Total de visualizações de página

quinta-feira, janeiro 12, 2012

Serviço Social da Polícia Civil registra mais de 15 mil atendimentos

                O trabalho de mediação de conflitos realizado por assistentes sociais da Polícia Civil resultou em mais de 15 mil atendimentos sociais em Seccionais e Delegacias da Região Metropolitana de Belém, e em Abaetetuba, região do Baixo Tocantins, no ano de 2011. Esse é o balanço final de atendimentos efetuados pelos profissionais do Serviço Social da instituição policial. Ao todo, a Polícia Civil dispõe de 30 servidores na área do Serviço Social para o atendimento nas unidades policiais. Os profissionais são responsáveis em realizar acordos entre pessoas em conflito, como briga entre vizinhos, entre familiares e até apurar denúncias de maus tratos de pessoas no lar. A maioria dos atendimentos prestados pelo Serviço Social da Polícia Civil foi de casos de conflitos familiares com mais de 3,3 mil atendimentos no ano passado.
                A área da Seccional Urbana da Sacramenta, que abrange os bairros da Sacramenta, Telégrafo, Barreiro, Val-de-Cans e Maracangalha, foi a que mais registrou casos atendidos pelos assistentes sociais, com 571 situações de conflitos familiares. Os casos de uso de drogas, violência doméstica, perturbação do sossego, conflitos entre alunos nas escolas e fugas do lar corresponderam a mais de 1,7 mil atendimentos sociais em 2011. Ainda, de acordo com os dados, mais de 2,9 mil casos de brigas conjugais foram resolvidos por meio do Serviço Social, levando ao entendimento entre o casal e evitando que os casos fossem parar na Polícia para se tornar processos judiciais.
                Os assistentes sociais chegam a prestar encaminhamentos de usuários para a rede de serviços sociojurídicos e assistencial. Eles também são responsáveis em dar orientações sobre os direitos do cidadão e sobre leis e benefícios referentes ao abandono de lar e à pensão de alimentos. São encarregados ainda de realizar visitas domiciliares para acompanhar as pessoas atendidas e verificar situações de violação de direitos contra crianças, adolescentes e idosos, além de atender casos de violência doméstica, de calúnia, ameaças, difamação, injúria, consumo de drogas, lesão corporal, perturbação de sossego, conflito escolar, fugas do lar, entre outros.
                Ao analisar os dados de 2011 em comparação ao ano anterior, o relatório das atividades dos assistentes sociais aponta que houve um considerável aumento do número de atendimentos. “Os atendimentos realizados pelos assistentes sociais contribuem com o trabalho da autoridade policial para a diminuição de procedimentos policiais, como Termos Circunstanciados de Ocorrências (TCOs), visando a redução de processos encaminhados ao Judiciário. Portanto, com a intervenção do Serviço Social, as partes chegam a um acordo reforçando a credibilidade do profissional diante da população, e o fortalecimento da cultura do diálogo visando a paz”, explica a assistente social Simone Aguiar.
                Ela explica que, para o ano de 2012, os assistentes sociais da Polícia Civil pretendem traçar um protocolo de atuação nas Delegacias e definir os chamados instrumentais de trabalho, ou seja, padronizar as metodologias para análise dos dados dos atendimentos sociais. O objetivo é conceituar todos os tipos de atendimentos para se poder trabalhar de forma mais clara os dados estatísticos e elaborar um perfil das pessoas atendidas pelo Serviço Social nas Delegacias.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...