Total de visualizações de página

segunda-feira, dezembro 05, 2011

@ REPÓRTER JURUNENSE Destaca: “IAP e Susipe promovem aperfeiçoamento para 20 mulheres do Sistema Penal”

Semec abre oficialmente
os II Jogos Escolares Municipais




Com a participação de 350 alunos de 23 escolas municipais os II Jogos Escolares Municipais foram oficialmente abertos na manhã do último sábado (3) no Núcleo de Esporte e Lazer- NEL.  Os jogos vão oferecer atividades recreativas e competições no vôley, queimada, futebol, atletismo, futebol de areia e handebol.
 Serão premiados os alunos que conseguirem os primeiros e segundos lugares de cada modalidade e cada categoria. Em sua segunda edição, os jogos trazem, dessa vez, o diferencial das competições acontecerem pela primeira vez, nas quadras cobertas e aparelhadas de sete escolas, um projeto cumprido à risca pelo Departamento de Educação Física da Secretaria Municipal de Educação- DEEF/Semec.
 “Nossos alunos estão ansiosos para voltar a usar a quadra, que passou três meses em reforma para oferecer uma digna estrutura para os jogos”,disse Claudio Ovela, professor de Educação Física da Escola Amália Paungartten, no bairro do Guamá. A escola vai oferecer, a partir de agora, a única quadra das redondezas. Cerca de 350 alunos , da primeira à quarta série da escola vão usar a quadra a partir desta segunda-feira (5) para a disputa de queimada e futsal.
 O momento simbólico do evento foi quando o aluno André Castro, da Escola Donatila Lopes acendeu a pira olímpica. Os II Jogos Municipais vão acontecer até o dia 7 de dezembro, em 11 escolas, além do ginásio da Universidade do Estado-Uepa, antiga Escola Superior de Educação Física-Esefpa.
 A diretora do DEEF, Elisabeth Gomes, destacou o empenho do departamento.“ Nosso investimento não foi só o do espaço físico, com a construção a aparelhagem dessas quadras cobertas. Estamos investindo cada vez mais na capacitação de nossos professores”
  
Texto: Acom Semec
Fotos: Acom Semec
Paratur faz inventário
turístico em oito
municípios do Pará
A cidade de Parauapebas, no sudeste do Pará, é um dos municípios onde a Companhia Paraense de Turismo (Paratur) acaba de realizar o Inventário da Oferta Turística. O levantamento foi realizado em parceria com a prefeitura local ao longo deste semestre, com objetivo de  atualizar os dados referentes aos serviços prestados, equipamentos existentes, infraestrutura e outros aspectos relacionados aos segmentos do turismo ofertados no município, permitindo um melhor aproveitamento do potencial turístico da região.
Segundo Leonardo Conduru, gerente de Infraestura da Paaratur, o inventário turístico é um instrumento importante por que possibilita o conhecimento dos elementos que compõe a oferta turística de um município, como os potenciais naturais, culturais e históricos, além de reunir dados sobre a infraestrutura turística, os serviços, e as potencialidades do mercado.
A Paratur já inventariou seis municípios só este ano. “De julho pra cá foram inventariados os municípios de Cametá, São Félix do Xingu, Tucuruí, Breu Branco Canaã dos Carajás e Parauapebas, informa Leonardo, ao adiantar que ao longo deste mês Barcarena e Abaetetuba também vão ser inventariados.
Ele informa também que a Paratur fará ainda este mês o inventário das cidades de Abaetetuba e Barcarena. Os inventários, que estão em fase de diagramação e organização, além de ficarem disponíveis como referência técnica para o Estado balizando as políticas de investimento no turismo, também são entregues aos municípios pesquisados, com a mesma finalidade.
Metodologia
Leonardo Conduru informa que além da metodologia sugerida pelo Mistério do Turismo (MTUR) para compor o questionário sobre os atrativos naturais, culturais dos municípios, a equipe que integra a Diretoria de Fomento da Paratur, responsável pela inventariação, resolveu agregar alguns valores a estes inventários, tais como a hierarquização e o georeferenciamento dos atrativos e o diagnósticos das oportunidades de negócios em cada município.
“Através destes três elementos a gente cria um raio x dos municípios, aquilo que interessa ao gestor municipal, para o empresário, para o pesquisador, para o estudante de turismo, para o cidadão. O inventário acaba se tornado um documento referencial por tudo aquilo que ele vai levantar sobre o turismo no município”, explica Leonardo.
Para tornar os trabalhos mais dinâmicos e até didáticos, a Companhia Paraense de Turismo buscou parcerias com as instituições de ensino superior do Pará. “Essa parceria é também um marco importantíssimo para que tanto os estudantes do curso de turismo da  Universidade Federal do Pará quanto os alunos de instituições particulares possam participar da formulação dos inventários nestes municípios com os técnicos da Paraur”, destaca Leonardo, que é professor universitário.
Adenauer Góes, presidente da Paratur, diz que os inventários são “contribuições que fazem parte de um planejamento de trabalho, previstas para terem continuidade  entre 2012 e 2015, período de execução do Plano Estratégico de Turismo do Estado do Pará”. Adenauer ressalta que o Plano, lançado no dia 11 de novembro, prevê investimentos prioritários em promoção, divulgação e também o fortalecimento dos produtos turísticos ofertados pelos municípios, o que vem ao encontro dessa estratégia de inventariar cada município.

Texto:
Benigna Soares-Paratur
Paratur certifica 85 pessoas
em turismo no município de Vigia
A Companhia Paraense de Turismo (Paratur), órgão oficial de Turismo do Pará, realiza solenidade de entrega dos certificados de 85 concluintes nos cursos do Plano Emergencial de Qualificação Profissional. O evento será realizado nesta terça-feira, 6, às 16h30, no auditório da Barraca da Festividade, no município de Vigia de Nazaré, nordeste do Pará.
Os cursos concluídos são de Gestão de Negócios, Condutor Local, Empreendedorismo e Qualidade no Atendimento para trabalhores de bares, hotéis e pousadas. A capacitação foi realizada pela Paratur em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).
Segundo Adenauer Góes, presidente  da Paratur, o Plano  Emergencial de Qualificação garante investimentos que inicialmente somam cerca de 300 mil reais para qualificação de mais de 1300 pessoas que atuam na cadeia produtiva do turismo em diversos segmentos, totalizando 62 turmas, 31 modalidades de cursos, voltados à capital e mais 15 municípios. Através do Plano já foram certificados 95 profissionais em Bragança, 74 em Marapanim, 80 em Curuçá, 40 em Quatipuru e agora 60 em Parauapebas e 80 em Marabá.
PEQTur - Cerca de 10.280 profissionais que atuam direta e indiretamente na área do turismo em 68 municípios do Pará devem passar por algum tipo de qualificação entre 2012 e 2015, por meio do Programa Estadual de Qualificação do Turismo (PEQTur), lançado no último dia 31 pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur).
Casa da Linguagem será
palco de programação
para os apaixonados por Gibi
A partir desta segunda-feira, 5, a Casa da Linguagem recebe a programação "GibiMais - Quadrinhos, Cultura Pop e Muito mais!". egundo a organização, “um evento para encerrar as programações 'nerds' do ano com chave de ouro, através da convergência do encontro dos principais grupos atuantes na cena pop-nerd em Belém”.
No GibiMais, que será realizado até 9 de dezembro, haverá games, quadrinhos, filmes, documentários, séries, desenhos animados, oficinas, workshops, mesas de debate, exposições, um ótimo espaço de comercialização de artigos de primeira e muita, muita interação entre os grupos e participantes, não só pelo entretenimento, mas também para fomentar o debate e a profissionalização de quem tem a cultura pop como atividade de trabalho.
Entre as grandes surpresas do evento estará o homenageado e patrono desta primeira edição, que será ninguém menos do que o desenhista paraense Joe Bennett, que completa 27 anos de carreira, com atuação nacional e internacional, ao trabalhar para as grandes empresas como Marvel, DC Comics e Image.
Joe Bennett, ou Bené Nascimento, como é conhecido entre os amigos, participará do workshop temático de quadrinhos que acontecerá no último dia do evento, cujo principal objetivo é debater a cena profissional do mercado brasileiro e paraense. Oportunidade imperdível para quem quer aprender mais um pouco sobre que passos deve dar para entrar neste concorrido mercado.
O GibiMais é organizado pelos grupos Ponto Zero e Pencil Blue Studio. No apoio organizacional a sede ficou a cargo da Fundação Cultural Curro Velho por meio da Casa da Linguagem. A programação pode ser conferida no blog oficial do evento criado pelo Ponto Zero (http://www.pontozero.net.br/gibimais).
Serviço:
GibiMais - Quadrinhos, Cultura Pop e Muito mais!
Data: 5 a 9 de dezembro, de 9 às 12h e de 15 às 18h no turno da tarde
Local: Casa da Linguagem - Av. Nazaré, nº 31, esquina da Assis de Vasconcelos
Informações:  http://www.pontozero.net.br/gibimais - Twitter: @GibiMais
Página do evento no Facebook: http://www.facebook.com/gibimais

Texto:
Andreza Gomes-FCV
Luzes de Natal comemoradas
com música no
Conservatório Carlos Gomes



Um final de tarde magnífico brindou o público formado por familiares de alunos do Conservatório Carlos Gomes, professores e curiosos amantes da música em geral que compareceram ao pátio da instituição para a inauguração das luzes natalinas, tradição que é retomada e que teve a presença de cerca de 300 pessoas no último domingo (4).
Após as boas vindas do Superintendente da Fundação Carlos Gomes, professor Paulo José Campos de Melo, a programação começou com a apresentação de alunos de sopro, seguida pelo Coral de Trombones. As luzes se acenderam em toda a fachada do Conservatório às 18h30, durante a apresentação do Coro Itacy Silva, formado por 30 alunos. Chegou a vez então do Coro de Natal, composto por mais de 200 alunos de Musicalização, que posicionados nas janelas imprimiram o colorido da festa nas vozes infantis e chapéus vermelhos e brancos. Músicas tradicionais desta época foram cantadas, como “Quero ver você não chorar”, “Anoiteceu” e “Bate o sino”, com arranjos originais feitos pelos professores para as vozes das crianças.
A diretora de ensino do Conservatório, Lucia Azevedo, falou da satisfação de voltar a juntar os alunos menores no dia da iluminação do prédio central, justamente pela oportunidade do encontro e reunião de todos quando se pode fazer os agradecimentos. “Anunciamos o Natal com alegria”, disse.
Presentes no domingo, Alberto e Fabíola Bitar sempre acompanham a filha Rosa Maria nos exercícios musicais e apresentações. A menina terminou a Musicalização e agora participa dos testes para a escolha de instrumento que praticará a partir do próximo ano. Indagada sobre sua presença no grande coro, ela disse: “gostei de participar”.

Texto:
Maria Christina-FCG
Emater comemora 46
anos em prol da agricultura
familiar do Estado
Uma manhã festiva, no último domingo, 4, celebrou o 46° aniversário da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), completados no último dia 3, e o Dia Nacional do Extensionista Rural, a ser comemorado no dia 6 de dezembro. Atualmente, a empresa possui mais de mil extensionistas e está presente em 100% do território paraense, para o atendimento de mais de 140 mil famílias agricultoras.
Na programação em homenagem aos servidores, houve uma celebração ecumênica, sorteios de brindes, danças folclóricas regionais e foi servido um café da manhã diferente, uma alimentação alternativa. “Servimos suco de maracujá com alface e de abacaxi com jerimum. Todos provaram e aprovaram. Provamos que é possível uma alimentação saudável e saborosa usando produtos provenientes da agricultura familiar”, ressaltou Maria Josefa do Nascimento, supervisora do Regional das Ilhas.
A presidente da Emater, a engenheira agrônoma Cleide Amorim, junto do diretor técnico, Humberto Reale e do diretor administrativo, Rodrigo Mendes, estiveram presentes para parabenizar os funcionários. Um bolo gigante foi confeccionado para a comemoração. “Tenho muito orgulho de ser a gestora desta empresa que desenvolve um trabalho sério e tão positivo para a sociedade, a assistência técnica e extensão rural, que garante a subsistência do produtor rural e a boa alimentação da população”, afirmou.
O Secretário Especial de Desenvolvimento Econômico e de Incentivo a Produção, Sidney Rosa, parabenizou a atuação da Emater nesta atual gestão e disse que é certa a ampliação em sua estrutura e em atendimento a um numero maior de famílias agricultoras, como parte do Pacto pelo Pará, projeto demandado pelo governador Simão Jatene que garante R$ 30 milhões para a revitalização da Empresa.

Texto:
Kenny Teixeira-Emater
Sesma comprova eficácia
de água sanitária no
combate à dengue
A seção de Entomologia do Departamento de Vigilância em Saúde (Devs)
da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) realizou, em novembro, testes
com água sanitária para eliminar larvas do mosquito Aedes aegypti,
principal transmissor da dengue, e controlar a doença em Belém.

Os testes confirmaram que água sanitária em uma formulação de 12 ml do
produto por um litro de água, mata as larvas de Aedes aegypti. “Vale
ressaltar que este tipo de combate à dengue é nos casos em que
apartamentos ficam fechados por muito tempo. Esta é mais uma
alternativa de controlar a dengue em áreas urbanas, principalmente com
produtos que a própria população possa manusear sem riscos à saúde”,
diz Carlene Castro, coordenadora do departamento realizador dos
testes.

Ela conta que durante os trabalhos de campo das equipes de combate à
dengue foi identificado uma grande quantidade de apartamentos fechados
durante a semana, de segunda à sexta-feira. “No nosso trabalho de
campo identificamos que isso acontece com freqüência e idealizamos uma
forma de combate ao mosquito nestes locais. Pensamos então em um
produto que o morador pudesse colocar em determinados pontos da casa
que a água pudesse ficar acumulada enquanto ele estiver fora. Os
testes surgiram com a água sanitária e tivemos ótimos resultados”,
afirma.

Outros métodos de controle da proliferação do mosquito podem ser
utilizados rotineiramente nos domicílios pelo próprio morador e
complementado pelos Agentes de Bem Estar Social – Abes, da Secretaria
de Saúde de Belém, que realizam visitas nas casas. “Não deixar água
parada em pneus, garrafas e lixos acumulados nos quintais ou calhas
das telhas. Tudo e qualquer lugar que deixe água parada pode ser um
criadouro do mosquito”, alerta Carlene.

Liandro Brito – COMUS
Agentes de saúde combatem
a dengue no parque de
retenção do Detran
Os agentes de controle de endemias da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) que atuam no distrito de Icoaraci iniciaram na última quinta-feira, 1º, os trabalhos de combate e prevenção ao mosquito Aedes Aegypti, que transmite o vírus da dengue, no Parque de Retenção do Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran/PA), situado na avenida Augusto Montenegro, no bairro do Tenoné.
Na ocasião, os agentes utilizaram a técnica conhecida pela população como “fumacê”, que consiste no uso de  um veículo que libera toxinas nocivas ao mosquito da dengue através de fumaça; o controle focal, que combate o desenvolvimento da larva do mosquito; e o perifocal, que atua no combate do mosquito adulto evitando sua proliferação.
O Detran informa que os serviços dos agentes de endemias serão realizados, a partir de agora, duas vezes por mês. O objetivo é afastar o foco da doença e garantir a não proliferação desta entre usuários, servidores e a comunidade que reside no entorno do Parque de Retenção.
Nesta segunda-feira, 5, os agentes da Sesma que atuam no bairro do Benguí iniciaram os trabalhos de prevenção na sede do Detran. Três servidores realizaram as técnicas de prevenção nas dependências do órgão, verificando a existência de possíveis focos do mosquito e trabalhando no sentido de conscientizar os servidores sobre a importância de manter o local de trabalho longe da incidência do mosquito.

Texto:
Orlando Cardoso-Detran
Projeto fomentado pelo IAP
ajuda a transformar lixo em arte
Uma proposta que busca transformar o descartável em interesse estético através das artes plásticas, transformando o lixo em objeto de interesse artístico. Assim se pode definir o projetode Faeli Moraes, apoiado pelo Instituto de Artes do Pará, que mostra o aprendizado das técnicas de construção das esculturas de sacos plásticos. Num trabalho voluntário, Faeli tem a oportunidade de desenvolver a coordenação motora, o trabalho em equipe e as habilidades criativas dos alunos, além de ajudá-los a refletir sobre a produção e destinação do lixo plástico, criando uma nova consciência ecológica.
Bolsista do Programa de Bolsas de Criação, Experimentação, Pesquisa e Divulgação Artística 2011 do Instituto de Artes do Pará, Faeli desenvolveu o projeto Sacolagem junto a 100 pessoas das comunidades da Baixada Fluminense, Paracurí e Aurá ministrando oficinas e palestras sobre o tema.
O saco plástico é a matéria prima para a confecção das peças. Após a conclusão das esculturas, todas são passadas em revisão com verificação do peso final, número de sacos plásticos utilizados, fitas, cola tempo gasto em cada peça e observações sobre a pesquisa de materiais utilizados durante o processo de criação. Tais dados são importantes para as futuras produções, que utilizam a mesma técnica de composição.
É necessária a verificação de densidade das esculturas. Todas devem ser maciças, bem vedadas pelas fitas e sem nenhuma ponta solta, já que não possuem estrutura interna, nenhum esqueleto interno de metal, madeira, gesso ou qualquer tipo de suporte, apenas plástico comprimido e colado. A técnica de compactação do plástico é lenta e leva muitas horas. Dependendo do grau de dificuldade na execução da escultura pode levar até dias para ser feita.
Para arremate das esculturas são usados apenas estilete e tesoura, aparando pontas e fazendo acertos finais na escultura.São usados em média de 17 a 30 rolos de fita adesiva por escultura, além de 500 gramas de cola branca por rolo de fita. A principal dificuldade na fase final de conclusão das esculturas consiste em encontrar a melhor cola para acabamento das peças, que ajude na definição da moldagem dos rostos.
Algumas curiosidades: Cada escultura consumiu uma média de 600 sacos plásticos, totalizando 9000 sacos. Com uma variação de peso de 4,8Kg a 5Kg, as peças têm de 45 cm a 53 cm de altura, com largura de 42 centímetros em média. Para finalizar cada escultura gastou-se de 8 a 10 dias, num trabalho intensivo que durou de 7 a 10 horas por dia. Como cada peça nasce de uma imagem, algumas apresentaram um grau de dificuldade maior, pois não se dispunha de fotos para guiar o trabalho e servir como parâmetro, apenas uma pintura ou desenho de livros históricos. As personalidades mais demoradas, que foram Júlio Cesar e Antônio Lemos, levaram cerca de 15 dias para serem confeccionadas.
O próximo desafio de Faeli Moraes será produzir esculturas gigantes de corpo inteiro utilizando esta mesma técnica. A parte que exige mais atenção e  trabalho continua sendo os traços do rosto. Algumas esculturas levaram dias, e mesmo assim acabaram sendo refeitas. Foi no rosto que houve a maior necessidade de experimentar vários tipos de cola.
O que chama a atenção para a importância do apelo ecológico do trabalho é que os sacos plásticos utilizados foram, em sua maioria, coletados em lojas. Estavam sem gordura, com pouca sujeira ou já estavam limpos, o que representa ganho de tempo no processo de reaproveitamento dos mesmos. Mas a proposta do projeto é mostrar a viabilidade do material e sensibilizar a população para o perigo do descarte indiscriminado do plástico, numa tentativa de mudar a cultura da utilização das sacolas plásticas - que cada vez mais vem sendo substituída por sacolas retornáveis. Além disso, o projeto oferece uma alternativa de destinação desse material, que ainda é descartado no lixo ou na natureza, tranformando-se em um sério problema ambiental.
O próximo passo é divulgar esse trabalho nas feiras e mercados da cidade e, num segundo momento, às escolas da rede pública, como forma de incentivar os professores a trabalharem a técnica junto com seus alunos. Como parte da programação do Circuito das Artes 2011 do IAP, no dia 10 de dezembro haverá a abertura da exposição no mercado Municipal de Icoaraci. A mostra ficará aberta ao público até o dia 17/12.
Serviço: Mostra dos bolsistas de Criação, Experimentação, Pesquisa e Divulgação Artística 2011 do Instituto de Artes do Pará.
Exposição "Sacolagem" de Falei Moraes. 12 esculturas de sacolas plásticas".
Local: Mercado Municipal de Icoaraci
Data: 10 de dezembro.

Texto:
Jeferson Medeiros-IAP
Mostra Cultural na Praça Brasil
A Mostra Cultural 2011 da Secretaria Municipal de Esporte, Juventude e Lazer (Sejel) vai apresentar o resultado das oficinas realizadas pela Coordenação de Lazer ao longo do ano. Os freqüentadores da Praça Brasil conhecerão a Arte em Grafite, inspirada no movimento cultural Art Pop, que influenciou toda uma geração nos anos de 1960, e que utilizava cores fortes e formas bem definidas.Objetos em pirogravura, desenho em arte em madeira, também estarão em exposição no evento. Entre os objetos estão caixas em madeira, vasos e abajures.
 Uma apresentação de alunos da Oficina de Música em flauta doce e violão também promete animar o evento com músicas de Chico Buarque, Luiz Gonzaga, Waldemar Henrique. A Guitarrada de Mestre Vieira encerra a Mostra Cultural 2011, que ainda terá um aulão de ginástica para os freqüentadores da Academia ao Ar Livre.
  
Texto: Ieda Ferreira
Sesma certifica 243 novos
agentes para o
combate à dengue



Exatos 243 novos Agentes de Controle de Endemias – ACE receberam certificados de conclusão do curso de combate a doenças realizado pela Secretaria Municipal de Saúde - Sesma. O encontro de boas vindas aconteceu na manhã desta segunda-feira (05), no Cine Olympia. A secretária municipal de saúde, Sylvia Santos, esteve presente e entregou simbolicamente a cinco agentes o contrato, a carteira de trabalho assinada e um kit com materiais de trabalho.
 Este novo grupo de agentes se junta com outras 400 pessoas, totalizando mais de 600 homens e mulheres que atuam nas ruas de Belém combatendo a dengue e outras endemias. Estes agentes foram aprovados em um processo seletivo realizado pela Sesma no início do ano. “Essa equipe já trabalha em campo desde o dia 23 de outubro e estão muito motivados. Aproveitamos o encontro para eles sanarem outras duvidas do trabalho e trocar experiências, uma vez que eles já estão atuando em campo”, disse a secretária Sylvia Santos.
 Cleire Santos Cruz, de 26 anos, é uma nova agente de combate à endemia e também esteve no encontro. “Soube do processo seletivo por amigos e percebi uma grande oportunidade de emprego”, disse. Ela mora e trabalha no combate à dengue na ilha do Mosqueiro. “Quero dar bons frutos e espero resultados positivos com o meu trabalho”, completa. Cleire conta que já enfrenta dificuldades no trabalho, como todo agente que atua nas ruas. “Muitos não gostam de receber a gente em casa para combater a dengue. Aviso que estou aqui para ajudar e não para atrapalhar”, finalizou.
 O curso que durou duas semanas contando com treinamento prático e teórico, aconteceu em outubro passado. Na teoria, abordaram temas como controle do vetor e educação em saúde. Em seguida, foram a campo realizar treinamento orientado por instrutores do Departamento de Vigilância em Saúde (Devs) da Sesma.
 Dados
 Um total de 1.387 casos de dengue clássica foram confirmados este ano. A maior incidência ocorreu no bairro Tapanã, com 263 registros. O menor registro de casos se deu no bairro do Una, com apenas 8 doentes. Em homens os casos chegaram a 588 e em mulheres a 799.
  
Texto: Liandro Brito-Ascom Sesma
Fotos: Comus
Novo sistema de avaliação
garantirá competitividade
Trinta técnicos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) participaram do treinamento que a Secretaria Especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção (Sedip) está promovendo junto à consultoria da Symnetics, sobre o Movimento Brasil Competitivo (MBC). Já em 2012, os órgãos vinculados terão uma nova forma de avaliar as metas propostas pelo governo, referentes à agenda mínima vigente, seguindo a Gestão de Resultados. Nesta reunião participaram técnicos de cinco dos 12 regionais que a empresa possui. A proposta é que até o final do ano, todos os supervisores que alimentam os dados de metas a serem alcançadas pela empresa sejam treinados.
Para Francisca Fernandes, coordenadora de planejamento da Emater, este novo programa que está sendo apresentado pela secretaria especial às instituições vinculadas representará um salto na qualidade para a empresa, pois busca resultado com metas fixas que precisam ser alcançadas. “O novo sistema, com uma metodologia diferenciada, nos dará a oportunidade de avaliar a atuação da empresa, e não só alimentar um banco de dados. Assim, teremos uma busca incessante por eficiência e eficácia nos nossos projetos atividades”, ressaltou.
Raimundo Ribeiro, coordenador da assessoria de desenvolvimento e organização da Emater, ponderou que o trabalho na empresa terá que mudar substancialmente para atender este novo sistema. Antes, a compilação dos dados acontecia a cada quatro meses e agora deverá ser mensalmente. “Nossos técnicos de campo e seus supervisores, bem como, os responsáveis pelos projetos atividades terão que modificar a forma de trabalho para o repasse imediato dos dados”, afirmou.
Mês após mês, de janeiro a dezembro, serão traçadas metas de trabalho que serão averiguadas. Segundo Mariangela Santos Mano, que ministrou o curso, os dados serão repassados para a direção executiva da empresa e repassada a Sedip. O objetivo seria, além do acompanhamento das atividades, a intervenção do secretário especial, Sidney Rosa, dentro de suas atribuições, para que os resultados se alinhem ao máximo as metas propostas.
Representantes de 12 instituições do governo já participaram deste treinamento sobre o Movimento Brasil Competitivo (MBC), fazendo o acompanhamento da agenda mínima do governo e o planejamento de suas secretarias vinculadas. O objetivo final é contribuir para a melhoria da qualidade de vida da população, através do aumento da competitividade do Estado juntamente com o país, associando a aplicação do planejamento das secretarias especiais, as executivas e as instituições de administração direta ou indireta referentes à agenda mínima vigente.
Colaboração: Andrea Lia

Texto:
Kenny Teixeira-Emater
IAP e Susipe promovem
aperfeiçoamento para 20
mulheres do Sistema Penal



O Instituto de Artes do Pará e a Superintendência do Sistema Penal (Susipe) lançam nesta segunda-feira, às 14h, o projeto Arte para a vida no Centro de Reeducação Feminino. A ação visa aperfeiçoar habilidades já desenvolvidas em projetos anteriores com a valorização da pessoa humana. Oficinas de moda serão oferecidas para 20 detentas do sistema penal. O IAP levará design, tendências, formatos, materiais e tudo o que faz o mundo da moda e da costura serem uma grande indústria mundial.
O projeto visa dar qualificação profissional visando a inserção no mercado de trabalho. Para que tenham a oportunidade de mostrar sua arte, haverá uma mostra dos programas implantados no sistema penitenciário, nas Estação das Docas, ainda em dezembro, com data a confirmar. Na ocasião haverá desfiles e comercialização dos produtos desenvolvidos pela equipe de costureiras do projeto.
Cerest realiza jornada
visando metas para 2012
Até a próxima quarta-feira, 7, o Centro de Referência Estadual em Saúde do Trabalhador (Cerest) realiza, na sede da Fundacentro, em Belém, o III Encontro de Saúde do Trabalhador, com o objetivo de avaliar, discutir e planejar as ações de implantação e implementação da Política de Saúde do Trabalhador no Estado.
A coordenadora do Cerest no Pará, Jarina Gomes, informa que a jornada reforça a proposta de consolidar o fortalecimento da política de saúde e segurança do trabalhador no Estado. O encontro, segundo ela, avaliará o que foi realizado ao longo de 2011 e traçará as metas para 2012. Participam da discussão representantes dos cerests Araguaia, Baixo Amazonas, Itacaiunas Tocantins, Metropolitano e Estadual.
A abertura do encontro aconteceu nesta segunda-feira, 5, com a exposição do diretor do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socieconômicos (Dieese), Roberto Sena, e de José Carlos Azevedo, representante do Ministério Público do Trabalho, da 8ª Região.
Roberto Sena traçou um panorama sobre o crescimento da economia paraense e relacionou os dados para que os envolvidos no encontro repensem de que forma o cenário refletirá na qualidade da saúde do trabalho envolvido no processo. Ele apresentou uma pesquisa feita recentemente pelo Observatório do Trabalho do Estado - formado pela Secretaria de Emprego, Trabalho e Renda (Seter), e pelo Dieese, na qual mostra que nos últimos 12 meses a economia paraense teve bom desempenho com a geração de novos postos de trabalho.
Foram feitas, em todo o Pará, 359.425 admissões contra 309.691 desligamentos - saldo positivo de 49.734 postos e crescimento de 7,77% na geração de empregos formais. Isso equivale a aproximadamente 50 mil novos empregos.
No período observado, quase todos os setores econômicos do Estado também apresentaram saldos positivos de empregos formais. A exceção, mais uma vez, foi o setor serviços de indústria e utilidade pública, que perdeu 330 postos de trabalho. Já o setor que apresentou o melhor desempenho foi serviços, com 18.242 postos de trabalho. Em seguida, vieram o comércio (12.334 postos) e a construção civil (11.733 postos).
Alguns assuntos estarão em evidência durante o encontro, como os processos produtivos e impactos à saúde do trabalhador; as diretrizes da Política Nacional de Promoção à Saúde do Trabalhador do SUS para a implantação da Vigilância em Saúde do Trabalhador no Sistema Único; o manual da Renast; o projeto de Lei da Política Estadual de Saúde do Trabalhador e a avaliação dos planos de ação dos Cerest's regionais.
Vinculado à Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), o Cerest é um polo da rede do Sistema Único de Saúde (SUS) destinado a ações que promovam a saúde do trabalhador. Tem como objetivo coordenar e articular as diretrizes da política nacional de Segurança e Saúde do Trabalhador, por meio da atenção integral à saúde nas zonas urbana e rural, independentemente do vínculo empregatício e da forma de inserção no mercado de trabalho.
As ações estão voltadas para a redução de acidentes, doenças ocupacionais e outros agravos relacionados ao trabalho. O Cerest também trabalha com a elaboração de programas de educação e prestação de serviços sociais que orientam indivíduos, famílias e a comunidade sobre seus direitos e deveres.
Programação:
06/12
08h: Apresentação do Núcleo de Informação em Saúde e Planejamento da SESPA/NISPLAN
09h: Execução do Planejamento dos CEREST Regionais e Estadual: Trabalhos em Grupo
Planejamento das ações para 2012        
12h: Almoço      
13h30: Ginástica laboral      
14h: Análise das Propostas dos CEREST
Facilitadores: Técnico do NISPLAN      
17h: Encerramento   

07/12
08h: Reunião interna com os Cerest Regionais, Estadual e CIST Regionais e Estadual.      
12h: Encerramento   

Mozart Lira - Ascom/Sespa

Texto:
Mozart Lira-Sespa
Banpará passa a oferecer
seguros para correntistas
O Banco do Estado do Pará (Banpará) passa a oferecer a partir desta segunda-feira, 5,  as linhas de seguros Vida, Acidente Pessoal e Residencial, em convênio com as seguradoras MAPFRE e ACE. A novidade destina-se a correntistas pessoa física do Banco. O Seguros Banpará vai oferecer prêmios em dinheiro, cujos sorteios estarão vinculados às extrações da Loteria Federal. A contratação poderá ser feita em qualquer ponto de atendimento do Banco.
O Banpará Vida é um seguro simples e, para a adesão, não é necessário o preenchimento de Declaração Pessoal de Saúde e Atividade – DPSA. As coberturas básicas são: garantia do pagamento do capital segurado aos beneficiários indicados, em caso de falecimento além de organização e o custeio do funeral.
Já o Seguro Banpará Acidente Pessoal garante indenização do capital segurado aos beneficiários indicados em caso de morte ocasionada por acidente pessoal coberto. O Seguro Banpará Residencial, além de garantir proteção 24 horas para o seu patrimônio, oferece serviços emergenciais como chaveiro e encanador, entre outros. Conta, ainda, coberturas adicionais como roubo e furto de bens mediante arrombamento e responsabilidade civil por danos causados a terceiros.
Segundo o superintendente de desenvolvimento e melhoramento de produtos e serviços, João Viana, a área comercial do Banco estima efetuar a venda de 85.000 apólices nos próximos 12 meses. Para Anderson Guimarães, da MAPFRE (Sucursal Belém), a parceria com o Banpará deverá agregar a experiência da seguradora com o canal bancário. “Estamos trazendo soluções em seguros aliada à expectativa de gerar resultados para a nova linha de negócios que o Banpará disponibiliza ao seu público-alvo”, afirmou.
Funcionário do Banpará, Fernando Flexa comemora a disponibilização de mais um novo serviço pelo Banco e já aderiu ao seguro residencial. Já para o gerente geral da Agência Belém Centro, Osvaldo Filho, o seguro vai ampliar a estratégia de mercado do Banpará. “Estou bastante entusiasmado com a implantação desse novo serviço, tendo em vista que ele amplia o portfólio de produtos e serviços do banco para venda, garantindo maior competitividade de mercado”, assegurou.

Texto:
Yedda Bevilacqua-Banpará
Irregularidades na gestão

anterior atrasam aprovação
de projetos da Lei Semear
A Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves (FCPTN) está regularizando o andamento da Lei Semear, o programa criado pelo Governo do Estado para incentivar a Cultura por meio do financiamento de projetos artísticos. Este ano, o órgão encontrou uma série de irregularidades em projetos aprovados nos últimos três anos. Ano passado, por exemplo, foram aprovados cerca de R$ 30 milhões de renúncia fiscal para projetos culturais, sendo que o orçamento previsto para o programa em 2011 foi apenas de R$ 5,2 milhões. Essas e outras questões comprometeram a realização de novos editais em 2011. Mesmo assim, agora no segundo
semestre, entre os meses de julho e agosto, foi disponibilizado edital, que deve anunciar ainda esta semana no Diário Oficial do Estado, dentro do prazo da Lei, os aprovados para o patrocínio.
A constatação das irregularidades foi feita desde o início deste ano pelo presidente da Fundação, Nilson Chaves, e por uma comissão, formada também pelo secretário executivo da Lei Semear, Marcos Quinam. De acordo com Nilson, nos últimos anos a Lei Semear não teve o seu regimento respeitado, o que obrigou a gestão atual a ajustar uma série de projetos que já haviam sido aprovados. “Ao todo precisamos regularizar 236 projetos aprovados desde 2008. Muitos estavam com problemas na documentação ou na formalização desde a sua inscrição, ou ainda não prestavam contas há um bom tempo”, revelou Chaves.
Ele diz que em função dessas irregularidades não foi possível realizar o edital no início do ano, como todos os anos. “Uma sequência de equívocos prejudicou o andamento do programa este ano. Tivemos que regularizar uma série de projetos anteriores. Além disso, ainda teve a questão de terem sido aprovados para 2011, ainda em 2010, mais projetos do que o orçamento permitia”.
Este ano, já foram regularizados 236 projetos dos editais dos anos de 2008, 2009 e 2010, incluindo 26 projetos enviados para o Tribunal de Contas do Estado para inscrição na dívida ativa. Esse processo de regularização provocou o comprometimento na realização do Edital 2011 do Programa, que normalmente é publicado no início do ano. Mesmo assim, agora no segundo semestre, entre os meses de julho e agosto, foi publicado o edital de 2011, cujo resultado deverá ser anunciado esta semana no Diário Oficial do Estado, no prazo estabelecido pela legislação.
De acordo com Nilson Chaves, presidente da Fundação Tancredo Neves, o Programa Semear acumulou problemas como a falta de prestação de contas em muitos projetos realizados, o que obrigou a gestão atual a tomar uma série de medidas para regularizá-los, fora o fato de que, no Edital de 2010, foram aprovados 75% dos projetos inscritos no Programa, o que gerou uma demanda incompatível com o recurso do Programa Semear.
Mesmo com essas pendências, a Fundação abriu o edital deste ano, no qual foram inscritos 266 projetos, afim de não prejudicar a classe artística e os produtores culturais. Ainda assim, muitos sofreram com a realização tardia do edital, que beneficiaria eventos para este segundo semestre se fosse publicado no início do ano.
Não bastassem as irregularidades que atrasaram a publicação do edital, outras questões adiaram ainda mais a avaliação dos projetos inscritos neste ano. O secretário executivo do Programa Semear, Marcos Quinan, explica que apenas 48 projetos deram entrada na secretaria do programa durante os primeiros 44 dias para inscrição, dos 45 dias estabelecidos. No último dia, a secretaria recebeu um total de 216 projetos, comprometendo o andamento da conferência documental feita no momento da inscrição.
Além disso, 84% dos projetos inscritos precisaram ser regularizados documentalmente. “Na hora da inscrição é
observado cuidadosamente se todos os documentos obrigatórios estão corretos, se tudo está de conformidade com o edital. Em caso contrário, o proponente é solicitado oficialmente a regularizar as pendências em até cinco dias úteis. No último dia, não tivemos tempo hábil para esses procedimentos. Por isso foi necessário estender este processo ocasionando um pequeno atraso na avaliação”, afirma Quinan.
Pendências
O secretário destaca que mesmo com o atraso, o edital está cumprindo o prazo determinado pela legislação, que prevê 60 dias para análise dos projetos e mais 30 dias de prorrogação, caso necessário. Quinan afirma que nenhum projeto foi indeferido do edital deste ano, graças ao chamamento que o órgão fez para que os responsáveis regularizassem os projetos inscritos e que apresentavam pendências.
Quinan adianta que o resultado deste edital será divulgado ainda esta semana, no Diário Oficial do Estado. “Estamos cumprindo todos os trâmites previstos na Legislação e, claro, buscando não prejudicar os projetos. Por isso nos preocupamos em  regularizar cada um inscrito e estamos fazendo todo o trabalho dentro do prazo estabelecido pela Semear”, garante o secretário.
O Programa Estadual de Incentivo à Cultura (Semear) foi criado pelo Governo do Estado do Pará com o objetivo de: promover e estimular a produção cultural e artística valorizando recursos humanos e conteúdos; apoiar e valorizar o conjunto das  anifestações culturais, seus criadores e contribuir de forma propositiva para sua difusão; proteger as expressões e o pluralismo; além de assegurar a sobrevivência e o florescimento dos modos de criar, fazer e viver da nossa região, além de preservar o patrimônio material e imaterial, desenvolver a consciência e o respeito aos nossos valores e estimular a informação, o conhecimento e nossa memória.
As áreas contempladas pela Lei Semear são: Linguagem visual; Imóveis de relevante interesse artístico e cultural; Literatura, acervos bibliográficos, bibliotecas e museus. Podem ser aprovados até dois projetos por pessoa física ou jurídica. No Edital de Seleção de Projetos Artísticos e Culturais - Semear, o interessado inscreve sua proposta e, se selecionado, recebe o Certificado de Habilitação, que possibilita aos patrocinadores financiarem até 80% do projeto, sob a forma de renúncia fiscal. Os 20% restantes devem ser oriundos de recursos próprios do patrocinador.
Os critérios de avaliação dos projetos, pela Comissão de Avaliação, serão publicados através de edital, pela Imprensa Oficial do Estado. Entre os critérios está a recomendação da utilização total ou parcial dos recursos humanos, materiais, técnicos e/ou naturais disponibilizados pelo Governo. Outro exemplo importante é o da necessidade da adequação orçamentária do projeto e a relevância dos seus objetivos e metas para a promoção das atividades artístico-culturais locais, como citam os termos da Lei Semear.
Texto:
Thiago Melo-Secom
Sejudh celebra 63° aniversário
da Declaração Universal
dos Direitos Humanos
Em comemoração aos 63 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos – celebrado no próximo dia 10 de dezembro -, a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) promove, nesta quarta-feira, 7, um seminário para debater o assunto. Com o tema “Direitos humanos: desafios contemporâneos e perspectivas”, o evento é aberto ao público e será realizado a partir das 8h, no auditório da Polícia Civil, na Av. Magalhães Barata.
Representantes de todas as coordenadorias da Sejudh estarão presentes para abordar os trabalhos e os serviços disponíveis. A mesa redonda recebe o titular da Sejudh, Brasil Júnior; o Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcelo de Freitas; o representante da Comissão de Diversidade Sexual e Combate a Homofobia, Diogo Monteiro; e a Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, Luanna Tomaz.
“A Declaração (Universal dos Direitos Humanos) foi o maior ganho que o ser humano já teve. Por tratar dos direitos do cidadão, essa conquista deve ser socializada com todos. Historicamente, o Pará sofre com o desrespeito, e para mudar isso, promoveremos esse grande evento, pois entendemos que é importante repassar para a população as ações que a Sejudh disponibiliza”, explica o Coordenador Estadual de Educação em Direitos Humanos, Edilberto Abreu.
O evento da próxima quarta-feira oferece ainda uma mesa de debates com representantes do Procon/Pa e com todas as demais coordenadorias da Diretoria de Cidadania e Direitos Humanos da Sejudh. Organizada pela Coordenadoria de Educação em Direitos Humanos (Coedh), a programação cultural conta com apresentação do coral da escola de música Carlos Gomes. “Quando você agrega várias organizações, a ação conjunta ganha força”, ressalta Edilberto ao explicar as articulações realizadas pela Secretaria, tanto com órgãos públicos quanto com não-governamentais, em prol da promoção dos Direitos Humanos.

Texto:
Ellyson Ramos-Sejudh
Assaltantes são presos nos
municípios de Bragança
e Cachoeira do Piriá
Operações integradas das Polícias Civil e Militar realizadas no último final de semana resultaram nas prisões de quatro homens envolvidos em roubos em dois municípios da região nordeste do Pará. Em Bragança, estão presos Wanderson da Silva Santos, e Ronildo Corrêa da Silva, ambos de 21 anos, presos logo após um roubo no centro da cidade. Já, em Cachoeira do Piriá, as Polícias Civil e Militar capturaram uma dupla responsável pelo assalto a uma van que fazia o transporte de passageiros na região. Juvenal Gomes dos Reis e Cláudio Fernandes dos Santos, de apelido “Newton”, também de 21 anos, tiveram mandados de prisão preventiva decretados pelo Poder Judiciário da cidade de Viseu.
Os presos Wanderson e Ronildo foram reconhecidos por uma vítima no momento em que trafegavam de moto em uma rua próximo à unidade policial. O flagrante foi lavrado pelo delegado Wander Veloso. Conforme foi apurado pelo delegado, a dupla havia alugado uma motocicleta para cometer assaltos no centro da cidade. Com um revólver calibre 38, os assaltantes abordavam pessoas em via pública e roubavam objetos de valor, como relógio, celular e carteira porta-cédulas.
Uma das vítimas viu os acusados andando de motocicleta no centro da cidade e avisou a equipe da Delegacia da Polícia Civil. Em uma ação conjunta, policiais civis e militares seguiram e abordaram os acusados. A arma usada nos crimes não foi encontrada. Após a prisão da dupla, outras vítimas compareceram à Delegacia para denunciá-los. No entanto, os presos negam os crimes. “Eles já possuem antecedentes criminais por roubo e tráfico de drogas”, ressaltou o delegado Veloso. Os dois estão recolhidos à disposição da Justiça.
Em Cachoeira do Piriá, Juvenal Reis e Cláudio Santos tiveram mandados judiciais decretados por solicitação do delegado Roberto Travassos em função do assalto à van registrado em 24 de agosto deste ano. No momento das prisões, os policiais encontraram com os acusados 100 gramas de maconha e uma espingarda de calibre 20. "Newton" é fugitivo do Centro de Recuperação Masculino (CRM) de Capanema, onde respondia por roubo e do qual estava foragido desde 2009.
A guarnição policial localizou a dupla na zona rural de Cachoeira do Piriá, em uma localidade chamada ramal do Cidipar, a 10 quilômetros da sede do município. Os acusados foram levados até a Delegacia da Polícia Civil local, onde foram autuados pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo e tráfico de entorpecente. De acordo com o delegado Roberto Travassos, cinco homens armados assaltaram uma van no município de Cachoeira do Piriá em 24 de novembro deste ano. Dentre os acusados, estavam "Newton" e Juvenal. A van fazia a linha do Maranhão-Belém. O veículo foi interceptado pelos assaltantes, que roubaram objetos de valor dos passageiros e renda.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil
Projeto vai qualificar egressos
do Sistema Penal por
meio da floricultura
A manhã desta segunda-feira, 5, foi especial para cerca de 20 egressos do Sistema Penal do Estado. Eles participaram da aula inaugural do projeto “Cultivando Flores e Vidas”, uma parceira da Superintendência do Sistema Penal (Susipe), da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), e Casa Civil estadual. O curso, que acontece na Central de Abastecimento do Pará (Ceasa), outro parceiro do programa, tem como objetivo a ressocialização e a qualificação profissional de ex-detentos, proporcionando ferramentas para que eles possam seguir na profissão de floricultor. Durante a manhã, também foi assinado o convênio de cooperação entre os órgãos.
O projeto terá a duração de um ano e deve atender, nesta primeira edição, pelo menos 50 egressos. Eles serão qualificados para cultivar flores regionais e ornamentais, além de serem incentivados ao empreendedorismo e a desenvolver o próprio negócio, visando a geração de renda para essas pessoas. O curso terá aulas teóricas e práticas, no canteiro que está sendo construído especialmente para o projeto, dentro das dependências da Ceasa.
No primeiro momento da aula inaugural, a professora pediu que os alunos se apresentassem. Na fala de cada um era possível perceber a esperança de recomeçar uma nova vida, com uma profissão e um emprego digno. Edson Araújo tem 59 anos e está há oito anos cumprindo regime aberto. Ele está no curso e já sabe o que quer: “Eu tenho certeza que vou conseguir montar o meu próprio negócio. Fiquei muito tempo preso e me sinto excluído da sociedade. Já estou com uma idade avançada, então toda oportunidade é bem vinda. Eu quero agarrar isto com todas as forças e ter o meu negócio de flores. Assim poderei ter uma velhice tranquila”, desejou o aluno.
Assim como Edson, Francisco Xavier também cumpre regime aberto, só que há oito meses. Ele tem a mesma vontade de alcançar seus objetivos. “Eu só penso na minha família e no meu filho. Quero participar desse projeto e mudar a minha vida. Quero vencer e ser uma pessoa de bem. Vou montar o meu próprio negócio e ter meu trabalho”.
O superintendente da Susipe, coronel André Cunha, destacou que o curso é uma oportunidade para os egressos, que, na avaliação dele, têm o um mercado em expansão para trabalhar. “O mercado de eventos no Estado cresce a cada momento. E cada vez mais a procura por flores é maior. Portanto, eles terão uma grande demanda para explorar”, aponta o coronel.
O diretor do núcleo de Reinserção Social da Susipe, Ivaldo Capeloni, afirmou que é muito importante todo tipo de parceira para a qualificação dos egressos do sistema. “Toda parceria é bem vinda, seja voltada para o trabalho, a educação, saúde, assistência social. Muitos deles são analfabetos ou não têm nenhuma profissão. Agora eles estão sendo qualificados para retomar seu papel de cidadão na sociedade”, ressaltou.

Texto:
Thiago Melo-Secom
Madrigal da Uepa apresenta
a ópera 'Orfeu' no Theatro da Paz
No dia 7 de dezembro, o Madrigal da Universidade do Estado do Pará (Uepa) inaugura oficialmente o projeto "Estúdio Ópera Pará-Amazônia", criado em parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA) com o objetivo de estudar o modo de fazer esse tipo de encenação. A grande abertura acontece em grande estilo: com os participantes apresentando "Orfeu", de Claudio Monteverdi, considerada a grande primeira ópera já feita, às 20h, no Theatro da Paz. A entrada é franca, com distribuição prévia dos ingressos na bilheteria. A partir de 2012, o projeto deve se voltar principalmente ao interior do Estado, levando óperas a locais e públicos que pouco ou nenhum contato têm com esse tipo de espetáculo.
Na terça-feira, dia 6 de dezembro, às 10h, o regente convidado para reger "Orfeu" na noite de abertura do projeto, o maestro Phillippe Forget, regente da Orquestra Nacional de Lyon, estará no pátio da Reitoria da Uepa para um "Concerto Didático" sobre a ópera em questão. Crianças do projeto de Extensão "Netrilhas" participam dessa programação, que é aberta à toda comunidade.
De acordo com o regente do Madrigal, professor Milton Monte, os estudos começaram no meio de 2011 e incluíram oficinas musicais e teatrais. "O professor Paulo Santana, da Escola de Música da UFPA (Emufpa), ministrou uma oficina de teatro e chegamos a nos apresentar, em outubro, no teatro Cláudio Barradas, já com 'Orfeu'. A apresentação no TP encerra as atividades do projeto esse ano, mas já estamos focados em, ano que vem, levar as apresentações para o interior do Estado", adianta.
Nas montagens cênicas do projeto, a atuação do Madrigal é e será marcante: todos os seus cantores, além de coristas, serão solistas também. "Os participantes estão estudando bastante, desde a filosofia, os grandes cantores, até as grandes montagens. Nos juntamos e achamos que essa seria a maneira de iniciar o projeto. A escolha de 'Orfeu' como primeiro trabalho é porque essa é a grande primeira obra que se tem notícia. Data de 1607 e até hoje é encenada nos grandes teatros do mundo inteiro. Uma característica desse projeto é que toda vez que levarmos uma ópera a algum lugar, sempre tentaremos mostrar um pouco de como ela foi feita, de como se faz um espetáculo desse tipo", adianta Milton Monte.
CANTATA
O Madrigal da Uepa realiza também a sua tradicional Cantata de Natal no próximo dia 15 de dezembro, sexta-feira, às 18h, no pátio da reitoria, no bairro do Telégrafo. O repertório escolhido conta somente com músicas natalinas das mais tradicionais, dentre o sacro e o popular. A programação é aberta ao público.
Serviço: O Theatro da Paz fica na Praça da República, bairro da Campina. Já o prédio da Reitoria da Uepa está localizado na Rua do Una, 156, no bairro do Telégrafo.

Texto:
Carolina Menezes-Uepa
Sema e Coordenação do
Programa Municípios
Verdes assinam Portaria
A Secretária de Estado de Meio Ambiente (Sema), Teresa Cativo, e o secretário Extraordinário de Estado para Coordenação do Programa Municípios Verdes, Justiniano Netto, assinaram Portaria conjunta publicada no Diário Oficial de 02 de dezembro de 2011, que fixa os procedimentos administrativos para o levantamento dos embargos ambientais nos imóveis rurais situados nos municípios participantes do Programa Municípios Verdes.
No ato da assinatura, os secretários de Estado resolveram que a solicitação de suspensão do embargo ambiental do imóvel rural, imposto pela Sema ou Ibama, poderá ser feita pelo produtor rural mediante o protocolo de requerimento, desde que sejam atendidas as seguintes condições: o imóvel deve estar localizado em município que esteja cumprindo as metas estabelecidas no Programa Municípios Verdes, bem como as metas estabelecidas nos Termos de Compromisso firmado com o MPF, Prefeituras e demais signatários.
Em seguida, a Portaria define que o imóvel rural deve atender aos seguintes requisitos: inscrição no Cadastro Ambiental Rural (CAR); possuir Licença de Atividade Rural (LAR) ou protocolo de solicitação à Sema; quando for exigível, apresentar à Sema o Plano de Recuperação de Áreas Degradadas; e tratando-se de área de posse ou ocupação mansa e pacífica, formular pedido de regularização fundiária ao órgão competente.
A Sema considerará como municípios adimplentes do Programa Municípios Verdes e aptos a terem seus imóveis rurais desembargados aqueles que forem informados pela Coordenação Geral do PMV. Há necessidade de que no protocolo do requerimento de suspensão do embargo, além dos documentos exigidos, o produtor rural deve anexar cópia do Termo de Embargo/Interdição lavrado pelo órgão ambiental competente.
Na portaria, fica claro que não terão direito ao desembargo os imóveis rurais desmatados ilegalmente a partir do ano de 2009, e que nos desmatamentos ilegais ocorridos entre os anos de 2007 a 2009, o produtor deverá iniciar a recomposição do dano ambiental, no máximo, no primeiro ano seguinte ao desembargo, devendo tal condição constar do cronograma previsto no Plano de Recuperação de Áreas Degradadas. O documento complementa que não será feito desembargo nas áreas em que a legislação proíbe a atividade rural, tais como em áreas de preservação permanente, terras indígenas ou demais áreas protegidas que restrinjam a atividade produtiva pretendida.
Após o recebimento do requerimento de desembargo, o setor de protocolo encaminhará o pleito ao Departamento do Programa Municípios Verdes da Sema, e tratando-se de imóvel rural embargado pela Secretaria de Meio Ambiente, deve ser encaminhado o pedido de desembargo ao setor de fiscalização para que promova o ato de desembargo da área, comunicando o interessado.
O documento assinado, pelos secretários da Sema e do PMV, estabelece que o desembargo inicial será provisório e terá validade enquanto o município estiver cumprindo as metas acordadas no PMV e o imóvel rural não sofrer novos desmatamentos ilegais e cumprir todas as regras do licenciamento ambiental.

Texto:
Káthia Oliveira-Sema
Vice-governador afirma

que taxação não afeta
pequenas e médias empresas
O vice-governador Helenilson Pontes esteve na manhã desta segunda-feira (5) na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), esclarecendo a deputados o projeto de Lei Ordinária que permite a criação da Taxa de Controle, Acompanhamento e Fiscalização das Atividades de Pesquisa, Lavra, Exploração e Aproveitamento de Recursos Minerários (TFRM) e o Cadastro Estadual de Acompanhamento e Fiscalização das Atividades de Pesquisa, Lavra Exploração e Aproveitamento de Recursos Minerários (CFRM), apresentado pelo Executivo e que será votado pelos parlamentares no próximo dia 13 de dezembro.
Participaram da reunião os deputados Chico da Pesca, Zé Maria e o líder da bancada do PT na Casa, Carlos Bordalo. A principal preocupação dos deputados sobre a nova política estadual de fiscalização do setor minerário é quanto à tributação de empresas agregadas à construção civil. Helenilson Pontes explicou que as referidas empresas sediadas no Estado são de pequeno e médio porte, portanto estão automaticamente excluídas do processo de tributação, conforme previsto na Constituição federal, que trata de maneira diferenciada as pequenas e médias empresas.
A bancada do PT se reunirá ainda na tarde de hoje para discutir sobre o resultado do encontro com o vice-governador. Para Helenilson Pontes, a reunião foi produtiva e importante para o fortalecimento do pacto entre o governo e o Parlamento, na criação de um instrumento tão importante para o Estado. “No caso desta nova lei não há distinção entre situação e oposição. Estão todos juntos, num conjunto de esforços para fortalecer e implantar o projeto. Durante toda a semana estarei à disposição dos parlamentares para qualquer solicitação”, disse o vice-governador.
Nova Lei - O Pará é o segundo maior produtor de minérios do país, segmento que movimentou US$ 10,8 bilhões só em 2010. Porém, por ser tratar de um produto que é quase totalmente voltado à exportação, o minério extraído em solo paraense é livre de impostos e não gera os recursos que deveria para o Estado.
Com o objetivo de aumentar a arrecadação e de dispor de um instrumento de controle da atividade minerária no Estado, o Executivo encaminhou em caráter de urgência à Assembleia Legislativa o projeto de lei criando a Taxa de Controle e o Cadastro Estadual. O projeto prevê a taxação de R$ 6,00 por tonelada de minério extraído, o que corresponderá a R$ 800 milhões a mais na arrecadação estadual.
No último dia 30,o projeto de Lei Ordinária (215/2011) foi aprovado pelas Comissões de Finanças (CF) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa. A expectativa do governo é que a lei seja aprovada ainda em 2011, e entre em vigor a partir do próximo ano.

Texto:
Dani Filgueiras-Secom
Governo regulamenta
encerramento do exercício
financeiro de 2011
 Dia 16 de dezembro de 2011 é o prazo final para emissão de nota de empenho de despesas para todas as fontes de recursos do governo estadual. É o que prevê a Portaria 407, de 21 de novembro deste ano, publicada em conjunto pelas secretarias de Estado da Fazenda (Sefa) e de Planejamento, Orçamento e Finanças (Sepof), que detalha os procedimentos operacionais a serem adotados pelos órgãos e entidades estaduais.
As normas estabelecidas visam o cumprimento dos prazos legais estabelecidos para a elaboração e divulgação de demonstrativos contábeis consolidados, informações que darão origem ao Balanço Geral do Estado e que são gerenciadas pelo Sistema Integrado de Administração Financeira para Estados e Municípios (Siafem).
Segundo o secretário de Fazenda, José Tostes Neto, com estas medidas o governo cumpre a missão institucional de gerir com responsabilidade o Tesouro Estadual, zelando pelo equilíbrio das contas públicas e pelo cumprimento das obrigações estatais. O prazo limite para emissão de ordem bancária pelo Siafem, para as instituições bancárias, é 28 de dezembro de 2011. Até o dia 10 de janeiro de 2012 será feito o fechamento do mês de dezembro deste ano.
A portaria prevê que os órgãos da administração direta e indireta orientem as instituições contempladas com transferências de recursos financeiros por meio de contribuições, auxílios e subvenções para que apresentem ao órgão ou entidades a que pertencer o crédito, até o dia 29 de dezembro de 2011, a comprovação do recolhimento de eventuais saldos à conta de origem, assim como a prestação de contas dos recursos a este título recebidos e aplicados neste exercício.
O prazo de entrega do material ou da prestação de serviços licitados é 30 de dezembro de 2011, para licitações cujos recursos estejam previstos no orçamento vigente. Empenhos referentes a adiantamentos, para diárias e suprimentos de fundos, deverão ser liquidados e pagos dentro do exercício a ser encerrado, não podendo ser inscritos em restos a pagar.
Despesas –Os saldos das dotações orçamentárias constantes do orçamento fiscal e da seguridade social, existentes em 5 de dezembro de 11, que excedam os valores fixados na programação financeira do governo, serão reduzidos para suplementar despesas com pessoal ativo e inativo. Somente poderão ser inscritas em “restos a pagar” as despesas de competência do exercício financeiro, considerando-se como despesa liquidada aquela em que o serviço ou material contratado tenha sido prestado ou entregue e aceito pelo contratante.
A receita não liquidada, mas de competência do exercício, é aquela em que o serviço ou material contratado tenha sido prestado ou entregue e que se encontre, em 31 de dezembro de 2011, em fase de verificação do direito adquirido pelo credor, ou seja, em liquidação.
A secretária adjunta do Tesouro Estadual, Adélia Macedo, explicou que estas medidas atendem as normas do direito financeiro, previstos na legislação federal e estadual. “Além disso, o Estado obedece aos prazos legais estabelecidos na elaboração e divulgação dos relatórios previstos na Lei de Responsabilidade Fiscal e do Balanço Geral, que é entregue ao Tribunal de Contas”. A portaria também disciplina as gestões orçamentárias e financeiras no processo de encerramento anual.
A Sefa promoveu, dia 24 de novembro, no auditório da Fundação Tancredo Neves, reunião técnica para tratar das normas e procedimentos para o encerramento do exercício financeiro de 2011. Participaram os técnicos responsáveis pela área de gestão orçamentária, financeira e contábil dos órgãos e entidades, informou o diretor de Contabilidade da Sefa, Hélio Goés.
A Instrução Normativa 1/ 2011, publicada no Diário Oficial do Estado, define parâmetros que visam à padronização e eficiência do processo de encerramento e a consequente abertura do próximo exercício financeiro nos órgãos e entidades da administração pública estadual.

Texto:
Ana Márcia-Sefa
Cohab promove ação social
e ambiental em aldeia
em São Geraldo





Os índios suruí, da aldeia Sororó, localizada no município de São Geraldo do Araguaia, sudeste do Pará, totalizam 360 habitantes, divididos em 80 famílias, 30 delas beneficiadas com as unidades habitacionais construídas pela Companhia de Habitação do Pará (Cohab) e entregues pelo governo do Estado em 2010.
Para complementar a entrega dessas habitações, a Cohab vem desenvolvendo um trabalho técnico social junto à comunidade, voltado para as questões ambientais, destacando-se a coleta de resíduos sólidos. Com esse objetivo a companhia fez, de 28 de novembro a 3 de dezembro, a Semana do Meio Ambiente, com oficina sobre resíduos sólidos, distribuição de kits de limpeza e coleta de lixo.
A Cohab fez a entrega de 30 kits de limpeza contendo lixeira, pá e vassoura, distribuídas para os moradores das casas construídas pela companhia. As crianças participaram da separação e distribuição dos kits. Ivai Suruí estava empolgada ao receber seu kit de limpeza. Imediatamente ela começou a varrer e limpar a frente de sua casa. “Ninguém nunca trouxe essas coisas para a gente, só a Cohab mesmo”, disse.
Para que todo o trabalho da equipe da Cohab alcançasse o resultado esperado, a parceria com a Prefeitura de São Geraldo foi fundamental. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente viabilizou a caçamba para recolher entulhos e todo o lixo coletado na aldeia. Para o engenheiro sanitarista José Ribamar dos Santos, integrante da equipe da Cohab, juntamente com a assistente social Andréa Omoto, responsável pela execução do projeto técnico social, a experiência com os suruí destaca-se pelas suas peculiaridades.
“Eles participaram ativamente das atividades. Esse projeto complementa a entrega das unidades habitacionais. As ações reforçam a preocupação da companhia de habitação em promover a melhoria da qualidade de vida na aldeia e vão refletir no dia a dia deles”, disse Ribamar. Durante reunião na última quinta-feira(30), a liderança maior da aldeia, o cacique Mairá, destacou a atuação da Cohab junto ao seu povo. “Queremos a agradecer à Cohab pelas casas construídas e as ações feitas aqui, como os cursos e oficinas”, elogiou.
Alvenaria –Receber as casas e participar das ações do trabalho técnico social da Cohab foram motivos de alegria para a jovem Matãnia Suruí, 20 anos. Ela passou um tempo fora da tribo, morando com a avó em Marabá. Aos 14 anos voltou para a aldeia, para morar com a mãe. “No começo não gostava de morar aqui, pois antes não tinha energia elétrica e gostava de beber água gelada”, lembra a jovem. “Quero estudar administração. Pretendo entrar na universidade. Esse é meu sonho. Depois volto para a aldeia e ajudo na organização da minha gente”, revela.
Segundo Matãnia, com a construção das casas de alvenaria muita coisa mudou na vida dos suruí. “Com as casas de palha as pessoas ficavam mudando de lugar para construir outras quando a palha apodrecia, e tinha o risco de pegar fogo. Ainda vieram os cursos, que a Cohab trouxe. Fiz todos. Ganhamos dinheiro vendendo o artesanato em São Domingos, que fica perto daqui”, conta.
Tiapé Suruí compartilha da opinião de Matãnia quanto aos benefícios das casas de alvenaria, principalmente no que diz respeito à questão da proteção contra insetos e animais. “Antes apareciam aranha, cobra nas casas de palha e a gente não podia deixar os alimentos expostos que os insetos sentavam em cima. Com as casas de alvenaria isso mudou”, enfatiza.
Lixo –Ele foi um dos participantes da oficina sobre resíduos sólidos durante a Semana do Meio Ambiente. “Com o lixo aparece muito rato aqui, o que traz doenças. Além disso, aprendemos que ele prejudica a natureza. Com o material que a Cohab trouxe (botas, carrinho de mão, luvas, vassouras) a gente pode recolher todo o lixo, facilitando o trabalho. É importante também ter as lixeiras nas casas para armazenar o lixo, porque antes o pessoal cavava um buraco no quintal e lá jogava o lixo”, relatou.
O presidente da Câmara Municipal de São Geraldo, vereador Elpídio Farias da Silva esteve na aldeia no período da Semana do Meio Ambiente e demonstrou sua preocupação com o lixo que é recolhido na cidade e nas comunidades mais distantes da sede do município. “Estamos travando uma batalha para a criação de um aterro sanitário por conta da lei federal que obriga os municípios até 2014 a terem o seu aterro. Hoje o município gera cinco toneladas de lixo por dia e precisamos dar uma destinação correta para tudo isso. Já estamos providenciando um terreno e a compra de caminhões compactadores”, declarou.
A empolgação do professor de português e matemática da escola da aldeia era visível durante a coleta do lixo. Ari Suruí morou 16 anos em Marabá e chegou a trabalhar como gari da prefeitura. Por isso, o serviço feito no recolhimento do lixo da aldeia relembrou o passado. Ele incentivou seus alunos a participarem ativamente da ação e disse que isso servirá como avaliação escolar. “Vou também pedir que eles façam uma redação contando como foi a experiência e descrevendo como absorveram esses conhecimentos, valendo ponto”, informou.
Graças à parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), a zootecnista Giselle Leandro orientou durante dois dias os participantes da atividade a fazer o plantio de 42 mudas de árvores frutíferas no entorno da aldeia. O auxiliar técnico da Sema Adailton Brito também participou da construção e colocação das proteções de madeira das mudas de manga, goiaba, oiti e fruta-do-conde, doadas pela Secretaria de Agricultura de São Geraldo do Araguaia.

Texto:
Rosa Borges-Cohab
Sespa começa no Marajó
oficinas de trabalho em
hospitais regionais
A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) iniciará pelo Hospital Regional do Marajó (HRM), no município de Breves, as oficinas de trabalho em hospitais regionais. O evento ocorrerá nos dias 06 e 7 de dezembro no HRM, com a participação de diretores do Nível Central da Sespa, prefeitos e secretários municipais de Saúde, diretores e técnicos do 8º Centro Regional de Saúde, conselheiros municipais da região do Marajó e diretores e profissionais da instituição. O objetivo principal é discutir a regulação e o acesso às ações e serviços oferecidos pelos Hospitais Regionais.
A oficina é uma iniciativa da Diretoria de Desenvolvimento de Redes Assistenciais e Regionalização da Sespa, com apoio do 8º Centro Regional e da Coordenação dos Hospitais Regionais. A programação inclui apresentação da diretora de Desenvolvimento de Redes Assistenciais, Rita Facundo; do coordenador dos Hospitais Regionais, Arthur Lobo; da diretora do Departamento de Acompanhamento e Avaliação da Regionalização da Saúde, Fátima Bentes; dos diretores do HRM; da diretora do 8º CRS, Ângela Iketani, e do secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, que abordará o tema “Por um SUS (Sistema Único de Saúde)mais Efetivo”.
O Hospital Regional do Marajó tem um ano de funcionamento e é gerenciado pela Organização Social Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), instituição habilitada pelo governo do Estado para atuar na área de Saúde.
No Hospital a população conta com 50 leitos operacionais e 20 complementares de UTI Adulto, Neonatal, Pediátrica e isolamento. Dispõe de um diversificado parque para diagnóstico, com tomografia computadorizada, ultrassonografia, ecografia com dopler, mapa, Raios-X convencional e em arco, mamografia, holter e endoscopia, além de Laboratório de Análises Clínicas, Agência Transfusional e Serviço de Reabilitação. Todos os atendimentos são referenciados pela Central de Regulação Estadual, que funciona no próprio HRM.

Texto:
Roberta Vilanova-Sespa
I Oficina de Trabalho nos
Hospitais Regionais
A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) promove I Oficina de Trabalho nos Hospitais Regionais, com a participação de diretores do Nível Central da Sespa, prefeitos e secretários municipais de saúde, diretores e técnicos do 8º Centro Regional de Saúde, conselheiros municipais da região do Marajó e diretores e profissionais do HRM. O objetivo principal é discutir a regulação e acesso às ações e serviços oferecidos pelo Hospital Regional. A oficina é uma iniciativa da Diretoria de Desenvolvimento de Redes Assistenciais e Regionalização (DDRAR), com apoio do 8º CRS e da Coordenação dos Hospitais Regionais.
A programação terá apresentação da diretora do DDRAR, Rita Facundo; do coordenador dos Hospitais Regionais, Arthur Lobo, da diretora do Departamento de Acompanhamento e Avaliação da Regionalização da Saúde (Dares), Fátima Bentes; dos diretores do HRM; da diretora do 8º CRS, Ângela Iketani; e do secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, que abordará o tema “Por um SUS mais Efetivo”.
O HRM tem um ano de funcionamento e é gerenciado pela Organização Social Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), instituição habilitada no âmbito do estado para atuar na área de Saúde. No Hospital Regional, a população conta com 50 leitos operacionais e 20 complementares de UTI Adulto, Neonatal, Pediátrica e isolamento.
Dispõe ainda de um diversificado parque diagnóstico, com tomografia computadorizada, ultrassonografia, ecografia com dopler, mapa, Raios-X convencional e em arco. mamografia, holter, endoscopia e Laboratório de Análises Clínicas; Agência Transfusional e Serviço de Reabilitação. Todos os atendimentos são referenciados pela Central de Regulação Estadual, que funciona no próprio HRM.
Semana da Inclusão
- Vamos Incluir?
A comunidade da escola da Pratinha II promove a “Semana da Inclusão – Vamos Incluir?”, dias 6, 7 e 16 deste mês. A proposta é apresentar um olhar diferenciado e respeitador para o aluno especial, de modo a compreender o seu mundo, e, ao mesmo tempo, a aceitação desses alunos no ambiente escolar e social, contribuindo com a educação inclusiva.
Entre os objetivos a serem alcançados na semana, destacam-se: o reconhecimento da importância de respeitar as diferenças e a individualidade de cada um; criar a partir das vivencias, condições de melhoria para o ensino-aprendizagem de alunos especiais e alunos do ensino regular; ensino de libras e mobilizar a sociedade sobre a importância do respeito às diferenças, além de educar para o convívio social inclusivo das pessoas especiais.
Navegapará será apresentado
em Seminário de
Tecnologia da Informação
Para debater a utilização de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) será realizado, nos dias 06 e 7 (terça e quarta-feira), o Seminário de Tecnologia da Informação e Telecomunicação (Ticom), no auditório Jorge Nassar, no Centro de Tecnologia da Eletrobras/Eletronorte, em Belém. O evento é destinado a estudantes de nível médio e nível superior, professores e profissionais das áreas de Tecnologia da Informação e Telecomunicações.
A Empresa de Processamento de Dados do Estado do Pará (Prodepa) participará do Seminário com palestra sobre o programa de inclusão digital Navegapará, ministrada pela Engenheira de Telecomunicações da empresa, Michelle Iglesias. Na palestra, ela explicará o funcionamento, as áreas de abrangência e os benefícios dos quatro projetos de inclusão do programa: Cidades Digitais, Infovias, Redes Metro e Infocentros.
Também haverá debate sobre a expansão do Navegapará no sul do Estado, para oferecer internet gratuita e de qualidade aos habitantes dessas regiões. Além da facilidade de acesso à rede, o programa dispõe de cursos de informática. O Navegapará será abordado ainda na palestra do funcionário da Eletronorte, Carlos Nylander Brito, que explicará o funcionamento da Tecnologia DWDM, utilizada no programa.
Assuntos como o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) e o uso de fibras ópticas de plástico em Redes Internas também serão abordados no Seminário, que oferecerá aos participantes demonstrações de equipamentos ópticos e via satélite e mini-cursos de “Simuladores para Sistemas de Comunicações Ópticas”.
Infraestrutura - A Eletronorte e a Prodepa assinaram, em 30 de março de 2007, um convênio de cooperação técnica, com o objetivo de incrementar a infraestrutura de telecomunicações do Pará. Por meio do Programa Navegapará já foram inaugurados quase 200 infocentros em todo o Estado.
O Centro de Tecnologia da Eletrobras/Eletronorte possui um infocentro com 21 computadores, para acesso livre à internet e cursos de capacitação básica em informática, que atende a comunidade da região. O espaço é um dos maiores do Estado e dispõe de uma sala exclusiva para reuniões do Conselho Gestor, o que foi possível graças à parceria e a iniciativa entre as empresas. As aulas nos infocentros são ministradas por monitores capacitados pela Prodepa.
A programação completa do Seminário está disponível no site: http://servicos.eletronorte.gov.br/wordpress/?page_id=1170

Texto:
Marilia Quaresma-Prodepa
Esculturas de miriti compõem
decoração de Natal do
Palácio dos Despachos
Estrelas, guirlandas e velas são alguns dos símbolos da festa de Natal que integram a ambientação natalina da sede do governo estadual, o Palácio dos Despachos, na rodovia Augusto Montenegro. Toda a decoração é resultado de uma oficina de miriti ministrada na Fundação Curro Velho, que deu origem a uma série de objetos com temas natalinos. As estruturas são leves e vão ficar expostas até 6 de janeiro, quando tradicionalmente são retiradas por ocasião do Dia der Reis.
Segundo a diretora de Logística da Casa Civil da Governadoria, Paula Campello, essa é a primeira vez que o Palácio recebe uma decoração de Natal inteiramente confeccionada a partir de materiais regionais. Para compor a ornamentação, mais de 100 peças foram produzidas a partir do miriti e de talos guarumã (palmeira fina). “A proposta era fazer uma ornamentação tipicamente nossa, paraense, com produção e materiais da nossa região. Além de tudo, esse material é todo reciclável”, explica.
Segundo a superintendente da Fundação Curro Velho, Dina Oliveira, duas experiências de arte pública com o miriti foram feitas este ano. “A primeira foi em Santarém, durante o governo itinerante, uma exposição muito bonita, na beira do rio Tapajós, chamada ‘Piracaia’. Depois foi o momento do Círio, quando montamos a ‘Piracema’ na Estação das Docas. Com o resultado desses trabalhos, a Casa Civil nos acionou para fazer uma ambientação, um visual que lembrasse o Natal com toda essa magia”, explica.
A oficina teve a participação de técnicos da fundação, alunos de cenografia e pessoas da comunidade. “Trabalhamos sempre com a questão do nascimento, com muita luz, energia das estrelas, estrelas pratas, brancas. Na programação visual para o Palácio dos Despachos há uma iluminação própria, um trabalho de cenotécnica”, informa Dina Oliveira, explicando que a ideia é criar, com a ambientação natalina, uma relação de arte pública.
“Com a passagem de carros na Augusto Montenegro, via que é muito movimentada, cria-se essa relação de espaço público, de arte pública, de objeto público, de estruturas ambientais públicas que mostram a vontade e a determinação do governo de estar presente nos momentos legítimos da cultura e da sociedade”, reforça a superintendente.
Os funcionários do Palácio dos Despachos aprovaram a decoração. “É a primeira vez que vejo aqui no Palácio algo tão criativo”, comenta o assistente administrativo da Casa Civil Marcos Vasconcelos. “Está bem bonita e diferente porque foge daquela decoração tradicional. Isso também nos dá uma identidade de Natal”, acrescenta o assistente operacional João Oliveira.

Texto:
Andreza Gomes-FCV
Operação flagra condutores
de veículos sob efeito
de bebida alcoólica
 A Polícia Civil divulgou nesta segunda-feira (5) os resultados da operação “Trânsito sem álcool 2”, ocorrida entre as 22 horas de sexta-feira (2) e as 6 horas de sábado (6). Foram registrados nove flagrantes de pessoas conduzindo veículo sob efeito de bebida alcoólica. Ao todo, 31 veículos foram recolhidos pelos órgãos de trânsito por infrações. Cerca de 200 multas foram aplicadas por irregularidades como falta de equipamentos obrigatórios.
A ação policial ocorreu em toda a Região Metropolitana de Belém, em áreas de intenso fluxo de veículos, como as rodovias BR-316, em Ananindeua, e Augusto Montenegro, em Belém, além do distrito de Icoaraci, na capital. No total, estiveram em atuação 150 servidores – policiais civis e militares, agentes de trânsito do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e Companhia de Transportes do Município de Belém (Ctbel) e Guarda Municipal. Quatro delegados coordenaram as ações de fiscalização em via pública.
Os agentes fizeram abordagens em condutores de veículos e motociclistas. Foi aplicado, pelos agentes de trânsito, o equipamento etilômetro, para medir o nível de consumo de bebidas alcoólicas pelos motoristas. Segundo o coordenador geral da operação, delegado Marco Antônio Duarte, da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores (DRFVA), durante as abordagens, uma senhora se negou a passar pelo etilômetro e teve de ser levada ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves para fazer o exame de dosagem alcoólica, pois estava visivelmente embriagada.
Entre as pessoas flagradas na condução de veículo sob o efeito de álcool, na barreira de fiscalização instalada na avenida Nazaré com travessa Quintino Bocaiúva, havia um homem com alvará de soltura expedido pela Justiça, que responde processo por roubo. Na barreira montada na rodovia Mário Covas com avenida Independência, dois motoristas tentaram dar meia volta e fugir ao se deparar com a blitz, mas não conseguiram. Um deles foi flagrado com nível de álcool quatro vezes acima do permitido por lei.
As pessoas flagradas foram encaminhadas para a Seccional Urbana da Marambaia e Central de Flagrantes, no bairro de São Braz, centro de Belém. Segundo o delegado, o objetivo principal da operação foi prevenir acidentes de trânsito e reprimir infrações na condução de veículos. “Seis em cada dez acidentes no trânsito são causados por pessoas que haviam ingerido bebidas alcoólicas”, alerta o policial civil. A operação continua durante toda esta semana. No primeiro fim de semana, onze condutores foram flagrados na direção de veículos sob efeito de bebida alcoólica.

Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil
Internas do Centro de
Reeducação aprendem
a customizar camisas
Vinte internas do Centro de Reeducação Feminino (CRF) participam desde esta segunda-feira (5) de uma oficina de customização em camisas, um projeto piloto desenvolvido pelo Instituto de Artes do Pará (IAP) e Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe), em atendimento à diretriz de governo de investir na capacitação e profissionalização de detentos, visando a geração de emprego e renda.
O projeto surgiu para aperfeiçoar os produtos de costura que as internas já faziam no Centro. A gerente geral de Artes Plásticas e Audiovisuais do IAP, Fabize Muinhos, disse que conheceu o grande potencial das detentas nas exposições de produtos confeccionados por elas. “A ideia é aperfeiçoar o trabalho que elas já desenvolvem, para comercializar as peças e sensibilizar as demais internas, gerando mais profissionalização e renda”, ressaltou a gerente.
Este primeiro curso terá a duração de cinco dias, e ao final será organizado um desfile com as peças produzidas. As camisas utilizadas na customização são doadas pela Fábrica Esperança, instituição do governo estadual que desenvolve ações de apoio à reinserção social de egressos do sistema penal.
“Acho muito importante tudo o que a Susipe está fazendo para aprimorar nosso conhecimento, porque futuramente poderemos montar nosso próprio negócio e garantir uma renda para nossa família”, disse a interna Alessandra Rodrigues. A Susipe e o IAP pretendem capacitar mais detentas, em várias oficinas já planejadas para 2012.

Texto:
Antenor Filho-Susipe

Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...