Total de visualizações de página

quinta-feira, dezembro 08, 2011

@ EDUCAÇÃO ...

Mestrado em Ciências da
Religião da Uepa
divulga aptos à entrevista
O Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade do Estado do Pará (Uepa) divulgou nesta quarta-feira, 7, o resultado da avaliação do pré-projeto que corresponde à terceira fase do processo seletivo e convoca os aptos à realização de entrevistas na próxima semana.
Os candidatos a uma vaga na linha de pesquisa "Hermenêutica das Linguagens da Religião" serão entrevistados no dia 14 de dezembro, de 9h às 12h e de 14h às 17h e no dia 19, somente de 14h às 17h. Já os da linha "Movimentos de Instituições Religiosas" farão a quarta fase da seleção nos dias 14, 15 e 16 de dezembro, sempre de 14h às 18h.
As entrevistas serão compostas por questões relacionadas ao Pré-Projeto de Pesquisa e do Currículo Lattes do candidato. A nota mínima para a aprovação nesta fase é sete. A nota obtida no currículo Lattes, aferida de acordo com o anexo V do Edital da seleção será utilizada apenas para fins de desempate.
Todas as provas serão realizadas na Sala Multiuso do Prédio Castelinho, localizada no Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE), o Campus I da Uepa. A coordenação do Programa ressalta que os candidatos devem chegar ao local de realização das entrevistas com pelo menos trinta minutos de antecedência. O processo seletivo para o Mestrado em Ciências da Religião tem um total de cinco fases e deverá ser encerrado até 6 de janeiro de 2012. São ofertadas 20 vagas.

Serviço: As entrevistas acontecem no CCSE/Uepa, localizado na travessa Djalma Dutra s/n - Telégrafo (entre as ruas do Una e Municipalidade). Mais informações: (91) 3299 2262

Texto:
Ize Sena-Uepa
Professores da rede pública
aprendem Língua Brasileira de Sinais
Cerca de 80 professores de escolas públicas estaduais, vinculadas à 8ª Unidade Regional de Educação (URE), localizada no nordeste do Estado, participaram da Formação Continuada em Língua Brasileira de Sinais (Libras). Com o tema “Aprender para incluir”, a formação começou no dia 28 de novembro e foi encerrada nesta quarta-feira (7), na Escola Estadual João Gabriel da Silva, no município de Santa Maria do Pará.
Na rede pública estadual de ensino estão matriculados cerca de 700 estudantes surdos ou com problemas de audição. A expectativa dos coordenadores do curso é melhorar o acesso e a permanência desses estudantes nas escolas da rede estadual, além da eliminação, gradativa, de barreiras que impedem a comunicação dos alunos com deficiência auditiva.
Os professores participaram de discussão teórica acerca da surdez, dos aspectos filosóficos sobre a educação de surdos e de oficina de confecção de material pedagógico para trabalhar com alunos surdos. A prática de Libras dominou o curso, com diálogos em dinâmica de grupo, e o aprendizado de nomes próprios, saudações, numerais, alfabeto em Libras, pronomes pessoais e demonstrativos, famílias e cores.
De acordo com Edmilson Souza, coordenador de Educação Especial da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), o curso foi organizado a partir de uma necessidade detectada e apresentada pela 8ª URE de Castanhal. “Todas as nossas ações formativas estão diretamente ligadas às necessidades de cada município ou região e, nesse caso, Santa Maria apresentou essa demanda”, informou o coordenador.
Linhas de ação - Em Belém, além dos estudantes com deficiência matriculados regularmente nas escolas estaduais, há também atendimentos especializados na Unidade Astério de Campos, no Centro de Apoio ao Surdo (CAS) e na unidade especializada conveniada ao Instituto Felipe Smaldone. “Estamos trabalhando em duas linhas de ação. A primeira é a redução das barreiras físicas, e a segunda a formação continuada dos professores da Seduc”, acrescentou.
O professor de Matemática Elizeu Barroso de Sousa tem duas alunas com deficiência auditiva, matriculadas na 7ª série do ensino fundamental da Escola João Gabriel da Silva. Na sala de aula, a afetividade tem sido uma das ferramentas que aproximam o professor das alunas. “Como eu já as conhecia, ficou mais fácil. Mas sei que nem sempre será assim, e devo me apropriar da linguagem desses alunos”, ressaltou o professor.
Segundo ele, a leitura labial facilita a compreensão do conteúdo. “Imagina dar aula de equações? Elas me ensinaram muito. Acredito que agora vamos conseguir dar uma atenção mais adequada, o que deve melhorar ainda mais o contexto da disciplina”, disse Elizeu Barroso.

Texto:
Danielly Gomes-Seduc
Uepa terá expediente
administrativo na sexta-feira
A Pró-Reitoria de Gestão e Planejamento (Progesp) da Universidade do Estado do Pará (Uepa) informa que segue a orientação do Governo do Estado, que não irá facultar a sexta-feira, 9 de dezembro, e, portanto, terá expediente administrativo normal no prédio da Reitoria, no bairro do Telégrafo. O funcionamento das unidades acadêmicas se dará de acordo com a decisão das chefias locais.
Docentes já podem
atualizar o PIT
A Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) comunica aos docentes que o Sistema de Gestão Acadêmica Docente (Siga - http://siga.uepa.br/siga/) está acessível para preenchimento e atualização do Plano Individual de Trabalho (PIT). Nele o professor atualiza informações sobre sua trajetória e perspectivas acadêmicas futuras. O procedimento é simples e imprescindível para o planejamento anual da instituição, pois facilita a tomada de decisões importantes como liberação de docentes para eventos e cursos de pós-graduação. Para esclarecer dúvidas e dificuldades, basta entrar em contato com a Diretoria de Desenvolvimento de Ensino (DDE) pelos telefones (91) 3244-8957/ (91) 3299-2207.
Começa a capacitação dos
gestores das escolas do
Projeto Jovem de Futuro
“A capacitação chegou em boa hora. Eu me sentia presa, sem recursos, sem norte”, comemora a diretora da Escola “Acy Barros”, do município de Marabá, professora Edna Maria Diniz Pimenta, que integra o grupo de diretores, técnicos e professores das 110 escolas de todo Estado que estão recebendo capacitação do Projeto Jovem de Futuro (PJF). Para a diretora eleita pelo voto direto, “cabe agora aos gestores implantar a tecnologia do PJF e trabalhar”.
A iniciativa tem a parceria do Instituto Unibanco com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) voltado ao Ensino Médio Inovador, com apoio do Ministério da Educação (MEC), que busca por meio do projeto dar maior autonomia às escolas na construção de ideias pedagógicas por intermédio de repasse de recursos diretos na escola pelo Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE).
Para participar da capacitação que encerra nesta quarta-feira, 7, no Crowne Plaza, foram selecionados grupos gestores compostos de três integrantes de cada escola, tanto da Região Metropolitana de Belém (RMB) como do Interior do Estado, esclarece, Albert Pereira, coordenador do programa no Estado. Para estar apto ao recebimento do recurso federal, a escola precisa apresentar projetos pedagógicos, como por exemplo, iniciativas do professor voltadas para pesquisa, dança, leitura, aquisição de material para práticas esportivas, itens de custeio. Os recursos podem ser destinados para a implantação de aulas extraclasse aos alunos que estão com dificuldades em disciplinas de língua portuguesa e matemática.
A partir de março de 2012 os recursos já chegarão a escola. Para tanto, é necessário que a escola apresente à Seduc o projeto pedagógico a ser implantado, o que deve acontecer até dezembro. Em janeiro, está prevista a avaliação final. Pelos cálculos do coordenador, R$ 10 milhões estão previstos para aplicação direta nas escolas por um período de três anos.
A parceria firmada entre a Seduc e o Instituto Unibanco por meio da transferência da tecnologia do Projeto Jovem de Futuro se traduz na expectativa de melhorar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do sistema educacional do estado, afirma Antonia Silveira, do Instituto Unibanco.
A implantação do projeto nos estados de Minas Gerais, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro, nos anos de 2008 e 2009, onde a tecnologia do projeto foi aplicada pelo Instituto, apresentou resultados significativos. A representante do Unibanco destacou as metas previstas, como a de aumentar em 25 pontos o nível dos alunos nas disciplinas de língua portuguesa e matemática, segundo avaliação do Ministério da Educação para os alunos do nível médio e diminuir em 40% o abandono escolar.
Silveira explica que as ações do Projeto Jovem de Futuro foram criadas no processo de validação de algumas questões específicas, como a evasão escolar. Neste aspecto, ela reiterou “que o aluno muitas vezes estava na escola sem perspectiva de futuro, esse aluno precisava de que o estudo fizesse um futuro, ou seja, ele sentia que estava perdendo tempo na escola”. Segundo ela, uma das metodologias aplicadas no PJF está baseada na obra do escritor Ricardo Gianete, que aborda o “Valor do Amanhã”, que serviu como base do miniprojeto com professores para trabalhar o amanhã desse aluno.
Outro aspecto trabalhado no processo de validação do PJF foi o da identificação. Neste item, o projeto volta a atenção para o gestor que foi identificado sem capacitação para a tarefa. A energia do responsável pela escola estava focada em outros rumos, como por exemplo, o embate entre alunos, traficantes próximos da escola, falta de professores, entre outros problemas. Pela gestão escolar criada para dar resultados, o foco de atenção e concentração é o desempenho dos alunos.
O curso de capacitação tem a duração de três anos, ministrado em encontros que vão trabalhar o planejamento; execução; comunicação-avaliação, os pilares para a formação dos gestores escolares. Nesta quarta, 7, encerra a primeira parte dedicada ao planejamento visando a montagem do projeto para o ano de 2012.

Texto:
Danielly Gomes-Seduc
Escolas estaduais serão
beneficiadas pelo
Projeto Jovem de Futuro
Cento e dez escolas de ensino médio da Região Metropolitana de Belém (RMB) serão contempladas pelo projeto Jovem do Futuro. Fruto de uma ação conjunta entre a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e o Instituto Unibanco, o projeto visa aumentar o desempenho escolar dos alunos e diminuir os índices de evasão. Para atingir esses objetivos, as escolas participantes recebem apoio técnico e financeiro para a concepção, implantação e avaliação de um Plano de Melhoria de Qualidade, com duração de três anos, ou seja, o ciclo das três séries do Ensino Médio.
A previsão é que o Projeto seja implantado nas escolas paraenses a partir do ano que vem. Para tanto, diretores de escolas participaram, no último dia 23, no auditório da Seduc, do sorteio das escolas participantes. No sorteio, 50 escolas foram beneficiadas, sendo 25 no grupo de “Tratamento” e 25 no de “Controle”.
Segundo o diretor do Ensino Médio e Profissional da Seduc, Roberto Alves da Silva, as escolas selecionadas como “Tratamento” passam a receber, a partir do próximo ano, recursos que serão aplicados diretamente para execução em ações pedagógicas até 2014. Nas escolas classificadas no grupo “Controle”, os alunos do ensino médio, a exemplo das escolas de “Tratamento”, também serão submetidos aos testes das disciplinas de língua portuguesa e matemática, porém, sem acesso aos recursos. Essas escolas também serão submetidas a avaliação de impacto, que medirá a diferença em relação as escolas beneficiadas com o projeto.
A metodologia, segundo explicou lara Nacht, que integra a equipe de transferência do projeto, é justamente dar uma “mexida” na escola em duas frentes: a primeira, envolvendo a aplicação de recursos diretos, permitirá a autonomia do gestor. Já a segunda, por meio do apoio técnico, possibilitará a participação dos supervisores e dos técnicos da Unidades de Ensino da Seduc (URE's e USE's).
Entre as medidas, está a construção de um plano de ação, baseado no plano político pedagógico (PPP), voltado para três eixos: professor, aluno e gestão. Lara reiterou que no eixo gestão, os recursos podem ser usados para aquisição de livros para o professor, pequenas reformas na escola e outras demandas que os recursos financeiros comuns demoram a realização dos serviços. A parceria entre o Instituto Unibanco e a Seduc já permitiu a capacitação, no mês de outubro, em São Paulo, de aproximadamente 30 servidores que passam a supervisionar e monitorar o projeto que inicia no próximo ano, informou o coordenador do Jovem de Futuro/ Ensino Médio Inovador, Albert Pereira.
Para o diretor da escola de ensino médio, Dr. José Márcio Aires, integrante da USE-10, do bairro do Tapanã, Carlos Eduardo Barbosa, ficar entre as escolas do grupo de Tratamento “foi maravilhoso”, pois os recursos previstos no projeto vão permitir a implantação de novas práticas pedagógicas, como por exemplo, a contratação de monitores para o reforço escolar dos alunos.
A “Dr. Márcio Aires” já contabiliza algumas conquistas, como a escola vencedora da gincana literária promovida pela Feira Panamazônica do Livro e a participação no Concurso de Redação promovido pelo Senado Federal, da estudante do 2º ano do nível médio, Sílvia Adriany Almeida, que representou o Pará no projeto Jovem Senadores, em Brasília. O diretor orgulha-se ao afirmar que muitos alunos já ingressaram no ensino superior somente frequentando as aulas normais da escola.

Texto:
Danielly Gomes-Seduc
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...