Total de visualizações de página

segunda-feira, novembro 07, 2011

O QUE OCORREU PELO INTERIOR DO ESTADO...

Hidrelétrica de Belo Monte
é tema de reunião
entre governador e secretários
Criar um sistema de acompanhamento conjunto que possa reduzir os impactos sociais que a construção da usina de Belo Monte pode causar nos 11 municípios do entorno da futura hidrelétrica. Foi isso o que o governador Simão Jatene propôs durante um encontro realizado na manhã desta segunda-feira, 7, no Palácio dos Despachos, com os secretários de estado das áreas consideradas prioritárias: educação, saúde, segurança, emprego e renda e assistência social, além do presidente do Consórcio Norte Energia, Carlos Nascimento, e a prefeita do município de Altamira, Odileida Sampaio.
Na opinião do governador é necessário que se responda às demandas da sociedade local o mais rápido possível. “Não podemos transferir responsabilidade para esconder fragilidades. Por isso, convoquei esta reunião, para que possamos encontrar a solução e fazer a coisa acontecer”, ressaltou. Ele também sugeriu ao presidente do consórcio Norte Energia, responsável pela execução da obra, que os investimentos feitos pelo consórcio nos municípios afetados pela usina sejam discutidos em conjunto com as secretarias do estado e de cada município. “Por exemplo, se for necessária a construção de um hospital, vocês (consórcio) constroem e o estado entra com a operacionalização. A minha preocupação é que se invista dinheiro em coisas desnecessárias que não irão resolver os problemas do dia a dia da população, por isso temos que deixar bem claro quais são as reais necessidades”, enfatizou Simão Jatene.
O chefe do Executivo definiu ainda que as secretarias, os representantes do consórcio e as prefeituras façam uma síntese das prioridades de cada um dos 11 municípios para que no final, um documento possa ser entregue, se necessário até a presidente da república para que as demandas sejam atendidas. “Precisamos definir de que forma as coisas devem ser tocadas. É hora de definir o que é mais urgente, ver o que dá para fazer, marcar prazos e começar a colocar em prática”.
A prefeita de Altamira ressaltou que a área que mais preocupa no município é a saúde. “Fico muito feliz com a preocupação que o governador está tendo, até porque eu acho que a coisa precisa a ser tratada com responsabilidade e naturalidade. A saúde é uma questão que me preocupa muito, precisamos criar novas unidades de saúde e requalificar nossos hospitais”, disse. O secretário de saúde, Hélio Franco, que também acompanhou a reunião, afirmou que a Sespa já fez o levantamento do orçamento das unidades básicas de saúde que devem ser construídas no entorno da usina. Segundo ele, somente em Altamira será necessária a criação de 100 novos leitos para atender a demanda que surgirá com a instalação da hidrelétrica.
Na área de emprego e renda uma parceria entre a Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Renda (Seter) e o município de Altamira, proporcionou aos moradores do município a capacitação de 800 trabalhadores. Em Vitória do Xingu, o Programa Estadual de Qualificação já investiu cerca de R$1 milhão.  Já na área da educação, das 8.500 novas vagas de cursos profissionalizantes, a Seduc ofertou um grande percentual para o município Altamira.
Para o presidente do consórcio, o acompanhamento conjunto com o estado fará com que os problemas sejam minimizados. “Nós estamos tratando da maior obra do planeta. Temos que priorizar aquilo que é de maior interesse para o nosso país, mas temos também, a obrigação de cumprir e atender as demandas do nosso povo”, concluiu Nascimento.
Bruna Campos – Secom
Parque Tecnológico do
Tapajós abrigará
pólo de fitoterápicos
 Com o objetivo de implantar um pólo de fitoterápicos em Santarém, no oeste do Pará, o Plano Diretor da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) vem ganhando fôlego neste segundo semestre. A viagem do secretário-adjunto, Alberto Arruda, à sede da Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu (PR), constitui uma das ações em busca de se criar, dentro dos limites do futuro Parque de Ciência e Tecnologia do Tapajós, um centro de pesquisa e produção de medicamentos à base de plantas.
Na busca por conhecer experiências inovadoras e bem-sucedidas, Alberto Arruda foi conferir de perto o programa “Cultivando água boa”, modelo que difunde o emprego de fitoterápicos, valoriza o conhecimento tradicional e oferece uma alternativa de renda para agricultores orgânicos. O projeto faz o cultivo, coleta, limpeza, beneficiamento e controle de qualidade das ervas.
Kits com 18 tipos de plantas medicinais, voltadas para o tratamento das dez doenças mais comuns na área, são montados e enviados a postos do Sistema Único de Saúde (SUS). “A ideia é reunir parceiros institucionais e adaptar a iniciativa do Sul do Brasil à nossa realidade, aproveitando o enorme potencial da nossa região”, justifica o secretário-adjunto.
O interesse pelas ervas e plantas da Amazônia com aplicação nas áreas medicinais e de cosméticos é crescente. Cerca de cinco mil, dentre as 25 mil espécies vegetais existentes na Amazônia, já estão catalogadas e com suas propriedades conhecidas. O secretário acredita que a exploração comercial dessas plantas apresenta perspectivas promissoras de se tornar uma atividade econômica rentável e ambientalmente correta para o Pará.
Além da Secti, Fundação Oswaldo Cruz, Butantan Amazônia Muiraquitan Brasil, Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) e Universidade Federal do Pará (UFPA) estão envolvidas diretamente no projeto de criação do pólo, que será implantado no campus da Ufopa, em Santarém, a partir de 2012.

Ana Carolina Pimenta – Secti
Técnicos da Emater fazem
curso de plantio de
cacau em Altamira
 Técnicos do escritório da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) em Altamira, no sudoeste do Estado, estão investindo na produção cacaueira na região. Quatorze profissionais participam de um curso de nivelamento na cultura do cacau no município. O objetivo é otimizar a produção entre os agricultores familiares atendidos pelos nove escritórios locais correspondestes. A atividade começou nesta segunda-feira (7) e prossegue até quinta-feira (10).
No conteúdo programático do curso de nivelamento, ministrado pelo técnico em agropecuária Sidevaldo Santana de Jesus, do município de Anapu, estão contempladas ações corretas que, segundo ele, vão garantir uma boa produção. Atenções ao solo e questões como adubação, correção da acidez e níveis de nutrientes. “O curso é de nivelamento, pois os técnicos já trabalham com o cacau, como acontece em Porto de Moz, e em Uruará, com o cacau orgânico”, disse.
No primeiro dia, os técnicos tiveram aula teórica no escritório da Emater em Altamira. Segundo o palestrante, nos próximos três dias os técnicos vão a campo para as aulas práticas. Será dada importância à poda de formação da planta e à poda de manutenção, como sombreamento, e o método de plantio monoclinal.
Sidevaldo de Jesus explica que este método determina a plantação de diferentes variedades de cacau por blocos de plantio. “Este trabalho vai revolucionar a lavoura cacaueira, já que modifica a forma tradicional. Na Bahia esse assunto já começou, mas no Pará ele é novidade”, afirmou.
“Mesmo a produção cacaueira sendo de responsabilidade da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), técnicos daEmater estão trabalhando forte nesta temática. O motivo é simples: a região de Altamira é terra fértil para o cacau”, continuou. Outro fator que determinou a opção pela produção cacaueira foi a fácil comercialização do produto no mercado consumidor.
Kenny Teixeira – Emater

Emater investe na produção
de cacau em Porto de Moz
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) entregou à Prefeitura de Porto de Moz 60 mil sementes de cacau para a produção de mudas no município, que fica na ilha de Marajó. O objetivo é incrementar a agricultura no município. Os 60 produtores já cadastrados para o trabalho serão acompanhados pela Emater.
As sacas de sementes de cacau foram entregues à Secretaria Municipal de Agricultura no fim de setembro, para que mudas cacaueiras fossem produzidas no viveiro público e distribuídas gratuitamente aos agricultores familiares, que passaram por um cadastramento após o recebimento das mudas. A assistência técnica será coordenada pelo chefe do escritório da Emater em Porto de Moz, Jackson Lima.
Jackson Lima explica que a introdução desta cultura no município vem sendo feita há alguns anos, mas que só agora vai ter um acompanhamento diferenciado. O intuito, segundo o técnico, é promover o desenvolvimento da atividade, que visa à melhoria da qualidade de vida dos produtores rurais do município.
O chefe da Emater em Porto de Moz revela ainda que está buscando fortalecer a cadeia produtiva do cacau na região. “Estamos estreitando as conversas com os órgãos governamentais, como a prefeitura local, a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) e empresas privadas para podermos viabilizar a execução desse projeto, com cursos, treinamentos, palestras e dias de campo. Assim, juntos buscaremos o desenvolvimento social, econômico e ambiental do município de Porto de Moz”, finaliza Jackson Lima.
Kenny Teixeira – Emater
Paratur certifica novos
profissionais na
área de turismo
Entre os dias 22 de novembro a 19 de dezembro deste ano será realizada a programação de entrega de certificados do Plano Emergencial de Qualificação do Turismo, em execução pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur) em 15 municípios paraenses. Em várias modalidades, os cursos do Plano resultam de parceria da Paratur com a Escola de Governo Estado do Pará (EGPA), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e Associação dos Profissionais em Recursos Humanos (APRH).
Segundo Adenauer Góes, presidente da Paratur, o plano garante investimentos que inicialmente somam cerca de 300 mil reais para qualificação de mais de 1300 pessoas que atuam na cadeia produtiva do turismo em diversos segmentos, totalizando 62 turmas, 31 modalidades de cursos, voltados à capital e mais 14 municípios.
A primeira etapa dessa qualificação foi formalizada em agosto e as aulas começam, para os servidores, nesta segunda-feira, na EGPA. Os beneficiados com os cursos foram os servidores da Paratur que atuam direta e indiretamente com ações de turismo em Belém. Os cursos oferecidos foram de contabilidade básica, francês básico, inglês básico, projetos sociais e captação de recursos, informática (word e Excel), retenção de impostos, oratória, relações interpessoais no trabalho e gestão ambiental.
Os cursos voltados aos municípios são na área de qualidade no atendimento, ofertado aos taxistas, mototaxistas, funcionários da hotelaria, bares, restaurantes e similares. Também são ofertados cursos de gestão de negócios, relações interpessoais no trabalho, elaboração de projetos para captação de recursos, informática, gestão ambiental, oratória, contabilidade básica, condutor local, empreendedorismo, cozinha regional, turismo rural, roteiro, trilhas e caminhadas ecológicas, cozinha regional, manipulação de alimentos, camareira, garçom. A segunda etapa foi formalizada em setembro, nos demais 14 municípios, através de convênio com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar)  e APRH, em parceria com as secretarias municipais de turismo, que apontaram a demanda e o público da capacitação.
Certificação
A certificação vai acontecer este mês nos municípios de Bragança, dia 23; Marabá e Parauapebas, no dia 30. Dia 6 de dezembro a certificação será em  Vigia; 12 de dezembro em Paragominas; 13 em Belém; 19 em Soure e Salvaterra. O Plano Emergencial de Qualificação Profissional no Turismo resulta de demandas levantadas junto às secretarias municipais de turismo, associação de bares e restaurantes, Sistema S e funcionários da Paratur, entre outros. A meta é contemplar também áreas de segurança turística, marítimos,  bilheteiros e aeroportuários.

Benigna Soares com Jeferson Höenisch - Ascom Paratur
Sepaq incentiva o
cultivo de ostras
O Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) enviou representantes até a comunidade de Lauro Sodré, no município de Curuçá, no nordeste do Estado, para uma visita técnica ao projeto de desenvolvimento da Malacocultura Paraense (cultivo de ostra). A visita, que ocorreu no último dia 3, foi acompanhada por uma equipe do Banco do Brasil e pelo diretor de Ordenamento, Logística e Estudos da Secretaria de Pesca e Aquicultura (Sepaq), Alan Pragana, e do Gerente de Ordenamento da secretaria, Antenor Ferreira. A Sepaq desenvolve o projeto em convênio com o MPA, abrangendo os municípios de Curuçá, Salinópolis, Augusto Corrêa, Maracanã e São Caetano de Odivelas.
A comitiva do governo federal era formada pelo diretor de Águas Marinhas do MPA, Luiz Osvaldo Santiago, juntamente com Jefferson D'avila e Cláudia Chaves, da Fundação Banco do Brasil (FBB), assim como representantes dos parceiros do projeto, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae); Instituto Federal do Pará (IFPA), Universidade Federal do Pará (UFPA) e produtores. Na oportunidade, o MPA e a Sepaq anunciaram a liberação de R$ 589.591,75 para o projeto, sendo R$ 499.991,75 oriundos do MPA e outros R$ 89.600,00 do Governo do Estado do Pará.
A visita terminou com uma reunião em Castanhal, no auditório do IFPA, com a presença de produtores dos cinco municípios envolvidos no projeto, onde foi discutida a possibilidade de instalação de uma unidade de processamento de ostras financiada pela FBB, muito festejada pelos produtores. A proposta entrará em fase de elaboração do projeto.
Sérgio Noronha - Ascom Sepaq
Policiais de Dom Eliseu
recuperam
dinheiro roubado
Na última quinta-feira, 3, a guarnição composta pelos Sargentos PM Jaime e Raimundo José, juntamente com os cabos PM Eumar, Da Silva, Vieira, Armando, Rauslhei e Lopes, sob comando do Tenente PM Silvio, todos da 4ª Companhia Orgânica da PM em Dom Eliseu, subordinada ao 19º Batalhão PM, em Paragominas, conseguiu prender dois homens acusados de roubo na região.
Os criminosos tinham acabado de roubar dinheiro de um cliente de uma agência bancária, quando foram localizados pela guarnição policial, à altura do km 8 da Rodovia BR-222, entre os municípios de Dom Eliseu e Rondon do Pará. Os acusados chegaram a trocar tiros com a polícia, mas ninguém saiu ferido.
Com a dupla, foram apreendidas duas motos, um revólver calibre .38 com três munições intactas, três aparelhos de telefone celular e mais de cinco mil reais em espécie, valor subtraído da vítima. Materiais que foram encaminhados, juntamente com os acusados, para a Depol de Dom Eliseu, onde foram autuados em flagrante.
Major PM Leno Carmo - Ascom PMPA
Polícia Militar apreende
drogas no Marajó
e em Itupiranga
O grande número de operações da Polícia Militar, quer específicas ou em ação integrada com outros órgãos, principalmente com a Polícia Civil, tem aumentado a quatidade de drogas apreendidas pela Polícia Militar em todo o Estado. Além da droga, diversas pessoas, entre homens e mulheres, participantes dos esquemas do tráfico têm sido presos e colocados à disposição da justiça.
A Polícia Militar, por meio do 8º Batalhão de Polícia Militar, sediado em Soure, no arquipélago do Marajó, em guarnição comandada pelo 3º Sargento PM Uchoa e composta pelo Cabo PM Dantas e Soldado PM Malaquias, conseguiu, com o apoio de policiais civis, prender três homens acusados do comércio de drogas na localidade de Cachoeira do Arari.
Os homens foram localizados após denúncias anônimas, e com eles foram encontradas diversas petecas de cocaína, as quais eram destinadas, segundo as informações levantadas, principalmente aos adolescentes do município, que têm se configurado no principal alvo dos criminosos da localidade. Os acusados e a droga foram encaminhados à Depol local para as providências legais.
Itupiranga
Policiais Militares em Itupiranga conseguiram, em dois dias consecutivos, prender três pessoas envolvidas com o tráfico e o comércio de drogas no município. Já são quatro traficantes presos em um mês; resultado direto das operações em conjunto com a Polícia Civil, a colaboração de populares com denúncias e informações e o empenho dos policiais militares em operações frequentes.
Na quarta-feira, 2, os Cabos PM R Lopes, F santos, acompanhados pelo Soldado PM Valter e comandados pelo Capitão PM Kojak, flagraram dois homens que estavam comprando drogas em um ponto de vendas de drogas, conhecido como “bar da Vera”, na rua são Geraldo. A venda estava sendo feita por um homem que foi preso em flagrante pelos policiais pelo crime de tráfico de entorpecentes. Juntamente com o infrator, foi apreendido dinheiro em espécie, fruto da venda das substâncias entorpecentes.
Na sexta-feira, 4, três guarnições policiais, também sob comando do Capitão PM Kojak, compostas pelos Cabos PM Pinheiro, Jardim, Bento, Jonas e Djalma, além do Soldado PM Brito, montaram uma operação em Itupiranga, objetivando prender um traficante que, segundo denúncias recebidas, estava vendendo “crack” em grande quantidade, além de ostentar publicamente uma pistola calibre .765 para intimidar quem o denunciasse, com a qual, inclusive, chegou a efetuar disparos em via pública.
Os policiais, contando com informações de populares, conseguiram localizar o traficante, que aos 18 anos, já era um grande comerciante da droga. O jovem estava dormindo em uma casa abandonada, no centro de Itupiranga, quando foi localizado com 11 papelotes de “crack”, cerca de 200 gramas da droga e a pistola automática, sendo preso e conduzido até a Depol local, onde foi autuado em flagrante delito.
Major PM Leno Carmo - Ascom PMPA
Cohab desenvolve trabalho
técnico social em área indígena
A Cohab realiza de 07 a 12 de novembro, na comunidade indígena Guarani, no município de Jacundá, um curso de Produção de Mudas e Viveiros, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). A ação integra o trabalho técnico social da companhia, desenvolvido após a construção de 30 unidades habitacionais na área indígena. O curso foi uma das solicitações dos próprios indígenas, que pretendem realizar o reflorestamento da área por eles ocupada, tendo em vista a seca do igarapé que corta a aldeia indígena, e que já está comprometendo até a sobrevivência do gado.
O curso de Mudas e Viveiros terá Nilson Damasceno, do Senar, como instrutor. Andréa Omoto, assistente social da Cohab que coordena a ação, informa que o trabalho na comunidade Guarani deverá encerrar em dezembro com uma ação de saúde e cidadania, além de um treinamento sobre Noções Básicas de Informática. Os indígenas receberam, no ano passado, seis computadores por meio de um projeto da Secretaria de Cultura, mas apenas dois indígenas têm noções de informática.
A Cohab já realizou diversas ações visando a geração de renda e a qualidade de vida da comunidade Guarani, que reúne cerca de 50 indígenas . A comunidade, que está localizada a 16 km da sede do município de Jacundá, no sudeste paraense, dispõe desde o ano passado de trinta casas de alvenaria com 39m², contendo sala e cozinha conjugada, dois quartos e banheiro, resultado de projeto da Companhia de Habitação do Pará, executado com recursos do PAC FNHIS (Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social).
Ideflor promove audiência
pública em Belém para
debater concessão florestal
Depois de debater o pré-edital para concessão florestal na Floresta Estadual do Paru na região do Baixo Amazonas, o Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (Ideflor) promove uma audiência pública em Belém, no próximo dia 11, no auditório do Centro Integrado de Governo (CIG), às 14h. Esta será a terceira e última audiência pública sobre o tema.
A Flota Paru abrange os municípios de Almeirim e Monte Alegre, no Baixo Amazonas, onde também foram realizadas audiências públicas. As contribuições coletadas nas audiências serão utilizadas para o edital final de concessão. O edital final de licitação poderá disponibilizar 434,7 mil hectares de área para concessão florestal.
Essa é a segunda área a ser disponibilizada pelo Ideflor para concessão florestal. O primeiro edital de licitação ofereceu três unidades de manejo. Os contratos de concessão valem por 30 anos, podendo ser prorrogado por mais cinco anos. As próximas áreas a serem licitadas totalizam mais de 500 mil hectares de áreas de florestas. Até o final do processo, o Ideflor já terá disponibilizado quase 700 mil ha de floresta à concessão.

Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...