Total de visualizações de página

terça-feira, dezembro 06, 2011

@ CULTURA ...

Centur realiza workshop
gratuito de assessoria
de imprensa para artistas
Nesta quarta-feira, 7, será realizado na sala G do Centro de Eventos Ismael Nery (primeiro andar do Centur), o I Workshop de Assessoria de Imprensa para Artistas. A entrada é franca. A oficina é uma realização do departamento de Assessoria de Comunicação da Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves.
O evento é destinado a assessores de imprensa, acadêmicos, artistas e pessoas interessadas no assunto. Durante o workshop serão debatidos temas que envolvem o dia a dia de um assessor cultural, como a formatação de releases, o apuro textual e qualidade de imagens para as divulgações artísticas.
Os participantes também poderão entender como funciona a rotina dos veículos de comunicação e qual o prazo ideal para o envio de matérias a cada meio de comunicação. O workshop tem o objetivo não só de discutir como ser um bom assessor ou como escolher um bom assessor, mas ainda de apontar possíveis riscos e acertos de divulgações feitas no espaço virtual, por meio das mídias sociais e blogs.
O interesse que o tema desperta pode ser aferido quando se trava contato com as opiniões de quem vive cotidianamente a rotina das divulgações culturais. “O assessor de imprensa precisa entender que o trabalho dele reflete na construção da imagem de um terceiro e isso é uma responsabilidade muito grande. Se pudesse resumir o comportamento ideal para um assessor em apenas uma palavra, seria honestidade”, diz Thiago Viana, assessor da agência CA No Media.
Segundo Viana, que já assessorou as bandas Madame Saatan, Tenebrys e Malachai, muitos artistas de Belém fazem sua própria divulgação. Pela proximidade ou amizade com os jornalistas, até conseguem espaço, mas acabam tendo dificuldade em lidar com certos detalhes que só um assessor sabe como administrar. Além disso, Thiago explica que, com o auxílio do assessor, o artista tem mais tempo para se dedicar à sua arte.
A cantora Cacau Novais conta que já fez seus próprios releases. Ela revela que a grande preocupação da maioria dos artistas é uma boa divulgação para que as pessoas conheçam sua arte. “O fato de já ter os contatos diretos é uma das vantagens do assessor de imprensa. Mas também há um aspecto relevante: ele sabe melhor como conduzir as informações sobre o show, como o texto deve ser escrito e o que é necessário dizer”, pontua a intérprete. As inscrições para o workshop podem ser feitas até esta quarta-feira, dia em que será realizada a programação, das 10h às 14h, pelo telefone 3202-4391. Serão disponibilizadas 50 vagas, preenchidas por ordem de procura.

Texto:
Hélio Granado-FCPTN
GibiMais oferece
oficinas na Casa
da Linguagem
GibiMais, o evento que envolve cultura pop, quadrinhos e colsplay, que está sendo realizado na Casa da Linguagem até o dia 9 de novembro, oferta quatro oficinas que iniciam nesta terça-feira, 6, no horário de 9h às 12h, e terão duração de três dias. O evento é uma parceria entre a Fundação Curro Velho e organização do site Ponto Zero e do Estúdio Pencil Blue.
As oficinas são todas voltadas para a arte de quadrinhos e filmes e desenhos animados. As oficinas são de fotonovela, que contará histórias através de fotografias; oficina de bonecócolis, que faz uso de action fingers, que são bonecos de ação; oficina de dublagem, voltada para a dublagem de desenhos animados e trailers de filmes; e também haverá a oficina de criação de colsplay, que vai envolver a criação das apresentações de personagens.
Uma das organizadoras do evento Gibi Mais, Tereza Jardim, conta que a iniciativa tem como objetivo reunir jovens, adolescentes e adultos que apreciam a cultura pop, que envolve os quadrinhos e outras vertentes do entretenimento como games, cinema, desenho animado. Mas o objetivo maior do evento é homenagear os 27 anos de carreira do quadrinista Joe Bennett, que é um dos maiores quadrinistas paraense, em nível internacional.
O GibiMais também está fazendo uma campanha de arrecadação de brinquedos para fazer um Natal solidário. “Nós vamos reunir essas doações que forem feitas e doar para uma instituição que ainda não está definida. Quem quiser participar da campanha, mesmo que não esteja participando do evento GibiMais, pode trazer sua doação aqui na Casa da Linguagem que receberemos”, informa Tereza Jardim.
O instrutor da oficina de dublagem, Wescley Patrick, está no ramo há quatro anos, edita há três e é coordenador de dublagem do fórum Dubla Net. Seu plano de ensino é mostrar aos alunos a facilidade da dublagem. “No primeiro dia vou mostrar as técnicas, os programas que as pessoas podem usar para fazer isso na casa delas, e também, a gente pensa em gravar alguns trailers de filmes que ainda não saíram aqui no Brasil, tipo o trailer de Os Vingadores”, afirma o instrutor.
A programação será toda realizada na sede da Casa da Linguagem até a próxima sexta-feira, 9 de dezembro. Pela manhã serão as oficinas e pela parte da tarde acontecerão workshops e mesas redondas. Quem se inscrever na oficina pode automaticamente participar das outras programações que ocorrem durante o período da tarde.

Texto:
Andreza Gomes-FCV
III Encontro de Cordas
da Amazônia
A Fundação Carlos Gomes realiza, entre 12 e 17 de dezembro, o III Encontro de Cordas da Amazônia, que consiste em workshops e masterclasses para alunos do Conservatório e seis recitais para o público em geral na Catedral Metropolitana, na Igreja de Santo Alexandre e Sala Ettore Bósio, contando com a presença de convidados nacionais, como o violoncelista Antonio del Claro (SP) e o violinista Rucker Bezerra (PB).
Festival de Natal da
Fundação Carlos Gomes
A Fundação Carlos Gomes encerra as atividades de 2011 com o Festival de Natal, apresentando a Banda Sinfônica da Fundação Carlos Gomes, a Orquestra Jovem, o Quinteto de Metais, o resultado dos trabalhos do Projeto Música e Cidadania nas várias unidades reunindo os grupos no Polo Joalheiro, e finalizando com apresentação do Coro Carlos Gomes na Igreja de Santo Alexandre. De 10 a 21/12, vários horários. Toda a programação tem entrada franca.
Fundação Carlos Gomes
realiza o III Encontro
de Cordas da Amazônia
A Fundação Carlos Gomes realiza, no período de 12 a 17 de dezembro, o III Encontro de Cordas da Amazônia, em diversos espaços da capital paraense, sempre às 19h, com entrada franca. O Encontro  de Cordas da Amazônia originou-se dos antigos encontros de violoncelos realizados pela Fundação e Conservatório Carlos Gomes até o ano de 2006, com o objetivo de melhor atender a área de cordas dos cursos técnicos e naturalmente foi se ampliando e transformado-se em evento permanente no calendário cultural do Estado. É uma ação didática que tem como objetivo estimular, fortalecer e aprimorar o nível técnico-musical dos alunos de Violino, Viola, Violoncelo e Contrabaixo do Conservatório Carlos Gomes e de outras escolas de música.
O evento contará com intercâmbio que terá como convidados músicos de renomado talento que vem somar para o enriquecimento do encontro, como o maestro Antonio del Claro (SP), violoncelista, Elisa Fukuda (SP) e Rucker Bezerra (PB), violinistas, que ministrarão workshops e masterclasses aos músicos interessados, que devem procurar a Secretaria do Conservatório para fazer sua inscrição.
Com isso, o Encontro de Cordas cumpre um papel importante para a formação do estudante de música, preparando-o para o mercado de trabalho. A seguir, a programação do evento, que terá como palco a Igreja de Santo Alexandre, a Catedral Metropolitana de Belém e a sala Ettore Bósio, no próprio conservatório Carlos Gomes.
Madrigal da Uepa faz
concerto gratuito
no Theatro da Paz
Uma aula sobre como se fazer ópera para um público formado, em sua maioria, por servidores da Universidade do Estado do Pará (Uepa). Assim foi o Concerto Didático, que o Grupo Madrigal realizou na manhã desta terça-feira, 6, no pátio do Prédio da Reitoria, em Belém. Foram apresentados trechos da ópera "Orfeu", de Claudio Monteverdi, que o Madrigal canta novamente nesta quarta-feira, 7, às 20h, no Theatro da Paz. A entrada é franca, com distribuição prévia dos ingressos na bilheteria.
O Concerto Didático foi conduzido pelo regente da Orquestra Nacional de Lyon, Phillippe Forget, o mesmo que se apresenta amanhã à frente do Grupo Madrigal. Na França, onde mora, o maestro realiza trabalhos educacionais e já está acostumado a desenvolver esse tipo de atividade com crianças, jovens e adultos. A cada trecho da ópera, dividida em cinco atos, Forget explicava um pouco da história, seguida do canto.
Para a servidora Lia Mônica Marques, da Diretoria de Desenvolvimento de Ensino (DDE), o concerto foi a oportunidade de entender um pouco mais a história que ela já conhecia. “Como também sou professora, já tinha visto através de obras de literatura. Mas com o lírico chamou mais minha atenção. Cada cântico era uma passagem que eu só tinha visto através de minissérie, mas nunca com a ópera. Foi maravilhoso”, classificou a servidora.
“É um repertório muito voltado para o teatro e a palavra, mas com o Phillippe explicando ficou mais fácil”, garantiu o regente do Madrigal, professor Milton Monte. Para ele, a iniciativa de se apresentar para o público da Uepa, onde nasceu o Grupo, é importante, “porque muitas vezes a gente só ensaia dentro das salas e as pessoas não sabem o que estamos fazendo”, explicou Monte. Para a única apresentação desta quarta-feira, 7, o Grupo realiza ensaios com a Camerata de Música da Universidade do Estado do Pará (UFPA), orquestra que participa da apresentação de "Orfeu'.

Texto:
Ize Sena-Uepa
Livro e documentário
homenageiam
Benedito Nunes
O filósofo paraense Benedito Nunes, um dos mais importantes intelectuais do Brasil, é tema do documentário “Mora na Filosofia” e do livro 'Amigo Bené fazedor de Rumos', que serão lançados no dia 10 de dezembro, às 18h30, na Estação Gasômetro, em evento aberto ao público. O documentário produzido pela TV Cultura do Pará reúne depoimentos de pessoas que conviveram com escritor, onde falam sobre sua personalidade e a importância de sua obra para a filosofia e a literatura. Benedito Nunes morreu em 27 de fevereiro de 2011. O Livro 'Amigo Bené fazedor de Rumos' é de autoria de Lilia Silvestre Chaves.
Foram reunidos depoimentos que integram o acervo da TV Cultura e produzidas novas entrevistas, em parceria com a produtora TV Norte Independente. Entre as personalidades entrevistadas estão Paulo Chaves, Victor Sales Pinheiro, Lilia Chaves, Décio Guzman, Lúcio Flávio Pinto, Paraguassu Éleres, Ernani Chaves, Eva Andersen, David Jackson, Michel Riaudel, Maria José, Dina Oliveira, Marton Maués, João de Jesus Paes Loureiro, Adriana Klautau e Alonso Rocha, entre outros.
A narrativa parte da casa onde Benedito Nunes viveu durante décadas, localizada na travessa da Estrela, bairro do Marco, em Belém, e do papel que esse lugar teve na vida do filósofo. A proposta é abordar, além das ideias de Benedito, o lado humano do pensador. Para tanto, cada entrevistado contribuiu com uma visão diferente: Ernani Chaves e Victor Sales abordaram a dimensão filosófica e literária; Dina Oliveira contou como foi conviver, quando criança, com as tias, e Paulo Chaves, por sua vez, lembrou como era a convivência na casa da Estrela, segundo explica o diretor de “Mora na Filosofia”, Júnior Braga.
O documentário se estrutura como um patchwork de fragmentos de depoimentos, fotos, textos e efeitos visuais. A trilha sonora é composta de peças eruditas de Beethoven (compositor preferido do filósofo), executadas por músicos da Fundação Carlos Gomes, e de músicos paraenses, como Salomão Habib e Luiz Pardal.
Júnior Braga destaca, ainda, o depoimento do professor americano David Jackson, para quem Benedito Nunes é a ligação acadêmica entre o Pará e o mundo. Para o professor, Benedito foi um dos maiores intelectuais brasileiros, e por isso sempre foi chamado a lecionar em instituições na França e nos Estados Unidos. "Mas fez questão de retornar a sua terra, e assim ficou internacionalmente conhecido como um homem da Amazônia, um homem de Belém”, completa.
Preservar e valorizar esta identidade do gênio que não rompe com as suas raízes é, talvez, uma forma de incentivo a novas gerações de estudantes e pensadores paraenses, acredita Júnior Braga. Ele explica que a principal dificuldade na produção foi selecionar os entrevistados. “São muitas as pessoas que conhecem a obra de Benedito e que poderiam contribuir para o documentário”. A equipe contou com a preciosa contribuição da esposa de Benedito Nunes, a professora Maria Sylvia Nunes, e do professor Victor Sales Pinheiro, organizador da obra do filósofo.
“Mas toda vez que citávamos o nome do professor Benedito, éramos prontamente atendidos, o que demonstra a importância do filósofo e o respeito que as pessoas que conviveram com ele possuem. Talvez a maior dificuldade tenha sido entrevistar personagens que residem em outros países, mas conseguimos contornar este fator graças à tecnologia. Com o uso da internet foi possível aproximar os continentes e captar importantes testemunhos acerca de Benedito”, complementa o diretor.
“Mora na Filosofia” será veiculado pela TV Cultura do Pará no dia 11, às 18h30, e posteriormente por outros canais educativos, participará de festivais e será distribuído entre escolas públicas do Estado, além de universidades do Brasil e do exterior nas quais o filósofo atuou.
FICHA TÉCNICA
Direção geral: Júnior Braga
Direção: Aladim Júnior e Guaracy Jr.
Produção Executiva: Lygia Maria e Rodrigo Cardozo
Produção: Helaine Cavalcante
Direção de Fotografia: Max Lima e Elias Dias
Imagens: Jacob Serruya, Hélio Furtado, Carlos Araújo
Montagem: Mário Costa
Finalização: Aladim Jr.
Pesquisa: Júnior Braga e Lygia Maria
Consultoria: Victor Sales Pinheiro e Maria Sylvia Nunes

Livro - Amigos, familiares, escritores e estudiosos que conviviam com o professor e filósofo, Benedito Nunes, têm seus depoimentos reunidos em um livro que homenageia um dos maiores intelectuais paraenses. “O amigo Bené, fazedor de rumos”, organizado pela professora Lília Chaves.
A relação da organizadora do livro, Lília Chaves, e de Benedito Nunes começou há muito tempo. Foram amigos e parceiros em sala de aula diversas vezes – o filósofo foi professor de Lília Chaves na graduação, no mestrado e em vários cursos. Reunir as memórias do amigo representou saudades e felicidades para a professora.
“Ao organizar esse livro de homenagens e de memórias, além de descobrir sempre alguma coisa nova sobre ele nas palavras de todos os amigos que colaboraram com seus depoimentos, senti que a leitura que fiz de algumas páginas inéditas de Benedito Nunes iluminou ainda mais – se é que isso é possível – a sua lembrança querida”, revela Lília Chaves.
A obra segue o mesmo padrão do livro “O amigo Chico” – que homenageia o professor Francisco Paulo Mendes – e traz uma cronologia da vida e da obra de Benedito Nunes, falecido em fevereiro de 2010. Além dos depoimentos, “O amigo Bené” ainda apresenta textos inéditos e raros, fotos e manuscritos do acervo pessoal do filósofo. Nos escritos, Benedito Nunes comenta fatos do seu cotidiano, mas, principalmente, dos livros que lia, dos ensaios que escrevia - e dos que planejava escrever - e dos amigos que o cercavam.

Texto:
Ronaldo Quadros-Funtelpa
Festival de Natal encerra
as atividades da Fundação
Carlos Gomes em 2011
Entre os dias 10 e 21 de dezembro, vários espaços da Região Metropolitana de Belém receberão grupos artísticos da Fundação Carlos Gomes, que se apresentarão em recital encerrando as atividades de 2011, dentro do tradicional Festival de Natal, iniciado no último domingo (4) com a inauguração das luzes natalinas do Conservatório Carlos Gomes.
Além de Belém, Benevides e Mosqueiro também terão a presença dos músicos da FCG em seus eventos, fortalecendo as parcerias que vêm sendo construídas ao longo do ano, como a Paróquia São Domingos de Gusmão, na Terra Firme, que receberá a Banda Sinfônica da FCG em concerto beneficente e cobrará, a título de ingresso, 1 kg de alimento não perecível para compor cestas de Natal que serão distribuídas entre a comunidade carente do próprio bairro.
A participação dos polos do Projeto Música e Cidadania no festival é a culminância do trabalho executado em cada unidade. O momento é de comemoração pelo sucesso ao retorno de atividades voltadas ao aperfeiçoamento dos grupos, tanto no aspecto técnico-musical quanto na inserção à cena artística da cidade, participando amplamente dos eventos, mostrando a produção de um profícuo ano de trabalho.
                                                                   Programação
DataHoraLocalGrupo
10 (Sab)20h30Igreja São Domingos de GusmãoBanda Sinfônica da FCG Regente: Amilcar Pimenta

11 (Dom)19h30Paróquia São Raimundo NonatoOrquestra Jovem da FCG
Regente: Rodrigo Santana
22hIgreja Nossa Senhora do Ó (Mosqueiro)Quinteto de Metais
1720hBenevidesQuinteto de Saxofone da FCG
18 (Dom)18hPolo Joalheiro (Expojoia)Orquestra Jovem da FCG
Regente: Rodrigo Santana
20 (Ter)18hPolo JoalheiroGrupos musicais dos pólos do Proj. Música e Cidadania
21 (Qua)20hIgreja de Santo AlexandreCoro Carlos Gomes
Regente: María Antonia Jiménez

Texto:
Maria Christina-FCG
Xxxx
Aumenta movimento na
biblioteca Artur Vianna
neste fim de ano
 A Biblioteca Pública Artur Viana, do Centur, tem registrado cada vez mais a presença de estudantes, desde as últimas semanas de novembro em relação aos meses anteriores. Em busca de livros didáticos, de literatura, periódicos, DVDs, entre outros materiais, os jovens aumentaram a frequência no espaço para estudar e pesquisar.
A bibliotecária da sessão de referência da biblioteca, Suzana Tota, acredita que a retomada das aulas da rede estadual de ensino, o período de provas do vestibular e a publicação de editais de concurso público contribuíram para o aumento na frequência de visitantes na instituição. “Principalmente por causa da volta às aulas, observamos a participação muito grande de estudantes. Muitos vêm desde manhã, pegam livros didáticos e ficam estudando. A maioria vai prestar o vestibular”, diz.
No fim da manhã desta terça-feira (6), alguns estudantes estudavam, concentrados. Entre eles estava a dupla Brenda Miranda e Josiane de Oliveira, ambas de 18 anos e alunas do segundo ano do ensino médio na escola estadual Tiradentes II. “Temos o costume de vir para cá e aprofundar os nossos conteúdos com os materiais daqui, pelo menos três vezes por semana”, conta Brenda, que se preparava para estudar sociologia com a amiga. “Já estamos nos preparando para as etapas do vestibular e é preciso estudar”, ressalta ela, que pretende cursar direito na Universidade Federal do Pará (UFPA).
O aluno Enndy Pantoja, 13 anos, está na oitava série do ensino fundamental da escola estadual José Verríssimo. Assim como as meninas, ele procura na Artur Viana um ambiente de tranquilidade para estudar e rico em materiais para pesquisar. “Gosto muito de aprofundar os meus estudos. Sempre venho para cá fazer trabalhos. O último que fiz foi um seminário de geografia, sobre a Guerra Fria. Aqui é muito bom para a gente pesquisar”, avaliou.
Além do grande acervo, com mais de 770.675 mil títulos das mais variadas vertentes literárias, a Artur Viana oferece um ambiente confortável e tranquilo para os alunos. Recentemente o espaço passou por uma reestruturação e ampliação. “Todas as sessões ficaram agrupadas no fundo da biblioteca, deixando o espaço livre para os visitantes. Além disso, está muito mais refrigerado e fácil de pesquisar os títulos”, assegura a bibliotecária.

Texto:
Thiago Melo-Secom
Xxxxx
Servidores promovem
Bazar Interativo
Servidores da sede da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) participaram, na manhã desta terça-feira (06), do primeiro dia do Bazar Interativo de roupas e acessórios. O material foi arrecadado entre os dias 29 de novembro e 5 de dezembro, com o objetivo de obter recursos para a realização do “Amigo Itinerante”, durante a Semana da Saúde, que será realizada entre os dias 13 e 15 deste mês.
O Bazar Interativo é uma ação da Gerência de Apoio ao Servidor (GAS), que visa aproximar os servidores, melhorando as relações entre os funcionários da sede da instituição. Com o Amigo Itinerante, cada participante sorteará um colega-servidor para entregar um brinde, até que todos sejam contemplados. Os servidores participaram doando roupas, bijuterias, acessórios, utensílios domésticos e outros objetos.
Cine Estação exibe este
mês "Melancolia",
de Lars von Trier
Neste fim de ano, o cinema da Estação das Docas exibe finalmente em Belém um dos mais belos filmes realizados nos últimos anos: “Melancolia”, escrito e dirigido por Lars von Trier, com Charlotte Gainsbourg, Kiefer Sutherland e Kirsten Dunst, laureada com o prêmio de melhor atriz em maio deste ano no Festival de Cannes 2011.
A narrativa gira em torno de duas irmãs durante e logo após a festa de casamento de uma delas, enquanto a Terra está prestes a colidir com um planeta gigante que se aproxima ameaçadoramente. A festa glamourosa e cara está longe de ser bem-sucedida, com os pais divorciados de Justine abertamente hostis no jantar.
O conceito do filme surgiu durante uma sessão de terapia do diretor Lars von Trier (“Dogville”, “Ondas do destino”, “Anticristo”), que, em seguida, desenvolveu a história não como um filme de desastre e sem qualquer ambição de retratar a astrofísica realista, mas como uma forma de analisar a psiquê humana durante um desastre.
A história das duas irmãs como personagens principais foi desenvolvida por meio de uma troca de cartas entre o diretor e a atriz Penélope Cruz. A espanhola escreveu que gostaria de trabalhar com Trier e falou com entusiasmo sobre a peça “As criadas”, de Jean Genet.
Penélope Cruz foi inicialmente escalada para desempenhar o papel principal, mas desistiu quando o cronograma de filmagem de outro projeto do qual participaria foi alterado. Kirsten Dunst tinha sido sugerida para o papel pelo cineasta americano Paul Thomas Anderson em uma conversa com Lars von Trier, cujo processo terapêutico inspirou grande parte da personalidade do personagem Justine.
Inspiração – No filme, a inserção do prelúdio de “Tristão e Isolda”, de Richard Wagner, foi inspirada na afirmativa de Marcel Proust de que a peça é a maior obra de arte de todos os tempos. “Melancolia” usa a música mais do que qualquer filme do dinamarquês desde “The element of crime” (1984). Os efeitos visuais foram elaborados por uma equipe de 19 artistas gráficos, que trabalharam no projeto durante três meses.
A estreia oficial aconteceu na última edição do Festival de Cannes 2011, em 18 de maio. Na coletiva, Lars von Trier brincou com a imprensa sobre como trabalhar em um filme pornográfico de hardcore com Dunst e Gainsbourg, fez piadas sobre judeus e nazistas, disse que compreendia Adolf Hitler, que admirava o trabalho do arquiteto do Terceiro Reich Albert Speer e anunciou que era um nazista. Foi o suficiente para ser considerado persona non grata e ser expulso do festival, mesmo dando entrevistas promocionais sobre o filme.
A sugestão palaciana de um conto de fadas apocalíptico, que remete ao romantismo alemão, traz para o filme interpretações excepcionais de todo elenco, em especial de  Kirsten Dunst. Ela interpreta um personagem diferente de qualquer outro de sua carreira. O filme é uma produção dinamarquesa com co-produtores internacionais na Suécia, França, Alemanha e Itália. As filmagens ocorreram na Suécia e o orçamento total foi de 52,5 milhões de coroas dinamarquesas.
Serviço
“Melancolia”. De Lars von Trier. Com Kirsten Dunst, Kiefer Sutherland e Charlotte Gainsbourg. 14 anos. 130 min. Ficção científica. http://www.melancholiafilm.com. Ingressos: R$ 7 (com meia entrada para estudantes).
Datas de exibição em dezembro
8 (quinta), às 18h e 20h30
9 (sexta), às 18h e 20h30
10 (sábado), às 18h e 20h30
11 (domingo), às 10h, 18h e 20h30
16 (sexta), às 18h e 20h30
17 (sábado), às 18h e 20h30
18 (domingo), às 10h, 18h e 20h30

Texto:
Jose Pacheco-Secult

Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...