Total de visualizações de página

segunda-feira, setembro 03, 2012

Município de Belterra recebe investimentos em ciência, tecnologia e inovação


Transformar o município de Belterra em um polo de atração turística focado em ciência, tecnologia e meio ambiente. Esse é o objetivo do ambicioso programa desenvolvido pelo Instituto Butantan Amazônia/Ama Brasil, em parceira com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Universidade Federal do Pará (Ufopa), Fundação Telefônica e Prefeitura de Belterra. Um evento simbólico marcará, nesta terça-feira, 04, o início oficial do “Projeto Oficina de Aplicativos”, destinado a alunos e educadores de 20 escolas públicas da cidade, no Centro de Memória da cidade.
Para garantir melhorias nos índices de educação, geração de emprego e qualidade de vida, os programas envolvem a capacitação da comunidade em desenvolvimento de aplicativos móveis sobre diferentes conteúdos e em uso de tecnologias da informação de comunicação no processo de ensino-aprendizagem. O objetivo é capacitar jovens em novas plataformas tecnológicas móveis (celulares e tablets) e promover o empreendedorismo social. Inicialmente, participarão 60 estudantes e 40 educadores. No decorrer do próximo ano, serão beneficiados outros 300 participantes.
A cidade do oeste do Pará foi escolhida por abrigar um rico patrimônio natural e histórico. Foi nos arredores do município que o empresário norte-americano Henry Ford instalou, no início do século passado, o projeto de produção de borracha para confecção de pneus para seus automóveis. O sonho do empresário se desfez, mas a chamada “Fordlândia”, hoje transformada em Belterra, mantém suas edificações.
A partir dos investimentos do Governo do Estado e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), toda esta área será restaurada e servirá de base para hospedagem de pesquisadores e turistas interessados em conhecer as riquezas culturais e naturais desta parte da Amazônia. “Isso é o início de uma cooperação que pode redundar em realizações maiores, porque está se criando em Belterra uma base de conhecimento significativa, com envolvimento direto de importantes instituições regionais, nacionais e, futuramente, internacionais”, ressalta o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, Alex Fiúza de Mello.
Texto:
Ana Carolina Pimenta-Secti
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...