Total de visualizações de página

sexta-feira, dezembro 02, 2011

Homenagem a padroeira dos músicos reúne corais na Catedral



Com o objetivo de divulgar a música sacra, a 13ª Mostra de Corais Santa Cecília reuniu, na noite da última quinta-feira, 1, diversos corais de Belém em um espetáculo voltado para o Canto Sacro na Catedral Metropolitana de Belém. Promovida pela Schola Cantorum e pela Catedral, a mostra reuniu os coros Carlos Gomes, Vozes da Amazônia, Coral da Guarda de Nossa Senhora de Nazaré, da Basílica Santuário, Amazônia Vox, Coral do Tribunal de Contas do Estado, IECG Concertante e Schola Cantorum.
O grande público acompanhou atento cada apresentação. O primeiro a se apresentar foi o Coral Amazônia Vox, sob a regência de Flávio Sérgio da Silva. Na sequência, foi a vez do Coral do Tribunal de Contas do Estado. Criado oficialmente há 13 anos, o grupo se apresentou sob a regência de Jeremias Progenio Júnior. O coral anfitrião, da Schola Cantorum, se apresentou logo em seguida, procedido pelo Coral da Guarda de Nossa Senhora de Nazaré, que prestou sua tradicional homenagem à padroeira dos paraenses.
A mostra de corais teve início em 1999 e surgiu da iniciativa do padre José Gonçalo Viera, Cura da Sé, em homenagear a padroeira dos músicos, Santa Cecília, no seu dia, 22 de novembro, congregando corais que estruturam suas atividades na música sacra. Segundo a maestrina Maria Antonia Jiménez, a mostra é uma das poucas voltadas para modalidade. “Já participo da mostra há mais de 10 anos e não tenho conhecimento de outra do tipo na região”, afirma.
Na mostra, acompanhada pelo pianista Paulo José Campos de Melo, presidente da Fundação Carlos Gomes, Jiménez regeu dois coros - Carlos Gomes e Vozes da Amazônia -, que se apresentaram juntos. Em 1995 ela foi a fundadora do coro Carlos Gomes, que atualmente é formado por estudantes, formandos e professores do Conservatório Carlos Gomes. A maestrina também está a frente do Vozes da Amazônia - composto por funcionários do Banco da Amazônia e membros da comunidade -, desde a sua criação em 2002.
O encerramento ficou por conta do projeto IECG Concertante, que reuniu a Orquestra Jovem de Cordas da Fundação Carlos Gomes e o Coro Eliette Tavares, criado especialmente para o projeto IECG. O coro é formado pelas disciplinas de Canto Coral do instituto e seu nome faz referência a uma das grandes professoras da escola, que desenvolveu trabalhos especialmente voltados para as disciplinas teóricas, como solfejo, teoria musical e canto coral.

Texto:
Amanda Engelke-Secom
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...