Total de visualizações de página

quinta-feira, janeiro 05, 2012

GMB investiga procedência de armamento usado nos conflitos do Tapanã

O comando da Guarda Municipal de Belém abriu investigação para identificar a procedência dos 24 coquetéis molotov, três rojões e cinco baladeiras apreendidas com os invasores do terreno destinado à construção do quartel da corporação, no Tapanã.
 O arsenal apreendido surpreendeu o comando da operação, que desconfia da infiltração de grupos de guerrilha urbana entre os manifestantes. “Ora, trata-se de um arsenal de armas que nos levam à presunção de que havia entre eles (invasores) pessoas preparadas para uma espécie de guerrilha urbana”, avaliou Ellen Margareth, comandante da corporação.
 Ellen voltou a afirmar que a denúncia da tentativa de invasão partiu dos próprios moradores. “Estivemos no local, domingo, e evacuamos a área sem incidentes”. Ela disse que na segunda-feira (2), o terreno voltou a ser invadido. “Novamente retiramos as demarcações, sem incidentes. Mas, na terça, já houve resistência, assim como ontem”, lembrou.
A comandante da GMB disse que a própria população do entorno não quer o terreno invadido. Ela garante que os invasores estão vindo de outros bairros, como Cabanagem, em Ananindeua.  “É bom lembrar que são os próprios moradores do entorno que estão denunciando as tentativas de invasão”, ratificou.
 
Texto:Ascom/GMB
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...