Total de visualizações de página

segunda-feira, novembro 14, 2011

Com vitória do América-RN, o Papão é obrigado a vencer para subir de série

Nada de empate ou derrota na quarta-feira (16). Com a vitória do América-RN sobre o Luverdense-MT (2 a 0) fora de casa, ontem à noite, o Paysandu caiu para a terceira posição do Grupo E com quatro pontos, um a menos que o time potiguar. O acesso ainda depende apenas das forças bicolores, mas ficou um pouco mais difícil e não pode mais acontecer na próxima rodada. O Papão tem que vencer o Luverdense na quarta e torcer para o CRB-AL vencer ou empatar com o América-RN, em Maceió (AL). Com essa combinação de resultados, o time paraense vai para a última rodada precisando pelo menos do empate diante do time de Natal (RN).
 Para o jogo de depois de amanhã, o técnico Andrade tem duas modificações já garantidas, a entrada do zagueiro Vagner e do meia Juliano. Ainda há a dúvida quanto ao retorno de Sidny, que voltou a treinar com bola nos últimos dias depois de duas semanas se recuperando de uma lesão. Caso ele fique na suplência, Cláudio Allax será mantido entre os titulares.
 Para o experiente atacante Zé Augusto, independentemente de quem for entrar, o momento é de doação máxima em busca do tão sonhado acesso. 'É o momento de esquecer todos os problemas que aconteceram e de jogar, se entregar dentro do campo, de ganhar as divididas e fazer os gols. Estamos chegando ao final e não podemos mais sair tristes da competição. Tenho certeza de que os treinamentos, com a dedicação de todos, com a qualidade dos jogadores, nesse jogo vai ser diferente. Está chegando a hora.'
 O Terçado Voador sabe que tem sido pouco aproveitado neste ano e que, fisicamente, não reúne condições de aguentar uma partida inteira, mas garante que a mística em torno de seus feitos pode ainda fazer diferença. 'Tenho trabalhado e me dedicado para jogar. Alguns acham que já dei de tudo, mas sei que ainda posso ajudar. No futebol não se consegue espaço falando ou com fofoca, e sim trabalhando. Todos os momentos bons que consegui foram frutos de trabalho. Sei que não aguento mais 90 minutos, mas até 30 eu sei que posso ajudar e, quem sabe, fazer o gol do acesso. Quem tem estrela é importante nesses instantes.'
 Técnico Andrade lembra do
retrospecto com
o Flamengo de 2009
 Faltando dois dias para encarar o desafio decisivo diante do Luverdense-MT, jogadores e comissão técnica do Paysandu dormem e acordam pensando no jogo. Ainda dependendo apenas das próprias forças, os bicolores precisam vencer a equipe mato-grossense.
 O Bicolor já está definido, os atletas sabem qual o resultado que lhes interessa, o palco está armado e a espera pela torcida é, apesar da venda não estar sendo das mais fortes, uma certeza. Dos 42 mil ingressos postos à venda, menos de 20 mil foram comercializados. A maior parte, pouco mais de 17 mil, na promoção de venda casada com as entradas do jogo passado.
 'Estamos já vivendo o jogo e não poderia ser diferente neste momento. Não há tempo para pensar em mais nada; temos poucos dias pela frente para definir a nossa vida. Taticamente já está tudo definido', comentou o técnico Andrade, que lembrou o título nacional da Série A de 2009 para falar sobre as chances do Paysandu. Na ocasião, a probabilidade de levar o Mengo à taça era remota, mesmo assim o objetivo foi alcançado. Dessa vez, também com poucas chances, o final feliz pode ser repetido. 'Quando assumi o Flamengo tínhamos 1% de chance de sermos campeões e fomos buscar o título. No futebol, a matemática não é exata. Um resultado muda tudo. Confio no grupo, ele trabalha forte e merece um final de ano muito bom.'
 Apesar de todas as evidências, o comandante bicolor preferiu não adiantar a formação que entra em campo depois de amanhã diante do Luverdense. Para ele, por mais que os onze titulares venham sendo treinados constantemente nos últimos dias, não é prudente passar as armas para o adversário. 'Prefiro não adiantar o time neste momento. A base, todos já conhecem, mas não quero dar mais subsídios ao adversário. O que todos sabem é que meu time joga simples, sem invenções.'
 Entre as mudanças certas está a entrada do zagueiro Vagner no lugar do suspenso Márcio Santos. O jogador engrossou o caldo dos bicolores nos últimos dias que é de conclamar a torcida a comparecer em peso ao Mangueirão na quarta-feira. 'O torcedor tem que nos apoiar, fazer o possível para que a gente ganhe esse incentivo. Esperamos todos no Mangueirão.'
 Para Vagner, que não joga desde o confronto com o América-RN, esse retorno justamente em uma partida tão decisiva pode ser um sinal. Se for assim, que seja positivo, garante. 'O maior desejo de um atleta é estar em campo, apresentando-se da melhor maneira possível. Acho que Deus tem me honrado nesses momentos e que neste jogo não seja diferente. O grupo tem mostrado ambição e temos que fazer isso acontecer para que possamos comemorar no final'.
 Naquela ocasião, o Papão venceu por 1 a 0 e com um gol seu, nos minutos finais. Aquela explosão de alegria é algo que ainda está muito viva em sua memória, lembra o jogador. Se aparecer outra oportunidade, espera poder deixar sua marca, mas deixa claro que entrará em campo primeiramente pensando na missão defensiva. Depois, se der, em ajudar o ataque. 'Quem sabe eu não possa fazer um gol? Mas o mais importante é defender primeiro porque na frente o pessoal vai conseguir decidir.'
  
Fonte: O Liberal
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...