Total de visualizações de página

segunda-feira, novembro 07, 2011

REPÓRTER JURUNENSE: As primeiras desta segunda-feira. Tenham um bom dia e fiquem com DEUS

JÁ CIRCULANDO A EDIÇÃO
ELETRÔNICA DO
CORREIO JURUNENSE
Você quer um exemplar? Envie e-mail
solicitando um, para: jornalcorreiojurunense@ig.com.br

Ensaio geral de "Tosca"
causa emoção no
Theatro da Paz
Amor e defesa de ideais políticos. Com esses dois elementos e a interligação deles, construiu-se uma das obras musicais mais eletrizantes de todos os tempos, a ópera “Tosca”, de Giacomo Puccini, cujo ensaio geral aconteceu na noite deste domingo, às 20 horas, no Theatro da Paz. Os ensaios começaram desde 17 de outubro, exigindo resistência e densidade teatral dos cantores envolvidos, como a soprano Silviane Bellato, a grande estrela do espetáculo, a romana cheia de paixões.
“Apesar de toda essa experiência, não tenho a menor dúvida: Tosca é o papel mais difícil que fiz até hoje, pois exige absoluto rigor no canto e um grande esforço interpretativo”, diz Silviane, que já interpretou os principais papéis de muitas óperas, no Brasil e no exterior. Foi  Amelia em “Simon Boccanegra”, Micaela em “Carmen”, Santuzza na “Cavalleria Rusticana”, Nedda em “Pagliacci“, Ilara em “Lo Schiavo “ e o papel-título de “Madama Butterfly”.
Para o diretor cênico da ópera, Mauro Wrona, a maior tensão nesta montagem justamente se dá no ensaio geral, a pré-estreia, que funciona como um termômetro da reação do público. “O desafio é manter tensão e equilíbrio, a sincronia, pois a música sugere os gestos neste ensaio geral, que na verdade funciona como uma pré-estréia do espetáculo”.
A ópera de Puccini, com libreto de Luigi Ilica e Giuseppe Giacosa, baseado no drama de Victorien Sardou, prendeu a atenção da plateia desde o primeiro ao último acorde. É uma obra de pura ficção, mas calcada em fatos e cenários reais: acontece em Roma, exatamente no dia 17 de junho de 1800, em plena guerra napoleônica. Mário Caravadossi é um pintor de família nobre, amante da famosa cantora Tosca e amigo do preso político Cesare Angelotti, que naquele dia foge da prisão.
Na tentativa de proteger o amigo, o pintor acaba sendo preso, torturado e condenado à morte pelo Barão Scarpia, o chefe da polícia política. Tosca, para salvar seu amante, promete se entregar ao chefe da polícia, mas em vez disso, mata-o. O pintor é fuzilado e Tosca suicida-se, atirando-se do alto da torre do castelo onde o amante fora executado sem julgamento.
Tudo isso acontece entre momentos de paixão, erotismo, amor incondicional, traição, amizade, soberba, ódio, mentiras, inveja, inocência, fé e alegria – praticamente todos os sentimentos humanos estão reunidos e se entrelaçam em Tosca.
“O processo da montagem de Tosca é pura imersão na obra, nos dramas universais dos personagens de Puccini. A responsabilidade de realizar uma ópera é imensa, e deve ser feita com o desafio de dar conta da complexidade musical com uma das melhores acústicas do País, como é o caso da acústica do Theatro da Paz”, destacou o maestro Carlos Moreno.
A montagem de Tosca tem figurinos de Elena Toscano, cenografia de Fernando Pessoa, iluminação de Lucas Gonçalves e Rubens Almeida, visagismo de Omar Júnior e supervisão artística de Gilberto Chaves.
As bilheterias do Theatro da Paz estão abertas das 9 às 18 horas, de segunda a sexta-feira, e das 9 horas ao meio-dia aos sábados e domingos, vendendo os ingressos para os três espetáculos do Festival de Ópera que serão pagos: a ópera “Tosca”, o balé “A dança na ópera” e a encenação da cantata “Carmina Burana”. Todos os outros eventos serão gratuitos. O festival é promovido pelo governo do Estado.
Ascom Secult
NO JURUNAS, GRANDE
OPORTUNIDADE:
Polo promove
curso de desenho
de joias à mão livre
Aumentar as possibilidades de expressão nos projetos criados pelos designers, a fim de facilitar o trabalho dos ourives, profissionais que confeccionam as joias, e o rápido entendimento pelos clientes do significado do processo criativo, o Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama) promove, a partir desta terça-feira (8), o curso de Desenho de Joias em Perspectiva à Mão Livre, ministrado pelo consultor Erivaldo Júnior.
Realizada no auditório do Espaço São José Liberto, das 14 às 18h, a capacitação é destinada a designers iniciantes no Programa de Desenvolvimento do Setor de Joias e Metais Preciosos (Polo Joalheiro) e criadores com conhecimento básico de desenho à mão livre. São oferecidas no máximo 20 vagas.
O curso acontecerá nos dias 8, 10, 16, 18, 22, 24, 29 e 30 de novembro, com aulas expositivas e práticas, nas quais os alunos desenvolverão suas habilidades manuais no desenho de joias em perspectiva livre, com um ou dois pontos de fuga.
 “Utilizaremos exercícios de desenhos de observação de joias já existentes e outras elaboradas a partir de temas rápidos. O desenho à mão livre será aliado a princípios da perspectiva com ponto de fuga. Ao término do curso, os alunos terão mais um meio de expressão de projetos de joias, por meio do desenho livre em perspectiva”, explica o consultor Erivaldo Júnior, mestre em Design Visual pelo Kyushu Institute of Design, no Japão, e designer de joias integrante do Programa Polo Joalheiro desde 1999.
Serviço: Curso de Desenho de Joias em Perspectiva à Mão Livre, para designers vinculados ao Polo Joalheiro do Pará. Início: 8 de novembro (terça-feira), às 14h, no auditório do Espaço São José Liberto (Praça Amazonas, s/n, bairro Jurunas). Inscrições: Núcleo de Desenvolvimento Tecnológico e Organizacional (NDTO) do Igama – (91) 3344-3518.
Ascom/Igama
Açaí e carimbó são atrações
de festival na comunidade
Castanhal do Mari Mari
 A dobradinha açaí com camarão, a dança do carimbó e o artesanato feito com o cipó “varinha do amor”, têm se destacado como as grandes atrações da  VIII Mostra Cultural  e  VI Festival do Açaí, eventos promovidos pela comunidade de Castanhal do Mari Mari, localizada no entorno da unidade de conservação Parque Municipal da Ilha de Mosqueiro. A festividade teve início no sábado e prossegue até esta segunda (7).
 Uma das apresentações mais aplaudidas, no final de semana, foi a do grupo Meninos da Terra, formado com moradores da própria comunidade. Eles criam as coreografias  a partir da vivência na região. Outro grupo que se apresentou, também sob aplausos, foi o Parafolclórico Portal da Melhor Idade, da Ilha de Caratateua, Outeiro.
 A Festividade acontece com o apoio do Ecomuseu da Amazônia, instituição vinculada à Fundação Escola Bosque. O objetivo deste trabalho em parceria é promover o turismo de base comunitária na região. Para tanto, a equipe do Ecomuseu atua no fomento e capacitação da comunidade observando o meio ambiente e a cultura local. Um dos resultados desta união está sendo exposto nesta VIII Mostra Cultural. Trata-se da publicação da história de Castanhal do Mari Mari.
 Serviço – Para conhecer a comunidade de Castanhal do Mari Mari , o visitante deverá tomar uma embarcação em Mosqueiro, no trapiche do porto Pelé. Informações sobre os serviços de infraestrutura oferecidos no local podem ser obtidas com a equipe do Ecomuseu da Amazônia pelo telefones: (91)3267-1354.

Texto: Lucirene Gomes
Arquivo Público do Estado
realiza oficinas técnicas
O Arquivo Público do Estado do Pará (Apep) realiza, a partir das 09h desta segunda-feira (7), até 11 de novembro, no auditório dos Mercedários, as oficinas técnicas "Arquivologia: Reformatação e Preservação de Acervos Documentais" e "Norma de Descrição Arquivística Brasileira - Nobrade".
As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo e-mail: apep.secult@yahoo.com.broudurante. O credenciamento será no auditório dos Mercedários, na Rua Gaspar Vianna, 125, bairro Campina.
A iniciativa tem o apoio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult) e do Conselho Nacional de Arquivos (Conarq).
GREVE DOS PROFESSORES
DEU NO DIÁRIO ON LINE
NESTA MANHÃ
Assembleia define
hoje se greve acaba
O Sindicato dos Professores em Educação Pública do Pará (Sintepp) decide hoje em assembleia se encerra ou continua a greve dos professores. A reunião acontece às 7h, no Centro Social de Nazaré, após a decisão do juiz Elder Lisboa Ferreira, titular da 1º Vara de Fazenda da Capital - que determinou, na última sexta-feira, o retorno imediato da categoria ao trabalho, sob pena de multa diária de R$ 25 mil.
“Convocamos os professores e esperamos uma quantidade representativa da categoria para que possamos votar sobre o retorno ou não aos trabalhos”, explicou Williams Silva, coordenador estadual do Sintepp.
A decisão sairá da assembleia, mas Williams adianta que “pela tradição da categoria, vamos continuar a greve, independentemente da vontade do juiz ou do governador do Estado”, enfatiza. E completa: “Qualquer decisão tomada pela Justiça, o sindicato irá recorrer da sentença”.
Segundo a decisão do juiz, o governo do Estado não descontará os dias parados e pagará o valor do piso nacional dos professores em até 12 meses, a contar de 1º de janeiro de 2012.
A decisão não agradou aos professores. “Não é possível que o Estado não possa aumentar o valor de R$1.121 para R$1.187, é apenas R$ 64 de aumento”, questiona Williams Silva.
“A decisão do TJE primou pelo bom-senso e respeitou a incapacidade do Estado de arcar com o pagamento imediato do novo piso”, avaliou a secretária de Estado de Administração, Alice Viana.
O secretário de Estado de Educação, Cláudio Ribeiro, afirma que a decisão da Justiça será cumprida em tudo o que determina. “O Estado vai cumprir a sentença. Vamos, agora, discutir um prazo para a reposição das aulas, levando em consideração o mínimo de 200 dias letivos anuais estabelecidos pela LDB (Lei de Diretrizes e Bases)”, afirmou o secretário.
A sentença também determina que o Sintepp terá 10 dias para elaborar um calendário de reposição das aulas perdidas durante a greve.
FONTE: (Diário do Pará) – Leiam o Diário do Pará.
GREVE DOS PROFESSORES
DEU NO O LIBERAL ON LINE
Professores da rede pública
estadual desafiam a Justiça
Mesmo com a determinação judicial para que os professores da rede pública estadual encerrem a greve e retornem ao trabalho hoje, tudo indica que as cadeiras das salas de aula permanecerão vazias nesta segunda-feira. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará (Sintepp) já avisou que qualquer decisão sobre o encerramento da greve será tomada apenas em assembleia geral da categoria, que está marcada para hoje, às 9 horas, no Centro Social de Nazaré. Caso os professores não estejam em sala de aula hoje, a greve será considerada ilegal e o presidente do Sintepp estará sujeito a multa diária de R$ 25 mil. Além disso, se a categoria não voltar ao serviço, o Estado está autorizado a cortar o ponto dos grevistas a partir de hoje. Os professores que desobedecerem à decisão poderão, inclusive, serem submetidos à instauração de Processo Administrativo Disciplinar (PAD).
Segundo a coordenadora geral do Sintepp, Conceição Holanda, os professores não vão abrir mão de deliberar em assembleia e 'nenhuma decisão' será tomada sem o consenso da categoria. 'A data da nossa reunião foi remarcada quando o juiz divulgou que sua decisão sairia na segunda-feira. Amanhã (hoje), às 9 horas, vamos nos reunir e tomar uma posição', disse Holanda. Ainda de acordo com a sindicalista, a possibilidade de as aulas retornarem hoje é remota. 'Mesmo que a assembleia decida acatar a decisão judicial, creio que as aulas só retornariam nesta terça-feira (amanhã)', disse.
De acordo com Conceição Holanda, a decisão do juiz não correspondeu às expectativas da categoria. 'Não esperávamos que o juiz colocasse esse prazo de 12 meses para o pagamento da complementação do piso. É uma contradição do Judiciário não cumprir o que determinou a sua Suprema Corte', queixa-se a coordenadora. Na assembleia de hoje, devem comparecer professores de Belém e também de outros municípios. 'Precisamos definir esta situação, mas não há como prever se a categoria vai acatar ou não a decisão. Estamos preocupados com o corte do ponto e com a possível abertura de PAD, pois isso não é bom para os profissionais', ponderou.

Para ver a matéria completa compre o seu LIBERAL



Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...