Total de visualizações de página

quarta-feira, maio 09, 2012

Governo do Estado retoma mesa de negociação com militares


Representantes do governo do Estado reuniram-se nesta terça-feira (8) com a Associação dos Policias Militares e Bombeiros para tratar de reinvidicações da categoria, entre elas o pagamento do adicional de interiorização e do auxílio-alimentação. A reunião aconteceu na Secretaria de Estado de Administração (Sead).
                A secretária de Administração, Alice Viana, disse que o adicional de interiorização não está sendo pago devido ao alto custo que causaria aos cofres estaduais. O governo, informou, está fazendo estudos para levantar o impacto que o pagamento do benefício geraria, inclusive no que se refere às ações judiciais e projeto de lei, para viabilização de novas negociações em setembro deste ano, quando também será discutido o pagamento do auxílio-alimentação.
                A secretária informou também que somente com a área militar a folha de pagamento do Estado tem um impacto de R$ 45 milhões. “Estamos muito próximos do limite prudencial de gastos. São essas as limitações, portanto, que nos impedem de estabelecer valores ou percentuais nesse momento. Contudo, estamos sim construindo com responsabilidade e equilíbrio uma política de remuneração que visa à valorização e reconhecimento dos militares”, disse.
                O comandante geral da Polícia Militar, Daniel Mendes, disse que a mesa de negociação permanente estabelecida  entre o governo do Estado e os militares é favorável no sentido de mostrar o esforço das partes para se chegar a um comum acordo. “A mesa é um espaço em que a categoria demonstra os seus desejos e anseios e o Estado, por sua vez, expõe a sua capacidade naquilo que ele efetivamente pode cumprir”, ressaltou.
  
Texto:
Ellen Freitas-Sead
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...