Total de visualizações de página

quarta-feira, maio 02, 2012

                No ano passado, as músicas do multiinstrumentista Egberto Gismonti foram revisitadas, reinventadas e rearranjadas pelas mãos e voz da cantora e pianista carioca Delia Fischer no álbum “Saudações, Egberto”. Com reinvenções harmônicas, letras inseridas em músicas instrumentais consagradas, o que prevalece no álbum é o que Delia Fischer chama de concepção musical, a voz do artista. Esse será um dos tópicos do workshop “Harmonia e improvisação melódica” que Delia ministrará nesta quarta-feira (2) e quinta-feira (3), na Fonoteca Pública Satyro de Mello (4º andar do Centur). O evento é promovido pela Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves e tem entrada franca.
                Delia Fischer é pianista, cantora, compositora e arranjadora com mais de duas décadas e meia de carreira. A musicista chegou a Belém junto com a cantora Ana Carolina, fazendo parte do projeto “Ensaio de cores” de Ana. Na cidade, também realizou show no Sesc Boulevard apresentando ao público paraense as músicas dos três álbuns da carreira. Agora, na Fonoteca Pública, Delia tem a oportunidade de conversar com o público de Belém e contar um pouco da experiência na criação musical, harmonia e concepção artística.
“A minha ideia é trabalhar bastante em cima da criatividade. Ou seja, enfatizar muito mais a composição. Quero dar mais possibilidades pra um público maior, trabalhar com mais pessoas. Seja com aqueles que façam canção ou com instrumentistas que queiram trabalhar a criação”, conta Delia Fischer.
                A musicista ministra cursos e workshops sobre piano popular e improvisação desde 1995, passando por cidades como Curitiba, Brasília, Itajaí e por países como Suécia e Dinamarca. Eventos do tipo são sempre uma oportunidade para que a artista possa transmitir vivências e, ainda mais, conhecer o trabalho dos músicos paraenses.
Carreira
                Além da reinvenção feita na obra de Egberto Gismonti, Delia Fischer leva a noção da singularidade musical aos dois álbuns anteriores da carreira: “Antonio” (1999), produzido por Egberto Gismonti; e “Presente” (2010), que conta com as participações de Egberto Gismonti, Hermeto Pascoal, Ana Carolina e a cantora sueca Lisa Nilsson.
                Delia também trabalha desde 2007 com musicais de teatro, tendo recebido o Prêmio Shell de Teatro na categoria Música, em 2009, pelo trabalho no espetáculo “Beatles num céu de diamantes”, apresentado no Maison de La Danse, em Lyon, na França.
                A pianista ainda assinou a direção musical do espetáculo “Era no Tempo do Rei” com composições de Carlos Lyra e Aldir Blanc. Participou também de dos eventos “Brasil 500 anos” gravado em Paris, em 1998, onde atuou ao lado de Ivan Lins, Arnaldo Antunes, Caetano Veloso, Ed Motta, Gal Costa, Lenine, dentre outros artistas, e “Tributo a Elis Regina”, em 1997, quando tocou com Angela Maria, Milton Nascimento, Nana Caymmi, Leila Pinheiro, João Bosco, dentre outros.

Texto:
Hélio Granado-FCPTN
Postar um comentário

REVISTAS MEDIUNIDADE

JESUS: "Choro por todos os que conhecem o Evangelho, mas não o praticam...”

Ofuscado pela grandeza do momento, começou a chorar. Viu, porém, que Jesus chorava também... E, Eurípedes, falou – Senhor, por que ch...