Paraense Emílio Goeldi.
A diretora fez um agradecimento especial aos profissionais do Polo Joalheiro, pela determinação e o compromisso com as diretrizes do programa criado pelo governo do Estado em 1998, e ressaltou a importância da joia do Pará. “É uma joia especial não apenas por ter ouro, prata, esmeraldas, rubis, diamantes e outros elementos preciosos. Ela é diferente porque carrega, transmite, comunica muito mais que um adorno de metal, enriquecido com gemas minerais”, acentuou.
A presidente da Associação dos Joalheiros do Espaço São José Liberto no Pará (Ajepa), Camilla Amaral, disse que hoje o “São José Liberto é a mais grata realidade” para os profissionais joalheiros, e frisou a decisão da direção da Ajepa em desenvolver um trabalho conjunto, para que os profissionais possam “produzir muito”. Após a solenidade aconteceu o desfile de lançamento da coleção de joias inéditas “Metamorfose preciosa da Amazônia” e a visitação aos 16 estandes da feira.

Texto:
Socorro Costa-Secom
Jatene cobra da União a
conclusão da Hidrovia
Araguaia-Tocantins
O governador Simão Jatene cobrou do Ministério do Planejamento a conclusão das obras da Hidrovia Araguaia-Tocantins. Jatene reuniu nesta quinta-feira, 15,em Brasília com a ministra Miriam Belchior, num encontro que  teve a  participação de quase toda a bancada paraense na Câmara Federal.
A hidrovia ainda enfrenta problemas de navegabilidade. Para que se torne completamente navegável em seus 2.794 quilômetros de extensão, é necessário que se façam obras de derrocamento (retirada de pedras), com uso de explosivos num trecho de 43 quilômetros, compreendido entre a ilha do Bogea e o município de Itupiranga (sudoeste). Em mais de um quilômetro do rio a largura desse trecho atinge cerca de 70 metros. Após a conclusão do projeto, navios com capacidade de carga de 19 mil toneladas poderão navegar no rio Tocantins em qualquer época do ano. O deslocamento das pedras vai equiparar o calado (profundidade do ponto mais baixo da embarcação) permitido pela hidrovia ao das eclusas de Tucuruí, que é de até 3,5 metros.
As  obras de derrocamento já deveriam ter sido iniciadas, mas foram retiradas do cronograma de trabalhos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) do Governo Federal. Como o derrocamento foi excluído do PAC, o Rio Tocantins acaba sendo utilizado por apenas oito meses. Quando concluída, a hidrovia será uma das mais importantes vias de escoamento de produtos e insumos, interligando o centro-oeste brasileiro ao sul do Pará e, posteriormente, aos mercados importadores da Europa, Ásia e Estados Unidos.
O  transporte aquaviário, dentre todos os modais de transporte, é considerado o menos oneroso, o mais eficiente e o de menor impacto ao meio ambiente.
Da reunião, no prédio do Ministério do Planejamento, em Brasília, participaram, além do governador Simão Jatene, a ministra do Planejamento, Miriam Belchior; o  secretário estadual  de Infraestrutura, Sérgio leão;  o senador Flexa Ribeiro (PSDB/PA); os deputados federais Zenaldo Coutinho (PSDB/PA); Josué Bengtson (PTB/PA); Lira Maia (DEM/PA); Miriquinho Batista (PT/PA); Zé Geraldo (PT/PA) e Beto Faro(PT/PA); além da ex-governadora do Pará, Ana Júlia Carepa, e o ex-deputado federal Paulo Rocha.  Pelo Ministério do Planejamento participaram Maurício Diniz, secretário do PAC e Luiz Baião, assessor do Ministério.
Durante a reunião, o deputado Zenaldo Coutinho disse que as já inauguradas eclusas da hidrovia, sem a navegabilidade total, não passam de um “elefante branco”. Os demais deputados lembraram à ministra que o então presidente Lula, ao inaugurar as eclusas, tendo ao lado a então ministra Dilma Roussef, prometeu a conclusão das obras e a navegabilidade total do Rio Tocantins. Lembraram ainda que a hidrovia concluída não favorece apenas o Pará, mas a todos os estados do centro-oeste brasileiro.
Em resposta, a ministra disse que a retirada das obras de derrocamento da lista do PAC ocorreu por causa de um contato feito entre o Governo Federal e a companhia mineradora Vale. Segundo a ministra, sem recursos suficientes para a conclusão das obras, o governo espera que a Vale seja parceira no serviço de derrocamento, financiando a metade ou até mais da metade desse trabalho.
Disse ainda que o acordo com  a empresa ainda não foi fechado porque o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) está fazendo uma revisão nos custos da obra. Questionada pelo senador Flexa Ribeiro sobre um prazo para que as conversações com a Vale cheguem a um ponto final, a ministra disse que até o final de janeiro a revisão do projeto pelo DNIT estará concluída e, aí, será hora de retomar os contatos com a Vale.
O governador Simão Jatene falou ao final da reunião,  agradecendo o apoio da ministra ao projeto, mas se disse receoso quanto ao apoio da Vale, que não possui no momento nenhum projeto que dependa da conclusão da Araguaia-Tocantins. Mesmo assim, acredita que juntos - Governo do Pará, Governo Federal e Vale -, possam chegar a um acordo.
PAC - Ainda no Ministério do Planejamento, o governador Simão Jatene e o secretário Sérgio Leão tiveram uma reunião com o secretário geral do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), Maurício Diniz. O encontro serviu para  analisar  problemas de execução de 34 obras do PAC no estado do Pará. O Congresso Nacional nos cobra, a sociedade cobra o Governo do Pará e por isso, precisamos resolver essas pendências, disse Maurício Diniz. As pendências a que se refere o secretário dizem respeito a problemas com projetos, falta de projetos e licenciamentos, entre outros.
O secretário Sérgio Leão disse que todas as pendências que dizem respeito ao Governo do Pará estão totalmente ou parcialmente resolvidas. Logo que assumimos, disse Leão, procuramos saber quais eram os projetos e em que pé estavam as obras. Descobrimos que, em alguns casos, nem projeto inicial havia. Hoje, disse o secretário, estamos fazendo o possível para dar continuidade às obras sem que seja necessária a “judicialização” do processo. Se levarmos alguns casos à justiça, disse Sérgio Leão, os projetos emperram de vez.
O governador Simão Jatene disse que estava presente á reunião não apenas como governador, mas como técnico e  servidor público interessado em fazer com que as obras tenham andamento. E disse que das 34 obras mencionadas, pelo menos 25 não tem projeto inicial e isso, claro, é um indicativo de problemas. Mas, segundo Jatene, a iniciativa do Ministério do Planejamento de chamar o Governo do Pará para conversar e tentar resolver as questões é um indício claro de que tudo será resolvido a contento.
Secom

Texto:
Ádna Figueira-Secom

Encontro discute plano
estadual para erradicar
o analfabetismo no Pará
Foi aberta nesta quinta-feira (15), no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, a III Agenda Territorial Integrada de Alfabetização e de Educação de Jovens e Adultos (EJA), promovida pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc). O encontro objetiva traçar um plano estadual que erradique, nos próximos anos, os números e índices de analfabetismo no Pará, onde 600 mil pessoas ainda não sabem ler ou escrever. Cerca de 800 professores, alfabetizadores, gestores e pesquisadores participam do evento.
As políticas públicas para a educação e a diversidade foram o primeiro tema discutido no evento, que segue até sábado (17). A realidade e as necessidades de diversas modalidades de ensino, destinadas aos atendidos pela educação no campo, ribeirinhos, afro-descendentes e também a quem cumpre de pena, foram apontadas como fatores fundamentais para uma política de educação de EJA mais inclusiva e integrada. Para isso, durante os três dias de evento, serão formados grupos de trabalho, de acordo com as regiões do Estado, que darão início à construção da Agenda Territorial.
Neste ano letivo, foram matriculados cerca de 62 mil estudantes em turmas de EJA fundamental e médio nas escolas da rede pública estadual de ensino. É no EJA fundamental – destinado a pessoas com idade mínima de 15 anos – que muitos iniciam seus estudos. Já o Mova Pará Alfabetizado tem 78 mil alunos. O programa é a principal ferramenta usada para reduzir os números do analfabetismo. A meta é alfabetizar, a cada ano, 100 mil pessoas, até zerar os números de jovens e adultos que ainda não leem nem escrevem.
O secretário adjunto de Logística da Seduc, José Croelhas, destacou a importância do diálogo entre os porta-vozes das mais diferentes realidades. “Este encontro é um divisor de águas. Chegou a hora de todos os municípios darem as mãos porque só transformaremos a realidade da educação do nosso Estado com a expressa participação do talento, das parcerias, dos projetos de todos aqueles que fazem parte dessa realidade”, afirmou.
Recomeço – Aos 61 anos de idade, Lourdes Borges da Paixão é estudante do curso de pedagogia de uma faculdade em Belém. Após décadas sem estudar e de um cotidiano intenso como dona-de-casa, ela sentiu necessidade de mudar ao ver seus filhos já adultos. Em 2009, decidiu que retomaria os estudos e matriculou-se na escola estadual Justo Chermont, onde, por meio da EJA, iniciou o ensino médio.
“Primeiro, casei. Construí uma família. Era dona-de-casa, mas de tudo já fiz: trabalhei em comércio e fui autônoma, sempre para ajudar em casa. Um dia, ao ver que meu marido e minha mãe já haviam falecido e meus filhos já estavam adultos, percebi que precisava mudar a minha vida. Conversei com a minha filha e voltei a estudar”, relatou.
Após concluir o ensino médio, Lourdes ingressou em uma faculdade e cursa atualmente o terceiro semestre. “Estudo pedagogia porque acredito na educação. Além disso, quero passar a minha experiência para outras pessoas”, explicou, acrescentando que não vai parar. “Já penso em uma pós-graduação, com certeza”, completou.
A universitária defende a necessidade do estímulo aos jovens e, principalmente, aos adultos que há muito tempo pararam de estudar. “É preciso que saibam que o conhecimento abre horizontes. Não me importo de ter 61 anos em uma sala onde praticamente só tem jovem. Eu me sinto bem. Mudei a página da minha vida e agora conheço um novo mundo”, finalizou.

Texto:
Mari Chiba-Seduc
O Plebiscito
- Nicias Ribeiro
 - Engenheiro eletrônico- nicias@uol.com.br

Indubitavelmente, o Pará é um Estado muito especial. E tão especial, que até no Pavilhão Nacional é representado por aquela estrela isolada, única, acima da faixa “Ordem e Progresso”. E pouco importa se é porque, à época da proclamação da República, o Pará era o Estado situado mais ao Norte; ou porque é Brasil por opção, em razão da histórica decisão do Senado da Província, que aprovou a adesão do Pará à Independência, nos idos de 15 de agosto de 1823. Como também poderíamos dizer que o Pará é muito especial, por ter, no seu subsolo, o maior depósito de minerais sólidos do planeta ou de possuir o maior potencial hidrelétrico do País e quiçá do mundo.
E mais, ainda, por ter sido escolhido pelo destino a realizar o primeiro plebiscito da nossa história, onde o seu p ovo foi chamado a decidir sobre o desmembramento do seu próprio território para a criação de novos estados da Federação, para que, em meio a esse processo, ficasse patenteado que o que de mais especial o Pará possui, não são os minérios e nem o seu gigantesco potencial hidrelétrico, mas, sim, o seu próprio povo; não por ter sido contra o desmembramento do seu território e a criação de novos estados, mas, fundamentalmente, por dizer, através do voto da grande maioria, que não poderia aprovar a criação de estado sem nenhum estudo técnico, aliás, nem de cartografia, que pudesse dar sustentação à proposta, fato que, a nosso ver, deve ser avaliado pelos doutos membros do Congresso Nacional, até porque ficou clara a necessidade de se regulamentar o parágrafo 3º do artigo 18 da Constituição, estabelecendo o rito processual que deve ser observado à criação de pretensos estados no Brasil, de maneira que os estudos técnicos de viabilidade, cartográfica e econômica, precedam a elaboração do projeto de Decreto Legislativo que autoriza a realização do Plebiscito, a exemplo do que acontece nos processos de criação de novos municípios, até mesmo para que se evite o desperdício de recursos, como ocorreu neste plebiscito, do Pará, que custou ao Tesouro Nacional algo em torno de 19 milhões de reais.
Mas, voltando ao plebiscito de 11/12/2011, não posso deixar de cumprimentar o governador Simão Jatene pela sua postura ética, durante toda a campanha plebiscitária. Até mesmo quando foi atacado e responsabilizado pelos prejuízos que a Lei Kandir causa ao Pará, buscou defender-se e repor a verdade, sem, contudo, perder a serenidade e a compostura digna de um magistrado. E até nisso o Pará saiu beneficiado, até porque imaginamos que, a partir de agora, o povo paraense e principalmente os parlamentares passem a discutir, não apenas as compensações pelos males causados pela lei Kandir e pelos impactos dos chamados grandes projetos, mas, especialmente, a remuneração do minério aqui extraído e da energia elétrica gerada atualmente por Tucuruí, Curuá-una e pelas PCHs (pequenas centrais hidr elétricas) do rio Curuá; bem como da energia que, no futuro, será gerada por Belo Monte, pelo Complexo do Tapajós e pelas demais hidrelétricas.
Porém, passado o plebiscito, o que faremos deste novo Pará, que continua grande mas com muitas feridas?... E neste particular, concordo plenamente com o professor e cientista político Simão Bendayan, em artigo publicado em O Liberal, de 10/12/2011, quando sugere a criação de novos municípios no estado, como forma de o Poder Público ficar mais próximo da população, e, assim, responder e/ou resolver a questão das grandes distâncias existentes dentro do estado e que foi o grande argumento dos separatistas.
Sobre o assunto, aliás, é bom lembrar que a partir de 1988, quando foram criados os municípios da Transamazônica e do Sul do Pará, diminuíram, em muito, as tensões sociais que, à época, existiam nessas regiões, devido às grandes distâncias entre aquelas populações e o Poder Público. E para isso, registre-se, basta que a Câmara dos Deputados vote o projeto de Lei Complementar nº 130/96, de autoria dos deputados Nicias Ribeiro, Edinho Araújo e outros, que está na Mesa Diretora daquela Casa, pronto para entrar na pauta de votação do Plenário, inclusive, com o parecer favorável da Comissão de Constituição e Justiça, há mais de 10 anos. VIVA O PARÁ.
PMB entrega ginásio
“Mestre 70” reformado
e ampliado à
população do Guamá
Uma programação cultural com pintura em grafite e apresentação da Companhia Municipal de Dança e de idosos do projeto Despertar na Terceira Idade da Secretaria Municipal de Esporte, Juventude e Lazer (Sejel) marcou na noite desta quarta-feira, 14, a entrega das obras de reforma e ampliação do ginásio “Mestre 70”, no Guamá.
 Para o prefeito de Belém Duciomar Costa, a população do bairro teve um ganho muito grande com a entrega do espaço pela Prefeitura. “O Mestre 70 é mais uma opção de lazer que está sendo devolvida aos moradores do bairro, não somente aos jovens, como também aos idosos que poderão fazer ginástica e dança folclórica, entre outras atividades que serão desenvolvidas aqui”. 
 O judô e a arte em grafite são algumas das atividades que estarão à disposição da população em 2012, afirma o secretário Municipal de Esporte,Francileno Mendes. “Outras modalidades esportivas serão inseridas no local e a ocupação do Ginásio representa não somente a ressocialização da população de baixa renda do bairro como também um reforço à segurança pública, ao ocupar o tempo dos jovens com o esporte e cultura”.
 Moradores como Ana Malcher acreditam que o Ginásio vai contribuir para a formação do cidadão. “As atividades esportivas ajudarão no crescimento das nossas crianças”,disse Ana.
 A presidente da Associação dos Moradores do Guamá, Joana Pantoja, também aposta na diminuição da criminalidade no bairro. “É grande o número de jovens que a cada dia se envolvem com o tráfico de drogas e as atividades no Ginásio vão trazer muitos benefícios à comunidade”,declarou.
 O nome do ginásio é uma
homenagem a Mestre 70,
um incentivador cultural do bairro.
O espaço poliesportivo foi inaugurado em 1999. Esta é a primeira reforma que ele recebe. Além de passar por revisão hidráulica e elétrica, troca de piso, nova cobertura e luminária, o local ganhou ainda sala de exames médicos - sob coordenação da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma); almoxarifado, administração, Telecentro – serviço gratuito de internet, salas multiuso e dos professores; sala de dança, brinquedoteca e recepção.  A ampliação do prédio ficou por conta da construção de arquibancadas com capacidade para 150 pessoas; vestuário masculino e feminino e palco para apresentações culturais, com camarins e lanchonete.
 As matrículas para as atividades esportivas no Ginásio estão previstas para serem realizadas de 1 a 11 de fevereiro de 2012 no próprio local e as aulas terão início a partir do dia 13 do mesmo mês. Para se inscrever o interessado deve apresentar cópia da Certidão de Nascimento, comprovante de residência e uma foto 3x4. Para crianças e adolescentes,além desses documentos, é exigido comprovante de matrícula em escola regular.

Texto: Ieda Ferreira/Ascom Sejel
Fotos: COMUS
Assembleia aprova Lei
Orgânica da
Administração Tributária

A Assembleia Legislativa do Estado aprovou, nesta quinta-feira (15), em primeiro e segundo turnos, a Lei Orgânica da Administração Tributária do Pará (Loat). Servidores da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) estiveram presentes à votação e festejaram a aprovação da lei, uma luta histórica da categoria, agora alcançada com o apoio do governo do Estado. No dia anterior, uma reunião entre deputados, representantes do governo e dos sindicatos garantira um consenso em torno do projeto.
A Lei Orgânica da Administração Tributária define as competências da administração tributária, suas funções institucionais, a estrutura dos cargos de direção e cria o Fundo de Investimento Permanente da Administração Tributária do Estado do Pará (Fipat), destinado a financiar despesas de investimento, desenvolvimento e aperfeiçoamento dos servidores das carreiras do Fisco. O projeto foi aprovado com duas emendas modificativas e uma emenda supressiva, que sintetizam as alterações acordadas.
Segundo o texto da lei, o objetivo fundamental da administração tributária do  Pará é garantir os recursos financeiros essenciais para que o Estado “cumpra o imperativo constitucional de construir uma sociedade livre, justa, solidária, próspera e sustentável social, econômica e ambientalmente; promover o bem estar de todos e combater toda forma de desigualdade social e regional”.
Para o secretário da Fazenda, José Tostes Neto, a importância da aprovação da lei está em reconhecer que a administração tributária é uma organização estratégica do Estado. “Ela representa um fator de estabilidade institucional e desenvolvimento econômico dos países. É uma das áreas que, dentro do setor público, deve ser objeto de prioritária atenção e fortalecimento por parte dos governos”, disse.
José Tostes Neto afirmou que as discussões em torno do projeto foram realizadas de modo democrático e participativo. “Nesse momento tão importante a Sefa mostrou seu amadurecimento, já que em todos os instantes foram respeitados os papéis, funções e visão de cada um dos agentes desse processo”. Além da participação dos sindicatos na aprovação da Loat, o secretário destacou o apoio fundamental do governador Simão Jatene, do vice-governador Helenilson Pontes e dos titulares da Sepof (Sérgio Bacury), Sead (Alice Vianna) e PGE (Caio Trindade).
“O projeto encaminhado recebeu importantes modificações para a valorização do mérito dos servidores integrantes da Administração Tributária Estadual, em razão de nossa firme convicção de que tal valorização refletirá direta e positivamente sobre os princípios constitucionais da Administração Pública especialmente os da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência”.
José Tostes afirmou, ainda, que a aprovação  da Loat “não encerra nossa tarefa. Certamente marcará uma nova fase de uma longa jornada de muito trabalho onde, não temos dúvidas, os servidores da Administração Tributária do Pará demonstrarão o acerto da construção de sua Lei Orgânica e farão jus as amplas conquistas que ela proporciona”.

Texto:
Ana Márcia Pantoja-Sefa
Sespa capacita profissionais
para os 40 Serviços de
Telemedicina no Estado
O Departamento de Atenção Integral às Urgências e Emergências (DAIUE) da Sespa vai capacitar os profissionais que atuarão nos 40 Serviços de Telemedicina implantados em 39 municípios do Estado. Durante a programação será abordado o tema "Doença Arterial Coronária e Atualização em Hipertensão Arterial", ministrado pelos médicos cardiologistas Kleber Ponzi, da Sociedade Paraense de Cardiologia, e Stela Rocha de Lima, do DAIUE.
Mais informações - Quarenta pontos de telemedicina em Emergência Cardiológica estão sendo implantados gradativamente pelo Departamento de Atenção Integral às Urgências e Emergências (Daiue) da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) em 39 localidades do Estado. Com apoio a distância, o objetivo do programa é realizar diagnósticos cardiológicos imediatos suficientes para identificar se os pacientes que dão entrada nas Unidades de Urgência e Emergência com dor torácica estão, de fato, com problema cardíaco.
Sugestão de Entrevistas: Paulo Campos (diretor do DAIUE), médicos e o representante da empresa responsável pelo sistema de telemedicina.
Fundo Ver-o-Sol
promove certificaçao
Na próxima segunda-feira (19), a partir das 15h, a Prefeitura de Belém, por meio do Fundo Ver-o-Sol, promoverá um evento para certificar mais de cinco mil alunos, no Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. Serão certificados os estudantes que participaram dos cursos ofertados pelo órgão, no período de março até o dia 02 de dezembro de 2011.
 Para receber o certificado de conclusão do curso, os alunos precisarão apresentar um documento, de preferência com foto, e/ou o seu comprovante de inscrição. O concluinte que não puder comparecer no evento poderá encaminhar outra pessoa para receber o seu certificado, desde que apresente um documento com foto do aluno e/ou comprovante de inscrição.
 Na ocasião, haverá sorteio de prêmios e atração musical, além da presença da chamada “Mesa de Oportunidades”, parceria estabelecida entre o Fundo Ver-o-Sol e empresas de diversos ramos, que receberão no evento o currículo dos alunos qualificados pelo órgão, para uma possível contratação.
 Dentre as empresas parceiras que estarão na Mesa de Oportunidades, estão: Construtora Leal Moreira, Construtora Ckom Engenharia, Computer Store, Sol Informática, Supermercado Formosa, Lojas C&A, Renner, Riachuelo e Marisa, Farmácia Pague Menos e Hotéis Vila Rica, Softhotel, Tulip Inn, Crowne Plaza, Regente, Formule 1, Íbis, Itaoca e Hilton.

 
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...