Total de visualizações de página

quinta-feira, novembro 03, 2011

INTERIOR DO ESTADO: Tem boas novidades pra você

Projeto Mulheres da Paz
encerra atividades em
Ananindeua e Belém
 O projeto “Mulheres da Paz”, que trabalhou com 500 mulheres no combate à violação de direitos em comunidades carentes do Pará, encerrou este mês suas atividades. No último dia 27 de outubro e na manhã desta quinta-feira (3), aconteceram as cerimônias de encerramento dos pólos Ananindeua e Belém. No próximo dia 11, acontece a entrega dos certificados para as mulheres que fizeram parte do projeto, no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia.
O Mulheres da Paz foi criado em 2007, numa parceria entre o governo do Estado e o Ministério da Justiça, com o objetivo de capacitar mulheres pertencentes às comunidades selecionadas para levar esclarecimento e informação sobre serviços para redução da violação de direitos. As mulheres residentes nos bairros, selecionadas para fazer parte do projeto, passaram por capacitação para atender a comunidade.
“Para mim o projeto forneceu conteúdo para eu me tornar uma orientadora social. Eu não sabia falar para a comunidade. Hoje abordo as pessoas, informo, contribuo, pois recebi capacitação e me sinto segura”, disse Ângela Castro, participante do projeto no pólo Distrito Industrial.
Para a titular da Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), Tetê Santos, “o projeto foi essencial para que o trabalho destas mulheres nas comunidades fortalecesse os vínculos familiares, além de prevenir a criminalidade e garantir a reintegração do jovem na sociedade”. Ainda segundo ela, “esse projeto está apenas começando, pois tudo o que essas mulheres aprenderam ainda vai ser disseminado por anos”.
Dados do projeto apontam que as mulheres que vivem nas comunidades violentas de Belém e Ananindeua exercem uma liderança informal. Foi constatado que elas reivindicam melhores condições de vida, maior acesso à Justiça e uma vida menos violenta e mais digna dentro das comunidades, já que são os membros de suas famílias que são vitimizados, presos ou mortos.
“A maior transformação que o Mulheres da Paz possibilitou foi dentro de mim. Eu era agressiva, não ouvia a opinião de ninguém. Mudei minha pessoa para ajudar aqueles que estão precisando”, destacou Waldirene Lima, do bairro da Terra Firme. O projeto tem como público-alvo mulheres pertencentes à rede de parentesco e à rede social dos jovens que constituem o foco do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania(Pronasci), isto é, adolescentes expostos à violência doméstica e urbana.
Em Belém os pólos do projeto estão localizados nos bairros do Guamá e Terra firme, onde foi diagnosticado na época o maior índice de violência. Já em Ananindeua, além dos índices de violência, a ocupação desordenada foi outro critério usado para a escolha dos pólos, localizados nos bairros do Icuí, Paar e Distrito Industrial.
Inara Soares – Seas
Uepa oferece curso de
especialização em Moju
 A Universidade do Estado do Pará (Uepa) leva a Moju, no nordeste do Pará, o curso de especialização latu senso em letramento e formação de professores. O objetivo é promover maior possibilidade de inclusão de profissionais especializados no mercado de trabalho. Segundo a coordenadora de Pós-Graduação da Uepa, Fabíola Raquel Tenório, a instituição hoje é a que tem a maior capilaridade no interior do Estado, por isso tem uma responsabilidade maior.
“Não podemos ficar apenas na formação, tem que haver a especialização desses profissionais, pois eles precisam ser inseridos no mercado de trabalho, e acreditamos que esta é uma das funções da universidade também”, explica. Ao todo serão 50 vagas ofertadas, com inscrições e mensalidades gratuitas. “O campus do Moju é o único em que o curso é oferecido gratuitamente”, ressalta a coordenadora.
A Uepa está oferecendo ainda outros cinco cursos de especialização em Belém e São Miguel do Guamá, apenas na área de educação, “mas há ainda outros três para saúde, nos campi de Belém”, informa. As inscrições para a especialização  em Moju já estão abertas e prosseguem até 6 de dezembro. As aulas começam em fevereiro de 2012 e acontecerão sempre aos sábados. O edital está site da Uepa.
Dani Franco – Secom
Uepa promove semana
acadêmica em
Paragominas e Salvaterra
 Mais dois campi da Universidade do Estado do Pará (Uepa) fazem suas semanas acadêmicas, no início de novembro. O campus VI, de Paragominas, no nordeste do Pará, tem programação entre os dias 7 e 11, enquanto o campus XIX, em Salvaterra, na iha do Marajó, tem atividades entre os dias 8 e 11. Nos dois municípios, os eventos têm como objetivo fortalecer a relação entre docentes e discentes no que diz respeito aos fazeres da academia ligados ao ensino, à pesquisa e à extensão.
Em Paragominas, o tema da semana acadêmica é "Extensão universitária: ampliando o conhecimento, integrando a sociedade”. Neste ano, os estudantes serão levados a fazer atividades nas escolas públicas do município. Em um turno, os envolvidos participam de um minicursos ministrados por professores da Uepa, na própria universidade, e em outro, ministram oficinas em uma escola da cidade.
A solenidade de abertura, que acontece dia 7, terá a presença da reitora da Uepa, Marília Brasil Xavier, que na ocasião vai expor a atuação da gestão superior no que diz respeito à tríade ensino, pesquisa e extensão. Segundo a cordenação do campus VI, a programação fecha o ciclo de atividades de extensão no ano de 2011 com mais de 140 oficinas.
As atividades continuam à noite com mesas redondas integrando outras instituições de ensino superior. A semana acadêmica também terá uma programação cultural à noite e que se encerra com um show do cantor paraense Adilson Alcântara, quinta-feira (10).
Em Salvaterra, a programação será aberta dia 8, na Câmara Municipal, também com a reitora da Uepa, que participa de uma solenidade às 19 horas, e em seguida, ministra a palestra "Avanços no ensino, pesquisa, extensão e gestão: marcos de uma nova trajetória na Uepa". A partir do dia 9, no período da tarde, começam as mesas redondas, apresentações de trabalhos acadêmicos e exposição de produtos e serviços, no próprio campus. A semana acadêmica do campus XIX chega à quinta edição em 2011, com o tema "Os saberes tradicionais e a sustentabilidade socioambiental no Marajó".
Carolina Menezes – Uepa
Centro de Perícias de
Castanhal ganha
reforma e ampliação
A Unidade Regional do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves de Castanhal recebe obras de reforma e ampliação desde o início desse mês. O prédio, que desde sua última reforma, em 2006, no mandato do Governador Simão Jatene, nunca recebeu investimentos, agora ganha novas melhorias de infraestrutura e aparelhamento.
Uma empresa de engenharia contratada já executa um cronograma de trabalho que visa reforma e ampliação de setores fundamentais para a perícia, como sala de necrópsia, além da construção de uma sala específica para cadáveres em decomposição, laboratório de raio-x e um setor de balística forense. O prédio também ganhará revitalização externa e nova recepção, que será ampliada e climatizada.
A reforma da Unidade Regional de Castanhal, que recebe aval e apoio da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), terá, a partir dessa primeira etapa de trabalho, cerca de 340 mil reais em investimentos. Além da região nordeste, outras regiões do Pará também serão atendidas. As Unidades Regionais de Santarém e Marabá já recebem aproximadamente 215 e 130 mil reais, respectivamente, totalizando cerca de 690 mil reais em investimentos de infraestrutura só na perícia do interior do Estado.
Para o diretor geral do CPC Renato Chaves, Orlando Salgado Gouvêa, as obras destinadas ao interior são uma resposta do Governo do Estado e da Segup à sociedade, “A exemplo de Santarém e Marabá, Castanhal também recebe recursos estaduais para melhor equipar a perícia oficial. Esse trabalho é uma resposta da nossa instituição e do governo atual aos usuários dos nossos serviços, á polícia e também à justiça, que necessitam de um trabalho pericial preciso e eficaz para que a segurança pública seja garantida”, destaca.
Ainda segundo o diretor geral, esses investimentos fazem parte da descentralização da perícia paraense, que tem como objetivo garantir o serviço pericial em cada canto do Estado, melhorando o atendimento ao público e a infraestrutura nas unidades em funcionamento e levando unidades a regiões que ainda não possuem, “Trata-se de oferecer melhores condições ao perito criminal, para que ele possa atuar com mais transparência e mais segurança, dando, assim, agilidade na execução do seu trabalho e na emissão dos laudos”, conclui.
Nil Muniz - Ascom CPC Renato Chaves
Emater incentiva
horticultura
orgânica no Marajó
Do dia 31 de novembro até esta sexta-feira, 4, trinta agricultores de dez comunidades situadas ao longo de 30 quilômetros da rodovia PA-159, que liga Breves a Anajás, ambos no Arquipélago do Marajó, estão sendo capacitados pelo escritório regional da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) para a instalação e manutenção de hortas orgânicas na região periurbana desses municípios.
A iniciativa faz parte do programa Cinturão Verde, pelo qual a Emater, em parceria com a Prefeitura de Breves, visa não só a estimular a produção de hortaliças para abastecimento do mercado local, mas também a promover alternativas de trabalho e renda para agricultores familiares e valorizar ambientalmente as propriedades da área, com plantio sem agrotóxicos.
De acordo com o sociólogo da Emater Alcir Borges, Breves chega a importar hortaliças da Região Metropolitana de Belém. “Como o consumo se torna caro, com maços de cheiro verde sendo vendido nas feiras a cerca de R$ 1,50, ter a própria horta também vai garantir às famílias complemento alimentar”, diz.
Os 30 agricultores em treinamento são membros da Associação dos Produtores Rurais da Colônia Tancredo Neves (Aprocotane). A maioria vive do extrativismo de açaí e do cultivo de mandioca. Alguns deles, moradores de zonas ribeirinhas, também pescam artesanalmente.
Concluído o curso, cada família receberá um kit com equipamentos (regadores, bandeja de sementeiras e escarificador, entre outros) para a implantação de um canteiro com espécies como cheiro-verde, alface, cebolinha, couve, chuchu, quiabo e feijão de corda.
Os kits serão emprestados pela Emater às famílias por três meses. No fim desse período, com o empreendimento consolidado e estrutura montada para reprodução de sementes, as famílias devolverão as ferramentas para que a Empresa possa dispô-las a outros agricultores. “A idéia é alcançar sustentabilidade e incentivar democraticamente, dando oportunidade em nível comunitário, com espaço para todos os interessados”, resume Borges.
A partir do ano que vem, sob a égide do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), as hortaliças passarão a compor a merenda escolar de Breves a partir do estabelecimento de um contrato com a Secretaria Municipal de Educação (Semed), que já foi confirmado. A assinatura está prevista para janeiro.
Aline Miranda - Ascom/Emater
Prodepa apoia Pro
Paz em Altamira
O Pro Paz Cidadania, programa de proteção social do Governo do Estado do Pará, está até o dia 5 em Altamira. A cidade receberá nesses dias um mutirão com a disponibilização de serviços de diversos órgãos do Estado, como a emissão de carteiras de identidade, carteiras de trabalho, certidões de nascimento, atendimentos odontológicos, apresentações de grupos, palestras e oficinas, junto a diversos outros serviços voltados a áreas como cultura, saúde, educação e assistência social.
A Empresa de Processamento de Dados do Pará (Prodepa) está presente no Pro Paz garantindo o acesso a internet através do link do Programa Navegapará, que disponibilizará internet para que todos os serviços do evento sejam efetuados. A Prodepa apoiará também a emissão de documentos no Pro Paz, disponibilizando a fila de impressão para esses documentos. O Pro Paz Cidadania acontecerá ainda esse mês em várias outras regiões do Estado
Região de Integração do
Xingu recebe Plenária da I CETD
Os grupos de trabalho e a comissão organizadora da I Conferência Estadual de Trabalho e Emprego Decente (I CETD) vão promover, nesta sexta-feira, 4, a plenária da Região de Integração do Xingu, cujo polo é Altamira. A Região de Integração do Xingu reúne também os municípios de Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Pacajá, Placas, Porto de Moz, Senador José Porfírio, Uruará e Vitória do Xingu. As plenárias encerram no dia 11 de novembro pela Região de Integração do Tapajós, que tem como polo Itaituba.
No total, 13 regiões foram cobertas com as audiências. Essas plenárias são realizadas com o objetivo de contribuir para a construção, fortalecimento e promoção de uma Política Nacional de Emprego e Trabalho Decente, a partir das prioridades estabelecidas no plano nacional. Após a aprovação das propostas dos grupos de trabalho será elaborado o relatório final, que será enviado, no prazo máximo de 15 dias, a todas as prefeituras das Regiões de Integração e à comissão organizadora da I CETD.
A I Conferência Estadual de Trabalho e Emprego Decente será promovida pelo Governo do Estado, por meio da Seter, nos dias 17 e 18 de novembro deste ano, no Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém. O evento vai discutir a formulação de propostas da Política Nacional de Trabalho Decente, a partir das demandas do Estado; subsidiar a atualização do Plano Nacional de Emprego e Trabalho Decente e a sua agenda de trabalho; e contribuir para a construção e promoção de uma política estadual sobre o tema.
A conferência vai debater, também, a geração de mais e melhores empregos, com igualdade de oportunidades e tratamento; a erradicação do trabalho escravo e do trabalho infantil; o fortalecimento dos atores tripartites e o diálogo social como um instrumento de governabilidade democrática. Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o trabalho decente é uma condição fundamental para a superação da pobreza, a redução das desigualdades sociais, a garantia da governabilidade democrática e o desenvolvimento sustentável. Define-se assim o trabalho produtivo adequadamente remunerado, exercido em condições de liberdade, equidade e segurança. No Brasil, a promoção do trabalho decente é um compromisso assumido entre o Governo Federal e a OIT.
Rusele Mendes - Ascom/Seter
Operações resultam
em 40 mil mídias piratas
apreendidas em Tucuruí
A Polícia Civil apreendeu em torno de 40 mil mídias com gravações ilegais, mais conhecidas como piratas, nos últimos 15 dias, em Tucuruí, sudeste do Pará. As apreensões resultaram de duas operações realizadas pela equipe da 15ª Seccional Urbana de Tucuruí, com apoio de policiais civis da Superintendência Regional do Lago de Tucuruí, sob comando do delegado Carlos Magalhães.
A primeira operação - deflagrada no dia 14 de outubro - resultou em mais de 16 mil mídias recolhidas de pontos de venda na área comercial do município. Já, no último dia 30, foi dada continuidade à operação denominada "Mídias Piratas” em que houve nova apreensão. Desta vez, a quantidade de produtos apreendidos foi superior a 22 mil unidades entre CDs e DVDs. A ação foi coordenada, em via pública, pelos delegados Sandro Rivelino e Juliana Cavalcante.
Nas operações, a equipe policial percorreu o centro comercial do município para efetivar o flagrante de três pessoas que comercializavam o produto ilegal. Também foi apreendido um adolescente que vendia as mídias falsificadas no mercado municipal. Após a lavratura do procedimento pelo escrivão Antônio Borges, foi arbitrado fiança que foi paga pelos três e, com isso, todos responderão pelo crime contra a propriedade imaterial em liberdade. O delegado Carlos Magalhães, superintendente Regional do Lago de Tucuruí, ressaltou que, após perícia e autorização judicial, todos os produtos apreendidos serão destruídos.
Walrimar Santos - Ascom Polícia Civil do Estado



Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...