Total de visualizações de página

quarta-feira, janeiro 04, 2012

O Cinema de Pedro Almodóvar na Estação das Docas

Da Redação
Agência Pará de Notícias


Em janeiro, o cinemão da Estação das Docas abre a temporada 2012 com o filme "A Pele que Habito", de Pedro Almodóvar, com Antonio Banderas e Marisa Paredes no elenco. A narrativa do filme, que oscila entre o suspense e o bizarro, prova mais uma vez a capacidade do diretor espanhol em surpreender o espectador.
No filme, Roberto Ledgard (Antonio Banderas) é um conceituado cirurgião plástico que vive com a filha Norma (Bianca Suárez). O
doutor Robert Ledgard tem a obsessão de recriar em laboratório uma espécie de pele humana, desde que sua esposa sofrera graves queimaduras após um acidente de carro. Atormentado pela morte da mulher, Ledgard se mostra um homem inescrupuloso, que não medirá esforços para colocar em prática seus experimentos para criar uma pele artificial para seres humanos.
Sua filha, com problemas psicológicos causados pela morte da mãe, é aconselhada pelo médico a tentar a socialização e, com isso, incentiva que Roberto a leve para sair. Pai e filha vão juntos a um casamento, onde ela conhece Vicente (Jan Cornet). Eles vão até o jardim da mansão, onde Vicente a estupra. A situação gera um grande trauma em Norma, que passa a acreditar que seu pai a violentou, já que foi ele quem a encontrou desacordada. A partir de então, Roberto elabora um plano para se vingar do estuprador.
Apesar do filme ser baseado no livro "Mygale" (1995), de Thierry Jonquet, o diretor afirma que a única referência cinematográfica clara e direta é a do filme francês "Os Olhos Sem Rosto", de Georges Franju, além das alusões a arte de Louise Bourgeois. Na decoração de um dos ambientes observa-se um quadro de Giullermo Pérez Villalta, colagens de Juan Gatti e reproduções de duas pinturas de Ticiano. É possível também identificar um quadro da pintora brasileira Tarsila do Amaral: "Paisagem com Ponte" que se encontrava na parede da casa do doutor Ledgard.
Ao começar a rodar o filme, Amodóvar assegurou que retrataria uma situação limite que afetava, sobretudo, a dois personagens e que seria um filme de terror, mas sem gritos nem sustos. Há 21 anos Pedro Almodóvar e Antonio Banderas não trabalhavam no mesmo set de filmagem. "A Pele que Habito" é o sexto filme em que trabalham juntos. Os anteriores foram "Labirinto de Paixões" (1982), "Matador" (1986), "A Lei do Desejo" (1987), "Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos" (1988) e "Ata-me!" (1990).
Por ocasião do lançamento do filme, Banderas revelou que já não lembrava como era intenso trabalhar com o diretor e retomar esta parceria é como se ele estivesse retornando às raízes, como se voltasse para casa. O roteiro passou por nove versões até chegar ao definitivo. Pedro Almodóvar tinha interesse em voltar a trabalhar com Penélope Cruz, mas, em meio a tantas versões do roteiro, sua personagem perdeu importância na trama.
Com orçamento de US$ 13 milhões, as filmagens ocorreram entre 23 de agosto e 19 de novembro de 2010. "A Pele que Habito" arrebatou o Prêmio Vulcain no Festival de Cannes 2011 e foi indicado nas categorias de melhor cenografia e trilha sonora na última edição do European Film Awards.
Serviço:
A Pele que Habito - Lançamento: 2011
De: Pedro Almodóvar. Com Antonio Banderas e Marisa Paredes. 16 anos. 117m.
site oficial: http://www.sonyclassics.com/theskinilivein
Datas em janeiro:
4  (quarta-feira), às 18h e 20h30
5 (quinta-feira), às 18h e 20h30
8 (domingo), às 10h, 18h e 20h30
11 (quarta), às 18h e 20h30
12 (quinta), às 18h e 20h30
15 (domingo), às 10h, 18h e 20h30
Ingressos: R$ 7,00 (com meia-entrada para estudantes).
Realização: OS Pará 2000, Secretaria de Estado de Cultura – Secult

Texto:
Jose Pacheco – Secult
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...