Total de visualizações de página

quinta-feira, janeiro 12, 2012

Estado investirá pelo menos R$ 9 milhões contra desastres naturais


                A Defesa Civil do Estado apresentou nesta quinta-feira, 12, o Plano de Contingência contra desastres naturais que será adotado pelo Governo em todas as regiões paraenses, em parceria com os municípios e órgãos federais. No total, serão utilizados pelo menos R$ 9 milhões na construção de abrigos, armazenamento de kits humanitários, de alimentos e de medicamentos, além da compra de equipamentos que devem ser utilizados nos municípios do interior prejudicados pelas cheias dos rios e as fortes chuvas.
                Estão previstas, ainda, obras de prevenção contra os desastres e reconstrução das cidades, caso haja algum dano, como o ocorrido em 2009 no município de Altamira, no sudoeste do Pará. O orçamento foi feito com base nos anos anteriores, quando, em média, 34 mil famílias, em trinta cidades, foram afetadas pelas chuvas e pelo aumento do nível dos rios. A apresentação do Plano foi feita no Comando Geral do Corpo de Bombeiros, em Belém, pelo coordenador adjunto da Defesa Civil, coronel José Almeida, com a presença de representantes de secretarias de Estado e órgão federais.
                De acordo com Almeida, entre as medidas principais que serão colocadas em prática por meio do plano está a criação do Sistema Regional de Manejo de Incidentes. “Com esse sistema todas as seis regionais da Defesa Civil terão liberdade para interagir entre si, otimizando recursos e agilizando o atendimento às famílias afetadas”, explicou o coordenador.

                Outra medida importante é a definição de grupos de trabalho, que são três. O primeiro fica responsável pelo monitoramento do clima e do nível dos rios, o que ajudará a prevenir as cidades contra os desastres; outro grupo é operacional, encarregado de dar uma resposta à população por meio dos atendimentos de urgência e emergência durante um desastre; o terceiro grupo é o de reconstrução, que é responsável pela reabilitação das cidades afetadas pelas chuvas ou cheia de rios.
                Esta é a primeira vez que o Estado do Pará coloca em prática um plano de ação desta magnitude, envolvendo todas as esferas de poder, possibilitando atendimento em 100% do território paraense. Segundo o coronel Almeida, “o plano foi desenvolvido de acordo com as prioridades de cada região do Estado, buscando atender da melhor maneira possível as demandas dos municípios. Além disso, dá ênfase à resposta para a sociedade”.
O secretário de Integração Regional, Desenvolvimento Urbano e Metropolitano do Pará, Márcio Spíndola, acompanhou a apresentação do plano e adiantou que o Governo do Estado levará à Presidência da República um orçamento de recuperação de cidades e de obras para a prevenção de desastres naturais. Um levantamento de 54 projetos que já estavam previstos há alguns anos será levado junto à solicitação orçamentária. “Vamos levar para o Governo Federal estes projetos e solicitar recursos para que sejam logo colocados em prática. Isto também faz parte do plano de contingência”, assegurou Spíndola.
                A partir de agora, explicou o coordenador adjunto da Defesa Civil, estamos finalizando a etapa de preparação do Plano para, junto com as outras esferas, colocarmos as medidas em prática. “Vamos oferecer condições essenciais para o suprimento de necessidades imediatas à população, além de apoiar o Poder Executivo Municipal para o restabelecimento da situação de normalidade, uma vez que anualmente as cidades são afetadas com os desastres naturais”.

Texto:
Thiago Melo-Secom
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...