Total de visualizações de página

quarta-feira, novembro 23, 2011

Fundação Curro Velho encerra último módulo de oficinas com apresentações culturais

A Fundação Curro Velho ensina prática de desenho e as técnicas circenses a jovens de várias idades. As oficinas encerram nesta sexta-feira, 25. Para marcar o encerramento de mais este trabalho, nesta sexta-feira, 25 de novembro, no horário de 9h às 11h e de 15h às 17h, as crianças e adolescentes atendidos pela Fundação Curro Velho apresentam os resultados da Oficina. Haverá mostra do que eles aprenderam nas áreas de balé, teatro, exposição de gravuras, fotografias, além do espetáculo das Técnicas Circenses, canto coral e violão.
O instrutor Alex Barros envolve crianças e adolescentes na percepção do desenho, para alunos que já tinham o dom de desenhar, só faltava a técnica. “Foram aplicadas teorias de perspectiva, luz e sombra, com o objetivo de aprimorar o talento dos participantes”, explica o instrutor.
A participante Mônica Belúcio, 16, já desenhava, mas apenas por diversão. “Tem que ter talento”, afirma a estudante que faz oficina na Fundação Curro Velho pela primeira vez. Além de Mônica, outro aluno da oficina que tem o talento desde pequeno é o Lucas Ferreira, 16, que percebeu seu dom para o desenho aos 10 anos. “Tenho em mente um desenho para apresentar no fim da oficina”, relata Lucas Ferreira, que tem paixão pela moda e buscou a oficina para interagir com outros artistas e pretende fazer faculdade de moda.
Outra oficina que está próxima do encerramento é a de Técnicas Circenses, que vem sendo realizada desde agosto. Os jovens que participam do grupo estão se preparando para apresentar um espetáculo nesta sexta-feira, dia 25. “A apresentação terá como frente o tecido aéreo, junto com malabares, acrobacia de solo, perna-de-pau e pirofagia”, relata Charles Monteiro, instrutor da oficina. Os alunos de técnicas circenses também vão participar do Auto de Natal da Fundação Curro Velho, no mês de dezembro.
Sandy Diniz, 13 anos, já fazia aulas de Técnicas Circenses, mas em instituição privada, e quando soube que no Curro Velho teria aulas de circo, decidiu migrar para a Fundação por ser mais perto de sua casa e não ter custos com mensalidades. “Há dez anos faço oficinas aqui no Curro Velho, já fiz muita coisa aqui, então sei que o ensino vai ser bom”, afirma Sandy, que pelo fato de morar às proximidades frequenta a Fundação desde os três anos de idade.
Outro que sempre teve interesse em aprender as técnicas de circo era o estudante de 16 anos Daniel Carlos, que, assim como Sandy Diniz, está na oficina desde o início, em agosto. “Já queria fazer técnicas circenses, mas não achava em Belém, foi meu primo que me disse que aqui teria, então vi uma oportunidade de aprender”, afirma Daniel, ressaltando, ainda, que o tecido aéreo e a acrobacia de solo foi o que mais teve facilidade em aprender.
Assessoria de Comunicação da Fundação Curro Velho
Xxxx
Policiais prendem homicidas e apreendem caça-níqueis em Parauapebas
Operações realizadas nos últimos dias em Parauapebas, sudeste do Estado, resultaram na apreensão de dez máquinas caça-níqueis e nas prisões de dois homens acusados de homicídio e estelionato no município. As ações foram desenvolvidas por policiais da 20ª Seccional Urbana da Polícia Civil. Um dos presos é Genesis da Silva Santos, acusado de assassinar, em 2006, na cidade de Jacundá, também no sudeste paraense, Wellington Oliveira da Costa. O acusado estava com mandado de prisão preventiva expedido pela juíza criminal da Comarca de Jacundá, Maria Aldecy de Souza.
Ele foi encontrado enquanto exercia a profissão de vigilante em uma obra localizada na rua 14, bairro Cidade Nova, em Parauapebas. O acusado será transferido para Jacundá nos próximos dias. A outra pessoa presa é Alexsandra Zuila Nunes Costa. Além da prática de crime de estelionato, ela também responde por falsificação de documentos públicos e uso de documentos falsos em Parauapebas e na cidade de Cuiabá, capital do Mato Grosso.
Ao ser interrogada na Seccional Urbana da Polícia Civil na presença de seu advogado e do diretor da unidade policial, delegado Antonio Miranda Neto, a acusada negou o crime e ainda ofereceu a quantia de R$ 8 mil aos policiais como “propina” para que o titular da da seccional deixasse de fazer o procedimento pelos crimes. De pronto, Miranda Neto deu voz de prisão à acusada, que foi autuada por corrupção ativa e ficará recolhida à disposição da 3ª Vara Criminal de Parauapebas. Enquanto era interrogada na unidade policial, o delegado apresentou documentos da empresa “Zuila Bom Gosto”, onde a acusada usava o nome falso de Alexsandra Zuila da Silva Costa.
Ainda durante as operações, a equipe da Polícia Civil fez a apreensão de cinco máquinas caça-níqueis em pontos comerciais da cidade. Os responsáveis pelos estabelecimentos responderrão criminalmente. De acordo com o delegado Miranda Neto, as máquinas serão destruídas após realização de perícia e autorização judicial. As operações contribuíram para a redução de homicidios na cidade, onde não houve qualquer registro de mortes nos últimos oito dias.
Walrimar Santos - Ascom/Polícia Civil
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...