Total de visualizações de página

quarta-feira, maio 23, 2012


                A partir desta quinta-feira (24), o Ministério da Cultura, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a Secretaria de Estado de Cultura (Secult) e a Clan Design oferecem ao público paraense a exposição “Viva Villa! Pelo Brasil”, que conta a trajetória de um dos melhores compositores das Américas, o brasileiro Heitor Villa-Lobos, por meio de imagens, textos, vídeos e muita música. A maior mostra já realizada sobre a vida e obra do maestro poderá ser visitada no Armazém 3 da Estação das Docas, até 20 de junho, com entrada franca.
                Dividida em duas partes, a exposição tem o objetivo de aproximar o espectador da história da música no Brasil e no restante do mundo, a partir de Villa-Lobos, levando-o a refletir sobre as fronteiras entre a música erudita e a popular. “Viva Villa!” mostrará que o legado da rica trajetória pessoal e artística do compositor permanece vivo no repertório internacional, em seus mais variados estilos.
                De um lado da exposição, o espectador fará um passeio pelo século XIX até a primeira metade do século XX, com suas revolucionárias transformações, acompanhando a trajetória de vida do maestro no Brasil, em Paris, França, nos anos 1920, e nos Estados Unidos. A ambientação contará com painéis de textos e imagens ilustrativas, cartazes, pinturas, capas de discos, partituras, instrumentos musicais e objetos pessoais de Villa-Lobos.
                A mostra permeia fatos marcantes na trajetória do maestro: o Rio de Janeiro boêmio, onde Villa ganhou a vida tocando choros no Cinema Odeon, no Teatro Recreio e na lendária Confeitaria Colombo; as suas viagens e momentos decisivos, como a Semana de Arte Moderna (onde fez duas apresentações e foi vaiado pelo público); o emblemático concerto de Canto Orfeônico em São Januário (que reuniu 40 mil crianças, durante a ditadura de Getúlio Vargas) e o desfile carnavalesco do Sôdade do Cordão, bloco criado pelo maestro, que fazia a alegria dos foliões pelas ruas do centro do Rio de Janeiro. Em todo o percurso, o registro de suas composições.
Viagem de trem - Paralelamente, um trem cenográfico – o Trenzinho do Caipira – levará os visitantes a percorrer os caminhos que Heitor Villa-Lobos trilhou, até ser reconhecido como o Compositor das Américas. O trem terá quatro vagões: Sertão, Paris, Amazônia/Brasil e América. Em cada um deles, uma primorosa ambientação. No Vagão do Sertão, por exemplo, imagens do sertão brasileiro e de filmes do Cinema Novo, com composições de Villa-Lobos, como “Menino do Engenho” e “Deus e o Diabo na Terra do Sol”, serão projetadas pelas janelas do trem.
                O Vagão Paris, de inspiração Art Noveau, por sua vez, apresentará imagens projetadas dos locais significativos da história de Villa-Lobos em Paris, incluindo as do Hotel Bedford, onde o maestro se hospedava. Já no Vagão das Américas, o clima será de cinema: fotos de Villa-Lobos com celebridades, ao lado de fotos de filmes da época. Nas janelas, imagens do New York Skyline, inspiração para uma de suas composições, com inéditas imagens dos anos 1950, realizadas em 8 mm, do maestro em suas viagens.
                Em Belém, o carro-chefe promete ser o Amazônia/Brasil, dividido em duas partes: na primeira (classe econômica), o público verá os rituais indígenas, com as músicas inspiradas nos sons da floresta. Na segunda, serão exibidas imagens dos anos 1930/40 e dos concertos orfeônicos que o maestro fez pelo país.
                Idealizada e produzida pela Clan Design, a exposição tem direção geral de Claudio Fernandes e do curador Fabiano Canosa. “Viva Villa! Pelo Brasil” conta ainda com a parceria de várias instituições nacionais e estrangeiras, entre as quais o Museu Villa-Lobos (RJ), a Fundação Carlos Gomes, o Arquivo Nacional, CTAV, Itamaraty, Academia Brasileira de Música, Cinemateca do Museu de Arte Moderna (MAM), Library of Congress (Washington), Richard Rodgers Library, Spanish Institute, New York Public Library (New York), Bibliotheque Nationale (Paris) e Accademia Nazionale di Santa Cecília (Roma). O projeto é patrocinado pelo BNDES, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura, e pelo Governo do Pará, por meio da Secult.
Serviço: Exposição “Viva Villa! Pelo Brasil”, no Armazém 3 da Estação das Docas. De 24 de maio a 20 de junho, diariamente das 12h às 21h. Entrada fraca.
                Vernissage: 24 de maio, às 19h
                Endereço: Boulevard Castilho França, s/n, Campina
                Mais informações: (91) 32125637/5616 / 88960620 (Caroline Soares) / 80610812 (Renata Negrão)

Texto:
Jose Pacheco-Secult
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...