Total de visualizações de página

quarta-feira, maio 23, 2012

Polícia Civil faz cerimônia para homenagear assistentes sociais

                Os profissionais de Serviço Social que integram a Polícia Civil do Pará foram homenageados nesta terça-feira (22), em solenidade na sede da Delegacia Geral, em Belém. Cada um dos 37 assistentes sociais recebeu um certificado de elogio em reconhecimento pela dedicação, zelo, qualidade e eficiência das atividades desenvolvidas nas unidades policiais na Grande Belém e no interior do Estado.
                O Setor Social da Polícia Civil é responsável em fazer a chamada mediação de conflitos entre pessoas, como em brigas entre vizinhos, desavenças familiares e até acompanhar apurações de denúncias de maus tratos no lar. Na Polícia Civil, os assistentes sociais fazem encaminhamentos para a rede de serviços sociojurídicos e assistenciais, prestam orientações às pessoas sobre os direitos do cidadão e fazem visitas domiciliares para verificar situações de violação de direitos contra crianças, adolescentes e idosos.
                A professora da Faculdade de Serviço Social da Universidade Federal do Pará (UFPA) Vera Paracampo salientou a importância da parceria com a Polícia Civil para o desenvolvimento da profissão de assistente social. Ela ressaltou o trabalho desempenhado pelo Setor Social da corporação, que já foi alvo de pesquisas de outras faculdades de serviço social no Brasil, que buscam informações sobre o serviço dos assistentes sociais prestado na instituição policial.
                O delegado geral da Polícia Civil, Nilton Atayde, ressaltou que a UFPA tem sido uma parceira fundamental para a instituição policial. Ele citou a importância do trabalho de assistente social para a Polícia Civil. “Esses profissionais prestam uma contribuição muito grande para que os indicadores de criminalidade não sejam maiores”, salientou, acrescentando que esses profissionais resolvem muitas situações que se tornariam casos de polícia nas delegacias.
                Nilton Atayde citou as melhorias implementadas no Setor Social da Polícia Civil. Entre elas, está a criação da Coordenação do Serviço Social e a atenção para a melhoria da estrutura nas unidades policiais para o atendimento social. “Queremos que os assistentes sociais tenham um espaço adequado nas delegacias para fazer um melhor atendimento à sociedade”, disse ele, citando o empenho em adquirir viaturas específicas ao Serviço Social para as visitas domiciliares. Ele também salientou que irá propor o aumento do número de assistentes sociais por meio de concurso público.
“Nos sentimos prestigiados e apoiados”, salientou Consuelo Santos, em nome dos profissionais do Serviço Social, lembrando a evolução do Serviço Social na Polícia Civil desde o ano de 1983, quando o serviço foi implantado na Seccional de Polícia da Sacramenta e, a partir de 1988, quando foi feito o primeiro concurso público para a área. “Nosso trabalho vem se aperfeiçoando a cada ano”, asseverou.
                Apenas no primeiro quadrimestre do ano, o Setor Social da Polícia Civil fez mais de 3,1 mil atendimentos nas unidades policiais. Ao todo, mais de 1,4 mil casos passaram por mediação feita pelos assistentes sociais nas delegacias. A maioria dos acordos firmados entre as partes foi feita de forma espontânea, sem necessidade de registro de boletim de ocorrência policial.
                Do total de casos atendidos este ano, mais de 850 pessoas receberam orientações sobre seus direitos, leis e benefícios. Outras 650 pessoas tiveram encaminhamentos para a rede de serviços sociais, jurídicos e assistenciais do Estado, como Defensoria Pública. Ano passado, o trabalho de mediação de conflitos feito por assistentes sociais da Polícia Civil resultou em mais de 15 mil atendimentos sociais nas unidades policiais.


Texto:
Walrimar Santos-Polícia Civil
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...