Total de visualizações de página

terça-feira, setembro 04, 2012

Blogs divulgam escolas e aproximam professores e alunos na rede pública




Uma nova ferramenta de comunicação vem ganhando, a cada dia, mais espaço na rede pública estadual de ensino: o blog. Com estrutura simples e atualização rápida, o formato caiu no gosto de professores e alunos das escolas da capital e do interior do Estado. Nessas páginas são divulgadas as mais diversas atividades, ideias, projetos e iniciativas desenvolvidas no ambiente escolar.
Na Escola Visconde de Souza Franco, em Belém, a atualização do conteúdo é levada a sério, tanto que no último concurso para eleger o melhor blog escolar da capital, em 2010, a página da instituição foi a campeã. O blog (www.soufran.blogspot.com), que já recebeu mais de 61 mil visitas, é alimentado pelos três professores de informática da escola, com a contribuição direta dos alunos. As informações são recebidas e, somente após uma avaliação desse conteúdo, e postadas.
Uma das professoras responsáveis pelo blog, Rosana Eleres, 50 anos, explica que o procedimento foi adotado para evitar problemas com conteúdos impróprios, mas que não interfere na participação dos jovens. “A informação vem de todos os setores e os alunos participam ativamente. Eles desenvolvem as atividades e nos avisam, ou entregam os resultados dos trabalhos, como vídeos e slides, para serem publicados. Muitas vezes eles também nos antecipam as atividades e já aguardam a publicação”, comenta.
A aluna do terceiro ano do Ensino Médio, Soany Palheta, 18, disponibilizou na página eletrônica o trabalho produzido para a Feira da Cultura de 2011. O professor José Oliveira, que também gerencia o conteúdo do blog, recorda que o trabalho fruto do "Soufran em defesa da arte", abordava as consequencias das drogas. “Separamos grupos para fazer pesquisa, montar a reportagem e editar. No final trouxemos o pessoal do “Nova Vida” (Centro de Prevenção e Tratamento de Alcoolismo e Drogadição) para dar depoimentos”. Para Soany, a publicação foi o reconhecimento de um trabalho bem feito. “O que a gente produz dentro da escola tem que ser divulgado. Através do blog, todo mundo pode ter acesso a esse conteúdo, que pode ajudar outras pesquisas”, disse.
Outra utilidade dos blogs é a publicação do material didático para os alunos. “O objetivo é divulgar as informações referentes à escola para os alunos. Alguns professores já estão adquirindo o costume de disponibilizar seus materiais no blog, o que tem sido muito eficaz, porque é uma ferramenta muito rápida, dinâmica. Quando os alunos querem saber de alguma coisa, como dias facultados, eles já entram e consultam o blog”, destaca a professora Rosana.   
Vanguarda – Na Escola Estadual de Outeiro, na Ilha de Caratateua, em Belém, o blog também tem sido uma ferramenta importante. Apesar da distância do centro da cidade, a escola “blogueira” se mantém conectada à comunidade e com as outras unidades de ensino através do blog (www.escoladoouteiro.blogspot.com). A escola foi uma das primeiras a adotar a ferramenta e atualizar constantemente o conteúdo.
A responsável por gerenciar o blog, desde a sua criação, em 2008, é a professora Ana Cecília Borges, 40. Junto com outros professores de Belém, ela participou de uma das primeiras capacitações ministradas pelo professor Franz Kreuther Pereira, um dos principais multiplicadores da ferramenta no Estado. A atividade é promovida periodicamente pelo Núcleo de Tecnologia Educacional, vinculado à Coordenadoria de Tecnologia Aplicada a Educação da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).
O blog foi implantado assim que a professora assumiu o laboratório de informática da escola. Ana Cecília recorda das dificuldades que enfrentou quando começou esse trabalho. “Atualizava da minha casa, porque não internet na escola. Mesmo assim, a conexão que eu tinha era bastante limitada”, lembra. O empenho foi tanto que, logo no primeiro  Concurso Estadual de Blog da Seduc conquistamos o primeiro lugar.
No ano seguinte, já com a internet instalada na escola, os alunos monitores do laboratório também passaram a ajudar na atualização. Neste ano, o blog da escola também foi reconhecido como um dos melhores da capital, alcançando a segunda colocação no concurso. “Desde o início, o objetivo do blog é de divulgar a escola e multiplicar a idéia, tanto que nossos monitores davam oficinas para outros alunos e o resultado foi a criação de blogs vários alunos a partir do nosso”, destaca a professora Ana Cecília.
Incentivo - Para fomentar  as novas tecnologias no ambiente escolar, a coordenadora de Tecnologia Aplicada da Seduc, Marcelina Pereira, destaca as capacitações que ocorrem em todo o Estado, por intermédio dos 12 Núcleos de Tecnologia Educacional, distribuídos em 11 municípios paraenses (Belém, com dois núcleos, Ananindeua, Benevides, Castanhal, Bragança, Abaetetuba, Tucuruí, Redenção, Marabá, Santarém e Altamira).
Entre os principais cursos ofertados está o de Elaboração de Projetos, o de Uso da Tecnologia e o de Inclusão Digital. Segundo ela, cerca de 80% das escolas que participam da capacitação, tem seus blogs criados. “Um dos tópicos da capacitação é a criação do blog, até porque hoje em dia, essa ferramenta é uma das mais usadas. O uso dessa ferramenta tem sido muito importante, porque com a criação desse espaço as escolas podem expor para a sociedade o que tem feito”, avalia.     
Como forma de premiar as escolas pelo empenho, os núcleos educacionais promovem anualmente um concurso para premiar o melhor blog. Em outubro, a edição do concurso de blogs será realizada em Marabá, no sudeste paraense. O concurso dos blogs escolares de Belém retornará em 2013, como parte da programação do Tucupix, projeto do governo, coordenado pela Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), que visa melhorar a qualidade do ensino, a produção e a troca de conhecimento na internet.
Texto:
Amanda Engelke-Secom
Fone: (91) 3202-0911 / (91) 8150-8965
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...