Total de visualizações de página

sábado, novembro 26, 2011

Pará e Martinica discutem parceria na área energética

Para avaliar a possibilidade de firmar acordos, fechar negócios e promover intercâmbio em áreas como energia renovável, está no Pará uma comitiva da Martinica, que foi recebida na quinta-feira (24), às 18h, pelo secretário Especial de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção, Sidney Rosa, e representantes da Aimex (Associação das Indústrias Exportadoras de Madeira do Pará), Ceamazon (Centro de Excelência em Eficiência Energética da Amazônia), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PA) e outras instituições, visando um estudo de viabilidade e custo-benefício para efetivar a parceria.
A Martinica é um departamento ultramarino insular da França no Caribe. Devido à crise econômica na Europa, a Martinica está enfrentando dificuldades para receber o subsídio francês na área de energia. Por isso, busca soluções para se tornar autossuficiente. A parceria com o Estado do Pará pode ser consolidada, principalmente, no aproveitamento da biomassa. O projeto inicial seria viabilizar a implantação de uma indústria no Pará destinada à transformação de resíduos em "pallets" (estrados de madeira) ou transportar os resíduos para a ilha, onde seriam transformados em fonte de energia.
“Há uma grande possibilidade de ser instalada uma indústria no Estado, dentro de aproximadamente 2 anos”, destacou Fátima Gonçalves, titular da Diretoria de Mercados e Atração de Investimentos da Sedip. A indústria a ser instalada poderá ser no ramo de aproveitamento de resíduos, transformação em "pallet" e transporte deste material para a Martinica.
Outra ideia apresentada por Marwane Bejgane, diretor de Meio Ambiente e Políticas Territoriais, do Conselho Regional da Martinica, é fazer um sistema de energias individuais por prédios, o contrário do utilizado no Pará, onde é aplicado o sistema hidrelétrico. Na Martinica a meta é construir sistemas de acordo com os prédios, para aumentar a eficiência com o melhor aproveitamento de energia.
A comitiva, que ficará em Belém até a próxima quarta-feira (30), se reunirá ainda com diretores da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), para discutir a participação em estudos sobre temas nas áreas de ciência e tecnologia, e concluir um levantamento prevendo a assinatura de um acordo com o Estado do Pará, visando a abertura do comércio bilateral.
“Há um grande interesse do Estado num acordo, pois iniciando este trabalho será possível abranger as negociações para outras áreas de comércio”, ressaltou Sidney Rosa.
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...