Total de visualizações de página

quarta-feira, maio 23, 2012

                O Parque Ambiental Mangal das Garças é um espaço de lazer que é modelo em educação ambiental e reprodução de aves e agora se torna referência em Belém como local de exposições com a temática amazônica. Com as mostras “Mangal das Garças” e “Arquitetura dos rios”, abertas semana passada, o complexo turístico tem sua história revelada e ainda exibe imagens das embarcações que navegam nos rios da região.
“O enfoque das exposições é a nossa realidade Amazônica. Aproveitamos um espaço que reflete sobre esta temática. É uma oportunidade para conhecer a evolução deste local e a nossa arquitetura naval, com os processos e técnicas da carpintaria”, destaca o diretor do Memorial Amazônico da Navegação, Emanuel Franco. O gerente do Mangal, Igor Seligmann, disse que está é a primeira vez que o complexo conta sua própria história.
                A diretora do Sistema Integrado de Museus, da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), Carmen Cal, disse que as exposições levam a arte do museu para perto da população. “Museu não é lugar só de velharia. Estamos empenhados em mostrar a cultura da região, como é caso desta exposição, que valoriza e mostra que o museu não é só as quatro paredes. Buscamos a integração da população com estes espaços”, frisou.
                As exposições “Mangal das Garças” e “Arquitetura dos rios”, que integram a X Semana Nacional de Museus, do Instituto Brasileiro de Museus, permanecem abertas ao público até 30 deste mês.

Texto:
Isa Arnour -Pará 2000
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...