Total de visualizações de página

sexta-feira, dezembro 02, 2011

O QUE O AVIÃO DO JN NO AR NÃO REGISTROU: Pro Paz inaugura na próxima sexta (9) unidade integrada na Terra Firme

Os problemas do Rio de Janeiro, como por exemplo nas favelas, antes do problema ou até mesmo em meio ao problema, a mídia de lá mostra logo os benefícios que estão sendo feito, como por exemplo, os periféricos e as próprias Pro Paz. Até mesmo a morte do cinegrafista de um Canal de TV ninguém ouviu falar do resultado, se prenderam ou não o autor da morte do mesmo.
Aqui é o contrário, mas eficaz: a mídia fica em cima do caso, cascavilhando aqui e acolá, todos os dias o dia todo, até que as autoridades prendam os acusados. Ainda bem que esse papel da mídia paraense é importante, e não busca esconder sujeira para debaixo do tapete. Mas o que ela peca é em mostrar as negativas como ocorreu com o Avião do JN no Ar, e mais ainda a repórter que é paraense, de Belém, ironizando: Terra Firme, mostrando um alagado. É bom para apressar as autoridades para resolver as soluções, é claro, é bom, mas vender abertamente as negatividades daqui como se fossemos incapazes de resolver nossos problemas, é demais!
Lá mesmo na Terra Firme eles deveriam ter mostrado esse grande projeto para amenizar o problema social naquela belo e populoso Bairro de Belém.


Será inaugurada sexta-feira (9) a Unidade Integrada Pro Paz, que tem como objetivo a integração entre o sistema de segurança pública e a comunidade. O prédio instalado na rua Celso Malcher atenderá a comunidade que vive no entorno do bairro da Terra Firme e terá 30 policiais militares, 40 policiais civis e dez bombeiros. Representantes do Pro Paz e da comunidade também farão parte da unidade.
A uma semana da inauguração, a coordenadora do Pro Paz, Izabela Jatene, reuniu-se no início da tarde desta sexta-feira (2) com policias militares que farão parte da unidade para definir os últimos detalhes e firmar os procedimentos finais do espaço. “Na reunião trocamos ideias e dúvidas do nosso cotidiano, até porque esse processo está sendo construído por muitas mãos. Esse é o momento de tirarmos todas as dúvidas e ver o que podemos fazer juntos”, disse.
O tenente coronel da Polícia Militar Hilton Benigno afirmou que os policiais já estão preparados para iniciar o atendimento à comunidade. “Pretendemos dar um atendimento humanitário para a sociedade. A segurança não se faz só com proteção policial. Nossos homens estão preparados para isso”, enfatizou.
Ainda segundo ele, a unidade do Pro Paz será diferente das unidades de polícia pacificadora do Rio de Janeiro. “A unidade integrada é formada por várias mãos em torno de um objetivo comum, que é atender bem o cidadão. No Rio de Janeiro, ela tem como foco a ocupação territorial. Aqui vamos além, combatemos a violência e atendemos a comunidade com vários órgãos de segurança e assistência social”, finalizou.

Texto:
Bruna Campos-Secom
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...