Total de visualizações de página

quinta-feira, novembro 24, 2011

Servidor da Susipe é finalista do Festival de Música do Servidor



Com onze anos de serviço na Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe) e 20 anos trabalhando com música, o agente prisional Iran Ribeiro é um dos semifinalistas da décima edição do Servifest, o Festival de Música do Servidor Público do Pará. Ele mandou a música “Barco perdido bem carregado” e foi selecionado para concorrer ao prêmio de melhor canção.
As 13 anos de idade, Iran Ribeiro começou a paixão pela música, ao tocar cavaquinho. Logo depois veio o violão e em seguida o contrabaixo que, ele adotou como seu instrumento preferido. Tendo como ídolo o compositor e intérprete Cartola, é grande fã de música popular brasileira e paraense. Lotado no Centro de Recuperação Feminino, ele é um dos professores de música do projeto da Susipe “Sala de cordas”, que usa aulas de violão como forma de ressocialização para as detentas.
O servidor diz que a música é fundamental para o equilíbrio de qualquer ser humano, principalmente no cárcere, onde as internas podem ser ressocializadas com arte. “A música tem o poder de equilibrar o lado emocional das pessoas, de trazer harmonia para a vida”, ressalta ele, cuja canção selecionada é um carimbó que conta a história de um romance que se passa na ilha de Algodoal, entre um homem e uma “bota” que se transforma em mulher.
“Barco perdido bem carregado”, explica o autor, é uma metáfora para um amor que não deu certo, mas que se deixa levar pelas circunstâncias e depois volta atrás. Segundo Iran, este trecho da música revela bem a desilusão amorosa: “Maré maresia banzeiro do mar, me leva para longe dela no lance do mar”. Para ele, já é uma grande vitória ter sido selecionado e, atrelado a isso, representar a Susipe no concurso. “Agora que já cheguei até aqui, o objetivo é levar o primeiro lugar”, afirma.
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...