Total de visualizações de página

quarta-feira, maio 23, 2012

 
 
                Explorar dinâmicas corporais, por meio de técnicas teatrais e circenses, foi o ponto central da atividade que envolveu professores de arte do município de Prainha, no oeste paraense, de domingo (20) até esta terça-feira (22). O aprendizado, ministrado na sede do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), é fruto da oficina “Jogos e Brincadeiras Teatrais”, promovida pela Fundação Curro Velho (FCV), durante a Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva em Prainha.
                Ao contrário de Almeirim, primeiro município do oeste a receber as ações de cidadania, saúde e cultura oferecidas pela caravana, a pedido da Secretaria de Cultura de Prainha a atividade foi voltada especificamente aos educadores, e não às crianças. “Como o público é diferente, muda também a dinâmica. Neste caso, ela se intensificou. Tanto é que combinamos, nos três dias, fazermos seis horas contínuas, para que eles absorvessem melhor o trabalho”, explicou a atriz Romana Melo, que ministra a oficina junto com Suani Corrêa.
                Romana disse que o objetivo é repassar o conteúdo, explorando recursos como a musicalidade e a confecção de materiais, como máscaras e malabares, para que eles possam multiplicar o que aprenderam. “Dinâmicas de teatro, incluindo movimentação do corpo e respiração, e também elementos circenses, como os malabares e a perna-de-pau, são recursos novos para a maioria deles”, informou.
Formação - Professora da rede estadual há 22 anos, Isabela Pinho, disse que a oficina deixará um material rico para aplicação em sala de aula. “Somos muito carentes desse tipo de formação. Ainda não temos professores formados em Arte no município”, contou a professora de Língua Portuguesa, que também leciona Artes. Isabela e outros docentes estão cursando Arte e Dança, dentro das atividades do Plano de Formação Continuada (Parfor), desenvolvido pelo Ministério de Educação em parceria com universidades públicas federais e estaduais.
                Daene Brasil, 32 anos, é orientadora do Peti e leciona para a faixa etária de 12 a 14 anos. “Nosso trabalho lida com crianças que são retiradas da situação de vulnerabilidade e reinseridas na escola, em atividades para suas faixas etárias. Há muitas tímidas, que não querem participar. E coisas novas sempre são bem vindas, pois é uma forma de chamar a atenção deles e envolver todo mundo em sala de aula”, ressaltou.
                A programação da Fundação Curro Velho, com a oficina “Jogos e Brincadeiras Teatrais”, prossegue pelas próximas paradas da Caravana Pro Paz Cidadania Presença Viva, que são os municípios de Monte Alegre, Alenquer e Santarém. O último município que deverá receber a oficina é Belterra, em junho.

Texto:
Amanda Engelke-Secom
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...