Total de visualizações de página

quarta-feira, janeiro 11, 2012

Seduc apoia palestra sobre drogas na Escola Cidade de Emaús

                Informações básicas sobre drogas lícitas e ilícitas foram repassadas a alunos da Escola Cidade de Emaús, localizada no bairro do Benguí, durante a palestra “Drogas na Escola”, proferida pelo psico-pedagogo Augusto Cézar, integrante da equipe do Programa Saúde na Escola (PSE). A palestra é uma iniciativa da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), em parceria com a Prefeitura de Belém.
                O palestrante enfatizou os males causados pelo uso de drogas, algumas delas encontradas na porta de escolas, bancas de vendas de bombons e em mercearias. Esse cenário, explicou ele, mostra a atual vulnerabilidade dos jovens no contato com as drogas.
                Essa abordagem deu início às atividades pedagógicas da escola em 2012. A instituição, que funciona em regime de convênio com a organização “República de Emaús”, teve o pior Índice de Desenvolvimento de Educação Básica (Ideb) de 2011. A iniciativa de promover ações extra-classe destinadas a aumentar a autoestima da comunidade escolar está nas metas estabelecidas pela nova diretora, Vânia Mendes, à frente da instituição há dois meses. Segundo ela, a intenção é mudar essa imagem da "Cidade de Emaús", situada em uma área de conflitos e carências sociais.
                Funcionando com 1.750 alunos e 36 professores, a Escola Cidade de Emaús existe há 25 anos. Para o ano letivo de 2012 foram planejadas várias ações, entre elas a Caminhada pela Paz, no próximo dia 24. As novas atividades estão sendo bem aceitas pelos estudantes. Para os alunos Joelson Almeida Serra, 16 anos, da 7ª série, e Célio de Azevedo Amaral, 19 anos, da 3ª etapa, é louvável a iniciativa da escola em abordar o tema das drogas e alertar para os danos causados pelo uso dessas substâncias.

Texto:
Danielly Gomes-Seduc
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...