Total de visualizações de página

quarta-feira, maio 23, 2012

Biizu entrega certificados a jovens participantes de oficinas em Prainha

                O projeto Biizu, da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), certificou na manhã desta terça-feira (22) dezenas de crianças e adolescentes que participaram das oficinas de fotografia, rádio e desenho no município de Prainha, oeste do Pará. A ação faz parte dos serviços levados pelo governo do Estado ao município dentro da Caravana Pro Paz Cidadania.
                O olhar atento e as mãos precisas transformavam a imaginação em contornos na folha de papel. Foi com esta dedicação que Paulo Kennedy, 21 anos, descobriu a paixão pelos desenhos aos 9 anos. A chegada do Biizu ao município permitiu que ele pudesse se aperfeiçoar. “Quando soube da oficina, fiquei muito esperançoso, porque nunca tinha tido aula de desenho. Adorei as aulas e aprendi dicas importantes de luz e sombra e perspectiva, que vão me ajudar”, disse.
                O instrutor, Édson Redivan, destacou a atenção com que os jovens do interior trabalham nas oficinas. “Acredito que por conta da carência de informações e até acesso a revistas especializadas eles encontram nestas oficinas oportunidades únicas para aprender. Ficamos muito satisfeitos com os resultados em Prainha. A procura foi boa e os jovens soltaram a criatividade, até porque os deixo livres e isto os cativa sempre”, frisou.
                A oficina de fotografia contemplou curiosos em aperfeiçoar a técnica e profissionais que precisam de informações importantes para tocar o negócio da família. Foi o caso de Carla Suzane Campos, 21 anos, que trabalha com o marido em uma loja no centro da cidade. A oficina proporcionou ao casal informações importantes para aperfeiçoar as técnicas e melhorar o negócio. “Antes não tinha noção de como fotografar. Colocava a máquina na direção da pessoa e fazia a foto. Agora sei como fazer o enquadramento e a melhor iluminação para cada situação”, comentou ela.
“A técnica é importante, mas o olhar é fundamental”, disse o instrutor de fotografia, Sidney Oliveira. Ele levou os alunos para fotografar a cidade e os ensinou como obter a sensibilidade para enxergar detalhes que muitas vezes passam despercebidos pelos próprios moradores. “Fiz algumas fotos e as mostrei aos participantes da oficina. Quando eles viram as imagens, não sabiam identificar que eram do próprio local onde moram”, destacou.
                A comunicação interativa do rádio conquistou crianças e adolescentes na oficina do Biizu. O estudante Jhoe Savio Amorim, 11 anos, exigiu durante a oficina uma atenção da instrutora, Márcia Lima, por ser comunicativo demais. “Fiquei surpreso com a oficina, não sabia que era legal assim. Aprendemos como o locutor trabalha e como deve falar no microfone, achei muito legal”, disse o garoto.
                Em Prainha não existe rádio, por isso os jovens da cidade não tinham noção de como este canal de comunicação poderia funcionar e a importância que exerce no seio da comunidade. Ao conhecê-lo, os participantes se apaixonaram. Cada áudio gravado e cada edição eram motivos suficientes para deixar os pequenos surpresos e felizes.
                Ao final das atividades, todos receberam seus certificados e apresentaram uns aos outros os resultados obtidos nos dias de oficina. A equipe do Biizu segue nesta quarta-feira (23) para o município de Monte Alegre, distante oito horas de barco de Prainha, onde dezenas de crianças e jovens aguardam as oficinas.

Texto:
Cora Coralina-Secom
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...